Compartilhar Tweet 1



Saber como trabalhar com marketing para supermercados é vital para ganhar mais vendas e gerar um fluxo de receita estável para o negócio. Isso é especialmente importante para supermercados de bairro, que não contam com a possibilidade de ter uma central nacional que investe em anúncios na televisão e, assim, poder comprar dos fornecedores em grande quantidade, o que acaba gerando uma margem de lucro maior.

Em 2020, o setor de supermercados foi um dos poucos que registraram crescimento, mesmo com a pandemia do novo coronavírus (ou talvez justamente por causa dela). Em 2021, com a alta da inflação e o fim do auxílio emergencial, o segmento sofrerá um pouco mais para poder crescer, já que o poder de compra dos consumidores está reduzido. No entanto, quem souber como trabalhar o marketing para supermercados poderá superar essa dificuldade e até mesmo crescer.

Quer saber como usar o marketing para supermercado do jeito certo, com estratégias que realmente funcionam? Então siga a leitura do artigo abaixo!

5 dicas de marketing para supermercados que realmente funcionam

 

1. Não subestime o Marketing Visual

O Marketing Visual é uma das maiores ferramentas que um supermercado tem para chamar a atenção dos clientes e conseguir, não apenas colocar mais gente dentro da loja, como também fechar mais vendas e estimular o consumo de algum produto específico.

Pense em um supermercado que percebeu que está com uma grande quantidade de molho de tomate perto do vencimento no estoque, por exemplo. É possível fazer uma grande promoção para vender o produto e evitar perdas. Com o apoio do Marketing Visual, é possível comunicar a promoção ao público externo e interno para garantir a venda desses produtos de maneira fácil, barata e eficaz.

Para isso, no entanto, é importante ter insumos de fornecedores como a Visual Super, de modo a poder criar cartazes e outras ferramentas para trabalhar a comunicação visual dentro do mercado.

2. Uma lista no WhatsApp é muito poderosa

Um erro muito comum de supermercados de bairro é considerar que não vale a pena usar ferramentas digitais para vender mais. Na verdade, as ferramentas digitais estão entre as mais úteis para esse segmento. Um bom exemplo é o WhatsApp!

Presente em 99% dos smartphones do país, o WhatsApp é uma ferramenta que traz muitas vantagens para os mercados, com suas muitas funcionalidades. Por exemplo, é possível montar uma lista de contatos na plataforma para conseguir anunciar novidades, promoções e muito mais  para o público.

Com uma estratégia simples de coleta de dados (oferecer descontos para quem fizer um cadastro, por exemplo), é possível coletar números de telefone para adicionar na lista e ter um público sempre disposto a receber novidades e ir comprar na sua loja.

3. Condicione seu público do jeito certo

Um cenário muito positivo para supermercados é condicionar o público para poder agir de maneira previsível e estável. Essa previsibilidade ajuda no cálculo das ações futuras e permite que o seu supermercado possa ter uma base mais estável para crescer. Isso pode ser alcançado via marketing também.

Trabalhando de maneira inteligente, é possível condicionar o seu público a comprar em determinados dias, a fazer compras de mês nas datas mais comuns de viradas de cartão de crédito, entre outras ações. Isso vai desde o simples “Quarta-feira com ofertas na peixaria” até estratégias mais complexas.

Mantenha a consistência e, aos poucos, você terá um público fiel que fará certas ações com base no seu planejamento.

4. Use estratégias para diferentes fontes de renda

Um supermercado precisa de várias fontes de renda para que possa ter um fluxo financeiro estável e resistente a crises. Além do atendimento presencial, é importante ter o delivery e a possibilidade de compras online e retirada dos produtos  na loja.

No entanto, cada fonte de renda deverá ter a sua estratégia de marketing. O delivery, por exemplo, funciona muito bem com o Google Ads. Já a retirada na loja vai muito bem no Instagram. Estude as melhores possibilidades e veja aquilo que faz mais sentido para você.

5. Apoie a sua comunidade local

Em longo prazo, é essencial que o seu supermercado seja visto como positivo pela comunidade em que está inserido. Isso é conquistado por meio de ações de apoio à comunidade local. Essas ações são mais difíceis de fazer, pois o retorno não é imediato. No entanto, a cada time de futebol do bairro que é patrocinado, cada festa junina local que é patrocinada, o mercado se torna mais e mais querido pela comunidade e passa a ter mais e mais vendas em longo prazo.

Agora que você já viu essas 5 dicas de marketing, é hora de colocá-las em prática. Afinal, de nada adianta saber esse conteúdo na teoria e nunca colocá-lo em prática, ou seja, nunca irá usufruir dos benefícios dessas estratégias. Lembre-se de sempre testá-las e ir recolhendo os resultados para fazer uma análise do que funciona e do que não funciona para o seu contexto.

E aí, gostou das dicas? Então deixe um comentário abaixo com a sua opinião sobre o assunto!

 

 

Comentar
Saiba tudo que pode te ajudar · 23/02/2021 - 14h47 | Última atualização em 23/02/2021 - 14h58

SEO em 2021: saiba o que pode ser mais importante no Search Marketing


Compartilhar Tweet 1



Muitas pessoas acreditam que, com a popularidade das redes sociais para o marketing, veremos a morte do SEO em 2021. É fato imutável que as redes sociais, especialmente o Instagram e o Facebook, estão hoje entre as principais ferramentas de marketing para pequenos, médios e grandes negócios.

Com conteúdo de qualidade, fácil divulgação e ferramentas de segmentação poderosas, as redes parecem realmente imparáveis. No entanto, o Search Marketing ainda é a maior ferramenta do Marketing Digital.

Há alguns anos, o Google tinha um volume de buscas de 100 bilhões de pesquisas por mês.

Hoje em dia, esse número já dobrou (e ainda deve aumentar pois mais pessoas vão sendo incluídas no meio digital e mais pessoas vão fazendo buscas). 200 bilhões de pesquisas por mês é muito maior do que qualquer volume que as redes sociais possam oferecer, ainda que sejam muito populares.

Outro fator que faz com que o Search Marketing seja uma ferramenta para ficar por muitos anos é que não há substituto no mercado para ela, ao contrário das redes sociais. Antigamente, o Orkut era a principal rede no Brasil.

Depois, veio o Twitter e o Facebook. Hoje, o Instagram é a rede de maior engajamento, junto com o WhatsApp (presente em 99% dos celulares). Amanhã, talvez seja o TikTok, talvez seja outra rede. Enquanto isso, o Google permanece como a única opção realmente usada no mercado ocidental.

Depois de tudo isso, quer saber como trabalhar com o SEO em 2021 para poder usar o Search Marketing a seu favor? Então siga a leitura abaixo!

 

5 pontos de atenção para o SEO em 2021

 

1. Conteúdo é e sempre será o rei

Um erro muito comum de publicitários ou empreendedores que tentam fazer Search Marketing é acreditar que existe algum tipo de “fórmula” para poder se posicionar bem no Google. Eles pensam que pode ser possível pegar o primeiro lugar de uma palavra-chave fazendo uma receitinha de bolo.

Dependendo da palavra-chave e da concorrência, até pode ser que haja algum resultado, mas não em um nível consistente e, definitivamente, não em um nível de palavras-chaves de valor real e competitivas.

Por isso, para ter um posicionamento real, que garanta presença na primeira página nas principais palavras-chave do seu negócio, é essencial que você invista em conteúdo realmente de qualidade, diferente do publicado por aí, que tenha valor real e autoridade perante o cliente.

2. Foque no EAT

O Google usa um algoritmo com mais de 200 fatores para poder definir qual resultado é o mais indicado para cada busca feita. No entanto, esses 200 fatores são agrupados em três classificações. São elas:

Expertise (conhecimento);Authoritativeness (autoridade);Trustworthiness (confiabilidade).

Por isso, é importante que você trabalhe com esses três conceitos sempre em mente. Isso significa estabelecer ações de diferentes níveis, desde link building até assessoria de imprensa, passando por guest posts e mais, para poder estabelecer altos níveis de conhecimento, autoridade e confiabilidade perante o algoritmo do Google.

3. Melhore a experiência do usuário

O Google considera muito o valor da experiência do usuário na hora de posicionar as páginas no seu resultado de pesquisa. Por isso, é essencial ter especialistas em UX Writing (escrita para a experiência do usuário) e UX Design (design para a experiência do usuário).

Esses profissionais ajudarão a garantir uma melhor experiência no seu site, o que destravará ações dos leitores e usuários e trará melhores resultados.

4. Pesquisas zero clique serão mais importantes

Você já ouviu falar nas pesquisas zero clique? São aquelas em que o usuário faz uma busca no Google e encontra a resposta na própria página de resultados, normalmente via featured snippets.

Hoje em dia, 50% das buscas no Google podem terminar sem que o usuário clique em nada. Quando uma página é classificada pelo mecanismo de busca como digna de aparecer nesse recurso, ela ganha muito mais autoridade, o que beneficia toda a sua estratégia.

5. A análise de dados será essencial

Há alguns anos, o Search Marketing era uma corrida para conseguir primeiras posições e escrever conteúdos para palavras-chave específicas. Hoje em dia, praticamente todos os grandes players do mercado desenvolveram artigos e conteúdos para as principais palavras-chave.

Portanto, o jogo do SEO em 2021 mudou. O foco agora é conseguir aquele pedacinho de otimização que o adversário não tem. Aquela melhoria de 1% aqui, 1,5% ali, que deixará o site na frente do competidor.

Para conseguir isso, será necessário uma complexa análise de dados e um trabalho profundo de conhecimento e testes.

Esses são os principais pontos de atenção no SEO em 2021. Como deu para ver, estamos falando de uma ferramenta que é muito eficaz e estável. Suas mudanças não são algo completamente novo, mas sim otimizações para alcançar resultados cada vez melhores e de maior valor. Por isso, mantenha uma estratégia focada e otimize pequenos detalhes para, de pouco em pouco, alcançar um resultado muito maior.

E aí, gostou do conteúdo? Então comente abaixo com a sua opinião sobre o assunto!

Comentar
Aprenda a ser influencer · 19/02/2021 - 09h32

Entenda como funciona o universo do marketing de influência!


Compartilhar Tweet 1



 

Se você acompanha as redes sociais, provavelmente já se deparou com o conteúdo de algum influenciador digital.

Um estudo realizado pelo Instituto QualiBest, em parceria com a Spark, em novembro de 2019, apontou que 76% dos brasileiros já consumiram produtos ou serviços que foram indicados por esses influenciadores.

Esse número ajuda a entender o crescimento de um fenômeno nas redes sociais: o marketing de influência.

Mas o que é isso? O conceito parece simples - e não é recente:  as marcas contratam pessoas que exercem um papel de influência sobre outras para divulgar suas ações e lançamentos.

Nas redes sociais, por exemplo, um influenciador, que tem relação de confiança com o público que lhe segue e acompanha, consegue transmitir uma mensagem clara e direta, e atrair novos clientes para a empresa.

A relação de influência não surgiu na internet. No século passado algumas marcas já contratavam pessoas famosas para estampar embalagens de produtos, e o mesmo aconteceu depois na publicidade televisiva, com os garotos-propaganda.

Na internet, porém, o canal de comunicação se torna mais efetivo, porque o influenciador pode usar uma linguagem própria e atingir um público bastante específico, de acordo e aliado aos interesses da marca.

Principal benefício

A possibilidade de usar linguagem própria é possivelmente o principal benefício do marketing de influência. Um usuário de rede social geralmente segue um influenciador porque acredita nas ideias dele ou se identifica com o comportamento.

O influenciador, por sua vez, conhece o público que o segue, sabe como se comunicar com ele e como impactá-lo. Cria-se, assim, uma relação entre influenciador, marca e seguidor. O público passa a acreditar, também, na marca que lhe é oferecida. 

Tipos de influenciadores

Qualquer pessoa que possua um smartphone e internet pode se tornar uma influenciadora. Cada vez mais gente tem investido nisso, o que acabou se tornando, também, uma profissão.

Há um tipo de classificação por número de seguidores, de quem tem menos a quem tem mais: nanoinfluenciador, microinfluenciador, intermediário, macroinfluenciador e megainfluenciador.

Os Rs da influência

Quem estuda o mercado de influenciadores costuma classificá-los, também, em três frentes: relevância, alcance e ressonância. Eles são chamados de “três Rs”, por conta das palavras em inglês: relevance, reach e resonance. Vamos entender melhor cada um:

Relevância

O objetivo é perceber se o influenciador tem relação forte com o assunto e marca a serem abordados, e se ele é importante para isso.

Alcance

Baseado no tamanho da audiência que possui e em quantas pessoas consegue alcançar com seu perfil.

Ressonância

A ressonância é primordial, pois avalia qual é o engajamento gerado no público que acompanha e se o próprio público considera o tipo de conteúdo relevante.

Marketing de influência é tendência

O número de vagas abertas a empregos de marketing de influência passou de 77 mil em dezembro de 2017 para 176 mil em janeiro de 2019, segundo pesquisa de Mike Schmidt, que publicou um artigo sobre o tamanho dessa indústria na Forbes.

Formas de fazer marketing

Quem já está consolidado no mercado do marketing de influência costuma trabalhar com os influenciadores em duas frentes principais: mídia paga e mídia conquistada. 

O que é mídia paga

Consiste em remunerar um influenciador para fazer divulgação de marca, produto e/ou serviço. Funciona como publicidade, mas o influenciador se comunica com o público, geralmente, da forma como acha melhor e como está acostumado, dando credibilidade à divulgação.

O que é mídia conquistada

Não há uma remuneração direta da marca para o influenciador. Além de desfrutar do produto enquanto divulga, por exemplo, o influenciador também pode adquirir relevância ao se associar à marca - que, por sua vez, atinge um público novo. 

Dicas para quem quer se tornar um influenciador digital

Os influenciadores sempre são associados ao número de seguidores, mas só isso não basta. Investir em um bom equipamento pode ser uma boa alternativa, mas também não é primordial a princípio.

O que faz um influenciador é, acima de tudo, a atitude. Os seguidores e equipamentos melhores podem ser conquistados com o tempo. É preciso primeiro entender o conteúdo que você quer passar e abordar - começando, assim, a explorar um nicho.

Buscar o networking, contato com pessoas da área e outros influenciadores, é um passo importante.

Os seguidores gostam de pessoas autênticas, espontâneas e que passem credibilidade. Você só vai conseguir influenciar alguém se, antes, souber quem é você mesmo.

Comentar
Dicas para saber empreender · 17/02/2021 - 09h21

Como fazer marketing no setor de transporte?


Compartilhar Tweet 1



 

De um táxi 24 horas até uma empresa de ônibus, é importante aprender como fazer marketing no setor de transporte. Afinal, o posicionamento no mercado é essencial para conseguir estabelecer um bom nicho de clientes e uma posição que reforce a marca da sua empresa. Hoje em dia, com a Internet, esse tipo de coisa fica mais fácil de ser realizada com as ferramentas de Marketing Digital.

Isso é necessário porque o sistema de transporte sofreu uma mudança significativa nos últimos anos. De fato, o que antes era regra, agora já não é. Por isso, as empresas da área precisam se agilizar e preparar medidas e ações para poder se posicionar no mercado do jeito certo. O Marketing Digital é uma boa ferramenta para isso pois tem baixo custo e alta eficiência na entrega das suas ações.

Quer aprender como fazer marketing no setor de transporte? Então siga a leitura do artigo abaixo!

Como fazer marketing no setor de transporte em 4 passos

 

1. Invista em ações de geolocalização

Uma das características do setor de transporte é a localização. Afinal, transporte é justamente mover alguém ou algo de um lado para outro. Portanto, é essencial investir em geolocalização na hora de planejar as suas ações de marketing. Não só isso ajuda a poupar recursos, como é a única maneira eficaz de captar clientes.

A geolocalização é um recurso de ferramentas como o Google, Facebook e outros aplicativos que permite atingir com seus anúncios apenas as pessoas que estão fisicamente dentro de uma determinada área. Os sistemas sabem para quem exibir os anúncios com base nos dados de localização das pessoas via GPS do celular.

Assim, o anúncio ou ação pode ser direcionada para quem mais precisa. É importante agir com contexto claro. Por exemplo, uma empresa de transporte de cargas vai direcionar o conteúdo para a região onde está inserida, não só a sua cidade. Um taxista autônomo vai direcionar para alguns metros ou poucos quilômetros do seu ponto.

2. Esteja nas redes sociais

As redes sociais são vitais para as empresas de transporte. Existem algumas razões básicas para isso. A primeira delas é, claro, a quantidade de pessoas que estão nessas plataformas. Só no Facebook são 120 milhões, mais alguns tantos no Instagram, Twitter e outros.

A segunda é que as redes sociais são canais de comunicação direta com os seus clientes e potenciais clientes. A questão, entretanto, é como usar essas ferramentas do jeito certo.

Para quem trabalha com transporte no B2B (por exemplo, para táxi corporativo), o ideal é investir em Marketing de Conteúdo nas redes. Nesse caso, produza conteúdo de valor para aumentar seu engajamento e gerar vendas.

Já para quem trabalha com transporte do público B2C, o ideal é fazer um conteúdo que crie uma relação de pessoalidade com os seguidores. Uma série de Stories mostrando o dia a dia do trabalho, por exemplo, pode ser interessante.

3. Garanta um bom posicionamento no Google

Além das redes sociais, toda empresa de transporte precisa estar no Google. Isso por causa de algo que a plataforma chama de micro-momentos. Esses momentos são descritos pelo Google como situações que duram, no máximo, 15 minutos e envolvem uma tomada de decisões praticamente instantânea.

Por exemplo, suponha que um executivo precisa de um documento entregue na sede de um cliente em 50 minutos, no máximo. Ele abre o celular e pesquisa por “motoboy” ou algo do tipo. Imediatamente, o Google exibe alguns resultados orgânicos e pagos. Ele escolhe um e faz a ligação para contratar. Isso é um micro momento.

Sua empresa de transporte, seja qual for o tipo ou tamanho, precisa estar bem posicionada tanto no orgânico, quanto no pago, para poder se destacar nos vários micro momentos que o público ao seu redor vive.

4. Faça parcerias com outras empresas

Marketing é um termo que engloba todas as ações de uma empresa para se posicionar no mercado. Para quem atua na área de transporte, isso inclui fazer parcerias com outras empresas.

Por exemplo, uma empresa de táxi pode oferecer descontos para os clientes de hotéis. Uma empresa de ônibus intermunicipais pode ter parceria com as administradoras de pontos turísticos e por aí vai.

Essas parcerias são importantes para gerar novos clientes, especialmente aqueles que não foram impactados pelas outras estratégias de marketing que foram pensadas até o momento.

Agora que você já viu essas cinco dicas e aprendeu como fazer marketing no setor de transporte, a próxima ação é colocar esse conteúdo em prática e começar a organizar suas próximas ações publicitárias. Pense sempre nessas estratégias como uma forma de aproximar o público da sua empresa e, uma vez que prestou serviço pela primeira vez, tenta fidelizá-lo para garantir o cliente por mais tempo e aumentar seu Lifetime Value.

E aí, gostou das nossas dicas? Acha que elas foram úteis? Então comente abaixo com a sua opinião!

Comentar
Multiplique seus visitantes · 11/02/2021 - 11h32

6 vantagens de um site otimizado para a geração de leads


Compartilhar Tweet 1



Com a sua ascensão constante, sempre com maior benefício, devido a sua evolução, a tecnologia na atualidade tornou-se o principal aliado de muitas massas e classes sociais, desde o próprio usuário como entretenimento ou própria necessidade, do empreendedor para melhoria do seu negócio, até as atuações dos funcionários.

Suas funcionalidades e mecanismos facilitam, tornam mais prático, mais acessível e principalmente otimiza ações e necessidades do dia a dia da maioria das pessoas, além de claro, favorecer inúmeros profissionais e o desempenho das próprias empresas e marcas.

Em um período denominado Globalização, pós ascensão e popularização da internet, acompanhado da evolução e melhoria das funcionalidades e opções de tecnologias, o mundo tende a estar em uma consequente mudança e adaptação, uma necessidade explícita para se conectar com os novos meios de comunicação e principalmente meios nos quais a maioria das tarefas são realizadas (através da tecnologia).

Com isso, a nova massa que irá desenvolver- se, profissionalmente tende a já estar fincada e agregada à tecnologia e internet, e consequentemente, obrigando aos já inseridos no mercado, e principalmente empreendedores, a adaptarem-se.

A utilização da estratégia de leads, acompanhada da sua otimização, é uma consequência positiva que surgiu para as empresas, como uma forma de garantir maiores resultados e uma comunicação direta com os seus consumidores. Conheça o tutorial de como desativar instagram.

6 vantagens de otimizar um site para estimular a estratégia de lead

1. Resultados eficientes

Com a utilização da otimização do site para os leads, os resultados são em maior garantia, visto que existe uma atenção e um desempenho das ferramentas do site em estimular a compra e conquistar o cliente através de conteúdos disponibilizados no site, desenvolvidos para esse “funil” de público, sempre exaltando os benefícios e vantagens que o produto ou serviço tem a oferecer.


2. Métricas

Através de um controle por parte da otimização do site utilizados nos leads, é possível ter um controle das ações e atuações realizadas para os consumidores e com isso, medir conteúdos, estratégias e promoções que estão trazendo resultados e aumentando consumidores, sempre baseando-se em melhorias em relação ao mês anterior. Métricas que são disponibilizadas pela otimização de maneira acessível e prática.


3. Variedades na comunicação do lead

O lead é considerado uma aproximação da marca com o consumidor através da comunicação, e por isso, utiliza alguns canais que podem ser favoráveis para construir esse relacionamento.

Sendo eles: e-mail, cadastro em aplicativo e contatos no próprio Instagram e Facebook, sendo todos disponibilizados no próprio site da marca, uma técnica então de aproximação, conexão com a escolha do consumidor. E com a otimização, os conteúdos, funcionalidades e estratégias estarão preparados e personalizados em cada funil de clientes.


4. Ferramentas variadas de otimização

No mercado digital da otimização de sites, são disponibilizadas variedades de plataformas e softwares que realizam das mais simples ferramentas de otimização, até funções mais complexas.

É importante com a ajuda de um profissional do marketing, definir aquilo que a marca procura, baseando-se sempre no público-alvo, mercado de atuação e suas necessidades, definindo o tipo de otimização que irá realizar as gerações de leads essenciais para seu site.


5. Maior confiabilidade dos dados e processos

Uma das maiores vantagens em utilizar a otimização do site quando trata-se de lead, é a confiabilidade em relação aos dados dos consumidores.

É fato que os dados devem permanecer em segurança e sempre protegidos pela marca, reduzindo índices de erros, golpes, retrabalhos e sempre resolvendo as complicações de maneira segura, em muitos casos, sem a necessidade de funcionários, o que nos quais são garantidos pela otimização.


6. Redução de custos

Apesar de necessitar de um investimento inicial com plataformas, softwares e em alguns casos, capacitação profissional dos funcionários e profissionais do marketing, ainda sim, em um período à longo prazo, a otimização dos sites diminui gastos com materiais, funcionários, tempo, além de possuir um ciclo maior de funcionamento. É um investimento de economia para a empresa.


O que significa otimizar o site?

Para o usuário (neste caso, o lead e futuro consumidor), a otimização do site tem a funcionalidade de melhorar o atendimento, ser agradável, prático e garantir uma boa experiência para o visitante.

E para a empresa, significa melhorar o funcionamento, aplicar atalhos, métricas e impulsionar maior performance do site, aumentar resultados, economizar e sem que seja necessária uma constante aplicação de atividades manuais, com um estímulo de tornar o visitante, um futuro consumidor.


Quais as vantagens de utilizar a estratégia de otimização de um site para leads?

A utilização da otimização da geração de leads, como foi dito anteriormente, é uma estratégia de marketing digital, desenvolvida com o foco maior em cada particularidade do cliente, das suas necessidades e desejos.

A importância de investir nessa otimização para uma empresa, é de gerar resultados em um período à curto prazo, focando em cada consumidor, o bombardeando de ofertas, conteúdos e benefícios que seu produto ou serviço irá oferecer, sempre de uma maneira automática, prática e fácil.

Lembre-se que o consumidor está à procura da melhor opção, do que irá atender suas expectativas, do que será mais benéfico e que garantirá uma performance esperada (principalmente que seja referente ao valor investido).

Além de claro, em questões de primeira compra, ser um fator decisivo para garantir que o consumidor torne-se fã da empresa, um cliente fiel e até um propagador da marca, seguindo então a ordem de ser até tornar-se: visitante, lead, consumidor e promotor da marca.

 

Comentar
Invista nos universo GAMER · 11/02/2021 - 09h47

Game Marketing: entenda o que é e como funciona


Compartilhar Tweet 1



Muitos publicitários e profissionais da área precisam aprender o que é e como funciona Game Marketing. Isso porque esse conceito pode ajudar muitos negócios a ganharem melhor posicionamento no mercado, conquistarem um público jovem e engajado, além de trazer retornos significativos para seus investimentos. Tudo isso enquanto posiciona a empresa como moderna e divertida.

O Game Marketing é uma maneira nova de posicionar seu negócio no mercado, sendo já explorado por grandes multinacionais. No entanto, agora começa a chegar a hora de empresas menores também investirem nessa ferramenta, trabalhando com um ecossistema que está mais maduro para começar a receber investimentos e gerar retornos positivos para todos os negócios.

Quer aprender o que é e como funciona Game Marketing? Então siga a leitura do artigo abaixo!

 

O que é e como funciona Game Marketing?

Para entender o que é e como funciona Game Marketing, temos de tratar de dois assuntos primeiro: o Cinema Marketing e o Product Placement. Talvez você já conheça esses termos, mas vamos contextualizá-los primeiro para poder explicar melhor como funcionam.

O Product Placement é uma estratégia de publicidade que consiste em colocar um produto em uma obra cultural para que, de maneira subliminar, possa comunicar a marca daquela empresa para o expectador. Existem ações diretas, quando um personagem efetivamente interage com o objeto em questão (por exemplo, o personagem escreve em um computador da Marca X ou bebe um refrigerante da Marca Y). Também existe uma colocação indireta, quando o personagem passa na frente da loja Y ou um caminhão da Marca X passa no fundo da cena.

Já o Cinema Marketing é a ideia de trabalhar o marketing dentro de um filme usando diversas ferramentas (entre elas o Product Placement). Por exemplo, o Cinema Marketing inclui também usar o hype ao redor de um filme para divulgar um carro ou outro produto. Um exemplo foi no recente filme dos Vingadores em que um dos personagens usa um veículo Audi novo. Comerciais do novo carro incluiram os atores do filme, bem como seus personagens e cenas do longa.

Outro exemplo acontece com o Exército Americano. Eles oferecem o uso de seus aviões, tanques e outros equipamentos de graça, desde que os filmes em questão tratem o Exército de maneira positiva e façam outras propagandas. O recente filme da Capitã Marvel, por exemplo, contou com equipamentos da Força Aérea dos EUA e a personagem foi usada em anúncios de recrutamento.

O Game Marketing é, portanto, fazer exatamente a mesma coisa, mas com games. Nesse contexto, toda ação de marketing envolvendo o ecossistema de jogos é considerada Game Marketing. Isso inclui Product Placement dentro de jogos (como aqueles listados no site DFG Games), patrocínios e muito mais.

 

Game Marketing x eSports: qual a relação?

Hoje em dia, um dos grandes núcleos de games no mundo são os eSports. Essas competições de videogame, inclusive, movimentam mais pessoas do que a própria venda de games atualmente.

Por isso, investir em Marketing no setor de eSports é muito interessante para diversas empresas. Existem três grandes ações que costumam ser realizadas.

A primeira delas é o patrocínio de times ou competições de eSports. A ideia é tornar a marca mais conhecida ao expô-la a milhões de pessoas, todas consumidores em potencial. Além disso, o bom desempenho do time patrocinado ou da competição garante uma visão mais positiva da marca no mercado.

A segunda é ao investir em product placement em competições ou envolvendo os atletas de eSports. A ideia é conseguir mais vendas dentro desse contexto, ao gerar prova social de alto valor para o seu produto.

Por fim, a terceira forma de investir é ao patrocinar ou investir em Streamers. Muitos jogadores e ex-jogadores são streamers, mas também personalidades costumam jogar online com amigos ou com os seguidores. O investimento nessas pessoas também gera maior conhecimento de marca, mas também um maior número de vendas.

 

Quais as vantagens do Game Marketing?

O Game Marketing, assim como o Cinema Marketing, é uma estratégia de muito valor pois mexe diretamente com um público que é engajado e com um produto que é muito valorizado por esse público.

Por exemplo, empresas de tecnologia ou de comida (como batatas-fritas, refrigerantes e doces) podem ganhar muito ao conectar suas marcas com as de times de eSports, campanhas de lançamentos de games e muito mais.

Isso porque, além da gigantesca audiência disponível, ainda há um nível de paixão e participação muito grande nessas pessoas. O resultado, portanto, pode ser de altíssimo nível.

Por exemplo, o Brasil é o 13º maior mercado de games e uma das maiores audiências do mundo para competições de eSports e streamings de jogos. Portanto, há um público gigantesco e apaixonado esperando para ser impactado.

Agora que você já sabe o que é e como funciona Game Marketing, já deve estar pensando em muitas oportunidades de Game Marketing para o seu negócio. De fato, o objetivo central dessa estratégia é gerar negócios da sua empresa com um público jovem e engajado. Por isso, vale a pena explorar bem as oportunidades que surgem, mas garantir que elas são boas oportunidades a partir de um estudo preciso sobre o assunto.

E aí, gostou do papo? Então comente abaixo com a sua opinião!

 

Comentar
Automatize sua captação · 11/02/2021 - 07h59 | Última atualização em 11/02/2021 - 08h30

E-mail Marketing: tendências em 2021


Compartilhar Tweet 1



Em 2020, a crise de saúde e os protestos contra violações dos direitos humanos em todo o mundo afetaram a nossa interação com os serviços digitais. Essa transformação trouxe novas exigências e oportunidades ao espaço de e-mail marketing em 2021.

 

Consideramos vital que as organizações e profissionais no setor de e-mail marketing conheçam estas 4 tendências com maior relevância e potencial de retorno.

 

4 tendências em e-mail marketingUma explosão em uso

Se há uma lição que aprendemos com a pandemia, é que as normas podem mudar muito facilmente, e que precisamos estar atentos às tendências emergentes para nos mantermos vivos, tanto em termos de saúde como de comércio.

 

Durante o ano passado, esta tendência favoreceu imensamente o setor de marketing digital, que por meio das medidas de distanciamento social, pôde estabelecer uma presença quase onipresente nas nossas vidas laborais e sociais.

 

As organizações e profissionais em todo o mundo sentiram a obrigação de adoptar canais digitais para manter-se em contato com as suas audiências, e como era de se esperar, o e-mail marketing, como o principal canal, recuperou a sua alta popularidade.

 

Apesar de ter mantido a sua essência intacta, sendo a mesma enviar a mensagem certa, à pessoa certa no momento certo, o marketing por e-mail terá de dar as boas-vindas a novas tendências, integrando o uso de tecnologias preditivas e fomentando a criação de experiências mais personalizadas para cumprir com as exigências da audiência atual.

 

O despertar dos subscritores

Para entender com clareza o impacto que os eventos do ano passado tiveram na nossa interação com os serviços digitais, basta olharmos para o as expectativas no setor de redes sociais. Quase metade dos usuários ativos afirmam ter a intenção de apagar pelo menos uma conta social este ano, por não sentir que a sua informação pessoal está segura.

 

Compreensivelmente, esta tendência está acompanhada por um crescente número de usuários online que começa a ser mais seletivo e consciente em relação às mensagens e conteúdos ao que são expostos, e contudo, as mensagens recebidas através de e-mails não são exceção.

 

Agora é mais fácil entender o porquê de 68% dos e-mails serem automaticamente apagados. Quando nos encontramos com a mobilidade limitada, os e-mails tornam-se indispensáveis para gerir a vida laboral e social, e a isso se deve a tendência de eliminar o máximo possível de distrações na caixa de entrada.

 

De qualquer modo, os e-mails são o método mais efetivo para manter o contacto directo com a nossa audiência. Por isso, cremos que a forma de comercializar produtos e serviços através deles precisa ser inovada para evitar estratégias antiquadas e evasivas, com o objetivo de criar relações mais autênticas com os subscritores.

 

E-mails mais personalizados

Ao considerarmos os e-mails como um dos canais viáveis para a nossa estratégia de marketing, é fundamental ter em mente a situação atual na caixa de entrada dos nossos subscritores. As ferramentas de e-mail marketing são mais acessíveis para o público em geral, e como consequência, é mais difícil destacar-se entre as demais mensagens.

 

Uma estratégia de e-mail marketing bem sucedida envolve mais do que apenas personalizar um tema e premir enviar. O subscritor entende que os serviços de e-mail armazenam informação sobre a sua atividade, e naturalmente, exige que a mesa seja utilizada para melhorar a sua experiência.

 

As mensagens adaptadas aos interesses do subscritor aumentam a nossa habilidade de manter a presença na caixa de entrada. De fato, os e-mails com assuntos personalizados ao subscritor têm uma taxa de abertura 50% mais alta que os e-mails com assuntos padrão.

 

Como norma, as campanhas que utilizam uma linguagem puramente promocional estão posicionadas para falhar. E para quem considera o trabalho de analisar como os nossos subscritores respondem a cada campanha um aborrecimento, atualmente é possível concluí-lo com mínima intervenção humana.

 

A inteligência artificial ao resgate

Alguns anos atrás, entender os interesses e comportamentos de cada subscritor era quase impossível, mas atualmente, graças a diferentes práticas emergentes de e-mail marketing, podemos simplificar a criação e o lançamento de campanhas mais bem sucedidas.

 

Um exemplo relevante é o uso da inteligência artificial, que predispõe a capacidade de extrair informação valiosa a partir da interação dos subscritores com um e-mail e usar esta informação para recomendar mensagens automáticas ou predizer comportamentos.

 

Esta tendência ajuda-nos não apenas a personalizar e segmentar o conteúdo de futuros e-mails, mas também a melhorar as conversões, sem a necessidade de passar horas a revisar métricas.

 

O uso da inteligência artificial numa campanha de e-mail marketing torna possível automatizar a segmentação de subscritores, com base nos dados demográficos e padrões de uso do subscritor. Através do mesmo, será possível criar esta relação autêntica e personalizada como a nossa audiência, garantindo melhores retornos.

 

E um feliz ano de marketing!

Em geral, as novas tendências de e-mail marketing são direcionadas a criar e manter comunicações mais seguras e personalizadas com a nossa audiência. E as tecnologias como a inteligência artificial vêm para melhorar o nosso entendimento sobre os interesses e comportamentos da audiência, possibilitando a criação de estratégias de e-mail mais enfáticas e humanas.

Comentar
Saiba como investir na web · 09/02/2021 - 16h13

Como escolher uma agência de Marketing Digital em 2021?


Compartilhar Tweet 1



Qualquer empresa sabe que deve, efetivamente, comercializar sua marca e fazer sucesso entre os seus clientes. É o básico, certo? 

E, a medida que mais e mais negócios são realizados virtualmente e mais clientes em potencial pesquisam seus produtos na web, se faz necessário ter uma presença digital e estratégias sólidas de marketing digital, principalmente se você está prestes a lançar um novo negócio.

A transformação trazida em 2020 pela pandemia mostrou que as empresas que não tiverem uma presença digital bem trabalhada estarão fadadas ao esquecimento. O que sempre foi importante, de repente se tornou essencial para continuar no mercado.

Infelizmente, às vezes, a carga de trabalho acaba sendo maior do que sua equipe interna pode suportar, principalmente, quando o assunto é web. Mesmo se você já terceirizar seu marketing, há momentos que exigirão uma parceria adicional para sentir que seus esforços online estão valendo. 

A publicidade no espaço digital é complexa e envolve um conjunto específico de conhecimentos e ferramentas a serem conduzidas de forma eficaz.

 

Por que é tão importante escolher uma agência de marketing digital em 2021? 

 

Existem várias maneiras de comercializar seus negócios online: redes sociais, Pay Per Click, e-mail, conteúdo, SEO… e por aí vai a nossa lista.

Ao escolher uma agência de marketing digital, você terá uma equipe para resolver desafios para você, deixando você se concentrar no trabalho e no que faz melhor. No entanto, sabemos como escolher uma agência de marketing digital não é tão fácil assim. Existem literalmente dezenas de milhares de agências as quais você poderia confiar.

O marketing depende sempre do seu público. E, por exemplo, se você estiver direcionando executivos de negócios, poderá ser visto no LinkedIn. Se você tem como alvo pessoas mais jovens, o Instagram e Twitter são lugares para se estar. E com seus mais de 2 bilhões de usuários ativos mensais do Facebook gastando em média 41 minutos de seu tempo todos os dias no site, praticamente todas as empresas podem aumentar seu ROI através dos anúncios da plataforma.

 

Com tantas novas táticas surgindo todos os dias, entendemos bem como pode ser difícil à você, empresário, acompanhar as últimas tendências. Mas, para nós, é de suma importância descobrir as melhores maneiras de usar plataformas diferentes e tornar-se um mestre em todas as áreas do digital.

É nesse momento que escolher uma agência de marketing digital e contratar seus serviços é fundamental para o seu negócio.

A contratação de uma equipe de especialistas para gerenciar os aspectos mais técnicos da sua estratégia de marketing permite que você se concentre em outras áreas da sua empresa que você mais gosta e faz melhor, em vez de passar semanas ou meses tentando encontrar a pessoa certa para contratar e treinar. 

Nosso tópico de hoje responde suas principais dúvidas sobre o momento ideal de escolher uma agência de marketing digital e como contratar a correta para administrar seus negócios virtuais.

O que uma agência de marketing faz?

No panorama geral, agências de marketing te ajudam a obter mais vendas, utilizando diferentes táticas de marketing para atrair seu cliente ideal e melhorar sua presença online. Os serviços oferecidos ao escolher uma agência de marketing digital tendem a variar muito, mas, em geral, é oferecido: 

 

Pesquisa de mercado

Antes mesmo de pensar em quais canais de marketing trabalhar, entendemos o mercado-alvo de dentro para fora. 

Esse tipo de pesquisa nos permite entender o seu mercado e a melhor forma de atendê-lo. E, caso alguém tentar vender à você uma abordagem única, FUJA! 

 

Anúncios do Google 

O Google Ads é uma ótima maneira de atrair a atenção de clientes em potencial no momento em que eles percebem ter um problema. 

Diferentemente da publicidade disruptiva normal, o marketing de pesquisa é mostrado para as pessoas que estão procurando uma solução para o seu problema. A maioria das pessoas recorre ao Google para encontrar uma resposta para seus pontos negativos, portanto, executar uma campanha do Google Ads direcionada a esses clientes em potencial pode ser altamente lucrativa!

SEO

 

Conseguir que seus artigos tenham uma classificação alta na pesquisa não significa apenas criar ”reconhecimento da marca” ou obter mais visualizações de página. Há mais do que isso.

Ao obter seu conteúdo com uma classificação alta na pesquisa, você poderá capturar clientes em potencial no estágio perfeito da jornada do comprador – exatamente quando eles perceberem que têm um problema e precisam da sua solução. 

 

Publicidade nas Redes Sociais

A ‘quarentena’ levou muito mais tempo do que os 40 dias que o termo se refere. As restrições sociais obrigaram as pessoas a permanecer em casa por muito mais tempo, o que as fez também procurar novas formas de entretenimento.

Do Youtube ao Instagram, as lives se popularizaram e bateram recordes de audiência.

Muitas agências digitais oferecem gerenciamento de PPC que inclui anúncios no Facebook. 

Os recursos de segmentação nas redes sociais combinados com sua enorme base de usuários o tornam uma plataforma fantástica para praticamente qualquer empresa obter um ROI saudável. Você pode segmentar por sexo, nível de educação, localização, interesses, atualizações de status e até mesmo eventos importantes da vida, como um novo emprego, um novo bebê ou uma formatura.

 

Marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo é o combustível que construiu muitas empresas multimilionárias. A maior parte das empresas pensa que criar conteúdo de marketing é apenas escrever algumas postagens de blog e colocá-las no site. 

Mas, aqueles que se preocupam com vendas e métricas percebem o quão é mais complicado que isso. 

 

E-mail marketing 

Responsável por gerar grande parte do ROI para a sua empresa, apesar de todas as novas redes sociais surgindo. 

É possível, a partir dele, criar listas, envolver os indivíduos presentes, segmentar ou otimizar.

 

Web Design

Além de ajudá-lo a solidificar suas estratégias digitais, solidifique-os com serviços de web design.

Embora normalmente não seja considerado marketing, design e desenvolvimento web podem diferenciá-lo da concorrência, melhorar a confiança de seus clientes e ajudá-lo a obter mais exposição. 

Afinal, no final do dia, há um fator principal que determina se o seu site obtém vendas ou não: seus visitantes estão realizando a ação que deseja que eles realizem? 

Assim, isso significa ter a experiência  do usuário do site (UX), o design do formulário e outros elementos ideais para aumentar a geração de leads e as conversões. Os serviços da agência nessa área podem incluir análise do caminho de conversão, definição de metas de CRO, identificação de métricas de conversão, coleta de dados dos visitantes do site e otimização da conversão. 

Mas, afinal, como escolher uma agência de marketing digital?

Certamente após elaborarmos toda essa jornada de conhecimento sobre o quê uma agência de marketing digital pode fazer por você, você chegou  a questão primária: como escolher uma agência de marketing digital?

Leve em consideração os seguintes pontos abaixo: 

 

#1. Quais são as necessidades de marketing da sua empresa?

Primeiramente, ao começar a procurar as melhores empresas de marketing digital, você precisa se preparar para fazer algumas perguntas, como o que quer alcançar através de uma agência e o quão disposto está para conseguir isso? 

Compreender exatamente o que você deseja ajudará você a encontrar e restringir exatamente o que deseja, em vez de desperdiçar seu tempo e recursos valiosos.

 

#2. Uma agência que atenda essas necessidades

Você pode estar pensando ”como escolher uma agência de marketing digital para minha empresa?”.

Primeiramente, avalie o que as outras agências oferecem – eles se alinham com o que você desejar que sua empresa alcance? 

Esta é uma pergunta importante a se pensar e se as estratégias de marketing dessa agência não baterem com suas expectativas, talvez não seja a ”certa”, não importa o quanto você tenha gostado de seu portfólio. 

 

#3. Pesquisa de base

Certamente, antes de avançar no processo, é essencial realizar uma pesquisa detalhada das agências que está investigando? 

Eles realmente praticam o que pregam? A principal maneira de descobrir é olhar os resultados produzidos por eles. 

Por exemplo, se você planeja contratar uma agência para realizar o marketing de conteúdo, como eles administram o próprio blog? 

E, se você está pensando em contratá-los para as redes sociais, como lidam com as suas próprias? 

O mesmo vale para o SEO: como está a sua classificação nos termos de pesquisa para o seu setor? Você os encontrou na primeira página do Google?

Afinal, se eles não praticam o que pregam, talvez não consigam alcançar o que prometem ou sejam capazes dos serviços dos quais oferecem.

 

#4. Pergunte

Você pode estar pensando: então o que perguntar ao escolher uma agência de marketing digital? 

Bem, provavelmente você terá centenas de perguntas diferentes, mas é importante garantir que você esteja fazendo as perguntas certas. 

Então, separamos aqui 3 perguntas importantes para considerar ao escolher uma agência de marketing digital: 

  • VOCÊS POSSUEM EXEMPLOS DE CAMPANHA? 

Peça à empresa um portfólio de trabalhos bem-sucedidos – ou seja, as suas campanhas de marketing mais eficazes, classificadas em palavras-chave semelhantes a sua e que a produção de bom conteúdo gerou boas taxas.

  • QUEM ESTARÁ CUIDANDO DO MEU TRABALHO?

Você pode precisar de equipes diferentes dentro de uma única equipe. Reserve um tempo para analisar o perfil dos colaboradores e se pergunte: ”Ficaria feliz das pessoas relacionarem esses indivíduos ao site de minha empresa?”

  • QUANTO TEMPO VOCÊS MANTÉM SEUS CLIENTES, EM MÉDIA?

Em resumo: quanto mais tempo, melhor.

 

#5. Preencha briefings

Depois de selecionar uma variedade de agências de marketing digital com as quais você deseja continuar, entre em contato com a empresa para expressar seu interesse.

Em seguida é preencher um briefing, um documento que permite coletar informações sobre sua empresa e quais são os seus critérios de trabalho, tanto em termos de habilidades requeridas quanto de orçamento. 

 

#6. Realize uma reunião com a agência

Se você ficou feliz com todos até agora, é hora de realizar uma reunião com a agência digital. Afinal, esta é uma boa maneira de conhecer a equipe e uma oportunidade de resolver quaisquer problemas com a equipe antes de assinar qualquer contrato. 

Ademais, é aqui que qualquer conflito de personalidade se torna evidente, o que pode ser prejudicial ao sucesso do seu negócio. Algumas pessoas chamam esse passo de ”teste da cerveja” e é frequentemente usado como método de recrutamento – você os levaria para tomar uma cerveja no seu pub local ou então correria para longe?

Comentar
Aumente seus resultados · 08/02/2021 - 13h40

Como ter mais efetividade nas estratégias de marketing digital


Compartilhar Tweet 1



Todo empreendedor sabe que precisa trabalhar com as ferramentas de publicidade da Internet. No entanto, nem todos sabem como trabalhar com efetividade no Marketing Digital, uma vez que essa ferramenta tem seus mistérios e exige algum tempo para ser controlada. A parte boa é que o Marketing Digital é extremamente eficaz em seu objetivo, desde que se saiba como utilizá-lo.

Atualmente, cerca de metade de todas as empresas no Brasil acabam fechando as portas em menos de 5 anos de atuação. Considerando que 99% das empresas abertas são de micro ou pequeno porte, dá para deduzir sem grandes problemas que a razão para esses resultados negativos está, pelo menos em parte, na incapacidade de gerar um fluxo estável de clientes para seu negócio.

Por isso, é importante entender como melhorar a efetividade no Marketing Digital já que essa ferramenta é a forma mais barata e com melhor custo-benefício para micro e pequenas empresas conseguirem resultados consistentes. Quer saber mais sobre o assunto? Então siga a leitura do artigo abaixo!

 

4 dicas para ter mais efetividade no marketing digital

1. Invista em seu nicho

Uma das grandes vantagens de trabalhar com o Marketing Digital para sua empresa é a possibilidade de nichar a sua mensagem de forma muito mais eficaz e mais profunda do que antigamente.

Por exemplo, suponha que você gerencie um escritório de contabilidade e precisasse fazer uma ação de marketing no começo dos anos 2000 e hoje. No marketing tradicional, seria necessário investir na compra de anúncios para revistas de administração, cuja maior parte dos volumes eram vendidos por assinatura, sem garantia de que eram realmente lidos ou que os anúncios convertiam de verdade.

Hoje em dia, é possível montar uma estratégia de Marketing Digital para contabilidade focando em uma série de pontos específicos, com um conteúdo desenhado especificamente para cada setor ou cada serviço que a empresa faz. Por exemplo, dá para montar uma estratégia só para processamento de folha de pagamento ou só para contabilidade do setor de advocacia ou do segmento de tecnologia da informação. Isso aumenta muito a eficácia das ações e traz muitos resultados.

Portanto, quando for trabalhar com o marketing digital, trace uma estratégia de nicho para poder aumentar a sua eficácia.

2. Faça análise de dados

Um dos grandes benefícios do Marketing Digital é que tudo é rastreável e contabilizado. Ou seja: todas as suas ações entregam resultados quantificáveis e que podem ser transformados em métricas para análise. Até mesmo ações de Branding podem ser quantificadas com um script que rode as redes sociais quantificando menções positivas ou negativas da empresa.

Portanto, a melhor forma de melhorar a eficácia das suas estratégias é efetivamente controlando os números. Faça uma análise de dados, calcule o retorno obtido, veja onde há queda de produtividade e conversão e isso dará os insights necessários para efetuar mudanças que melhorarão seus resultados.

3. Invista em geolocalização

Um dos problemas encontrados por pequenas empresas que usam o Marketing Digital é atrair consumidores que não podem se tornar clientes. Por exemplo, uma loja faz campanhas no Instagram e atrai seguidores de outras cidades ou até mesmo estados, que não farão compras presenciais no seu estabelecimento.

Para evitar esse tipo de situação, o melhor a fazer é geolocalizar seus anúncios. Por exemplo, configurar para que eles sejam exibidos apenas para quem está em uma faixa específica de distância do seu negócio, como 5 quilômetros ou 10.

Isso garantirá que a eficácia das suas ações vão aumentar consideravelmente, uma vez que apenas pessoas próximas e que realmente poderão se tornar clientes serão afetadas por elas.

4. Mais nem sempre é melhor

A dica anterior que demos entra em um ponto interessante da discussão. Suponha que você vai impulsionar um artigo escrito para o blog da sua empresa e que é feito apenas para um determinado público-alvo. Na hora de configurar o impulsionamento, você percebe que seu conteúdo afetará 1.500 pessoas e considera isso muito pouco. Então, decide ampliar os filtros para alcançar 5.000 pessoas. Vale a pena fazer essa mudança? Para muitos, sim. No entanto, no Marketing Digital, mais nem sempre é melhor do que menos.

Isso acontece porque exibir seu anúncio para mais pessoas pode afetar a sua taxa de conversão. Afinal, você está adicionando na lista mais pessoas que não cumprem exatamente o perfil mais indicado para o conteúdo.

O resultado é um ROI pior, pois você está investindo mais para adicionar 3.500 pessoas (mais do que o dobro do que você ia atingir inicialmente) e a conversão desse novo público é bem menor do que a do público atual, não compensando o investimento.

Com essas 4 dicas, ficará bem mais fácil trabalhar para aumentar a efetividade no Marketing Digital da sua empresa. Basta colocá-las em prática para conseguir notar um aumento de conversões e resultados positivos, transformando o Marketing Digital em um instrumento útil para o seu negócio. O principal benefício desse tipo de estratégia é conseguir previsibilidade nos seus resultados, o que permitirá melhor planejamento na gestão do seu negócio.

E aí, gostou do conteúdo? Comente abaixo com a sua opinião sobre o assunto!

Comentar
Dicas importantes para motoboy · 04/02/2021 - 15h26

Motoboys: como usar o marketing digital para conseguir mais clientes


Compartilhar Tweet 1



Você sabia que existem ações e técnicas específicas de marketing para motoboys? Pois é! Com um número cada vez maior de pessoas trabalhando fazendo entregas de motos pelo país, esse mercado começou a exigir que os profissionais autônomos invistam em maneiras de se destacar no mercado e possam alcançar mais clientes, obtendo um fluxo de renda mais estável.

É importante ter em mente que marketing é um termo que engloba todas as ações destinadas ao posicionamento de mercado de uma empresa ou profissional autônomo. Ligar para uma empresa e oferecer seus serviços, por exemplo, é uma forma de marketing, assim como investir em anúncios em redes sociais e outros lugares. Portanto, mesmo que você não perceba, já está usando marketing a seu favor.

Já que é assim, o melhor é entender como usar o marketing para motoboys do jeito certo, não é mesmo? Se você quer saber mais sobre o assunto, então siga a leitura do artigo abaixo!

5 dicas de marketing para motoboys1. Forme parcerias

Uma maneira interessante de se posicionar no mercado e conseguir novos clientes é formar parcerias com empresas de diferentes tipos, segmentos e oportunidades. Por exemplo, trabalhar com iFood ou Rappi é uma dessas parcerias.

No entanto, você não precisa entregar só comida para ter parcerias com aplicativos e empresas. Existem, atualmente, empresas que contratam motoboys em todos os tipos de mercados de atuação. Um exemplo é tentar participar dos serviços de motoboy da Império Express. Trabalhar com eles é uma boa oportunidade para lidar com uma série de pedidos diferentes, manusear documentos e realizar um fluxo estável de tarefas.

Assim como eles, existem muitas outras oportunidades de parceria para os motoboys. Essa forma de trabalhar é a principal do mercado atualmente e pode render excelentes frutos para você e sua carreira.

2. Tenha presença nas redes sociais

Hoje, o Facebook tem 120 milhões de usuários ativos no Brasil. São mais algumas dezenas de milhões no Instagram, TikTok e LinkedIn. Isso significa, portanto, que ter uma presença nessas redes aproxima você de potenciais clientes e pode gerar alguns negócios.

Talvez você pense que essa ideia não vai dar certo, mas acredite:tem tudo para ser um sucesso. Em primeiro lugar, a presença nas redes sociais dá todo o aparato de marketing e anúncios para você investir um pouco e conseguir aparecer para o seu público ideal.

Em segundo lugar, uma estratégia de conteúdo orgânico, mostrando o dia a dia de um motoboy, pode ajudar a atrair mais pessoas interessadas no seu serviço também. No entanto, será necessário saber como usar as ferramentas do jeito certo para atrair potenciais clientes e não só um público curioso.

3. Invista no Google

Se você precisa de qualquer tipo de serviço, hoje, qual é a sua primeira ação? Entrar no Google e pesquisar, correto? Pois bem, os clientes que precisam de motoboys fazem a mesma coisa. Você está lá pronto para pegar esses consumidores?

Se não, então é hora de mudar isso. Você pode começar a ter resultados em curto prazo investindo em anúncios de links patrocinados no Google. É um pouco caro, mas o resultado começa a aparecer praticamente imediatamente.

Uma segunda opção é investir em conteúdo orgânico, para atrair interessados sem precisar pagar muito por isso. O problema é que o resultado começa a aparecer no médio e longo prazo.

No geral, a ideia é ter as duas estratégias garantindo um fluxo estável de novos clientes, com excelente custo-benefício para você.

4. Colete recomendações

Uma das maiores resistências e obstáculos que um motoboy enfrenta para fechar novos pedidos é a desconfiança dos consumidores. Afinal, como confiar que esse entregador ou motoboy é realmente bom? Os aplicativos de delivery criaram uma forma de superar essa desconfiança com cadastro dos entregadores e avaliações pessoais.

No entanto, você não tem essa ferramenta. O que pode fazer? Uma ideia é coletar recomendações de clientes satisfeitos e divulgá-las nas redes sociais. Isso ajuda a construir seu nome e conseguir mais clientes.

5. Seja seu próprio outdoor

Você sabia que empresas pagam centenas de milhares de reais para colocar um anúncio no ônibus? Isso porque o transporte passa pela cidade toda e é visto por praticamente toda a população.

Sabe o que também corre a cidade toda? Você! Portanto, aproveite a situação para divulgar seus serviços, com o seu número escrito no capacete, na caixa da moto e em outros lugares. Isso ajudará a conseguir mais clientes enquanto você trabalha.

Agora que você já viu essas dicas de marketing para motoboys, é hora de colocá-las em prática. Ao usá-las, será possível começar a notar um aumento de oportunidades de trabalho e entregas a serem feitas. Por isso, explore bem essa situação para transformá-la em um ciclo positivo de clientes que geram mais clientes, ao ponto de você começar a contratar ajudantes para lidar com todo o trabalho.

E aí, gostou do conteúdo? Então comente abaixo com a sua opinião sobre as dicas!

 

Comentar
Aproveite a oportunidade! · 03/02/2021 - 09h15

Setor Imobiliário projeta crescimento para 2021


Compartilhar Tweet 1



 

A pandemia trouxe uma série de modificações na nossa sociedade. Com mais pessoas dentro de casa, o setor imobiliário sentiu as alterações no hábito de consumo. Em 2020, houve uma procura por imóveis mais amplos, com mais quartos e áreas abertas, permitindo realizar diferentes atividades no lar.

Dessa forma, muitos corretores notaram um aumento na procura tanto pela compra como pelo aluguel de novos imóveis, que tivessem relação com os anseios atuais dessas pessoas.

Em 2021, a expectativa ainda é de aquecimento do mercado. Afinal, mesmo com a pandemia de covid-19, o setor imobiliário no país teve um crescimento de 13,5% de acordo com a Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias) – o melhor registrado desde 2014.

As conjunturas econômicas

A economia também está favorável para o aquecimento do mercado imobiliário, principalmente graças à baixa na taxa Selic, que se encontra a 3% - alta de apenas 1% desde agosto de 2020 quando atingiu o nível mais baixo da história.

Para quem investe em renda fixa, a Selic baixa não é uma boa notícia. Por isso, os imóveis têm se tornado uma alternativa interessante de investimento, principalmente para quem deseja conservar o patrimônio e ainda não se sente seguro ou disposto a arriscar na Bolsa de Valores.

Outra característica importante do mercado imobiliário é que, em períodos de crise, como o que estamos vivendo, quando outros ativos sofrem com a volatilidade, o preço dos imóveis pouco é afetado.

Assim, muitos investidores têm procurado imóveis para alugar, pois a rentabilidade acaba sendo maior do que os investimentos em renda fixa. Os imóveis, ainda, por serem bens físicos, sofrem menos do que os ativos em papéis. Afinal, diante de uma crise, você poderá morar ou revender, trazendo segurança financeira.

Os juros baixos também ajudam quem está em busca de imóveis à venda, pois torna mais favorável o financiamento, com taxas de juros atrativas.

A expectativa da retomada

As taxas baixas na Selic estimulam as construtoras a construírem novos imóveis, já que, certamente, haverá uma demanda maior, principalmente devido às boas condições de financiamento. 

Só em termos de comparação, para se ter uma ideia, em 2015, a taxa do financiamento habitacional estava em 14,5%. Naquela época, para financiar um imóvel de R$ 500 mil, as parcelas seriam em torno de R$ 6 mil mensais. Hoje, com a taxa mais baixa, é possível financiar o mesmo imóvel de R$ 500 mil, com parcelas mensais em torno de R$ 3.500.

Essa oportunidade pode despertar o interesse até mesmo de pessoas que nunca pensaram em comprar um imóvel, aumentando a demanda.

Além disso, ainda temos que considerar a chegada das vacinas, aumentando a expectativa para uma retomada econômica. Por isso, o mercado imobiliário voltado ao comércio e à indústria deverá se aquecer a partir do meio do ano, com mais empresários voltando a buscar por pontos fixos para seus comércios.

As cidades universitárias, que sofreram bastante com a crise de covid-19 em 2020, também devem ter uma retomada nos aluguéis em 2021. Afinal, a expectativa é que, com mais pessoas imunizadas, a volta às aulas presenciais ocorra, com diversos estudantes em busca de imóveis para alugar.

A mudança no perfil dos compradores

A pandemia trouxe uma série de mudanças no nosso comportamento: máscaras e álcool em gel, por exemplo, passaram a fazer parte da nossa rotina, bem como o isolamento social.

Passando mais tempo em casa, muitas pessoas perceberam que precisavam de espaço extra para trabalhar, cozinhar e para as atividades físicas e de lazer. Diante disso, houve um aumento expressivo no número de pessoas buscando por novos imóveis, tanto para a compra como para o aluguel, que fossem mais espaçosos e tivessem mais possibilidades de uso.

Cresceu, por exemplo, a procura por apartamentos maiores e com varanda, casas, segunda residência no interior, chácaras e outras construções maiores, ao contrário do minimalismo que andava em voga nos últimos anos, com lançamentos de imóveis cada vez menores.

Essa tendência deverá se manter, já que muitos dos comportamentos aprendidos durante a pandemia serão perpetuados. As empresas, por exemplo, sinalizam uma tendência de manter o home office, pelo menos parcialmente, com o fim da pandemia.

De acordo com um levantamento da FGV (Fundação Getúlio Vargas), a expectativa é que 30% das empresas continuem com o home office, principalmente devido ao aumento da produtividade e dos benefícios trazidos aos trabalhadores.

Por isso, se a ideia é investir em imóveis em 2021, a dica é preferir pelos lançamentos que estejam em sintonia com as novas demandas dos consumidores. Ou seja, imóveis mais amplos, com mais cômodos, espaço de lazer, quintal ou varanda e que ofereçam possibilidades diferentes de uso e mais aconchego para toda a família.

Também vale à pena investir em imóveis no interior, pois a segunda residência promete se manter em alta, permitindo as famílias curtirem férias, feriados e até os dias de home office com mais segurança e tranquilidade, ampliando o contato com a natureza.

Com todos estes pontos, a expectativa é que, em 2021, o mercado imobiliário continue aquecido. O que é uma excelente notícia para construtoras, corretores e também para quem deseja comprar um imóvel, seja para morar ou, seja, como investimento.

Comentar
Ser taxista hoje? Veja dicas · 02/02/2021 - 17h20

Marketing para taxistas: dicas essenciais


Compartilhar Tweet 1



Hoje em dia, não dá para ignorar o marketing para taxistas, embora muitos motoristas ainda negligenciem essa parte do seu trabalho, especialmente aqueles que trabalham como autônomos. A publicidade e a comunicação são partes essenciais de como ser taxista nos dias de hoje, especialmente com a concorrência acirrada dos aplicativos de transporte e caronas.

Com a presença massiva do Uber e de outros apps do tipo no mercado nacional, ficou ainda mais difícil para os taxistas se destacarem. A importância de um bom marketing, portanto, subiu bastante, especialmente entre o público que não tem tanta facilidade com smartphones e prefere um tradicionalismo maior de ter um taxista de confiança por perto.

Portanto, se você quer ter mais sucesso na área, veja a seguir algumas dicas de ouro de marketing para taxistas!

5 dicas de marketing para taxistas

 

1. Crie um perfil nas redes sociais

Um taxista autônomo precisa ter um perfil nas redes sociais nos dias de hoje. Isso é necessário para poder fazer seu marketing e conquistar mais clientes da maneira mais eficiente (ou seja, com baixo custo) possível.

Para começo de conversa, só o Facebook tem 120 milhões de usuários ativos no Brasil, além daqueles que estão no Instagram. Isso mostra que há um grande público para o seu trabalho lá e é possível conseguir esses resultados significativos.

Existem duas grandes vantagens para trabalhar com as redes sociais. A primeira é justamente esse grande público. É seguro afirmar que pelo menos 50% das pessoas da sua cidade podem ser facilmente alcançadas por você nessas plataformas.

A outra vantagem é a possibilidade de trabalhar de várias formas nas redes sociais. Você pode investir em anúncios para serem exibidos ao público da sua cidade, desde conteúdos simples (como um banner na lateral do Facebook) até vídeos completos para serem exibidos nos Stories do Instagram.

Além disso, também pode (e deve) criar uma estratégia de conteúdo orgânico, mostrando um pouco do dia a dia e interagindo com as pessoas, o que também traz clientes para você.

2. Tenha presença no Google

O que você faria hoje se precisasse de um táxi? Talvez você já tenha um aplicativo instalado no celular, mas se não tivesse, jogaria no Google “táxi” e ligaria para o primeiro resultado. Se o seu número de celular estiver neste primeiro lugar na sua cidade, você receberá esses clientes para atender.

Por isso, é importante ter uma presença forte no Google, com uma página no Google Meu Negócio e até mesmo o investimento em anúncios de links patrocinados dentro da plataforma.

Isso vai ajudar a captar parte do público em necessidade de uma corrida no momento, o que garantirá um maior fluxo de renda para a sua atividade como taxista.

3. Deixe cartões de visita no seu táxi

Marketing é uma palavra bonita para posicionamento de mercado. Isso significa que é um conjunto de ações visando encontrar mais clientes para o seu serviço, produto ou negócio no geral.

Portanto, qualquer ação que tenha esse objetivo entra como uma ação de marketing. Isso inclui também a boa e velha prática de cartões de visita, daqueles que você passa para o passageiro e ele pode usar para ligar para você no futuro.

Existem várias maneiras de fazer isso, dependendo do seu estilo e público. Se você trabalhar com um público mais jovem e moderno, o cartão físico não vai adiantar tanto. Talvez seja melhor pedir para fazer um encosto de pano que tenha o seu número e fique à mostra para o passageiro no banco de trás. Adicione também um convite para que ele registre o número na sua agenda e ligue quando precisar.

Já um público mais tradicional, pode se dar bem com o cartãozinho. É claro que imprimir os cartões sai um pouco mais caro, mas o retorno costuma ser bastante significativo.

4. Invista em um bom atendimento

Como mencionado, todas as ações que tenham como objetivo novas vendas e contatos é marketing. Isso inclui aquele bom e velho atendimento de qualidade, que fideliza o cliente.

É só você lembrar de quando o Uber chegou ao Brasil, como as pessoas falavam o tempo todo das “balinhas” que os motoristas ofereciam. Na prática, isso tem pouco valor, mas conquistava o cliente. Todo mundo queria um Uber por causa das balinhas.

Portanto invista você também em um bom atendimento. Faça da viagem o mais confortável possível para o passageiro e logo notará que você receberá mais indicações.

5. Faça parcerias

Por fim, faça parcerias com empresas que possam lidar com turistas na sua cidade. Por exemplo, hotéis, restaurantes, pousadas e hospitais. Ofereça um desconto para os clientes desses estabelecimentos para que eles usem seus serviços. Isso trará mais clientes.

Agora que você já viu essas dicas de marketing para taxistas, é hora de colocar essas ações em prática para poder aumentar o seu fluxo de clientes e garantir mais sucesso para você. Lembre-se de que, no entanto, o marketing não tem efeito instantâneo, especialmente um que não seja em anúncios digitais. Por isso, será necessário esperar um pouco para começar a coletar os ganhos.

E aí, gostou do conteúdo? Então comente abaixo com a sua opinião sobre o assunto!

 

Comentar
Veja nova tendência · 02/02/2021 - 08h20 | Última atualização em 02/02/2021 - 08h29

Entendendo o Marketing esportivo: origem e evolução do setor


Compartilhar Tweet 1



O esporte movimenta multidões. Uma simples partida de futebol pode atrair mais de 50 mil torcedores apaixonados pelo seu clube do coração e prontos para consumir tudo que se refere ao time – de camisetas a produtos personalizados, de serviços até atitudes e ideias promovidas pela delegação.

Tal cenário é extremamente positivo e se estende para todas as modalidades. As Olimpíadas no Brasil, em 2016, por exemplo, atraíram 4 milhões de pessoas. Já a Copa do Mundo de 2014 recebeu cerca de 3 milhões. Com esses números, percebemos como o esporte é popular e o quanto pode ser lucrativo para empresas e organizações interessadas em aprimorar seu marketing esportivo.

O marketing no esporte é uma área em ascensão que cresce muito no Brasil ultimamente, ponderada tanto pelo futebol quanto por modalidades como vôlei, atletismo e judô, A possibilidade de usar o desporto para divulgar, agregar valor a marcas, promover ideias e vender produtos é cada vez maior e, por isso esse ramo está extremamente atrativo.

Além de profissionais de comunicação, administradores e empreendedores podem investir nesse campo, atualizando seus conhecimentos com um bom curso de marketing esportivo e outros cursos a distância complementares. 

Com essas opções flexíveis, seguras e econômicas, qualquer pessoa pode estudar quando e onde quiser.

 

Marketing Esportivo: origem e evolução

A viabilidade de unir marketing ao esporte começou cedo, embora essa associação não fosse tão alinhada como nos dias de hoje. 

O início se deu na segunda metade do século 19, período em que o desporto ganhava popularidade na Europa e nos Estados Unidos, com modalidades como futebol, boxe, atletismo e hipismo. Visto esse cenário positivo, surgiram também os primeiros veículos de imprensa esportiva.

Os registros iniciais do marketing no esporte mostram que os patrocínios de empresas a clubes foram os meios pioneiros na formação dessa área, como o da empresa estadunidense Hillerich & Bradsby, fabricante dos tacos de beisebol utilizados na liga local. Com esse apelo, tornou-se a maior de seu ramo, expandindo de modo surpreendente e garantindo lucro e sucesso à marca.

Já os Jogos Olímpicos, que aconteceram no início da década de 1900, tiveram extrema importância para a consistência do marketing no esporte, abrindo espaço para empresas investidoras que apoiavam o comitê organizador do torneio. 

A Kodak foi uma das primeiras a colocar seu logo em programas oficiais do evento, assim como a Coca Cola, que desde 1928 é uma das principais patrocinadoras dos jogos.

Nas Olimpíadas de Berlim, em 1936, a transmissão televisiva valorizou ainda mais o marketing esportivo. A comunicação visual proposta pela TV garantia melhores experiências na divulgação e promoção de marcas. 

A partir daí, tal segmento começou a tomar forma e ganhar novos aspectos. Nos Estados Unidos, tornou-se extremamente relevante, sobretudo com a ascensão de esportes como basquete e beisebol – bem como seus atletas de ponta que chamam atenção do mundo todo.

No Brasil, o marketing esportivo começou a se estruturar a partir da década de 1970, embora o empresário Assis Chateaubriand que já havia explorado essa área ao patrocinar o jogador de futebol Leônidas da Silva na Copa do Mundo de 1938, associando o atleta ao chocolate Diamante Negro, de sua empresa Lacta. 

Com o tempo, a gestão esportiva começou a ser utilizada nos clubes e na carreira de atletas, explorando tanto o marketing quanto relações públicas e toda a assessoria de comunicação.

Em 1987, a Copa União foi promovida totalmente pela iniciativa privada após a recusa da CBF em patrocinar o evento. Dirigentes de marketing do Flamengo e do São Paulo contribuíram para a negociação com empresas como Varig, Coca Cola e Editora Abril. 

Nessa onda de crescimento, emissoras de rádio e TV começaram a dar mais destaque ao esporte, com o surgimento de programas direcionados, as famosas mesas redondas e a transmissão de jogos, ligas e eventos.

Na década de 1990 as agências de publicidade começaram um trabalho focado em marketing esportivo, época em que os comerciais faziam a cabeça do público. 

O status da seleção brasileira de futebol após vencer a Copa de 1994 e as conquistas internacionais do vôlei contribuíram para a valorização desse segmento de marketing. Os patrocínios alcançaram um boom, e entre os maiores exemplos está a parceria de sucesso entre o Palmeiras e a Parmalat, que rendeu reconhecimento à marca e boas conquistas ao clube.

Atualmente, a internet e as transações milionárias rendem bons ganhos ao marketing esportivo, que evoluiu e tem usado uma série de ferramentas interessantes. 

Trata-se de uma área atrativa, com um campo de trabalho que considera tanto empresas quanto atletas, clubes e modalidades. 

Realizar um curso de marketing esportivo abre caminho para os profissionais interessados em atuar nesse campo, assim como a atualização com bons cursos online com certificado. Se este é o seu interesse, procure boas opções e comece ainda hoje seus estudos.

 

Comentar
Não dê chance para o azar! · 01/02/2021 - 16h35 | Última atualização em 01/02/2021 - 17h55

O que pode afetar os bens de uma empresa?


Compartilhar Tweet 1



 

Hoje em dia é muito comum surgir empresas dos mais variados nichos. Isto deve-se ao fato de que por questões como desemprego, economia e tempos de crises (como a proporcionada pelo vírus covid-19) as pessoas preferem investir suas economias em negócios próprios.

Essa ideia de investimento vem por uma sensação  falsa de ganho de controle de seu tempo e lucro. Muitos que abrem empresas não possuem experiência ou faculdade em administração, e isso faz com que todo o processo de criar e gerenciar uma empresa seja muito arriscado e tortuoso.

Mas este nosso artigo de hoje não é voltado especificamente para quem está iniciando ou deseja iniciar, e sim principalmente para aqueles que já possuem uma empresa forte e estabilidade.

É muito difícil estabilizar uma empresa e ter lucros constantes, mas aí seria realmente um momento para relaxar? Não! É o momento mais importante para pensar no que poderia se tornar uma ameaça para o seu empreendimento. É nesse momento de prosperidade que surgem mais ameaças. Estes problemas que surgem podem ser piores ainda que os do início da sua vida de empreendedor.

Afinal, o que poderia afetar os bens de uma empresa? É isso que veremos hoje!

 

União cível – dependendo do regime do seu casamento

Vamos começar por uma obvia ameaça: o casamento!

Pode parecer tolo falarmos aqui em um artigo voltado para empreendedores, mas o casamento pode ser prejudicial para os bens de uma empresa, mesmo que estes bens sejam por exemplo: “ações”.

É normal que casais se juntem e formem empresas, e com o tempo que passa mesmo que a empresa decole, o casamento pode ir por água a baixo. E isso é muito preocupante para a saúde dos negócios.

Quando há uma ruptura no relacionamento dos donos de uma empresa, essa ruptura pode interferir diretamente nos negócios. Quando decisões passam a se tornar atrapalhadas, fora de contexto ou pretextos para atingir o outro lado da relação particular entre dois sócios, é geralmente nesse momento que uma empresa com tudo para se tornar grande começa a falir.

Então se você ainda não abriu sua empresa e é casado, ou se já tem empresa e pretende se casar, é importante que saiba como funciona os regimes de bens. Nunca deixe de se atentar a todos os detalhes e possibilidades, pois o mínimo passo em falso, pode ocasionar a sua queda.

Problemas com a Lei – Fraude em licitações

Outro grande problema que uma empresa pode enfrentar e acabar saindo enfraquecida, ou muitas vezes até falida, é estar às margens da lei. É certo que um dos caminhos para se obter bons lucros é vender o seu produto ou serviço para o próprio Estado. Pode ser para prefeituras, autarquias, órgãos em geral, tanto faz: se for para a administração pública, é sinônimo de vender muito e receber o pagamento sem se preocupar com calotes.

Mas para que isso acontece, salvo hipóteses de dispensa e inexigibilidade de licitações, sua empresa deverá participar dos processos licitatórios que se interessar. Justamente por esses processos serem um pouco demorados e extremamente burocráticos, não é uma boa ideia ficar às margens da lei e tentar vender fora das determinações legais.

Hoje em dia a fiscalização está muito forte, e a cada dia são descobertos processos fraudulentos. A multa e demais penalizações para estas fraudes são pesadas e geralmente significam a falência de uma empresa. Não só pelas penalizações legais, mas principalmente por ficar com o nome sujo perante a sociedade.

A solução, além de querer se manter honesto, pode ser investir em um setor de Compliance. O que nos leva ao nosso próximo tópico:

 

Setor de Compliance – falhas ou inexistência de um

Agora vamos falar de uma tendência no mundo empresarial. Compliance vem do inglês, que significa “conformidade”. Estar em conformidade com a lei, para ser mais exato.

Tudo o que já falamos até aqui é importante, mas agora vem algo que engloba uma porção de outras possibilidades.
Este setor é responsável pela conformidade de todas as áreas da sua empresa. Desde contratos de trabalho até manutenção de gastos e contabilidade.

Aqui temos fiscais, investigadores e gestores especializados em encontrar brechas na empresa e corrigi-las. Por isso é algo tão importante e que muitas vezes recebem até boas notas pela própria administração pública, que pode facilitar processos licitatórios e aquisição de subsídios para outros departamentos.

As vantagens de ter um setor responsável por deixar a empresa sempre em conformidade são várias, mas a as desvantagens de uma inexistência desse setor podem ser catastróficas.

Isso porque uma empresa que não se preocupa em estar “saudável” perante a lei pode ser alvo não só de fraudes, mas também de problemas internos com funcionários de má intenção. Gestores podem estar desviando verbas e as redirecionando para áreas em benefício próprio. Isso tudo vai minando as empresas que podem começar a perder seus bens de pouco em pouco.

Por fim, agora podemos concluir o nosso artigo de hoje frisando a importância desse setor chamado de Compliance, e ainda reforçar que as atitudes de uma empresa, por mínimas que sejam, interferem e muito em seus sucesso ou falência. Então tenha muito cuidado, pois sua vida particular e empresarial estarão fundidas em uma só para determinadas escolhas.

Comentar
Dicas de empreendimentos · 29/01/2021 - 15h04

Vale a pena vender na internet em 2021 produtos de academias?


Compartilhar Tweet 1



A população brasileira é considerada uma das que mais se preocupam com a estética. Assim, os produtos de academia estão sempre em alta por aqui, por isso vale investir nesse nicho.

Um estudo publicado pelo Ministério da Saúde revelou que 45,8% das pessoas não pratica atividade física. Assim, 54,2% estão ativas e querem melhorar a saúde/aparência.

Dessa forma, o público-alvo é muito grande, o que facilita bastante na hora de entrar no mercado.

Aliás, há nichos dentro desse mesmo nicho. Existem produtos voltados para quem quer emagrecer, ganhar massa muscular e até engordar. As possibilidades são grandes!

Gostou dessas informações? Aproveite para aprender um pouco mais — e até levar algumas dicas valiosas para casa — sobre o tema!

A busca pelos produtos de academia atualmente

 

Uma matéria da Valor Econômico mostrou que o Brasil está em terceiro lugar no ranking dos países que mais consomem suplementos. Nós só perdemos para a Austrália e Estados Unidos.

Veiculada em 2017, ela apontou que esse mercado está se expandindo de forma impressionante por aqui. 

Na época, cerca de 7% da população brasileira consumia esses produtos — hoje podemos supor uma parcela muito maior, dada a tendência de expansão.

Isso significa, portanto, que existem mais de 15 milhões de brasileiros interessados nesses produtos.

Vale lembrar que não é só o Whey Protein que faz sucesso: Coenzima Q10, Maca Peruana, Creatina, Ômega 3, etc. também são bastante requisitados.

Portanto, existem ótimas oportunidades de negócios por aí, e a internet é perfeita para empreender.

As vantagens de se investir em produtos de academia

Embora o termo “produtos de academia” seja muito abrangente, o foco principal, em geral, está nos suplementos. 

Está certo que camisetas, luvas, calçados e demais produtos também vendem bem, mas eles não têm um elemento interessantíssimo: a recorrência.

Um consumidor que compra um tênis de qualidade para treinar, por exemplo, não vai precisar de um novo tão cedo; no entanto, os suplementos duram, em média, um mês, tornando a compra recorrente.

Com um pouco de empenho no negócio, é fácil conseguir clientes fiéis para sua loja, seja ela virtual ou física. Assim, a receita advinda das vendas é praticamente garantida, o que dá mais tranquilidade para o empreendedor.

Veja uma lista das principais vantagens:

  • pouco investimento inicial para começar o negócio (na internet);
  • potencial enorme para escalar suas vendas;
  • facilidade na hora de fidelizar os clientes, tornando as vendas recorrentes;
  • grande variedade de produtos.
  • O poder da internet para suas vendas

A TIC Domicílios 2019 apontou que 74% dos brasileiros já possui acesso à internet. Dessa forma, são mais de 156 milhões de pessoas interagindo pela Web (só no Brasil).

Isso significa, portanto, que as pessoas pertencentes ao seu público-alvo com certeza realizam pesquisas no Google, interagem nas redes sociais, assistem vídeos no YouTube e assim por diante.

Posto isso, todos esses veículos de comunicação podem ser utilizados para atrair a atenção dessas pessoas.

A maneira mais barata e poderosa de se fazer isso é pela criação de conteúdo. De fato, apresentar informações de interesse atrai muitas pessoas até seu negócio, facilitando vendas e aumentando sua autoridade na internet.

As estratégias mais interessantes para vender produtos de academia é investir em SEO, criar conteúdo para as redes sociais e aproveitar os benefícios da mídia paga.

E-commerce e redes sociais como máquinas de vendas

Montar um e-commerce atualmente é uma tarefa simples, fácil e intuitiva — bem diferente de alguns anos atrás, diga-se de passagem.

Aliás, você pode fazer isso de forma gratuita, sem abrir mão de ferramentas de última geração. Só para exemplificar, a Loja Integrada possibilita esse feito, permitindo iniciar um negócio em menos de 2 horas.

Com a loja virtual ativa, você pode investir em técnicas de SEO para atrair visitas orgânicas, como também pagar o Google para apresentar sua loja a pessoas interessadas em seus produtos.

Não se preocupe: o Google cobra um valor baixinho em vista do impacto em seu negócio!

Além disso, vale lembrar do poder das redes sociais para sua loja. Ao aliar o e-commerce às redes, você terá montado uma verdadeira máquina de vendas automática.

Então, procure engajar as pessoas nas redes sociais e, quando tiver um público considerável, apresente sua loja virtual para o pessoal.

Técnicas básicas para lidar com a internet

Vender produtos de academia na internet requer saber lidar com a internet, não é verdade? Portanto, veja algumas dicas importantes:

as pessoas só vão comprar de você se tiverem confiança em seu negócio;

usuários das redes só compram quando estão engajados, ou seja, gostam do conteúdo de suas publicações — e adoram acompanhar sua página;

técnicas básicas de SEO, embora não garanta a primeira página do Google, podem aumentar muito suas vendas;

entregue a solução para o problema do consumidor. Jamais tente vender algo que ele não precisa.

Gostou dessas informações sobre vender produtos de academia na internet? Aproveite para compartilhar com seus amigos!

Comentar
Tecnologia a favor do sucesso · 29/01/2021 - 08h39 | Última atualização em 17/02/2021 - 13h46

Como utilizar o PicPay para aumentar suas vendas


Compartilhar Tweet 1



Você acha que tem como utilizar o PicPay para aumentar suas vendas agora mesmo e conseguir ainda mais resultados?

Dessa forma, na busca de aumentar as opções de negociações, diversas pessoas vêm utilizando o PicPay em busca de crescimento.

No entanto, você sabe como de fato ele pode ajudar a aumentar suas vendas? Como ele funciona? se realmente vale a pena?

Portanto, nesse artigo, iremos esclarecer todas as suas principais dúvidas, mostrando também como utilizar o PicPay para aumentar suas vendas.

 

Antes de tudo, como funciona o PicPay?

Você sabe de fato como funciona o PicPay? Dessa forma, caso você não conheça, ou nunca tenha usado, o PicPay é um aplicativo que funciona basicamente como uma carteira digital.

Nesse sentido, ele é um aplicativo bastante completo, onde você pode guardar o seu dinheiro virtualmente, e realizar diversas transações.

Logo, você consegue através da sua conta no PicPay uma série de negociações, que envolvem:

Fazer compras com o cartão de créditoEmitir cobrançasPagamentosTransferir dinheiro para conta BancáriaRecarregar o seu celularUsar o aplicativo para realizar pagamentos em diversos lugaresComprar créditos na Netflix, Ubereats, Blizzard e etc.E dentre diversas outras coisas.

Ou seja, acaba sendo algo bastante completo, principalmente se você procura uma alternativa para ajudar a tocar o seu negócio.

Além disso, é claro, todo esse processo é feito com segurança e dentre outras coisas, evitando possíveis golpes.

 

Como utilizar o PicPay para aumentar suas vendas?

Uma das grandes funções ao utilizar o PicPay, pode ser diretamente para aumentar suas vendas.

Dessa forma, tudo isso graças a toda a segurança que o aplicativo pode proporcionar para suas vendas independentemente de onde ela for.

Nesse sentido, você pode ter mais segurança, em um processo de venda direta, como é o caso do Instagram.

Até porque, muitas das vezes, realizar o processo via cartão de crédito pode não passar uma segurança, ou o cliente pode não preferir, o que certamente vai acabar com que você perca aquela venda.

Sendo assim, utilizando o PicPay, você pode utilizar a função PRO, onde vender pelo Instagram, Facebook ou qualquer outro lugar, não será mais um problema.

Logo, com isso, os clientes podem fazer o pagamento de diversas formas diferentes, e você vai receber diretamente no seu perfil.

Ou seja, todo o processo de intermediação da transação, em relação a compra e venda, será feito através do PicPay.

Por fim, após realizar as suas vendas, você pode fazer compras direto do aplicativo, usar o saldo para pagar nos 2,5 milhões de lugares que aceitam, ou simplesmente transferir para sua conta bancária sem nenhum custo.

Portanto, tudo isso pode aumentar bastante as suas vendas, evitando desistências devido ao processo de pagamento.

 

Qualquer pessoa pode criar uma conta PRO no PicPay?

Depois de ver como utilizar o PicPay para aumentar suas vendas, talvez você fique em dúvida a respeito de quem pode se cadastrar.

Ou seja, talvez você fique se perguntando se há algum pré-requisito, ou mesmo sem CNPJ você pode se cadastrar.

E a resposta é que sim.

Basicamente, qualquer pessoa pode realizar o cadastro na conta do PicPay, sem burocracia, e independentemente de você ser pessoa física ou jurídica.

Além disso, você pode criar a sua conta sem preocupação, uma vez que para criar é 100% gratuito, sem burocracia.

Logo, da mesma forma, se não gostar, você pode sair do aplicativo a qualquer momento.

 

Quais são as taxas do PicPay Pro?

Antes de você começar a utilizar o PicPay para aumentar suas vendas, e facilitar os pagamentos, é preciso ficar atento às taxas.

Dessa forma, a primeira taxa, é uma das mais importantes que você deve saber, é a taxa de transação realizada.

Ela basicamente consiste em 1,99% em cima do valor de cada transação que for bem sucedida na plataforma.

Ou seja, a cada transação será descontada essa taxa, que na maioria das vezes se mantém estável a esse valor.

No entanto, esse valor pode mudar muito, dependendo do tempo que você selecionar para retirar o dinheiro.

Por exemplo: um cálculo que foi feito, mostrou que se você tirar o dinheiro em 40 dias após a transação, essa taxa pode cair para cerca de 1%.

Por conseguinte, caso opte por pagar a taxa somente após os 80 dias, você não precisará pagar nenhuma taxa, sendo totalmente isento.

Portanto, tudo vai depender da sua necessidade em sacar o valor que estiver na sua conta.

Mesmo assim, a própria plataforma e usuários afirmam ser uma das melhores taxas do mercado, comparado a empresas de máquinas de cartão de crédito e dentre outros.

 

Considerações finais

Como o utilizar o Picpay, principalmente focando em aumentar suas vendas, é uma excelente opção.

Então, se você não tinha ideia de uma alternativa para acompanhar as transações dos seus negócios, ela pode ser uma grande opção.

Estude também outras formas de economia e negócios como por exemplo o lanistar cartão de crédito.

Nos vemos em breve.

 

 

Comentar
Não deixe isso faltar no MKT! · 28/01/2021 - 16h18 | Última atualização em 28/01/2021 - 16h34

7 componentes essenciais para uma estratégia de marketing digital de sucesso


Compartilhar Tweet 1



 

Quer entender como criar uma estratégia de marketing digital para um cliente, ou mesmo para você mesmo? Se você está apenas começando no setor, praticar por conta própria é uma ótima maneira de obter experiência.

 

A maneira como você aborda um plano de marketing digital varia de acordo com os objetivos de cada empresa, mas definitivamente há algumas coisas a se ter em mente que o manterão no caminho para o sucesso. Se você está envolvido com marketing digital e está procurando uma estratégia, siga este guia para mantê-lo no caminho certo!

 

1. Crie uma estrutura realista

Antes de fazer qualquer coisa, você vai querer mapear seu plano. Você pode fazer isso de várias maneiras, incluindo mapeamento de conteúdo, cronogramas e calendários editoriais. Existem muitas ferramentas para ajudar neste nível de gerenciamento e planejamento de conteúdo.

 

O importante é estabelecer vários resultados ideais (realistas), deixando espaço para incertezas. E você deseja fazer isso com base em um conjunto de indicadores-chave de desempenho (KPIs) escolhidos que estão relacionados à sua estratégia e metas.

 

Se você não escolher um subconjunto de métricas para basear sua estratégia, é provável que saia do caminho e não alcance seu objetivo final. Mantenha o processo o mais simplificado possível ao comunicar e delegar, e estabeleça um cronograma claro para que todos na equipe permaneçam focados.

 

2. Identificar KPIs adequados no início

Como você está estabelecendo metas? Você terá que encontrar as métricas corretas para se concentrar a fim de entender como você obteve seus resultados finais. Escolher os KPIs corretos - aqueles que representam mais de perto suas principais áreas-alvo - ajudará você a permanecer no alvo e entender quais de suas ações de marketing estão realmente funcionando e quais precisam ser melhoradas.

 

Aqui estão alguns pontos a serem considerados enquanto você descobre quais KPIs são melhores para usar:

 

  1. Como um determinado KPI está relacionado ao seu objetivo?
  2. O que exatamente você está medindo?
  3. O que você está medindo está relacionado à experiência real do usuário e, em caso afirmativo, como?
  4. Quanto você precisa monitorar/relatar sobre certas métricas? incluiu isso em seu plano?

 

O truque para configurá-los adequadamente é lembrar que são dados, mas também são experiências humanas. Esta é a chave para estabelecer uma estratégia decente de vendas e marketing como um todo - você vê seu tráfego como números, mas também como pessoas. Você vai querer se concentrar em números que realmente contam uma história sobre o que seus clientes estão fazendo e usando para mudar as coisas no futuro com

esses dados.

 

O ponto principal é que o comportamento humano está realmente afetando seu ROI, então lembre-se de abordá-lo do ponto de vista de UX (Experiência do Usuário), sempre.

 

3. Saiba como construir um funil eficaz

Aqueles que têm experiência no campo de marketing tradicional (ou qualquer experiência em negócios) já devem estar familiarizados com o conceito de funil de vendas, que é um esboço passo a passo de cada fase da jornada do comprador. Ele se divide em:

 

  • Divulgação: anúncios do Facebook, página de destino, vídeos explicativos, infográficos, marketing de conteúdo;
  • Conversão: mídia social, postagens de blogs informativos, estudos de caso, questionários;
  • Encerramento: séries de e-mail, análises, questionários;
  • Retenção: ofertas exclusivas, white papers, e-mails, concursos, pesquisas.

 

A parte mais ampla ou superior do funil é onde a divulgação, o envolvimento e o reconhecimento da marca acontecem. Isso é fundamental para capturar novo tráfego, bem como reconectar o tráfego repetido. O topo do funil é onde o marketing acontece e você vai querer garantir que isso seja altamente envolvente - não é tanto sobre a venda, mas sobre a construção de relacionamento.

 

Um grande estrategista de conteúdo ou especialista em marketing digital saberá o que é preciso para trazer clientes por todas as fases do funil e ter uma alta porcentagem de conversões - mas, na maioria dos casos, isso requer prática, então, se não acontecer imediatamente, não entre em pânico!

 

4. Entenda o que torna um conteúdo eficaz

O conteúdo é muito mais do que ótimos blogs, Tweets e anúncios do Facebook! Há muito que você pode fazer para ser criativo e, para esse fim, você vai querer estar atualizado sobre a tecnologia e os métodos mais recentes para chegar ao seu público.

 

O que torna o alcance e o engajamento realmente eficazes é sua capacidade de contar uma história e, para tanto, sua estratégia deve se concentrar em uma campanha publicitária eficaz de alta qualidade e valor.

 

O que queremos dizer com isso? Crie primeiro seus principais anúncios e ofertas de serviço e, em seguida, escreva conteúdo com CTAs (chamadas para ação) que conduzam os usuários a uma compra. Mas certifique-se de que seja identificável, relevante e útil para seu público.

 

Você também deseja ter uma compreensão clara de como seu conteúdo está funcionando em relação ao SEO e aos padrões analíticos. Tudo o que você lança no mundo acaba sendo “dados”, então rastreá-los da maneira certa é crucial. Isso também significa compreender a experiência do usuário.

 

5. Planeje estrategicamente, mas com flexibilidade

Seja qual for o seu plano geral, ele deve deixar espaço para flexibilidade. Assim como dar prazos “falsos” ao delegar tarefas ou direcionar clientes, você deve deixar amplo espaço não apenas para flutuações de tempo, mas para eventos inesperados que podem afetar sua carga de trabalho principal, bem como o negócio como um todo.

 

Isso significa deixar alguns pontos “em branco” em sua linha do tempo para preencher conforme você avança. Também significa deixar algum espaço para incorporar coisas como eventos atuais relevantes, artigos virais de concorrentes ou investimentos inesperados em novas tecnologias que podem influenciar seu plano em uma determinada direção.

 

Conforme você trabalha em seu plano, você deve monitorar e verificar continuamente, fazendo perguntas como:

 

  1. Onde há espaço para melhorias?
  2. Quais KPIs são realmente relevantes nesta fase?
  3. Onde está fluindo a maior parte do tráfego?
  4. Quais ferramentas estão funcionando melhor do que outras para manter tudo organizado?

 

6. Crie uma biblioteca de conteúdo perene

Diferentes tipos de conteúdo têm diferentes propósitos e, para esse fim, você precisará incorporar várias ideias à medida que trabalha em sua estratégia de marketing de conteúdo. Embora possa parecer complicado, na verdade não é se você puder reunir a maior parte do seu conteúdo com antecedência e mantê-lo organizado de acordo com palavras-chave e tags.

 

Conteúdo perene é um termo para o conteúdo que você só precisa criar uma vez e é valioso para vários fins e até mesmo em vários canais. Normalmente não é relevante para o tempo ou evento, mas é uma parte importante do enredo de sua marca, mensagem central e ofertas importantes.

 

Aqui estão algumas maneiras pelas quais o conteúdo pode ser desenvolvido para durar em diferentes usos:

 

Um e-book em PDF pode ser desenvolvido a partir de blogs antigos;

Um artigo detalhado pode ser transformado em um white paper;

Slideshows podem ser incorporados em vídeos explicativos simples.

 

A ideia aqui não é entediar seu público com conteúdo repetido ou plagiar (até mesmo “plagiar” de seu próprio conteúdo pode custar em relação ao SEO), mas construir uma biblioteca de peças básicas que você pode desenvolver junto com sua mensagem e objetivos de negócios.

 

7. Visualize uma direção clara

O seu conteúdo está indo em uma direção específica de acordo com o tráfego e o engajamento geral? Isso é o que você terá de colocar em prática no início e à medida que avança em cada fase de sua estratégia. Você terá que ficar de olho em como cada fase do funil está funcionando bem e observar as atividades de reengajamento se suas conversões estiverem flutuando.

 

A questão toda é fazer um plano flexível para ter uma compreensão clara de como o processo seguirá do zero, começando com conteúdo amigável para SEO e altamente compartilhável. No final, você desejará comparar seus resultados esperados com os resultados reais, para que, ao criar uma nova estratégia, você entenda melhor o que funciona e o que não funciona.

 

Pensamentos finais

Para construir uma estratégia de marketing de conteúdo eficaz, você precisa ter um conhecimento sólido de gerenciamento de projetos, que inclui uma visão sólida do plano, bem como de cada etapa, e as partes envolvidas no sucesso de cada etapa. Para tanto, uma estratégia de marketing de conteúdo é uma boa representação da arte e da ciência do que acontece nos bastidores.

 

Estratégias de marketing digital bem-sucedidas nunca são definitivas, mas com um pouco de prática, você pode fazer com que funcionem a seu favor. Lembre-se de que a ideia é deixar de lado o lucro e as conversões e focar no elemento humano - a jornada do comprador, a história da sua marca e o engajamento. Quando você pode engajar autenticamente um público amplo, sem dúvida impressionará seus clientes e colegas.

Comentar
Sistema que facilita sua vida · 28/01/2021 - 15h21

Como utilizar ERP para Pequenas e Médias Empresas da forma certa


Compartilhar Tweet 1



 

A importância de um ERP para pequenas e médias empresas vai muito além de uma simples automatização, com um sistema de gestão empresarial você poderá controlar todos os setores do seu negócio de maneira intuitiva.

Esse tipo de sistema nasceu para auxiliar a administração empresarial, mas evoluiu muito com o passar do tempo.

Muita gente se pergunta, o porque ter um ERP no seu negócio. E as respostas vão muito além do esperado.

O ERP GestãoClick por exemplo é um dos mais completos sistemas de gestão empresarial com o maior custo benefício, e você poderá testá-lo por 10 dias gratuitamente. Dessa forma você poderá ver como o sistema funciona de maneira ágil.

Hoje em termos de tecnologia de ponta, o software ERP é um sistema com enorme diferencial para o seu negócio.

No ERP GestãoClick você encontra todos os setores do seu negócio, de forma que possam ser controlados e acessados em tempo real. Sendo assim, é possível realizar todas as tarefas com muito mais eficiência.

O software também organiza todos os dados da sua empresa, para que sejam armazenados em bancos de dados, e assim poderão ser acessados para qualquer atividade que desejar. Sendo assim, todas as operações são realizadas pelo ERP, seja a emissão de boletos, de notas fiscais, entradas e saídas de estoque, assim como também o registro de contas a pagar e muito mais.

Saiba quais são as principais funcionalidades do sistema ERP GestãoClick, e o que ele pode fazer pela sua empresa logo abaixo.

 

Programa de Controle Financeiro

 

Através do sistema de controle financeiro completo e online, você estará preparado para gerenciar todas as atividades, sejam elas simples ou demoradas.

 

Dessa maneira, o tempo que você gastaria lançando tudo manualmente, você poderá investir em outros procedimentos.

 

Com o Programa de controle financeiro do GestãoClick você:

 

  1. - Consegue controlar o fluxo de caixa
  2. - Consegue organizar suas contas a pagar e receber
  3. - Consegue emitir boletos bancários e carnês
  4. - Consegue emitir notas fiscais
  5. - Consegue controlar as contas bancárias
  6. - Consegue emitir recibos
  7. - Consegue controlar o plano de contas
  8. - Consegue realizar centro de custos 
  9. - Consegue criar e controlar formas de pagamentos

 

Programa de Controle de Estoque

 

Com ele você pode controlar vendas, cadastro de produtos, pedidos, compras, movimentações, transferências, relatórios, fornecedores e muito mais.

 

Através do programa de controle de estoque você consegue:

 

  • - Controle de Compra
  • - Cadastro de Produtos
  • - Controle de Venda
  • - Nota Fiscal de Entrada
  • - Transferência de Estoque
  • - Cotações Online

 

O GestãoClick é um programa para controle de estoque completo para seu negócio.

 

Programa Para Orçamentos

 

Para você que trabalha na prestação de serviços, ou no comércio, está ciente que é habitual a muitos clientes solicitarem apenas orçamento para qualquer produto ou serviço. Acontece que esta não é uma tarefa tão rápida e fácil. Pensando nisso veja o que é possível fazer com o programa para orçamentos da GestãoClick:

 

  • - Integração Com Controle de Vendas
  • - Enviar Orçamentos por E-mail
  • - Imprimir Orçamentos
  • - Acompanhamento de Situações

 

Software Para Emissão de Boletos

 

A emissão de boletos bancários garante muitas vantagens para a sua empresa, saiba o que o Software Para Emissão de Boletos da GestãoClick faz para o seu negócio:

 

  • - Agilidade na emissão do boleto bancário
  • - Controle garantido e confiança para dar baixa
  • - Otimização do tempo de trabalho
  • - Emita boletos com registro
  • - Emissor de Boleto sem Taxa
  • - O software para emissão de boletos GestãoClick  é homologado com os principais bancos.

Emissor de Nota Fiscal Eletrônica

 

Apresentamos a solução desenvolvida pelo GestãoClick, que permite emitir com rapidez e facilidade os principais tipos de notas fiscais eletrônicas como:

 

  1. - Nota Fiscal Eletrônica para produtos (NF-e);
  2. - Nota Fiscal de Serviço Eletrônica (NFS-e);
  3. - Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (NFC-e).

 

Além de facilitar muito a rotina dos colaboradores de sua empresa e deixar simples o atendimento aos seus clientes, o emissor de notas fiscais oferece muitíssimas vantagens:

 

  • - Não existe limite para emissão de notas fiscais;
  • - Existe uma integração entre os módulos financeiro, de estoque e de venda, o que ajuda a automatização da gestão, sendo assim qualquer alteração na nota fiscal, altera as informações do pedido automaticamente.
  • - Você terá mais economia de tempo ao fazer emissões de forma descomplicada, de onde você estiver.
  • - Os backups são ilimitados e automáticos até 5 anos;
  • - E por último, é possível fazer o envio de notas fiscais por e-mail apenas com um clique, direto do sistema.

 

 

Agora que você conheceu a importância, e as inúmeras facilidades que um ERP pode fazer pelo seu negócio,experimente e usufrua do melhor jeito possível as facilidades que irão alavancar o seu negócio.

 

Comentar
Série: Trabalhar usando a net · 27/01/2021 - 10h31

4 ideias inovadoras para trabalhar usando a internet


Compartilhar Tweet 1



Você está buscando ideias inovadoras para trabalhar usando a internet? Na sociedade atual, com foco na tecnologia, não há motivos para você não iniciar um negócio lucrativo no conforto da sua casa. 

A internet por si só já é algo inovador e que está sempre se atualizando. Hoje em dia podemos contar com vários benefícios que ela nos oferece. Encontramos desde promoções e cupons para compra, como código promocional no aliexpress, até opções para ganhar muito dinheiro. 

E quando se trata de ganhar dinheiro, não faltam vantagens no trabalho remoto: os pais em tempo integral podem escolher horários flexíveis; viajantes podem trabalhar em qualquer lugar. 

Administrar um negócio online por conta própria requer todo o trabalho árduo de configurar um negócio físico, mas uma vez configurado, oferece ampla liberdade.

Em termos de negócio em si, escolher uma ideia de negócio digital oferece vários benefícios. O lançamento de uma empresa em sua própria casa elimina as enormes despesas associadas ao investimento em um escritório físico e material físico. 

Investimento de capital mínimo significa menos risco, permitindo que você gaste mais dinheiro em publicidade para aumentar sua base de clientes. Operar online também abre seu negócio para clientes de todos os cantos do mundo, dando-lhe espaço para um crescimento considerável.

A única barreira para ganhar dinheiro online é encontrar a ideia certa. Por esse motivo, separamos algumas dicas de ideias inovadoras para trabalhar usando a internet e que poderão te ajudar a escolher o melhor caminho para você. 

Continue lendo para conferir!
 

 

Sugestões de ideias para ganhar dinheiro online

Esteja procurando algo para gerar uma renda passiva ou uma empresa de um milhão de reais, descubra hoje o que pode ser melhor para você. 

Aqui está a nossa lista com ideias inovadoras para trabalhar usando a internet.

 

1. Tenha uma loja de comércio eletrônico

Uma loja de comércio eletrônico - também conhecido como e-commerce - permite que os consumidores comprem produtos e serviços online por meio de seu telefone, tablet ou computador por meio de transações digitais.

A acessibilidade das lojas de comércio eletrônico significa que o alcance de mercado global alcançável cresceu rapidamente. 

Direcionar tráfego para o seu site é sua melhor chance de ganhar muito dinheiro: assim que a loja estiver instalada e funcionando, seu foco deverá ser a publicidade e o marketing. 

Existem diversas opções de plataformas de hospedagem disponíveis no mercado, portanto, faça pesquisas para escolher a melhor opção para você. 

O sucesso de uma loja de comércio eletrônico depende muito da marca - foco na criação de uma marca forte com um nicho de mercado-alvo.
 

2. Escreva e publique um e-book

Publicar livros é notoriamente complicado, e até mesmo os melhores autores sofreram inúmeras rejeições. Mas o mercado de livros digitais tornou a tarefa de se tornar um autor e ganhar dinheiro uma aventura muito mais fácil. 

Qualquer pessoa pode publicar um e-book por conta própria e vendê-lo em sites do tamanho da Amazon. A melhor parte? É totalmente grátis.

O investimento mais significativo para escrever e vender um e-book é o tempo que você gasta escrevendo. Os custos monetários iniciais, no entanto, são mínimos. Encontre o seu nicho - quanto menor o nicho, melhor, pois você limita a concorrência.

A melhor coisa que você pode fazer para aumentar suas vendas é investir para tornar seu livro o mais profissional possível. 

Peça a um editor profissional, ou pelo menos um revisor profissional, para verificar seu trabalho. Encontrar um profissional para criar uma boa arte de capa e formatar seu livro também pode ajudar muito a aumentar as vendas.
 

3. Crie uma loja de produtos digitais

Quer melhor maneira de lucrar com nossa sociedade dependente de tecnologia do que abrindo uma loja de produtos digitais? 

Este negócio funciona inteiramente online e os recursos físicos necessários são quase nulos. O maior investimento no início será o seu tempo.

Produtos digitais são qualquer coisa que você possa baixar online. A falta de presença física significa recursos mínimos, sem custos de produção, sem custos de armazenamento. 

Os produtos mais eficientes em termos de tempo e custo que você pode vender são PDFs em vários formatos - os modelos, por exemplo, oferecem muitas possibilidades: modelos para e-mails, currículos, cartas de apresentação, cartões de visita, calendários. 

A vantagem dos produtos digitais é que eles podem ser vendidos de forma relativamente barata e têm produção gratuita. 

Você pode até vender arquivos de áudio, música e vídeos em sua loja, bem como fontes, logotipos e planos de fundo. Se você pode fazer o download, você pode vendê-lo!

 

4. Trabalhe como freelancer online

Trabalhar como freelancer é um dos trabalhos mais flexíveis que se pode ter, tornando-se ainda mais acessível com a internet. 

Os freelancers trabalham por contrato ou por hora ou projeto, a maioria trabalha em casa e nas horas e horários que escolherem. Se você tiver as habilidades e o equipamento, é uma maneira quase imediata de começar a ganhar dinheiro.

É um conceito simples: capitalize qualquer habilidade especializada que você possa ter e transforme-a em um serviço comercial. Pode ser qualquer coisa, desde web design a consultoria de negócios ou tradução. 

Você pode monetizar quase qualquer habilidade. Encontrar clientes também está mais acessível do que nunca com sites como 99Freelas, onde freelancers podem anunciar seus serviços e preços.

Uma desvantagem é que o trabalho pode ser irregular e sua renda pode variar de mês para mês. Crie uma rede tão grande quanto possível - alcance todos que puder. 

 

Conclusão

Existe uma extensa lista de opções de ideias inovadoras para trabalhar usando a internet. As dicas que demos acima, são apenas algumas sugestões para você começar a entender como pode ganhar dinheiro online. 

Pesquise bastante para escolher a opção ideal para você e aproveite todo o conhecimento que você já tem em algum determinado assunto para trabalhar usando a internet. 

 

Comentar
Trabalhar como afiliado? Veja · 27/01/2021 - 10h02

Tudo o que você precisa saber para se tornar um afiliado digital


Compartilhar Tweet 1



Empreender na Internet permite se aventurar por diferentes áreas, como o marketing de afiliados. Conheça tudo o que você precisa saber para se tornar um afiliado digital.

 

Uma das principais características dos seres humanos é a capacidade de adaptação. Não por acaso, novos formatos de trabalho se solidificaram durante a pandemia, onde o brasileiro precisou descobrir formas novas de ganhar dinheiro – como a afiliação digital. A seguir, confira tudo o que você precisa saber para se tornar um afiliado digital.

O que é um afiliado digital?

Também conhecido como Marketing de Afiliados, trata-se de um processo de vendas em que quem indica um produto, ganha uma comissão a cada negociação concluída, sendo que todo o procedimento é feito de forma online. Uma modalidade que une empreendedorismo e e-commerce.

Na prática, o afiliado se cadastra em plataformas especializadas no assunto e recebe links exclusivos dos produtos ou serviços que deseja vender. Cada vez que um cliente compra com o seu link, o afiliado recebe uma comissão pela venda.

Esse modelo de negócio é especialmente atrativo no pós-pandemia, uma vez que o e-commerce brasileiro tem atingido níveis altos de faturamento, com aumento no número de vendas mesmo em estados em que a modalidade não era tradicional.

As notícias do Tocantins, através do portal Conexaoto.com.br, apontam que o e-commerce do estado registrou faturamento de mais de R$36 milhões, somente em junho de 2020, um dos picos provocados pelo isolamento social no país.

Quem opta por trabalhar com marketing de afiliados, pode escolher o produto que deseja vender, com variantes de itens físicos e infoprodutos. Alguns exemplos são E-books, cursos, aplicativos de celular, hospedagem para sites, eletrodomésticos em geral e video-games.

Onde trabalhar como afiliado digital?

Existem diferentes plataformas que oferecem a possibilidade de trabalho no marketing digital, tanto para os chamados infoprodutos, quanto para produtos físicos. 

Essa variedade de sites disponíveis acontece porque as próprias lojas online, já consolidadas, começaram a perceber a força que o marketing digital tem sobre os consumidores. Afinal, com mais pessoas divulgando um produto ou serviço, maiores são as chances de conversão e vendas.

 

Quando se trata de infoprodutos, que são cursos e ebooks, existem sites como Hotmart e Udemy que aceitam afiliados digitais. Ao escolher um item para vender, você observa a porcentagem de ganho que terá em cada pedido concluído.

Já no setor de produtos físicos, nomes como Magazine Luiza, Amazon e Shoptime são alguns exemplos de e-commerces que buscam por esse tipo de parceiro digital.

É seguro trabalhar com marketing de afiliados?

Uma das principais dúvidas em relação a esse tipo de trabalho é a segurança, especialmente no momento de receber. Mas saiba que os sites que oferecem programas de afiliação costumam contar com sistemas seguros para o pagamento dos lucros.

Na Hotmart, por exemplo, que cresceu 80% somente no último ano, existe um sistema automatizado que reconhece o link utilizado pelo consumidor na compra e direciona a comissão da forma correta.

Como o programa de afiliados beneficia também as plataformas, não há motivos para que elas não criem sistemas de pagamentos seguros, incentivando ainda mais seus afiliados.

3 dicas para ter sucesso nas vendas

Se você está considerando entrar para esse mercado, saiba que existem algumas dicas que podem te ajudar a ter sucesso nas vendas. A seguir, veja 3 sugestões práticas para seguir:

 

1. Escolha um nicho que você goste:

Se você pode escolher o produto que vai divulgar, porque optar por algo que não conhece, não gosta ou não domina? 

O ideal é buscar por nichos de produtos que você tenha alguma afinidade. Isso vai te ajudar a demonstrar autoridade para os consumidores, além de tornar a venda mais divertida.

2. Gere conteúdo para impulsionar as vendas:

É fácil perceber o quanto o conteúdo é importante para que um cliente feche negócio. Para impulsionar suas vendas, invista em criar conteúdo para determinado produto ou serviço.

Nesse sentido, você pode criar um blog, uma conta no Instagram ou mesmo um canal no YouTube, falando especialmente do nicho que você escolher.

3. Aprenda mais sobre publicidade online:

Uma das vantagens do marketing de afiliados é que você não precisa ser um profissional da publicidade para trabalhar no segmento – porém, é interessante aprender sobre o assunto.

Por isso, dedique algum tempo da sua semana a descobrir como potencializar a publicidade dos produtos que você escolheu vender. Vale entender do marketing orgânico e do tráfego pago, criando uma combinação de sucesso.

Assim, com dicas práticas, foco e dedicação, você pode aproveitar o sucesso do e-commerce no Brasil, que tem uma previsão tão otimista em número de vendas quanto aqueles alcançados em 2020.

Comentar

Compartilhar Tweet 1



Hoje vamos falar sobre revender hospedagens para sites. Escolhemos este tema porque o assunto é constantemente alvo de perguntas clássicas como “vale a pena revender?” e “é muito caro?”.

Bom, um grande fato irrefutável é que para adentrar nesse mercado, você deverá oferecer serviços extras na área, e isto implica ter funcionário(s) qualificado(s).

Sendo bem direto ao ponto: nada, absolutamente NADA traz renda consistente e relevante de maneira fácil e sem investimento inicial. Com a revenda de hospedagem não seria diferente.

Além de você precisar investir em um site muito bom e otimizado, precisará integrar sistemas para que o site venda o serviço por você.

É como um e-commerce, só que além de ter um carrinho para os clientes comprarem, terá de ter mecanismos para que estes clientes consigam trabalhar em cima da hospedagem adquirida. O famoso CP (Control Pannel) é um desses mecanismos.

É fato que nem todas as revendas investem como tem que ser, mas se fizermos uma rápida pesquisa de mercado, veremos que os melhores sites, e que mais vendem, são bem estruturados e sempre se preocupam em oferecer aos clientes bônus ou facilidades, sejam elas de graça ou pagas.

A famosa Hostigator, por exemplo, possui um criador de sites muito intuitivo para seus clientes. E isso ajuda consideravelmente na hora de vender uma hospedagem.

Afinal, muitas pessoas que adquirem o serviço vão precisar de um site novo. São poucos os que procuram apenas para migração de servidores e demais serviços.

Mas temos uma outra pergunta que ajudará a explicar a nossa pauta:

Uma revenda pode ser lucrativa em pouco tempo?

 

E a resposta é: SIM! Depois de fazer todo o investimento em um site que ofereça serviços otimizados e úteis, é hora de investir no SEO e na publicidade paga. Todo esse investimento gira em torno de um termo bem conhecido no Empreendedorismo digital: ROI (returning of the investiment) que nada mais é do que o retorno do investimento empregado para começar o negócio.

Eu sempre costumo dizer que dinheiro gasto no Marketing é dinheiro investido, porque a cada 500 reais gasto, você DEVERIA lucrar pelo menos mais 500.

É a velha frase “dinheiro faz dinheiro”. Mas calma, eu sei que isso não é fácil. Ter retorno de tudo que é investido é uma tarefa complicada, porém totalmente possível. Para isso, você vai precisar de uma consultoria especializada.

Uma boa maneira de fazer dinheiro é vender planos de servidores VPS Windows. Em resumo, é como se eles fossem repartições de um grande servidor, este é dividido em várias partes e é justamente isso que faz com que seja o VPS Barato.

Este plano é super indicado para empresas que desejam apenas aumentar um pouco a capacidade de seus servidores. E como dito, além de ser um servidor mais barato, ele também é mais simples de trabalhar, e muito mais procurado pelos clientes.

Após esta dica valiosa de investimento, podemos dizer que a revenda de hospedagem se torna lucrativa em pouco tempo, e o ROI será praticamente certo se tiver paciência. Mas ainda há algo que precisamos conversar:  a revenda de hospedagem se tornou um mercado saturado.

Nos últimos cinco anos houve um aumento estratosférico de pessoas investindo na área. Mas calma, essa notícia não é para te assustar, mas sim para fazer você entender que precisa, de fato, oferecer não só o serviço mas também todo o suporte técnico para que se destaque.

Eu mesmo já tive experiência de contratar hospedagem em local que me entregavam os números de acessos e configuração, e eu precisava fazer tudo sozinho.

Porém como a maioria das pessoas, eu não tinha conhecimento para isso na época, e tive que contratar um profissional para me auxiliar. No fim paguei bem mais caro se tivesse feito com uma empresa um pouco mais cara, mas que oferecia este serviço no pacote.

Então atente-se sempre em oferecer a mais do que os outros oferecem. Você precisa se destacar e fazer com que as pessoas no geral vejam que sua empresa é única no mercado. Qualquer coisa a mais que oferecer irá com toda certeza conquistar mais cliente.

E então, achou legal o conteúdo de hoje sobre hospedagem e servidores VPS Windows? Deixe um comentário para que possamos saber sua opinião!        

Comentar

Compartilhar Tweet 1



Fazer bem a gestão financeira da sua empresa é indispensável para controlar o seu crescimento e fazer seu negócio prosperar. De acordo com uma pesquisa divulgada pelo Sebrae, cerca de 77% das empresas declararam falência em menos de 2 anos de existência! As principais causas para esta alta taxa de mortalidade são a falta de planejamento financeiro e estratégico e dificuldades com bancos.

 

Por isso, entender bem suas despesas fixas e variáveis, todas as suas fontes de receita e obter um capital de giro precisam ser ações tomadas inicialmente por todos os empreendedores de pequenos negócios!

 

Aqui vamos mostrar pra você 5 ferramentas de gestão financeira indispensáveis para começar a adotar desde já na sua empresa! 

 

O que procurar em uma ferramenta de gestão financeira?

 

A resposta a esta pergunta é bem direta: facilidade! As ferramentas de gestão financeira que você escolher para acompanhar o seu negócio precisam ser fáceis de usar e realmente agregar valor e resultado no seu dia a dia.

 

Todo o seu planejamento precisa envolver a análise de algumas possibilidades de acontecimentos inesperados, como por exemplo a diminuição de vendas em certo período do ano ou a perda de algum fornecedor. E por isso as ferramentas que você utiliza precisam te ajudar na tomada de decisões estratégicas sempre que precisar.

 

Como começar minha gestão financeira?

 

Antes de falarmos das ferramentas, você precisa estruturar alguns pontos importantes. Tenha em mente qual é o seu modelo de negócios e entenda bem o papel da sua empresa no mercado.

 

Isso vai te ajudar a ter clareza sobre alguns pontos como por exemplo quem são seus fornecedores indispensáveis, quais os custos envolvidos no seu negócio e quais são as suas fontes de receita.
 

5 ferramentas indispensáveis para gestão financeira

 

Agora com tudo preparado, vamos explicar as principais ferramentas para usar no seu negócio e também dar algumas dicas de plataformas que você pode buscar para te auxiliar em cada uma dessas tarefas!

 

  • Fluxo de Caixa

 

O Fluxo de Caixa é uma ferramenta que auxilia o empreendedor a entender todas as entradas e saídas de dinheiro da sua empresa. 

 

Geralmente, o fluxo de caixa é usado apenas como um controle financeiro, mas pode ir muito além disso! Entender todas as movimentações da sua empresa te ajuda a identificar com quais atividades você gasta mais e quais são mais lucrativas! Com isso, é possível direcionar seus esforços sempre para minimizar os seus custos e assim consequentemente aumentar a receita! 

 

Analisando o seu fluxo de caixa fica mais fácil também fazer projeções de recebimentos futuros, o que é essencial no seu planejamento interno!

 

Existem muitos modelos de planilhas em excel disponibilizadas gratuitamente na internet para começar a fazer seu fluxo de caixa. Além delas, você pode usar sistemas como por exemplo o Quickbooks ou a Conta Azul para te auxiliar. O importante é usar um método que seja prático e fácil e que te acompanhe no seu dia a dia constantemente!

 

  • Régua de cobrança

 

A tarefa de cobrar e lembrar seus clientes de efetuar os pagamentos nas datas certas é essencial para garantir os recebimentos dentro do prazo esperado. É justamente para te auxiliar com estas atividades que a ferramenta de gestão de cobrança é indispensável no seu negócio.

 

Existem algumas formas diferentes de fazer isso. Você pode, por exemplo, enviar SMS ou e-mail para os seus clientes no dia do vencimento dos pagamentos que precisam ser efetuados. Pode também enviar avisos de incidência de juros e multas para aqueles que já perderam o prazo.

 

A recomendação de ferramenta neste caso é a E-Goi que permite enviar comunicações por e-mail, SMS, push ou ligações e possui planos mensais ou para envios pontuais.   

 

  • Conciliação Bancária

 

A conciliação bancária é importante para verificar se os seus registros de contabilidade coincidem com as movimentações da sua conta bancária. O principal objetivo aqui é identificar possíveis erros de registro e corrigir o quanto antes para evitar problemas fiscais.

 

Existem alguns aplicativos que fazem a conciliação bancária de forma automática e simples, como por exemplo a Omie ou o Myfinance. Esses sistemas integram com o seu banco e também com o sistema de gestão da sua empresa e com isso cruzam as informações para identificar possíveis divergências.

 

  • Controle de Custos

 

O controle de custos é a principal ferramenta para te ajudar na precificação do seu produto ou serviço. Isso porque ele permite com que você veja todos os custos envolvidos, por exemplo com fornecedores e matéria prima, e a partir disso te dá uma visão mais clara se o seu preço de venda está sendo suficiente para arcar com todos os custos e ainda permitir a margem de lucro desejada para o seu negócio.

 

Este controle também permite reavaliar sua estrutura de custos, ou seja, se existe algum ponto do seu negócio em que seja possível reduzir os custos.

 

Uma ferramenta útil para te ajudar neste ponto é o Nibo, um software de gestão financeira que organiza as suas contas a pagar, além de outras funcionalidades.


 

  • Conta exclusivamente empresarial 

 

Por fim, é imprescindível separar as finanças pessoais das finanças da sua empresa! Sem essa separação você pode perder o controle do seu dinheiro, não vê com facilidade se obteve lucro ou prejuízo na empresa, confunde as contas pessoais e empresariais e fica muito mais difícil colocar em perspectiva o seu crescimento.

 

Uma boa aposta para te ajudar é escolher uma conta digital PJ que em geral possui taxas muito menores do que os bancos tradicionais e são mais fáceis de usar no dia a dia. E ao abrir a conta da sua empresa, use-a somente para os gastos da empresa e não para fins pessoais. 

 

Por isso, quando for escolher uma Conta PJ  para o seu negócio, dê preferência para contas livres de mensalidades e taxas, específicas para empreendedores e com funcionalidades e recursos capazes de facilitar a gestão financeira da sua empresa.  



 

Comentar
Emitir NFE em e-commerce: Veja · 21/01/2021 - 08h17

Nota fiscal no e-commerce: entenda como as regras funcionam


Compartilhar Tweet 1



Empreender no mercado virtual demanda atenção e conhecimento das especificidades legais desse tipo de empresa, principalmente quando nos referimos a nota fiscal eletrônica, que vem facilitando significativamente a troca de documentos entre empresas e pessoas jurídicas. 

Esse modelo de nota eletrônica faz parte de um novo projeto do SPED (Sistema Público de Escrituração Digital) no Brasil, com o objetivo de fazer com que os documentos oficiais passem a ser eletrônicos.

Quer saber mais sobre a nota fiscal para e-commerce e como as regras funcionam? Continue acompanhando e confira. Boa leitura.

 

Nota fiscal para e-commerce

 

A tributação para e-commerce não é um assunto tão simples, a nota fiscal utilizada são de vendas de produtos, modelo 55, que registra a operação de venda de mercadorias do seu negócio online. Assim, estão ligadas à cobrança do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) e do ICMS (Imposto de Mercadorias e Serviços). A emissão da nota está vinculada à SEFAZ (Secretaria da Fazenda) de cada estado.

É preciso assegurar também que o DANFE (Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica) seja enviado ao cliente, contendo a chave de acesso ao documento fiscal, permitindo o consumidor a consulta das informações na web e o acompanhamento do produto em trânsito.

Vale lembrar que ao emitir a nota fiscal é preciso informar os dados do destinatário e emitente, com o detalhe de mercadoria ou serviço, além de demais dados relevantes. Empresas que utilizam o ERP para emitir notas fiscais, já possuem essa informação, sem necessidade de digitar. 

 

Importância da nota fiscal para e-commerce

 

Exigido por lei - Lei Federal n. 8.846/1994, a nota fiscal eletrônica deve ser emitida independente do valor da mercadoria, comprovando o valor adquirido. Além de ser mais um documento ao qual o empreendedor deve ficar atento, ela garante segurança  para todas as partes envolvidas na negociação.

 

Conheça alguns dos motivos para você emitir nota fiscal no e-commerce:

 

Legalidade nas vendas

 

Como falamos acima, a nota fiscal serve como comprovante de que a empresa vendeu o produto certo e o comprador recebeu em sua residência. Garantindo maior segurança tanto para o comprador quanto para o vendedor, já que além de ter que apresentar o documento para a Receita Federal, a nota servirá para realizar a troca ou devolução do produto. 

Maiores canais de venda

 

Emitir a nota fiscal é sem dúvida um dos passos de quem busca sucesso na venda online, isso porque, muitos marketplaces exigem os sellers a terem o registro de pessoa jurídica e emita NF-e, garantido outros canais de venda da sua mercadoria. 

Envio dos pedidos 

Existem diversas formas de enviar o produto para o cliente, seja pelos correios ou  transportadoras, e conforme a escolha de envio é necessário a apresentação da nota fiscal para fins de fiscalização. Se a mercadoria é transportada sem um documento fiscal, esta pode ser apreendida, causando transtorno tanto para o comprador quanto para a empresa. 

Regras 

Depois que sua loja está aberta formalmente, você deve atentar-se para várias regras que regulamentam a atuação do seu negócio, como: 

  1. Disponibilizar em suas páginas canais de comunicação e serviços de pós-venda e de gerenciamento de entrega de mercadorias;
  2. Informar em seus sites endereço físico e outras formas de contato;
  3. Identificar e discriminar do valor do produto quaisquer taxas adicionais de serviços como, por exemplo, taxas de entrega;
  4. Apresentar descrição completa e detalhada dos produtos;
  5. Garantir o direito de arrependimento do consumidor em um prazo de sete dias úteis, como previsto no Código de Defesa do Consumidor;
  6. Informar corretamente os dados sobre o produto – quem informar incorretamente estes dados deverá ressarcir o cliente, devolvendo todo o dinheiro investido na mercadoria.

O decreto 7962/2013 coloca obrigações às empresas de e-commerce que visam a proteção do consumidor. Lembre que os estados podem ter legislação própria! Por isso, consulte as leis para comércio eletrônico no local onde você abriu sua empresa.

 

Escolha um sistema de gestão

 

Um passo muito importante ao iniciar no mercado online é ter um sistema de gestão eficiente que além de auxiliar no controle de entrada e saída de mercadorias e fluxo de caixa, se encarrega de emitir as notas fiscais sem precisar ser digitada. 

Uma ótima opção para emitir suas notas fiscais é o sistema ERP da W3ERP. Você realiza a integração com o seu e-commerce e, ao receber os pedidos da loja virtual, já pode começar a emitir as notas. Os dados de produtos, clientes e tributos já estarão cadastrados no sistema, sem necessidade de digitação.

Podemos ver que a emissão de nota fiscal para e-commerce vai muito além de uma obrigação, uma vez que auxilia a empresa no controle fiscal sobre as operações e no aumento das vendas, além de contribuir para aumentar a credibilidade junto ao cliente. 

Fique atento aos detalhes que envolvem o procedimento de emissão das notas e coloque as nossas dicas em prática. 

Comentar
Saiba utilizar a tecnologia · 06/01/2021 - 10h44 | Última atualização em 07/01/2021 - 16h31

Marketing de relacionamento: como implementar na sua empresa


Compartilhar Tweet 1



A definição e implantação de estratégias para o crescimento de uma empresa deve ser uma pauta estudada e planejada para qualquer tipo no qual ela esteja inserida. É importante definir baseando-se em estudos que demonstrarão qual o melhor método a ser aplicado a fim de gerar o melhor resultado.

 

Um desses estudos, envolve o planejamento semanal, em alguns casos, diários, pois o marketing necessita estar constantemente baseando-se em resultados, atualidades, eventos, produtos e serviços atualizados, promoções e entre outros, para que então seja criada a melhor estratégia, publicidade, trocadilho, post, promoções, descontos e mais categorias disponíveis para a atração do público.

 

Entretanto, o planejamento não deve ser fixo e os profissionais devem estar sempre atentos e disponíveis para alterar a programação de acordo com eventos externos, o denominado Marketing Sazonal. 

 

O Marketing Sazonal possui como definição o marketing baseado em eventos, acontecimentos externos e épocas do ano, no qual as mudanças do planejamento de marketing devem ser feitas a fim de basear e focar nesses acontecimentos, como uma estratégia de lucrar e aumentar os resultados, sempre identificando uma oportunidade de se conectar com os consumidores. 

 

Neste artigo iremos enfatizar estratégias de Marketing de Relacionamentos aplicadas a eventos da atualidade, como por exemplo a atual pandemia de Coronavírus (COVID-19), que no qual países estão sofrendo por grande vulnerabilidade e facilidade de contágio do vírus e a atual aplicação de medidas de evitar a contaminação.

 

O que é Marketing de Relacionamento?

Como já foi dito anteriormente, a aplicação do marketing pode ser realizada de inúmeros métodos diferentes e baseando-se em estratégias que terão como finalidade o maior número de resultados possível. Uma dessas maneiras é aplicar segmentos do marketing para atrair as pessoas que estão inseridas nesse contexto, e que serão alvos. 

 

O Marketing de Relacionamento é um segmento do marketing que visa criar relacionamentos com seus clientes, a fim de desenvolver laços profundos e integrar o cliente à empresa, como basicamente um relacionamento pessoal. 

  

São ações e atuações da empresa com o cliente que tem como finalidade desenvolver uma relação de proximidade, sempre com o ideal de criar uma fidelidade do consumidor para a marca ou empresa. 

 

Para que seja desenvolvido esse relacionamento, a empresa deve visar a proximidade primeiramente com clientes que estão constantemente optando por serviços e produtos da marca, basicamente como um “fã” da empresa. 

 

Com esse mínimo de conexão, já há uma base para então criar estratégias para despertar esse sentimento de união, e desde a primeira compra, o atendimento deve ser realizado de maneira a conquistar e sensibilizar o cliente. 

 

O contato pode ser feito principalmente através de redes sociais e mídias virtuais no geral, pois atualmente, é o método mais acessível e eficaz para criar uma interação com o público. Conheça o tutorial de como colocar mensagem automática no whatsapp.

 

Qual a vantagem em aplicar o Marketing de Relacionamento? 

A principal vantagem desse método é criar uma fidelidade com os clientes, ou seja, através do marketing de relacionamento, a proximidade é desenvolvida e a conexão cria “defensores” para a sua marca. 

 

Esses defensores serão os clientes fiéis que terão como prioridade no momento de escolha de compra e obtenção, a sua marca, e consequentemente, irão propagar todos os benefícios e vantagens que sua empresa possui para outros clientes. É uma defesa “gratuita”, de aumentar o alcance e a popularidade da sua empresa. 

 

Como implementar o Marketing de Resultado? 

Como já foi dito anteriormente, a implementação começa pela obtenção de dados, através dos dados demográficos e históricos, pois com o acesso à informação, a métrica para desenvolver uma estratégia pode ser realizada.

 

Saber exatamente o que o consumidor costuma procurar, comprar, quando compra, a maneira de pagamento, o intervalo de compra, e demais dados (principalmente quando o mesmo retorna para outra compra) são fatores essenciais para garantir a aproximação certeira. 

 

A partir daí, preparar a estratégia exata para aquele consumidor, de forma personalizada. Algumas dicas básicas de como desenvolver essa estratégia é:

 

  • iniciar por um email personalizado, enfatizando a gratidão pela compra, e sucessivamente;
  • aproveitar eventos como aniversário, datas comemorativas, feriados;
  • desenvolver cupons de desconto após uma compra de muita procura, bônus, brinde;
  • oferecer conteúdos que transmitem sentimentos como a construção e da marca se dá graças a ação daquele cliente e como ele é importante para a marca, entre outros. 

 

É interessante também trabalhar questionários de satisfação e sempre ressaltar como a opinião e papel daquele cliente é relevante. 

 

Como implementar o Marketing de Relacionamento com eventos da atualidade? 

A aplicação de eventos da atualidade em estratégias de Marketing de Relacionamento, é um método de criar uma relação empática e de proximidade com os clientes. Com isso, os clientes sentem que a marca possui uma sensibilidade e empatia com os acontecimentos, e que estarão lá para oferecer apoio. 

 

Um desses “eventos” da atualidade, podem incluir qualquer tipo de acontecimento, desde positivos até uma pandemia. Aproximadamente desde o mês de dezembro de 2019 (mas já conhecido desde meados dos anos 60), o Coronavírus (COVID-19), um vírus que causa infecções respiratórias, foi descoberto na cidade de Wuhan, capital da província de Hubei, na China continental. 

 

E desde os primeiros casos, a contaminação, que é feita através de mínimo contato humano (através de saliva, secreção, entre outros), tornou-se incontrolável para a população. 

 

O mundo, com as constantes movimentações das pessoas, sofreu com a fácil propagação da doença, países como China, Itália, Espanha, Estados 

Unidos, e atualmente também o Brasil, sofrem com casos de contaminação e 

mortes descontroladas espalhadas pelo país. 

 

Métodos rígidos de prevenção foram implantados para o controle de transmissão, como o de “abandonar” as ruas, aglomerações, espaços fechados, para se “fechar” em casa. Empresas de serviços secundários aplicaram o método de trabalho “Home Office” para evitar contato entre os funcionários e consequentemente, a propagação. 

 

Mas, qual a relação do Marketing de Relacionamento com a pandemia Coronavírus? É simples, o momento é de muita fragilidade, vulnerabilidade e as  pessoas estão desesperadas com a preocupação do próprio contágio e ansiosas de como serão as próximas semanas e até meses, então, é um momento de que qualquer orientação, apoio e até distrações podem ser úteis e vistas como um auxílio. 

 

É nesse momento que as empresas devem agir e criar conteúdos voltados para essa população que sofre “presa” em casa, ou mesmo vulneráveis à doença. Demonstrar atenção, dicas, orientações, mostrar o lado “humano” e até dispensar seus funcionários como prevenção. 

 

Muitas marcas e empresas estão desenvolvendo conteúdos para distrações, ou mesmo aplicando descontos em filmes, livros, jogos, plataformas digitais, e demais meios de lazer. As redes sociais são aliadas das empresas e dos clientes, pois é um canal de comunicação que conecta e principalmente, é acessível nesse momento de crise. 

 

As empresas devem se posicionar como um apoio às pessoas, tranquilizando nesse momento e garantindo assistência emocional e financeira (com descontos, boletos adiados, promoções, entre outros). Caso você tenha dificuldade, procure uma agência de publicidade para te ajudar a inovar no que você precisar para atingir seu público.

 

Demonstrando que as empresas possuem empatia e são humanizadas, que seus clientes são partes fundamentais da empresa e devem ser respeitados, apoiados, e cuidados nesse momento de crise. Não é uma maneira de se aproveitar, mas sim de demonstrar empatia, mesmo que de uma empresa aos seus consumidores. 

Comentar
Veja o que a internet oferece: · 05/01/2021 - 17h39 | Última atualização em 11/01/2021 - 10h16

5 recursos digitais que fazem a diferença no gerenciamento da sua marca


Compartilhar Tweet 1



Todo empreendedor, seja qual for a área de atuação, precisa de ferramentas que o ajudem a ter mais agilidade e eficiência nas tarefas do dia a dia.

 

Com o avanço da tecnologia e o surgimento de novos softwares ou aplicativos, não dá para deixar de fora alguns recursos digitais que podem ser essenciais para agilizar processos e/ou minimizar dores de cabeça.

 

Neste artigo você vai conferir cinco recursos digitais que podem ser interessantes, se bem aplicados, no seu dia a dia  de trabalho, ajudando a melhorar o gerenciamento da sua marca em qualquer área de atuação.

 

Editores de documento online

 

Os editores de documentos online são uma das ferramentas mais interessantes da atualidade. Produzir conteúdo e poder compartilhá-lo em segundos é uma das vantagens dessa ferramenta, além da possibilidade de ter o documento salvo na nuvem, sem chances para versões desatualizadas.

 

Várias empresas de tecnologia disponibilizam editores de documentos online atualmente, mas as principais são as grandes Google e Microsoft, que são responsáveis pelo Google docs e OneDrive respectivamente.

 

Tanto no Google Docs quanto no One Drive é possível criar documentos de texto, planilhas, apresentações e outros tipos de arquivos sem precisar baixar nenhum programa para o computador, ou seja, tudo online.  

 

O mais interessante dos editores de documento online é a possibilidade de criar um link que pode ser compartilhado em várias redes como WhatsApp, e-mail, Instagram, Facebook e outros.

 

Se você precisa dar agilidade aos seus processos, deixe de lado os editores offline e passe a usar ferramentas na nuvem, que salvam as alterações em tempo real, basta que você tenha acesso a uma internet para tal. 

 

Quando você cria o documento, por exemplo, mesmo que coloque apenas o título do mesmo, já é possível acessá-lo depois, na sua conta. É ou não uma vantagem para quem precisa de eficiência e praticidade? 

 

Plataformas para aumentar a produtividade

 

As plataformas que auxiliam a produtividade são muito importantes para qualquer empreendedor ou profissional. Com tais ferramentas você consegue gerenciar as suas atividades do dia a dia tanto de trabalho, quanto pessoais e pode dar mais atenção a outras tarefas que estejam atrasadas, por exemplo.

 

Existem inúmeras ferramentas online de produtividade, por isso, é importante escolher aquela que seja interessante ao seu perfil e as suas necessidades.

 

Se você tem dificuldades em organizar os processos de uma tarefa ou tem problemas com prazos, porque não as organiza como deveria, pode começar utilizando em plataformas que fazem uso dos quadros digitais para organizar atividades a serem feitas.

 

E se o seu problema é gerenciar equipe, por exemplo, utilizando essas ferramentas definitivamente, você terá um grande aliado. Tais plataformas contam com recursos interessantes para compartilhar e gerenciar equipes de maneira eficiente.

 

Assinar e enviar documentos eletronicamente

A dinâmica de assinar um documento, enviar para o departamento responsável, reconhecer em cartório, enfim, demanda tempo e a disponibilidade de diversas pessoas.

 

Já pensou que pode resolver tudo isso implementando os documentos eletrônicos. Sim, atualmente, com as possibilidades que só a tecnologia e a internet oferecem, é possível assinar documentos e manter o sigilo dos mesmos sem todo este desgaste.

 

Contratos, procurações, propostas, processos judiciais, laudos, recibos e muitos outros tipos de documentos podem ser assinados de forma digital e enviados eletronicamente para as partes interessadas.

 

Você pode utilizar ferramentas online que contam com o recurso de inserir assinatura eletrônica para conseguir que seus colegas, clientes e funcionários tenham acesso ao documento.
 

Estamos lidando com muitos documentos no dia a dia de trabalho, e os documentos eletrônicos substituíram os de papel hoje. Mas quando estamos enviando documentos para nossos clientes, podemos destacar nossa marca adicionando marca d'água neles.

 

Por exemplo, você pode adicionar marca d'água a arquivos PDF com o logotipo da sua marca ou texto usando a ferramenta EasePDF Add Watermark to PDF.

 

Primeiro, você seleciona o arquivo PDF ao qual deseja adicionar a marca d'água e, em seguida, adiciona textos ou imagens. Em seguida, personalize o tamanho, cor, orientação e transparência dos textos ou imagens. Quando tudo estiver certo, clique no botão "Salvar PDF" e o servidor criará o novo PDF para você.

 

Smartphone como ferramenta de trabalho

Se você ainda não usa o seu smartphone como um recurso para o trabalho, você está perdendo tempo. Com tantos aplicativos disponíveis, tanto para plataformas Android quanto iOS, os dispositivos móveis são uma verdadeira rede de possibilidades.

 

Com o seu smartphone você pode colocar em prática todas as dicas anteriores e muito mais. Basta que você saiba quais os aplicativos que irão facilitar o seu negócio.

 

Aplicativos de gestão financeira

É claro que este recurso não poderia faltar. Tanto em versões para dispositivos móveis quanto para computador, existem aplicativos e sites que disponibilizam mecanismos para ajudar qualquer pessoa (mesmo que não seja empreendedora) a ter uma gestão financeira.

 

Utilizar tal ferramenta é uma forma de se organizar e manter as informações do seu negócio sempre atualizadas, sabendo quais são os lucros, os gastos e outros detalhes importantes.

 

Todos os recursos informados acima são totalmente digitais e podem ser aplicados por qualquer profissional que queira otimizar e melhorar a produtividade e eficiência.

Comentar