Evolução na forma de serviço · 20/11/2020 - 15h45 | Última atualização em 20/11/2020 - 16h16

Startups de seguro no Brasil e sua evolução


Compartilhar Tweet 1



Os Startups de seguro no Brasil têm evoluído de forma que tornaram o setor mais orgânico e menos burocrático, abrindo espaço para um mercado que contribui de forma significativa facilitando os processos corporativos e vida dos clientes.

Sua evolução no país demonstra o grande crescimento de empresas que fazem parte do engajamento referente a soluções de Gaps no mercado, contribuindo para modernização através da tecnologia Insurtechs, as quais têm como objetivo revolucionar o mercado de seguros, uma vez que, permitem a facilidade para que o cliente entenda o que está sendo oferecido, otimizam o processo burocrático, promovem a acessibilidade financeira e personalização de serviços.

Os Startups de seguro agem de modo que promovem a redução de custos e se diferenciam no mercado com soluções inovadoras que prometem reduzir a burocracia à zero, isso devido ao fato de compreender e analisar o comportamento digital de seus clientes em potencial, tornando sua base de análise ainda mais eficaz.

Como os Startups movimentam o mercado de seguros

 

 

O avanço das Startups de seguro no Brasil pode ser observado a partir da receita que geram no PIB, uma vez que, no ano de 2018, as empresas de seguro representavam 6,5%, arrecadando mais de R$ 440 bilhões, no entanto, com o avanço das Insurtechs, o valor atual é de mais de R$ 1 trilhão de ativos, receita de 113 statups de seguro, as quais representam 25%.

Atualmente, o número de startups de seguro no Brasil foi para mais de 45%, as quais atuam em parceria com empresas do segmento já existentes, as quais focam em melhorar a infraestrutura e Backend, diminuindo os problemas de eficiência que afetam a contratação de serviços e diminuem o interesse dos clientes.

As empresas Insuteches se localizam, em sua maioria, no Estado de São Paulo, representando 50% dos seguros no Brasil, ou seja, metade dos números.

Grande parte das insurtechs atua no setor B2B, já que o grande objetivo é facilitar e ampliar a eficiência de processos, a fim de evitar problemas e perda de tempo com a parte burocrática de empresas, distribuindo o serviço de seguro para o consumidor com excelência e de forma otimizada, facilitando o seu entendimento sobre o que está sendo oferecido.

Crescimento surpreendente de insurtechs em poucos anos

As insurtechs possuem um grande potencial e prometem ganhar uma fatia muito maior no mercado de seguros, isso porque, a diminuição de custos que proporcionam é de um enorme diferencial.

Para se ter uma ideia, metade das startups de seguro no Brasil, existem há apenas 4 anos, ou seja, desde 2016.

As empresas têm crescido de forma surpreendente e contribuem de forma significativa para economia. Cada startup possui em média 20 funcionários apenas, poucas empresas possuem mais que 50 colaboradores.

Normalmente, as empresas são fundadas por pessoas entre 30 a 45 anos com dois ou mais sócios, e a maior parte dos investidores reside em São Paulo.

As Startups contribuem para que as empresas tenham acesso a dados de seus consumidores, através da tecnologia insurtech, a qual permite a melhora dos serviços oferecidos e gestão realizada nas mesmas.

Anteriormente, ao contratar o seguro de guincho, por exemplo, o valor gerado que deveria ser realizado através do pagamento no boleto, era calculado com base nos dados preenchidos nos formulários de cotação que ficava disponível por um tempo vigente e os clientes que usavam com pouca frequência, pagavam menos.

No entanto, com as insurtechs, ao utilizar algoritmos que auxiliam na avaliação de comportamento, é possível analisar o perfil dos consumidores de forma específica, a fim de personalizar quaisquer planos de serviços que possam ser oferecidos.

Mais de 40% das companhias preferem se unir as startups para obter uma estratégia corporativa de sucesso, diminuindo custos e aumentando o número de clientes, além de melhorar e otimizar seus serviços.


Comentários