Política

Denúncia Anônima · 30/11/2020 - 15h31 | Última atualização em 30/11/2020 - 18h42

Alvo da PF, deputado Fábio Xavier contratou empresa criada 2 meses antes das eleições de 2018

Segundo dados da Receita Federal, a proprietária da empresa que recebeu mais de R$ 200 mil é Denise Santos - advogada do então PR, hoje PL


Compartilhar Tweet 1



Por Rômulo Rocha - Do Blog Bastidores

 

_Suposta sede da Multiplan (Imagem: Reprodução da denúncia)
_Suposta sede da Multipla (Imagem: Reprodução da denúncia) 

INFORMAÇÕES QUE COMPÕEM DENÚNCIA DE CANDIDATURA LARANJA

Entre os fatos narrados ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal no âmbito de denúncia anônima contra também o deputado estadual Fábio Xavier (PL), quando das eleições de 2018, é dito às autoridades da rede de controle que a empresa Multipla Eventos Marketing e Consultoria Empresarial Eireili, criada a pouco mais de 2 meses antes daquela eleição, com data de ativação de 31/07/2018, recebeu a cifra de R$ 214.685,00 só de dois candidatos. As eleições do 1º turno naquele ano ocorreram em 7 de outubro.

Segundo dados que constam da Receita Federal, a empresa está no nome da advogada Denise de Fátima Mendonça Santos, que segundo as informações repassada às autoridades da área de investigação, vem a ser a advogada do antigo PR - atual PL. 

As campanhas a que se refere a denúncia anônima é a de Fábio Xavier, candidato à reeleição ao cargo de deputado estadual à época, e da candidata, também à deputada estadual, Tamires Almeida Vasconcelos, suposta laranja.

_Suposta sede da Multiplan (Imagem: Reprodução da denúncia)
_Suposta sede da Multiplan (Imagem: Reprodução da denúncia) 

“INCAPACIDADE FÍSICA DA EMPRESA”

“Como se não bastasse”, trazem as informações repassadas às autoridades, “descobrimos um prédio abandonado, sem faixada (sic) e ao lado de uma revendedora de planos de saúde, que por fim, descobrimos também ser de propriedade da suposta empresária. (...) Pelas condições do prédio seria impossível que aquela empresa tivesse qualquer condição física e/ou de logística para prestar os referidos serviços que afirma ter executado em sua prestação de contas”.

“Seria deveras interessante saber onde a empresa adquiriu matéria prima e insumos para prestação dos serviços mencionados, e que a mesma apresentasse as notas fiscais das compras de produto, pois é notadamente impraticável no mercado que se produza tanto, tão rápido e em tão pouco tempo. Outro ponto interessante é saber quais os funcionários que prestaram o referido serviço e se eles realmente confirmam a produção para as duas campanhas”, traz ainda a denúncia anônima, dando dicas e levantando suspeitas. 

_Suposta sede da Multiplan (Imagem: Reprodução da denúncia)
_Suposta sede da Multiplan (Imagem: Reprodução da denúncia) 

Segundo informes à Justiça Eleitoral, Fábio Xavier pagou à Multipla Eventos a cifra de R$ 162.610,00. Isso pela organização de evento, incluindo espaço e estrutura e ainda organização e estrutura de reuniões, além de publicidade e mobilização de rua.

Já Tamires Vasconcelos informou que gastou R$ 52.075,00 com organizações de reuniões, atividades de rua e publicidade, além de serviços de organização e arquivos.

Procurada através do número que consta cadastrado no site da Receita Federal e que serve como um dos elos de comunicação com a empresa, a advogada Denise Santos [Denise Oliveira] disse que "todos os serviços foram prestados e as contas foram aprovadas" e que iria entrar em contato com o seu advogado. 

A Polícia Federal investiga um suposto esquema envolvendo a candidatura laranja de Tamires Vasconcelos, apontada como “candidata fantasma”.

Tamires obteve 41 votos em 2018 e recebeu R$ 369.912,55 do fundo partidário.

O deputado Fábio Xavier nega a existência de qualquer ilegalidade ou crime.

VEJA MATÉRIAS RELACIONADAS:_____________

Denúncia encaminhada à Polícia Federal atinge mulher e sogra do deputado estadual Fábio Xavier

Mãe do deputado Fábio Xavier também figura na denúncia encaminhada à Polícia Federal


Comentários