• Avião cai em quintal de residência no município de Sítio Novo (MA)

    Um avião de pequeno porte caiu em um quintal de uma residência, no município de Sítio Novo (MA), na manhã desta terça-feira (22/01).

    De acordo com informações, a aeronave veio ao chão quando tentava decolar e o piloto foi surpreendido por um veículo na pista. Não conseguindo levantar voo, o avião caiu no quintal de uma residência.

    Apenas o piloto estava a bordo e pesar do susto o homem teve apenas escoriações leves.

        Fotos: Reprodução

     

  • Polícia investiga assalto a carro forte em Sítio Novo

    Equipes de investigadores lotados na delegacia de Sítio Novo, com apoio da 10ª Delegacia Regional de Imperatriz e de policiais militares do 12º BPM, continuam em diligências a fim de identificar os envolvidos no assalto a um carro forte ocorrido nesta terça-feira (18), na MA-226, na cidade de Sítio Novo.

    O assalto ocorreu por volta das 18h da última terça-feira (18). Ainda de acordo com a polícia, o carro tinha sido abastecido no Banco do Brasil da cidade de Grajaú e seguia com destino à Imperatriz quando foi interceptado por seis homens armados em uma Tucson prata. Na ocasião, o bando ainda tomou de assalto um caminhão que trafegava na área e o utilizou para bloquear a via.

  • MP emite Recomendação para coibir pesca com uso de planta tóxica

    O Ministério Público do Maranhão emitiu Recomendação, nesta segunda-feira, 12, ao prefeito de Sítio Novo, João Carvalho dos Reis, para que sejam adotadas providências que garantam a proibição de pesca com a utilização de planta tóxica ou outros meios predatórios capazes de provocar mortandade de peixes e espécies que habitam as águas de rios e demais mananciais fluviais no território do município.

    A mesma Recomendação foi feita às polícias civil e militar e à população em geral de Sítio Novo (a 636 km de São Luís), em especial aos pescadores dessa região.

    Autor do texto recomendatório, o promotor de justiça Ossian Bezerra Pinho Filho, titular da Comarca de Montes Altos, da qual Sítio Novo é termo judiciário, esclareceu que a medida foi tomada depois de várias denúncias feitas à Promotoria.