Alavanque seu escritório! · 04/12/2020 - 08h51 | Última atualização em 04/12/2020 - 09h19

5 formas de fazer marketing jurídico de forma eficiente


Compartilhar Tweet 1



Todo escritório de advocacia, seja qual for a sua especialização, precisa aprender a trabalhar com o marketing jurídico. Afinal, o mercado está muito concorrido e pode ficar ainda mais nos próximos tempos, o que faz com que seja necessário aprender a atrair clientes de maneira ética, mas também eficaz e constante para garantir um bom fluxo de rendimento.

Atualmente, o Brasil já tem uma taxa enorme de advogados operando no país (um número proporcionalmente maior do que nos EUA, por exemplo). Com a taxa de aprovação da OAB, é possível que esse número aumente bastante nos próximos anos, o que deve fazer crescer ainda mais a prioridade por saber como trabalhar o marketing jurídico. Afinal, mais concorrentes no mercado significa que é preciso ser mais eficiente na hora de se comunicar com o público.

Quer aprender como fazer marketing jurídico de forma eficiente? Então siga a leitura do artigo abaixo!

 

1. Vencer casos é a melhor forma de marketing jurídico

Um advogado não é permitido, pelo Código de Ética da OAB, de divulgar suas vitórias e a quantidade de casos que já ganhou. Afinal, isso dá a entender que o advogado pode prometer algum tipo de resultado, algo que não cabe a ele fazer.

No entanto, nada impede que um cliente satisfeito possa mencionar que o seu escritório fez um bom trabalho para outro cliente. No entanto, isso só acontece quando você vence casos e quando realiza um bom trabalho.

Portanto, a base da sua estratégia de marketing jurídico deve ser os seus resultados, sempre. Em segundo lugar, vêm as estratégias diferentes que mencionaremos a seguir. No entanto, elas não importam se o seu trabalho não for de alta qualidade.

Uma maneira de ganhar mais competitividade e melhorar as chances de sucesso nos seus casos é ao usar um software jurídico para isso. Muitos deles ajudam a conduzir melhor casos e aumentam a porcentagem de vitórias.

2. Respeite as normas do Código de Ética da OAB

Como mencionamos acima, existem certas ações que são proibidas de acordo com o Código de Ética da OAB. Prometer um resultado, por exemplo, é uma delas. Por isso, é importante que você entenda bem quais são os limites do marketing jurídico para poder segui-los.

Isso é importante não só para evitar punições, mas também para que a sua carreira seja pautada em princípios éticos profundos. Isso dará uma base mais sólida para o restante das suas ações. Por exemplo, caso você contrate uma agência de marketing, poderá orientá-los sobre o que pode ou não ser feito.

3. Produza Marketing de Conteúdo

O Marketing de Conteúdo é uma das formas de marketing jurídico mais bem sucedidas. Isso porque todo cliente de um escritório de advocacia tem dúvidas sobre algum problema jurídico específico.

Por isso, é possível atrair dezenas de milhares de potenciais clientes todos os meses para o seu negócio e, depois, construir autoridade perante eles.

4. Tenha uma presença ética nas redes sociais

É importante que o seu escritório tenha presença nas redes sociais. No entanto, é importante que seja um posicionamento ético, que gere engajamento, mas sem ferir os princípios básicos do Direito.

Por exemplo, é permitido impulsionar posts e fazer anúncios por lá. No entanto, não é permitido participar em atividade polêmica e controversa fora dos exercícios da sua função.

5. Explore as possibilidades próprias de cada segmento do Direito

Existem muitas áreas diferentes do Direito e cada uma delas tem suas próprias possibilidades de marketing. Por exemplo, quem trabalha na área empresarial pode sempre participar de feiras e eventos com empresários.

Por isso, veja quais são as possibilidades únicas que a sua especialização abre para poder explorá-las de forma a tornar o seu escritório mais conhecido.

Agora que você já viu 5 boas dicas para fazer marketing jurídico, é importante que você sempre se mantenha atento ao Código de Ética da OAB. Isso não é vital apenas porque você se arrisca a tomar uma punição caso não o respeite, mas porque a ética é um ponto central da prática do Direito. Portanto, tenha esse valor como seu guia e você sempre terá sucesso na sua área.

Gostou das nossas dicas? Então diga abaixo qual delas você colocará em prática primeiro!

 

 

Comentar
Saiba como bombar nas buscas · 01/12/2020 - 14h45

Colocar um site em primeira página dos motores de busca: dicas


Compartilhar Tweet 1



Como colocar um site na primeira página do Google? Sem dúvida alguma, a resposta para essa pergunta pode valer milhares ou até mesmo milhões de reais.

Por mais incrível que possa parecer a afirmação anterior não é uma simples brincadeira. Colocar um site na primeira página do Google pode gerar sim, muito dinheiro. É exatamente por isso, que todos os dias analistas e especialistas em SEO se desdobram para melhorar o posicionamento de sites na internet.

Se você ainda não se do quanto é valiosa a conquista da primeira página do Google, faça uma auto reflexão: Em suas pesquisas, você costuma acessar os resultados que aparecem na primeira página do Google ou os resultados das demais páginas?

Provavelmente você respondeu que sempre ou na maioria dos casos, acessa os primeiros resultados apresentados, e quanto a isso não há nenhuma novidade, afinal é o que a grande maioria das pessoas fazem.

 

Por que buscar resultados na 2ª ou 3ª página, por exemplo, se posso encontrar o que eu preciso na primeira?

Agora, considere o quanto pode fazer diferença para uma empresa ou um e-commerce o destaque na primeira página do Google?

 

Por que a primeira página do Google é muito disputada?

Você já imaginou o quanto uma empresa que vende smartphones, por exemplo, consegue faturar ficando posicionada dente os primeiros resultados para pesquisas do tipo:

 

Onde comprar celular barato na internet

Comprar celular barato

Melhores smartphones para comprar

 

O número de acessos em sites posicionados na primeira página do Google é significativamente superior ao de um site não posicionado nos primeiros resultados. 

Logo, o faturamento do site que aparece na primeira página do Google também é significativamente superior ao de outros sites que tratam do mesmo assunto ou que vendem o mesmo produto, mas que por falta de planejamento e uso das técnicas adequadas, acabam não posicionando no Google.

Bom, acreditamos que você não tenha dúvidas quanto a importância de aparecer na primeira página do Google, não é mesmo? Então, vamos a algumas dicas importantes que separamos para você!

 

Dicas para colocar seu site na primeira página do Google?

Neste tópico, vamos listar algumas dicas importantes que podem contribuir e muito para melhorar o posicionamento e a autoridade do seu site no Google.

No entanto, vale destacar, que separamos aqui apenas algumas dicas, dentre os mais de 200 fatores de ranqueamento utilizados pelo Google como critério para posicionar um site nos seus resultados de pesquisa.

Por isso, por mais que você aplique as técnicas que comentaremos abaixo, é muito interessante e recomendado que o seu site conte com uma agência ou um especialista em SEO.

Os especialistas em SEO, guardam a 7 chaves, os mais importantes segredos para colocar um site na primeira página do Google!

 

1.Saiba como trabalhar corretamente as palavras-chave

Sem dúvida alguma, podemos dizer que em uma boa estratégia de SEO, as palavras-chave, são consideradas fundamentais.

Quando bem trabalhadas e planejadas as palavras-chaves podem contribuir e muito para que um site apareça na primeira página do Google.

Se você ainda não conhece ou não sabe muito bem o que são palavras-chaves, responda a seguinte pergunta: Qual foi o termo pesquisado por você para chegar até este conteúdo?

Talvez, você tenha pesquisado por: “colocar meu site na primeira página do Google” e acabou caindo nesse conteúdo, por sorte ou coincidência?

Não, você não chegou a esse conteúdo por sorte ou coincidência, mas sim, porque ele está repleto de palavras-chave e termos relacionados com a sua pesquisa.

Portanto, a nossa primeira dica é essa, se você quer mesmo que o seu site apareça na primeira página do Google, utilize palavras-chaves relacionadas ao seu negócio e principalmente as pesquisas dos usuários que procuram os seus produtos ou serviços.

 

2.Seja relevante e entregue bons conteúdos

Se você pensou que apenas por trabalhar boas palavras-chaves o seu site apareceria na primeira página do Google, infelizmente você se enganou.

O Google procura oferecer aos seus usuários conteúdos e resultados que sejam realmente relevantes para aquilo que as pessoas procuram.

Por isso, além de estruturar conteúdos com boas palavras-chaves, você precisa garantir que os conteúdos do seu site sejam realmente bons, prendam à atenção dos leitores e entreguem algum tipo de valor.

 

 3. Ofereça conteúdos originais

Se tem uma coisa que o Google odeia são as cópias e os conteúdos piratas. 

O Google não promove o plágio de conteúdos, e por isso, além de não posicionar sites que copiam conteúdos, o Google ainda pune esses sites, reduzindo ainda mais o seu posicionamento e número de visitas.

O que o Google procura é originalidade, portanto, seja original, ofereça aos leitores do seu site, conteúdos relevantes e totalmente originais e alcance patamares cada vez mais altos no Google.

 

4.Estruture os textos do seu site adequadamente

Para que as pessoas tenham interesse em visitar e permanecer no seu site pelo maior tempo possível, é muito importante que os conteúdos apresentados estejam bem estruturados.

Conteúdos bem estruturados prendem a atenção do leitor, são mais interativos e facilitam a leitura.

Sendo assim, ao desenvolver conteúdos visando o posicionamento do seu site, aposte no uso dos seguintes itens:

 

  • Bullet Points
  • Parágrafos Curtos
  • Títulos e Subtítulos
  • Imagens
  • Vídeos
  • Gifs
  • Entre outros elementos

 

A boa organização e estruturação do texto, conta muito para a atração de novos leitores e também para melhorar o posicionamento no Google.

 

5.Tenha um site leve e responsivo

Por fim, separamos uma dica que pode fazer muita diferença para melhorar o posicionamento do seu site. 

O Google e nós usuários da internet não gostamos nem um pouco de sites lentos e “pesados”, por isso, recomendamos que você tome todos os cuidados necessários para garantir que o seu site seja rápido e leve o bastante.

Além disso, também é importante destacar, que o seu site deve ser responsivo. O que significa isso?

Um site responsivo é aquele que apresenta boa navegabilidade e apresentação em diferentes dispositivos, como computadores, tablets e smartphones.

Gostou das dicas que encontrou por aqui? Então, não deixe de compartilhar esse conteúdo!


Deseja aprender mais sobre SEO e colocar o seu site na primeira página do Google? Encontre uma Agência de SEO ou um especialista em SEO.

Comentar
Sabe usar o cartão de crédito? · 30/11/2020 - 19h40

O empreededor e o uso dos cartões de crédito de forma correta


Compartilhar Tweet 1





Mesmo que não haja dinheiro na sua carteira, ainda pode gastar dinheiro que talvez ainda nem sequer tenha ganhado. Os cartões de crédito acrescentaram poder à sua carteira, mas também perigo. Utilizar os seus cartões sabiamente pode significar a diferença entre o sucesso e o fracasso. Continue a ler as estratégias que o ajudarão a usar os seus cartões sabiamente.

Sempre que possível, pague o saldo do seu cartão de crédito todos os meses. Num mundo perfeito, não deve transportar um saldo no seu cartão de crédito, utilizando-o apenas para compras que serão pagas mensalmente na sua totalidade. A utilização do crédito disponível ajuda a construir a sua pontuação de crédito, mas evitará encargos financeiros, pagando o saldo todos os meses.

Faça o pagamento mínimo mensal em todos os seus cartões de crédito em último caso. Não fazer o pagamento mínimo a tempo pode custar-lhe muito dinheiro ao longo do tempo. Pode também causar danos à sua classificação de crédito. Para proteger tanto as suas despesas, como a sua classificação de crédito, certifique-se de fazer o pagamento mínimo a tempo todos os meses.

Uma excelente forma de manter os pagamentos com cartão de crédito rotativo manejáveis é fazer as compras com as taxas mais vantajosas. Ao procurar ofertas com juros baixos para novos cartões ou negociar taxas mais baixas com os seus atuais fornecedores de cartões, tem a capacidade de realizar poupanças substanciais, todos os anos.

Estabeleça um orçamento realista, para que seja capaz de se manter fiel a ele. Não precisa maximizar o seu cartão de crédito só porque pode. Pode minimizar o custo da utilização de um cartão de crédito se ativer a um orçamento que lhe permita pagar o seu saldo na totalidade todos os meses.

Pense sensatamente sobre a forma como utiliza os seus cartões de crédito. Assegure-se de que limita os gastos com cartões de crédito e quando faz compras tem um objetivo para pagá-los. Antes de escolher um cartão de crédito para comprar algo, assegure-se de pagar essa despesa quando receber o seu extracto. Quando mantém um saldo contínuo, torna-se demasiado fácil incorrer num montante de dívida cada vez maior que pode ser impossível de pagar.

Só aceite adiantamentos em dinheiro do seu cartão de crédito quando for absolutamente necessário. Os encargos financeiros dos adiantamentos em dinheiro são muito elevados, e muito difíceis de pagar. Utilize-os apenas para situações em que não tenha outra opção. Mas devem sentir-se verdadeiramente capaz de efetuar pagamentos consideráveis no seu cartão de crédito, pouco tempo depois.

Se tiver problemas em obter um cartão de crédito, considere uma conta segura. Um cartão de crédito seguro exigirá que abra uma conta poupança antes da emissão de um cartão. Se alguma vez falhar um pagamento, o dinheiro dessa conta será utilizado para pagar o cartão e quaisquer taxas de atraso. Esta é uma boa maneira de começar a estabelecer crédito, para que tenha oportunidades de obter melhores cartões no futuro.

Muitas empresas anunciam que é possível transferir saldos para elas e transportar uma taxa de juros mais baixa. Isto parece apelativo, mas é preciso considerar cuidadosamente as suas opções. Pense sobre isso. Se uma empresa consolidar uma quantia mais elevada num cartão e depois à taxa de juro aumentar, vai ter dificuldades em fazer esse pagamento. Conheça todos os termos e condições, e tenha cuidado.

Assegurem-se de guardar as suas declarações. Antes de arquivá-las, preste também muita atenção ao que está nelas. Se vir uma taxa que não deveria estar aí, conteste a taxa. Todas as empresas de cartões de crédito têm procedimentos de disputa em vigor para ajudá-lo com as cobranças fraudulentas que possam ocorrer.

Em especial no Brasil, art. 49 do Código de Defesa do Consumidor dispõe que, quando o contrato de consumo for concluído fora do estabelecimento comercial, o consumidor tem o direito de desistir do negócio em sete dias para cancelar qualquer compra evitando assim um nome negativado indevidamente.

Pergunte à empresa de cartões de crédito se consideram baixar a sua taxa de juro. Algumas empresas irão diminuir o montante dos juros que cobram aos seus clientes se estas pessoas mantiverem uma boa relação com eles durante um longo período de tempo. É livre de perguntar e pode poupar-lhe muito dinheiro.

Quando receber um cartão de crédito de substituição no correio, corte o seu antigo, e jogue-o fora imediatamente. Isto pode evitar que o seu antigo cartão se perca, ou seja, roubado, permitindo a outra pessoa obter o número do seu cartão de crédito, e utilizá-lo de forma fraudulenta.

Tire partido das características de segurança que a sua empresa de cartões de crédito pode oferecer. Estas podem incluir coisas como adicionar a sua fotografia ao seu cartão de crédito. Este é um passo adicional que os comerciantes podem utilizar para verificar se você é a pessoa que utiliza o cartão, permitindo-lhes ajudar a manter o seu cartão a salvo de actividades criminosas.

Os cartões de crédito permitem-lhe gastar o dinheiro de outra pessoa, na condição de estar a pagá-lo de volta a partir de dentro de algumas semanas. As taxas de juro podem arruinar o seu futuro, ou os pontos de recompensa podem alegrar os seus próximos meses. Para cair no lado dessa divisão que deseja, aplique o que aprendeu neste artigo.

Comentar
Mais dicas sobre usar Whatsapp · 30/11/2020 - 15h34

Qual a importância do Whatsapp Business para empresas


Compartilhar Tweet 1



O Whatsapp Business já é utilizado por muitas empresas, que perceberam como essa ferramenta é essencial para um mercado tão competitivo.

Apesar disso, infelizmente, ainda existem diversas outras empresas que não a utilizam, o que faz com que elas fiquem para trás de seus concorrentes.

Isso acontece porque nessas organizações não é conhecida a importância do Whatsapp Business, então nosso objetivo é, justamente, mostrar o porquê de essa ferramenta ser tão essencial.

Quer saber mais sobre esse assunto? Então não deixe de acompanhar esse texto até o final.

Vamos lá!

 

O que é o Whatsapp Business?

O Whatsapp Business trata-se de um aplicativo que foi criado pensando nos empreendedores, de modo a facilitar a interação das empresas com os clientes, além de fornecer ferramentas que automatizam diversos processos.

Por meio dele, é possível classificar as mensagens dos clientes e respondê-las de maneira rápida, aumentando as probabilidades e conversões.

De forma geral, esse aplicativo para empresas possui as mesmas funcionalidades, os mesmos recursos e o mesmo apelo visual que o Whatsapp Messenger.

Isso significa que é possível usá-lo para enviar mensagens, sejam elas de texto, fotos ou vídeos, por exemplo.

Alguns dos recursos exclusivos existentes no Whatsapp Business são:

 

Perfil comercial, que permite que você possa exibir informações importantes sobre a sua empresa, tais como e-mail, endereço e site oficial

 

Ferramentas de mensagens que permitem que você possa responder de forma rápida os seus clientes

 

Estatísticas a respeito do funcionamento da ferramenta, mostrando quantas mensagens a empresa enviou, quantas foram entregues e quantas foram lidas

 

A importância do Whatsapp Business para empresas

Sem nenhuma dúvida, um dos fatores que fazem com que o Whatsapp Business seja mais importante para as empresas, de qualquer porte, é a possibilidade de uma excelente comunicação com leads e clientes.

Como é um canal de comunicação que todas as pessoas utilizam no seu dia a dia, quase que 24 horas diariamente, então ela é uma excelente forma de manter um relacionamento com as pessoas.

Essa ferramenta também possui um foco maior para que as empresas possam estar trabalhando diretamente com vendas, aumentando assim as conversões.

Hoje, o Whatsapp Business é um dos canais mais importantes para segmentar os clientes através de uma comunicação eficaz que vai desde o primeiro contato com uma pessoa até o fechamento da venda.

 

 

Vantagens do Whatsapp Business para as empresas

Para deixar ainda mais claro como essa ferramenta é essencial para qualquer empresa, trouxemos aqui algumas das principais vantagens que ela proporciona.

Como você verá, usar essa ferramenta no dia a dia do seu negócio pode ajudar a melhorar muito os resultados, seja em termos de comunicação com os clientes ou de conversão de vendas.

 

 

Permite que se verifique métricas

Toda empresa que deseja saber se alguma estratégia está dando certo precisa verificar constantemente as métricas e as estatísticas de resultados obtidos.

Por isso é que o Whatsapp Business é tão essencial, pois ele permite que a sua empresa tenha em mãos essas métricas e estatísticas, de modo que você possa mensurar como está se saindo com o uso delas.

Existe uma área própria no aplicativo para que você possa realizar esse tipo de consulta, podendo ela ser acessada pela aba “Configurações”, depois em “Configurações da Empresa” e por fim em “Estatísticas”.

Nessa área, você poderá ter acesso a diversas informações, tais como quantas mensagens foram enviadas e recebidas pela sua conta, se elas foram entregues aos destinatários e se elas foram realmente lidas.

 

 

Envio de mensagens automáticas

Toda empresa deverá estabelecer um horário em que irá realizar o atendimento aos clientes por meio dessa ferramenta, o que deixa mais claro para o consumidor qual período de funcionamento via Whatsapp Business.

Com nem todo cliente poderá ter tempo de resolver questões dentro desse período de tempo de atendimento, não é certo que você os deixe sem receber nenhuma resposta no período em que não está funcionando na ferramenta.

Por isso mesmo é que essa ferramenta permite que você possa programar o envio de mensagens automáticas, que serão recebidas pelos seus clientes quando eles entrarem em contato com a sua empresa fora do horário de atendimento.

Para criar essas mensagens automáticas, você tem a opção de escolher entre: respostas rápidas, mensagem de ausência e mensagem de saudação.

Assim, o cliente poderá saber que naquele momento ele não poderá ser atendido pela sua empresa, mas que em breve alguém entrará em contato com ele.

 

 

Opção de etiquetar os clientes

Uma última entre as principais vantagens do Whatsapp Business é a possibilidade de se etiquetar os seus contatos.

Dessa forma, sua empresa poderá etiquetar os contatos que ela possui de acordo com o status de venda de cada um dos potenciais clientes ou dos clientes fixos.

Isso irá permitir que nenhuma etapa venha a atrasar ou se perder durante o processo de vendas, o que pode ser um grande problema para seu negócio.

Você pode utilizar as etiquetas que possuem esses nomes: novo cliente, novo pedido, pagamento pendente, pago e pedido finalizado.

Caso seja necessário utilizar novas denominações, então elas podem ser criadas de acordo com o procedimento interno do seu negócio.

O fato é que etiquetar clientes ajuda muito a tornar todo o processo de venda bem mais simples e aumentar as chances de conversões.

 

 

Conclusão

Como você viu, o Whatsapp Business é um aplicativo criado com o intuito de ajudar as empresas na comunicação com seus clientes, conseguindo assim aumentar a quantidade de vendas de forma mais assertiva.

Neste texto, mostramos a você qual é a importância dessa ferramenta para qualquer empresa, de modo que o seu negócio não pode mais ficar sem utilizá-la.

Além disso, ainda mostramos aqui algumas das principais vantagens de usar esse aplicativo, conseguindo melhores resultados para sua empresa.

Gostou do artigo de hoje sobre qual é a importância do Whatsapp Business para empresas?

Se você ficou com alguma dúvida sobre esse assunto, escreva-a abaixo nos comentários para que eu possa ajudá-lo.

Para mais detalhes, conheça nosso site parceiro: o Wats GP!

Comentar
Noções sobre proc. internos: · 30/11/2020 - 08h30

Otimização de processos internos: dicas para implementação


Compartilhar Tweet 1



Os processos internos de uma empresa, independentemente do ramo de atuação dela, correspondem à sequência de atividades diárias que são necessárias para que um objetivo final pré-determinado seja alcançado.

É por isso que eles são essenciais para as empresas. Contudo, não basta que eles sejam traçados, é necessário também que novas alternativas e formas de otimizar os procedimentos estejam sempre sendo buscadas.

Para saber como é possível melhorar os processos da sua empresa e transformá-los em algo ainda mais produtivo e lucrativo continue lendo e confira dicas preciosas.

 

Processos internos: Como é possível otimizá-los?

Esses processos correspondem às atividades seqüenciais que são necessárias para que se chegue a um objetivo comum. Ou seja, são tipos de passo a passo em que uma ação está interligada à próxima e todas elas são indispensáveis para o resultado final.

Aliás, considere que esses processos não são limitados a um setor ou a uma atividade específica. Eles abarcam todos os setores e todas as ações realizadas dentro da empresa, embora umas se relacionem mais do que as outras.

E como é possível otimizar esses processos internos? Para isso é preciso, primeiramente, conhecê-los. Em outras palavras é crucial que você saiba quais são eles, o que cada um objetiva e como são compostos.

Ainda, é indispensável que você tenha noção de como esses processos são realizados e quem é responsável por realizar cada uma das suas fases. Portanto, é exigido um grande conhecimento sobre o que ocorre dentro da empresa.

Somente assim é possível melhorar esses processos. Assim, não deixe de estudá-los e conhecê-los. Após, então, torna-se plausível a busca de soluções e a prática de estratégias voltadas à otimização desses procedimentos.

Seja para o sistema de gestão de pedidos ou mesmo para atividades que somente têm influência interna, não deixe de focar sempre na melhoria de cada uma das ações.

Conheça as principais delas abaixo e garanta a melhoria das ações e dos resultados empresariais.

Integre os setores da sua empresa

Em primeiro lugar, uma das melhores formas de otimizar processos internos em qualquer tipo de atividade financeira é a partir da integração dos setores empresariais.

A empresa, portanto, deve ser vista como um organismo único cujo funcionamento só se torna possível se todos os departamentos que a integram trabalharem em sistemas de cooperação e seguindo as mesmas diretrizes.

Considere que os setores sempre estão relacionados. No caso de distribuição de produtos, por exemplo, é essencial que as equipes de produção (ou compra) estejam em sintonia com a de vendas e entregas.

Somente assim é possível garantir que haverá estoque para suprir as vendas realizadas e que os prazos de entrega serão cumpridos. Dessa maneira, considere sempre a empresa como um todo.

Incentive a comunicação interna nos processos internos

Em segundo lugar, é impossível otimizar as atividades e os procedimentos internos de uma empresa caso a comunicação não esteja em prática.

Considerando-se o item anterior e o exemplo nele utilizado, tem-se que se os setores e departamentos não se comunicarem os trabalhos tendem a ficar desorganizados e diminuem as chances de sucesso nos objetivos.

Portanto, disponibilize meios de comunicação imediata dentro da empresa e não se esqueça de considerar eventuais filiais. Para a melhoria dos processos internos, ainda, busque integrar colaboradores para que o diálogo seja ainda mais efetivo.

Engaje os colaboradores de todas as equipes

A terceira dica de como otimizar os processos internos da sua empresa diz respeito ao engajamento dos colaboradores. Isso está relacionado ao sentimento que ele nutre pela organização empresarial e à vontade de estar ali e acrescentar para as atividades.

Quando um colaborador está engajado ele tende a apresentar idéias para melhorias de procedimentos e atividades. Ao mesmo tempo, busca as melhores formas de colocar as ações em prática e se torna mais responsável.

Portanto, os processos internos e a melhoria deles são indissociáveis do engajamento. Lembre-se, aliás, de que ele só é possível quando a empresa também apresenta condições melhores de trabalho e contrapartidas (também financeiras) que beneficiem o trabalhador.

Adote ferramentas tecnológicas de automatização de atividades

Finalmente, não deixe de adotar ferramentas tecnológicas que podem automatizar algumas atividades, melhorar rotinas e aumentar a produtividade da empresa.

Essas ferramentas podem ser utilizadas, por exemplo, por sistema para distribuidora de produtos em que os pedidos são selecionados e diretamente informados aos responsáveis pelo envio. 

Nessa mesma hipótese, a empresa pode (e deve!) se valer de sistemas de atendimento automático com bots (robôs) que são capazes de tirar as dúvidas mais comuns dos clientes e também direcioná-los com respostas padrões pré-definidas.

Deve-se ter em mente que todos os processos internos comportam a digitalização e automatização de ao menos parte delas. A organização de dados, sua distribuição, proteção e armazenamento, por exemplo, está inclusa nesse quesito.

Com essas dicas é possível melhorar os processos internos da empresa e levá-la rumo ao crescimento e sucesso!

Comentar
Invista na genética: tendência · 25/11/2020 - 11h39

Teste de ancestralidade no Brasil: Conheça o mercado


Compartilhar Tweet 1



O teste de ancestralidade no Brasil tem atraído cada vez mais pessoas interessadas em obter maiores conhecimentos sobre suas origens. Contudo, vale a pena investir neste setor? Será que é rentável?

Para responder essas perguntas com propriedade continue lendo e confira todas as informações sobre o teste e sua aplicação.

Teste de ancestralidade no Brasil: O que promete?

 

O teste de ancestralidade nada mais é que uma forma de mapeamento genético de um indivíduo. Ou seja, ele faz analises dos genes de um indivíduo de forma a captar algumas informações que ali estão guardadas.

Aqui cabe ressalvar que esse teste de ancestralidade não é tão completo quanto o mapeamento genético completo. Isso, pois, o primeiro analisa cerca de 700 mil genes, o que corresponde apenas a 0,01% do segundo.

Ao mesmo tempo é isso que permite que o teste de ancestralidade no Brasil e em outros países seja barateado. O mapeamento completo é muito mais caro e complexo.

Entretanto, são várias as informações que podem ser obtidas a partir de um teste de ancestralidade. As principais e mais conhecidas delas são relacionadas aos ancestrais do indivíduo e isso justifica o nome da testagem.

Com base em dados genéticos é possível, então, realizar uma leitura sobre as origens do indivíduo. E isso pode ser muito mais interessante do que parece.

O teste de ancestralidade no Brasil é capaz de indicar as porcentagens de origens de uma pessoa. Mas o que isso significa? A partir dele é possível, por exemplo, dizer qual a proporção de origens dele. Por exemplo, 80% africano, 10% europeu e 10% latino-americano.

Aliás, um dos fatores mais interessantes desse tipo de teste é que eles tendem a surpreender as pessoas. Embora muitos afirmem saber com certeza as origens de suas famílias o teste pode surpreender ao demonstrar, por exemplo, que uma pessoa é muito menos alemã e mais árabe do que imaginava.

Afinal, a documentação de muitas famílias muitas vezes deixa muitas brechas quanto aos antepassados, às associações feitas e os locais de moradia. Dessa maneira, o teste pode fazer você entender melhor suas origens ao mesmo tempo em que traz informações até então desconhecidas ou completamente defasadas sobre seus antepassados.

Os testes são capazes de trazer informações de até 08 gerações passadas, ou seja, é possível obter dados até os tataravós dos seus bisavós.

Mas não é só isso! Alguns dos tipos de teste de ancestralidade no Brasil também trazem informações sobre a saúde e o organismo do paciente. Isso ocorre em duas vertentes.

A primeira delas indica informações sobre eventuais doenças e intolerâncias e quais hábitos são mais indicados para o seu organismo (como evitar alguns alimentos que podem gerar reações adversas e dar prioridade para outros).

A segunda, por outro lado, condiz à indicação de como o corpo reage aos medicamentos e aos tratamentos. Com isso, por exemplo, é possível optar por um tratamento em detrimento de outro em eventual diagnóstico de doença.

Como é feito o teste de ancestralidade no Brasil?

Esse teste é feito de forma bastante simples. Primeiramente há o envio de um kit para a casa do cliente. Dentre os materiais enviados estará um para que seja colhida saliva que, por sua vez, será utilizada como material para a análise genética.

Então, o cliente envia essa amostra para o laboratório e após alguns dias recebe um relatório detalhado! As análises são feitas com o auxílio de inteligência artificial e garantem segurança!

Portanto, diferentemente de exames como o teste para Covid, o de ancestralidade sequer necessita que o paciente vá até o laboratório. O colhimento do material para teste é feito de forma não invasiva e tranqüila.

Vale a pena fazer teste de ancestralidade no Brasil?

A resposta é positiva, vale a pena fazer esse tipo de teste no Brasil. Afinal, considere que o país registra intensa imigração há muito tempo. Além disso, os imigrantes também tinham seus ancestrais provenientes de outros lugares.

É preciso ter em mente, portanto, a intensa movimentação do ser humano pelo globo e suas associações com novos povos. Quanto a isso, aliás, tem-se que o Brasil é fruto de intensa miscigenação, a qual não ocorreu somente aqui, obviamente.

Portanto, para quem tem interesse em conhecer melhor sua família, origens e ancestrais, fazer um teste de ancestralidade no Brasil é de grande auxílio! Mais do que nunca precisamos entender nossas origens, principalmente em tempos de pandemia, teste rápido para Covid e espera da vacina que é acompanhada de tantas incertezas!

Além disso, ainda é possível obter outras informações sobre a saúde, conforme já citado. 

Por fim, ressaltamos que o teste de ancestralidade no Brasil é ofertado por empresas sérias e comprometidas com a ciência e com o desenvolvimento dela. Portanto, por ter certeza que terá em mãos resultados e dados verdadeiro.

Vale a pena investir na área?

Finalmente chegamos ao cerne da nossa questão. O investimento não é muito pequeno para você abrir um laboratório que trabalhe com DNA, sendo que o gasto maior será com softwares de inteligência artificial. Estes softwares são geralmente muito caros.

Aliado a este gasto, está a aquisição dos kits para envio até as residências, pessoas qualificadas para manusear e analisar saliva e/ou sangue.

Basicamente, é como montar um laboratório de análises clínicas, porém focado apenas na área da genética, que está tendo uma crescente explosão de interessados em adquirir tal serviço.

Para nós, é uma das grandes promessas de empreendedorismo para as próximas décadas. 

Comentar
Empreender em casa: Riscos · 25/11/2020 - 11h31

Segurança no trabalho: quais os riscos do home office?


Compartilhar Tweet 1



Quando trabalhamos em um escritório empresarial, podemos contar com diferentes cuidados quando se trata de segurança no trabalho.  

 

Por exemplo, podemos ter uma empresa de bombeiro civil a nossa disposição, enfermaria ou técnicos de segurança na equipe. 

 

Porém, o trabalho home office veio se tornando comum nos últimos anos, principalmente entre profissionais que trabalham na área de comunicação, como quem é web designer, por exemplo. 

 

No entanto, neste ano de 2020, devido a pandemia de coronavírus, estamos acompanhando uma naturalização dessa modalidade de trabalho. 

 

Vimos empresas em todo o mundo liberando que seus funcionários trabalhassem de casa, com o objetivo de promover o distanciamento social. 

 

O que você provavelmente não deve saber, é que trabalhar em casa pode ser perigoso. 

 

Continue a leitura para saber quais são os ricos do home office e como você deve evitá-los!

 

Os riscos mais comuns do home office

Os escritórios em casa parecem ser lugares seguros para se trabalhar. Afinal, é a sua casa. Mas a segurança de trabalhar em seu lar não é garantida. 

 

A casa é um local comum para acidentes de todos os tipos. E quando os funcionários trabalham em casa, o risco de acidentes pode aumentar. Isso acontece porque ao trabalhar home office, não temos acesso aos cuidados que uma equipe de segurança no trabalho desenvolve. 

 

Aqui está a nossa lista com alguns dos riscos mais comuns do home office. 

 

Riscos com equipamentos eletrônicos

Os computadores e outros dispositivos em que você depende para trabalhar podem ser perigosos para sua segurança se você não tomar cuidado. 

Se você tiver que conectar a fonte de alimentação do computador de uma mesa a uma tomada de parede e alguém que estiver caminhando pela sala bater no cabo, isso pode puxá-lo da mesa e quebrá-lo. Ou pior, pode fazer com que o indivíduo caia e se machuque. 

Portanto, tenha muita atenção e cuidado ao instalar seus equipamentos de trabalho.

 

Superfícies móveis

É importante que você tenha atenção às seguintes questões quando se trata de superfícies móveis:

  • As superfícies do piso devem ser niveladas, secas e sem costuras desgastadas; os tapetes devem ser bem fixados ao chão.
  • As superfícies devem estar livres de riscos de tropeçar, escorregar ou bater.
  • Nunca deixe cabos elétricos ou telefônicos nas passagens.
  • Todas as escadas com quatro ou mais degraus devem ser equipadas com corrimão.
  • Lembre-se de que as quedas são uma das causas mais comuns de acidentes domésticos.
     

Segurança contra incêndios

Algumas empresas são muito rigorosas quando se trata em seguir as normas para prevenção de incêndios. Na sua casa, você também deve ter cuidados para manter a segurança contra incêndios.

Mantenha seu espaço de trabalho limpo e desobstruído, com papéis não embalados e materiais combustíveis reduzidos ao mínimo. O lixo deve ser descartado imediatamente.

Certifique-se de ter um detector de fumaça funcionando e um extintor de incêndio adequado para o seu espaço de trabalho, se possível. 

Planeje uma rota de fuga de incêndio e mantenha as saídas de incêndio desobstruídas.

Você tem uma cafeteira ou aquecedor em casa? Nesse caso, certifique-se de manter materiais inflamáveis, como papéis, longe de suas superfícies quentes.

 

Circuitos elétricos

Quando falamos em segurança no trabalho e riscos do home office, não podemos deixar de citar os cuidados com a questão elétrica da casa. 

Algumas dicas importantes são: 

Uma das principais causas de incêndio é a sobrecarga de circuitos elétricos, portanto, tome cuidado para não sobrecarregar as tomadas com muitos plugues. Se forem necessárias tomadas adicionais, peça a um eletricista qualificado para instalá-las adequadamente.

  • Os disjuntores ou painéis de fusíveis devem ser identificados e acessíveis.
  • Os plugues, cabos, painéis e receptáculos elétricos devem estar em boas condições e sem fios desgastados ou soltos, condutores desencapados ou isolamento quebrado.
  • Certifique-se de que seus componentes elétricos tenham ventilação suficiente.
  • Linhas telefônicas, cabos elétricos e fios de extensão devem ser fixados sob uma mesa ou ao lado de um rodapé.

 

Qualidade do ar

A má qualidade do ar em casa pode causar ou agravar uma série de doenças respiratórias, causar irritação nos olhos, nariz e garganta, e assim por diante. E no caso de envenenamento por monóxido de carbono, pode até levar à morte. 

Aqui estão algumas coisas que você pode fazer para melhorar a qualidade do ar em sua casa: 

  • Trabalhe em uma área bem ventilada. 
  • Não fuma - é ruim para o fumante e para o não fumante que respira o fumo passivo.
  • Faça o manuseio adequado de produtos químicos e use-os em áreas bem ventiladas.
  • Armazene os produtos químicos, especialmente aqueles que são tóxicos, em uma área de armazenamento segura e protegida.
  • Compre e instale um detector de monóxido de carbono.

 

Estações de trabalho

Os computadores e outros dispositivos em que você depende para trabalhar podem ser perigoso

Lesões e doenças relacionadas ao computador podem ser evitadas com algumas aplicações simples ergonomicamente sensíveis:

  • As estações de trabalho devem ser dispostas de modo que sejam confortáveis ​​e não causem tensão desnecessária nas costas, braços ou pescoço.
  • O computador deve ser colocado em uma mesa de altura padrão ou estação de trabalho projetada especificamente para seu uso.
  • Use uma cadeira padrão de cinco pernas para computador com bom apoio para costas e braços.
  • Posicione o teclado diretamente à sua frente na altura aproximada do cotovelo.
  • Faça algumas pausas para se alongar, se levantar e se movimentar.

 

Conclusão

Agora que você sabe quais são os principais riscos do home office, temos mais uma dica de segurança no trabalho muito importante: tenha um kit de primeiros socorros. 

 

Nunca se sabe quando você ou outra pessoa pode se machucar na sua casa, portanto, esteja preparado e tenha um kit à sua disposição. E, claro, certifique-se de buscar ajuda médica quando necessário. 

 

Esperamos que tenha gostado das dicas e que, a partir de agora, possa se prevenir dos riscos do home office!

Comentar
Veja estas dicas importante · 25/11/2020 - 08h54

Sinais de que a sua empresa precisa melhorar o setor de TI


Compartilhar Tweet 1



Parte fundamental do gerenciamento de uma empresa, o setor de Tecnologia da Informação, ou apenas TI, é uma área que exige extrema atenção. No entanto, muitas organizações ainda enfrentam problemas com sistemas desatualizados e de péssima qualidade. Por isso, saber como identificar os sinais de que a sua empresa precisa melhorar o setor de TI é essencial.

Não é mais novidade no mercado que as corporações estão cada vez mais dependentes de recursos tecnológicos na rotina de produção. Isso porque, além de promover a otimização do processo produtivo, a tecnologia é responsável por facilitar o compartilhamento de dados.

E quando o assunto é a segurança no acesso às informações, investir em uma infraestrutura de TI eficiente é indispensável. Mas, como descobrir se o setor de TI da sua empresa precisa melhorar?

Foi pensando nisso que preparamos este artigo com alguns sinais para que você fique atento (a) e consiga agir com rapidez, caso encontre problemas na área.

Por que investir no setor de TI da sua empresa?


Não é à toa que tanto se fala sobre a importância de um bom gerenciamento do setor de TI em uma empresa. A área tem um grande impacto em todos os departamentos da organização, pois controla as estruturas tecnológicas, garantindo o pleno funcionamento das ferramentas.

É fundamental ter um suporte de TI com profissionais que estejam preparados para solucionar problemas com agilidade. Assim, o setor mantém sua importância estratégica nas empresas, oferecendo meios para facilitar a produção do dia a dia e o cumprimento de objetivos.

Manter o setor de TI do seu negócio em constante atualização é indispensável nos dias atuais. Tal preocupação é o que vai fazer o seu empreendimento continuar tendo segurança na realização de atividades e conquiste êxito nos resultados.

Quais são os sinais de que a estrutura de TI precisa melhorar?


Um dos sinais mais comuns é o uso de ferramentas desatualizadas ou ultrapassadas. Com tantas transformações tecnológicas acontecendo, estar por dentro das tendências do mercado é essencial. Somente assim, é possível apostar em recursos de última geração e investir na qualidade da infraestrutura de TI.

Outro ponto que merece ser analisado é a frequência com que ataques cibernéticos acontecem. Seja por vírus, hackers ou vazamentos constantes de informações, um setor de TI problemático não consegue dar conta de garantir a segurança dos dados da empresa. Por isso, é preciso investir em uma boa estrutura de TI para garantir a integridade e privacidade de informações.

Caso a sua empresa não esteja utilizando um sistema de armazenamento em nuvem, esse pode ser um sinal de que o setor de TI precisa melhorar. O backup é uma ação imprescindível para evitar a perda de dados e proporcionar flexibilidade na produção.

A falta de planejamento também pode estar atrapalhando o desenvolvimento do setor de TI. Sem uma gestão eficaz, não é possível proporcionar confiança no sistema tecnológico nem ao menos preparar estratégias eficientes. Logo, a empresa precisa prezar pelo planejamento e identificar o que necessita de melhorias.

 

Comentar
Saiba apresentar um hotel · 24/11/2020 - 15h00 | Última atualização em 26/11/2020 - 14h49

Marketing digital para hotéis: dicas essenciais


Compartilhar Tweet 1



Seria muito bom se você pudesse dominar o marketing digital para hotéis, não é mesmo? Afinal, com essa ferramenta, seria mais fácil garantir que o seu hotel terá a taxa de ocupação sempre alta, garantindo um bom fluxo de renda, até mesmo em período de baixa temporada. Isso permitiria maior tranquilidade econômica e capacidade de investir na reforma dos quartos e outros benefícios.

A parte boa disso é que é possível dominar algumas dicas de marketing digital para hotéis que são muito úteis e podem garantir resultados incríveis. Essas dicas podem ser usadas no mundo todo, desde os melhores hotéis em Luanda, Angola, até as pousadas mais simples em Tóquio, no Japão. Afinal, quando algo funciona de verdade, ele dá resultado em todos os lados.

Por enquanto, graças à pandemia do novo coronavírus, os hotéis estão vivendo um período praticamente fechados, sem turismo em nenhum lugar. No entanto, a tendência é que a vida comece a voltar ao normal aos poucos a partir de 2021, com a chegada da vacina contra o vírus. Quando isso acontecer, os hotéis mais bem preparados serão aqueles que terão mais público e liderarão a recuperação econômica.

Quer saber as melhores dicas de marketing digital para hotéis? Então siga a leitura abaixo!

4 dicas de marketing digital para hotéis

1. Monte estratégias para alta e baixa temporada

O fluxo de pessoas em seu hotel varia de acordo com a alta e a baixa temporada, e o marketing digital deve respeitar essa flutuação. Planeje como irá promover seu negócio para chamar mais pessoas em período de baixa temporada e como aproveitar o alto movimento de viajantes em alta temporada, e como isso refletirá em suas campanhas.

2. Esteja conectado nas redes sociais

Em outros tempos, redes hoteleiras contavam com a publicidade de guias de viagens impressos, revistas e matérias na televisão. Hoje, com as redes sociais, estas mídias ficaram em segundo plano. Com as ferramentas apresentadas pela internet, seu hotel pode estar sempre visível para possíveis clientes e criar um vínculo emocional com eles antes mesmo de se tornarem consumidores. Estar ativo nas principais redes pode ser também uma oportunidade de exibir todos os cantos e atividades especiais de seu hotel, que geralmente não teriam visibilidade em um anúncio único, ou por escrito.

3. Conheça o seu público

Entender quem é o seu público e como ele age é crucial para desenvolver uma boa estratégia de marketing digital para seu negócio. Defina itens como faixa etária, faixa econômica, quais são seus hábitos principais e onde encontrá-lo antes de montar o plano de divulgação. Um público mais jovem, por exemplo, estará nas redes sociais com mais frequência, e buscará se conectar de formas diferentes com seu hotel, quando comparado com um público mais maduro. Lembre-se que é permitido ter mais de um público, desde que estejam bem definidos, e que um seja o principal, e o outro, secundário.

4. Invista em relações duradouras com clientes antigos

As pessoas que já se hospedaram em seu hotel devem ter tratamento privilegiado, pois são elas que irão disseminar avaliações positivas para potenciais clientes. Fidelizar o hóspede antigo é uma das formas mais eficazes de garantir que eles retornem e tragam consigo amigos e familiares.

Tenha uma lista de e-mails das pessoas que já passaram por seu hotel e garanta que suas ofertas e pacotes de hospedagem especiais chegarão primeiro para elas. Essa ação criará uma conexão que despertará o interesse de seus clientes para um possível retorno.

Pronto! Agora que você já viu essas dicas, poderá usar o marketing digital para hotéis e conseguirá manter sua taxa de ocupação bem alta. Com isso, poderá pegar o fluxo de novos turistas no pós-pandemia e iniciar um bom período de vacas gordas para a sua empresa.

E aí, gostou das dicas? Então comente abaixo com a sua opinião sobre o assunto!

 

 

Comentar
Saiba gerenciar sua equipe · 24/11/2020 - 14h51

Cursos de liderança: dicas na hora de escolher


Compartilhar Tweet 1



Um sonho que praticamente todo mundo tem é o de crescer na carreira e conseguir aquela promoção importante. Hoje em dia, a maior parte das promoções deriva de posições de liderança dentro da organização da empresa. Por exemplo, você é membro do time e, de repente, é promovido para liderar os seus colegas em um projeto especial. No entanto, para poder aproveitar uma posição dessas é necessário algumas dicas na hora de escolher cursos de liderança.

Hoje em dia, o desemprego do país bate os 14,4%, um valor altíssimo e muito acima do padrão dos últimos anos. Assim, é importante continuar sempre se preparando e qualificando para poder não só manter a sua vaga, como poder ficar em boa posição para ganhar uma promoção, caso surja a oportunidade. No entanto, como se preparar para esse tipo de situação?

Se você quer se preparar para ser um líder no futuro, precisa estudar para isso. Quer algumas dicas na hora de escolher cursos de liderança? Então siga a leitura abaixo!

4 dicas na hora de escolher cursos de liderança

1. Escolha um curso de gestão da sua área

Hoje em dia, cada área do mercado tem as suas peculiaridades e contextos próprios. Por isso, é importante estudar os detalhes de cada área para se tornar um líder capaz de interagir com o seu time e poder comandá-los da maneira mais produtiva possível. Por exemplo, veja a área de TI. Ela tem muitas particularidades, com muitas linguagens específicas e metodologias complexas. Por isso, é importante estudar cada detalhe desses com um curso online ITIL 4 para poder se qualificar para lidar o segmento. O mesmo vale para outras áreas, mesmo as que são menos complexas do que tecnologia da informação.

2.Escolha um curso de qualidade

Não basta fazer um curso que tenha “gestão” no título, o importante é o conteúdo. A melhor forma de saber se um curso tem qualidade é analisando a sua grade curricular e seus professores. Pesquise a qualidade de ensino dos mestres e se a grade de matérias abrange o que é necessário para você. Faça uma pesquisa de campo dos profissionais da área e descubra os cursos ministrados por grandes nomes especializados no assunto em questão.

3.Busque um curso com certificado

Certificações e diplomas são importantes para o reconhecimento de conclusão de curso. Como a primeira impressão é a que conta, o certificado causará um impacto imediato quando precisar especificar seus conhecimentos. A certificação também garante que o curso se responsabiliza pelo seu aprendizado, e serve como selo de qualidade, o que traz mais confiança na escolha da instituição de ensino.

4.Busque cursos em línguas diferentes

O Brasil tem grandes nomes na gestão, porém o lema é sempre expandir. Fazer cursos de liderança vindos de outros países garante perspectivas novas e soluções criativas que serão o seu diferencial no momento de resolver problemas dentro de sua equipe. Se não tem familiaridade com outro dialeto, este é um bom momento para praticar. Busque cursos em espanhol, inglês ou francês e enriqueça seu conhecimento em liderança além das expectativas de seus colaboradores.

Agora que você já viu essas dicas na hora de escolher cursos de liderança, vai ficar mais fácil para poder adaptar o seu currículo e incrementá-lo para ocupar uma posição de liderança. Lembre-se de que o Brasil é um dos países em que a diferença salarial entre a liderança e quem está na base da empresa é uma das maiores do mundo. Por isso, com o apoio de um bom curso de liderança, você poderá garantir um bom salário.

Gostou do assunto? Então comente abaixo com a sua opinião!

 

Comentar
Evolução na forma de serviço · 20/11/2020 - 15h45 | Última atualização em 20/11/2020 - 16h16

Startups de seguro no Brasil e sua evolução


Compartilhar Tweet 1



Os Startups de seguro no Brasil têm evoluído de forma que tornaram o setor mais orgânico e menos burocrático, abrindo espaço para um mercado que contribui de forma significativa facilitando os processos corporativos e vida dos clientes.

Sua evolução no país demonstra o grande crescimento de empresas que fazem parte do engajamento referente a soluções de Gaps no mercado, contribuindo para modernização através da tecnologia Insurtechs, as quais têm como objetivo revolucionar o mercado de seguros, uma vez que, permitem a facilidade para que o cliente entenda o que está sendo oferecido, otimizam o processo burocrático, promovem a acessibilidade financeira e personalização de serviços.

Os Startups de seguro agem de modo que promovem a redução de custos e se diferenciam no mercado com soluções inovadoras que prometem reduzir a burocracia à zero, isso devido ao fato de compreender e analisar o comportamento digital de seus clientes em potencial, tornando sua base de análise ainda mais eficaz.

Como os Startups movimentam o mercado de seguros

 

 

O avanço das Startups de seguro no Brasil pode ser observado a partir da receita que geram no PIB, uma vez que, no ano de 2018, as empresas de seguro representavam 6,5%, arrecadando mais de R$ 440 bilhões, no entanto, com o avanço das Insurtechs, o valor atual é de mais de R$ 1 trilhão de ativos, receita de 113 statups de seguro, as quais representam 25%.

Atualmente, o número de startups de seguro no Brasil foi para mais de 45%, as quais atuam em parceria com empresas do segmento já existentes, as quais focam em melhorar a infraestrutura e Backend, diminuindo os problemas de eficiência que afetam a contratação de serviços e diminuem o interesse dos clientes.

As empresas Insuteches se localizam, em sua maioria, no Estado de São Paulo, representando 50% dos seguros no Brasil, ou seja, metade dos números.

Grande parte das insurtechs atua no setor B2B, já que o grande objetivo é facilitar e ampliar a eficiência de processos, a fim de evitar problemas e perda de tempo com a parte burocrática de empresas, distribuindo o serviço de seguro para o consumidor com excelência e de forma otimizada, facilitando o seu entendimento sobre o que está sendo oferecido.

Crescimento surpreendente de insurtechs em poucos anos

As insurtechs possuem um grande potencial e prometem ganhar uma fatia muito maior no mercado de seguros, isso porque, a diminuição de custos que proporcionam é de um enorme diferencial.

Para se ter uma ideia, metade das startups de seguro no Brasil, existem há apenas 4 anos, ou seja, desde 2016.

As empresas têm crescido de forma surpreendente e contribuem de forma significativa para economia. Cada startup possui em média 20 funcionários apenas, poucas empresas possuem mais que 50 colaboradores.

Normalmente, as empresas são fundadas por pessoas entre 30 a 45 anos com dois ou mais sócios, e a maior parte dos investidores reside em São Paulo.

As Startups contribuem para que as empresas tenham acesso a dados de seus consumidores, através da tecnologia insurtech, a qual permite a melhora dos serviços oferecidos e gestão realizada nas mesmas.

Anteriormente, ao contratar o seguro de guincho, por exemplo, o valor gerado que deveria ser realizado através do pagamento no boleto, era calculado com base nos dados preenchidos nos formulários de cotação que ficava disponível por um tempo vigente e os clientes que usavam com pouca frequência, pagavam menos.

No entanto, com as insurtechs, ao utilizar algoritmos que auxiliam na avaliação de comportamento, é possível analisar o perfil dos consumidores de forma específica, a fim de personalizar quaisquer planos de serviços que possam ser oferecidos.

Mais de 40% das companhias preferem se unir as startups para obter uma estratégia corporativa de sucesso, diminuindo custos e aumentando o número de clientes, além de melhorar e otimizar seus serviços.

Comentar
Faça crescer seu restaurante · 19/11/2020 - 16h12 | Última atualização em 19/11/2020 - 17h51

Principais estratégias de marketing para restaurantes


Compartilhar Tweet 1



Ter um restaurante, assim como qualquer outro tipo de negócio, envolve muitos desafios.

E um dos principais obstáculos neste setor é a ampla concorrência, afinal, há inúmeros restaurantes, bares, lanchonetes e similares por aí.

Por isso, umas das principais ações que você deve colocar em prática para se destacar dos concorrentes é investir em estratégias de marketing!

Além disso, ao fazer este tipo de investimento você consegue atrair e fidelizar clientes, promover a sua marca e aumentar os lucros da sua empresa. Nada mal, não é mesmo?

Agora, quais seriam essas estratégias? Quais podem ajudar você a alavancar o seu negócio? É sobre isso que falaremos logo abaixo! Portanto, continue acompanhando a leitura para descobrir.

Marketing para restaurantes: principais estratégias

O marketing para restaurantes é bastante vasto, isto é, há inúmeras estratégias que você pode colocar em prática para melhorar os resultados do seu estabelecimento.

No entanto, nós separamos neste artigo apenas as principais estratégias para que você possa se dedicar e investir. Veja!

Site
Você tem um site para o seu restaurante? Se sim, ótimo! Se não, está mais do que na hora de mudar isso.

E por quê? Porque as pessoas estão cada vez mais conectadas, isto é, elas acessam a internet todos os dias, seja para pesquisar algo, tirar dúvidas, fazer compras, estudar, trabalhar, passar o tempo, etc.

Logo, você, ou melhor, o seu restaurante, precisa aparecer para essas pessoas quando elas fizerem buscas relacionadas ao seu negócio.

Por exemplo, se você tem um restaurante peruano, como é que potenciais clientes vão te encontrar quando fizerem uma busca no Google? Pelo seu site!

Basicamente, o site é a “porta de entrada” para que grande parte das pessoas conheça o seu estabelecimento no mundo online. 

E, justamente por isso, ele precisa ser:

  • Bonito;
  • Bem estruturado;
  • Visualmente agradável;
  • Funcional;
  • Rápido;
  • Responsivo;
  • E otimizado com técnicas de SEO.

Além disso, ele precisa ter informações claras (por exemplo a respeito do cardápio, localização, contato, etc.) e conteúdos de qualidade, isto é, que sejam ricos e gerem valor para quem os lê.

Por isso, inclusive, uma outra estratégia que você também pode investir é o blog, que falaremos logo a seguir!

Blog
Além de ter um site com as características acima, é importante que você também tenha um blog que siga o mesmo padrão.

Isso porque, por meio do blog, você pode produzir diversos tipos de conteúdo para atrair e fidelizar clientes, bem como gerar conversões.

Você pode, por exemplo, dar dicas, divulgar notícias e novidades, falar sobre tendências do mercado, publicar entrevistas com chefs e profissionais da área, e muito mais!

Ou seja, há diversas maneiras para explorar o blog e com certeza ele pode ajudar o seu negócio de alguma maneira.

O mais importante a ter em mente quando o assunto é blog é: mantenha uma frequência, isto é, publique uma vez por semana ou a cada 15 dias, por exemplo, e produza conteúdos valiosos, que sejam de fato interessantes e úteis para as pessoas que forem ler.

Marketing de indicação
Muitos consumidores são exigentes quando o assunto é comida. Por isso, uma boa forma de atrair novos clientes é investir em marketing de indicação.

Ou seja, estimular/incentivar pessoas que já comeram em seu restaurante a fazer recomendações a outras pessoas, seja de maneira online ou offline (boca a boca).

Isso porque, essas indicações e esses depoimentos de outros consumidores geram valor e tendem a influenciar na escolha de outras pessoas.

Para exemplificar vamos supor que você está procurando por um restaurante japonês perto da sua casa. Você faz uma busca no Tripadvisor e três opções aparecem. 

O primeiro restaurante tem 120 avaliações de consumidores, o que gerou 4.8 estrelas de 5. O segundo tem apenas 30 avaliações e 3.9 estrelas de 5. Já o terceiro não tem nenhuma avaliação ou comentário.

Qual dessas três opções te atrairia mais? A primeira, certo? Por isso que o marketing de influência é tão importante. 

Muitos consumidores levam em consideração a opinião de outras pessoas que já frequentaram um determinado estabelecimento.

Portanto, procure investir nessa estratégia também para o seu negócio!

Redes sociais

Grande parte da população acessa as redes sociais diariamente, seja o Instagram, o Facebook, o Twitter, etc.

Ou seja, muitos clientes em potencial estão presentes nesses canais. Logo, se o seu restaurante também está nessas redes, é mais uma forma que você tem para divulgar a sua marca, atrair e fidelizar clientes e claro, conseguir mais negócios.

E se tratando do setor alimentício, é fundamental que as fotos e/ou vídeos que serão publicados nesses canais sejam caprichados, isto é, tenham uma ótima qualidade.

Dessa forma, há muito mais chances de atrair clientes. O apelo visual é bastante importante quando se trata de restaurantes e redes sociais.

Bônus
Seguindo as estratégias de marketing acima, você terá muito mais possibilidades e oportunidades em relação ao seu negócio. 

No entanto, de pouco adianta investir nessas estratégias se o seu restaurante não se preocupar antes com os seguintes aspectos:

  • Atendimento;
  • Ambiente;
  • Experiência do consumidor;
  • E qualidade dos pratos, bebidas e sobremesas.

Portanto, para ter um restaurante de sucesso, preocupe-se primeiro com estes 4 pontos acima e depois invista nas estratégias de marketing que falamos ao longo deste artigo. 

Assim, pode ter certeza que você terá cada vez mais clientes e lucros com o seu negócio!

Comentar
Empreenda em grande plataforma · 18/11/2020 - 17h47 | Última atualização em 18/11/2020 - 19h47

6 vantagens em utilizar a Amazon para vender seus produtos


Compartilhar Tweet 1



Quando você pensa em vender os produtos e serviços online, a primeira coisa que pode pensar é: qual será a melhor opção, seu próprio site de comércio eletrônico ou sites de comércio eletrônico como Amazon? Tanto a opção de mercado quanto o próprio site têm suas próprias vantagens.

Esses mercados são tão famosos que, se alguém quiser comprar algo online, os clientes procurarão o produto na Amazon. As estatísticas mostram que as ações Amazon está se tornando famosa a cada dia e você pode obter quase tudo nesse mercado.

Sendo tão famosa entre os clientes por comprar, a Amazon também é famosa entre os varejistas. Vamos dar uma olhada em algumas de suas vantagens.

 

 

6 vantagens em utilizar a Amazon para vender seus produtos

 

Vamos ver quais são as vantagens da Amazon quando você começa a vender produtos e serviços com ela.

 

1. Enorme base de clientes

Há milhões de pessoas comprando produtos e serviços nesse mercado, alcançar uma base de clientes tão grande não é possível para um pequeno varejista e para o novo negócio, no entanto, você pode obter acesso à enorme base de clientes se começar a vender seus produtos e serviços com Amazon.

Não importa se você é uma pequena empresa ou uma nova empresa, você pode obter acesso ao mundo com esse mercado muito popular. A Amazon é uma das melhores maneiras de iniciar e construir o negócio de vendas online.

 

2. Problemas técnicos muito raros

Esses grandes mercados estão ou quase nunca enfrentam qualquer problema técnico ou tempo de inatividade, não importa quantos clientes estejam acessando esses sites, eles estão bem equipados para lidar com o alto tráfego. 

Quando você vende o tempo de inatividade online é o maior problema, no entanto, quando você está associado à Amazon, você não enfrentará tempo de inatividade e não perderá o dinheiro devido a problemas técnicos e não precisa pagar a mais para manter o site bem e você pode economizar muito.

 

3. Credibilidade Instantânea

Se você é uma pequena empresa e uma startup e tem seu próprio site de comércio eletrônico, os clientes podem não comprar seus produtos e serviços devido à falta de credibilidade e você é novo no mercado. 

Se você está conectado aos mercados, obtém credibilidade instantânea e os clientes também adoram comprar seus produtos e serviços e não hesitam em pagar pelos seus produtos online.

O tipo de credibilidade que você obtém depois de associado a Amazon, você não obterá sozinho, então é uma melhor ideia associar-se à ela para aumentar a credibilidade.

 

4. Atendimento ao Cliente 24/7

No negócio online, apenas a venda não é importante, mas o serviço pós-venda também é muito importante e desempenha um papel muito importante na expansão do negócio. 

Se você está associado à Amazon, não precisa se preocupar pessoalmente com o atendimento ao cliente, pois este mercado oferece todos os tipos de serviços excelentes ao cliente. 

A Amazon cuida de todas as dúvidas dos clientes relacionadas ao seu produto desde a entrega, devolução dos produtos e outras entregas.

 

5. Excelente Sistema de Referência

A Amazon têm uma grande base de dados de clientes com base em suas opiniões, pesquisas e desejos de produtos. Se o cliente estiver interessado no tipo de produtos que você tem, ele será exibido na página inicial do cliente e seus produtos serão encaminhados aos clientes. 

Este sistema de referências é sempre uma benção para o novo negócio e se você tiver algum produto exclusivo, o sistema de referências irá ajudá-lo.

 

6. Gestão de entrega e envio

A Amazon cuidará do sistema de entrega e envio se você receber um pedido de seus produtos e serviços. O sistema de entrega é muito complicado e a entrega dos produtos é um processo complexo, mas você não precisa se preocupar, pois isso será gerenciado pela Amazon.

 

Conclusão

Vender seus produtos na Amazon trará além de credibilidade, um público amplo interessados em seus produtos. Mais vendas e mais receita virão para você. Se você está vendendo produtos ou serviços online e planeja ingressar na Amazon, pense e aja de acordo com sua necessidade e pense que será capaz de alcançar o sucesso desejado.

Comentar
Saiba os tipos de lucro · 17/11/2020 - 16h06

Qual a diferença entre lucro real e lucro presumido?


Compartilhar Tweet 1



Você sabe qual é a diferença entre lucro real e lucro presumido? Saiba que é muito importante conhecer essas duas opções de pagamento de tributos, visto que eles influenciam diretamente no desempenho da sua empresa. Veja a seguir um pouco mais sobre o assunto e tire as suas dúvidas.

 

Principais regimes de tributação

Regimes de tributação são regras que a empresa precisa seguir para fazer o pagamento dos impostos que a ela são atribuídos, como o IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica) e o CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido). 

Existem três tipos de regimes de tributação e cada um deles atende um determinado perfil de empresa. São eles:

  1. Simples nacional: Direcionado para pequenos negócios que têm um faturamento de até 4,8 milhões por ano.
  2. Lucro presumido: Ideal para empresas com faturamento de até 78 milhões anuais.
  3. Lucro real: Regime tributário opcional para diversos tipos de empresa, mas obrigatório para aquelas com faturamento superior a 78 milhões por ano.

O que é lucro presumido?

O lucro presumido é um regime que se baseia em valores fixos de tributação para o IRPL e CSLL e não nos lucros obtidos, como é o caso do lucro real.

No lucro presumido, os ganhos só são envolvidos na apuração quando resultarem de aplicações financeiras. Nesse caso, as alíquotas são fixadas de acordo com o nicho de atuação da empresa. Veja:

  • 11,33% para negócios que oferecem prestação de serviços;
  • 5,93% para empresas comerciais e industriais.
  • As margens de lucro também são diferenciadas, de acordo com o nicho de atuação do negócio. A porcentagem fica assim:
  • 32% para empresas que atuam na prestação de serviços;
  • 8% para negócios comerciais e industriais.

O que é lucro real?

Nesse tipo de regime, o pagamento dos impostos (IRPJ e CSLL) é realizado diretamente em cima do lucro obtido durante aquele tempo de apuração. Por isso o nome do regime é lucro real, pois esse cálculo se baseia não em projeções, mas sim em fatos concretos.

A desvantagem do lucro real é que quanto mais a sua empresa fatura, mais impostos ela terá que pagar. Por outro lado, se a sua empresa não obtiver lucros ou ainda ficar no prejuízo, ela não precisará pagar os tributos. Isso porque, no lucro real, a apuração é feita a partir de um cálculo que leva em conta as receitas, despesas e custos da organização.

A adesão ao lucro real é mais adequado para os seguintes tipos de empresas:

  • Instituições bancárias;
  • Empresas de factoring;
  • Corretoras de títulos;
  • Empresas de seguros privados e outras.

Como escolher o melhor regime para a sua empresa?

Em primeiro lugar, se a sua empresa for de pequeno porte e atingir o lucro anual de até 4,8 milhões, o ideal é optar pelo Simples Nacional, que é um mecanismo que oferece vantagens ao microempreendedor.

Se o seu lucro for acima de 78 milhões anuais, a opção é aderir ao regime de lucro real. Porém, se você puder optar entre o lucro real e o lucro presumido, a dica é analisar as vantagens e as desvantagens de cada um e ver o que é mais importante para o seu negócio.

O lucro real, por exemplo, é mais interessante para instituições que têm pouco ou nenhum lucro em determinado período. Assim, o tributo pago será menor, causando menos prejuízo ao gestor. Por outro lado, este regime exige um acompanhamento bastante minucioso de todas as transações.

Já o lucro presumido é mais atraente para empresas que têm um ótimo lucro anual. O gestor não vai pagar os tributos em cima do que faturou, mas com base em valores pré-fixados, o que reduz bastante o custo. Mas, nem todas as atividades se enquadram nesse tipo de regimento. É importante dizer que empresas que atuam no ramo financeiro ou que tenham capitais provenientes do exterior, não podem optar pelo lucro presumido.

Como visto, o lucro presumido e o lucro real são tipos de regimes tributários que precisam ser escolhidos pelo gestor de acordo com as características de sua empresa e levando em conta, principalmente, os benefícios de cada um destes regimes.

Também é importante saber que ao optar por um determinado perfil tributário é preciso segui-lo durante todo o ano vigente, não sendo possível alterá-lo. Isso reforça a necessidade de fazer uma escolha correta para evitar prejuízos futuros.

Conteúdo escrito pela Gomide Contabilidade.
Especialistas em Lucro Real

Comentar
Vai viajar a trabalho? Dicas · 16/11/2020 - 17h42

Viagem a Trabalho: Informações Importantes Que Você Precisa Saber


Compartilhar Tweet 1



Está com uma viagem a trabalho marcada? Então este artigo foi feito para você!

Nós separamos nele as principais dicas e informações que você precisa saber antes de viajar.

Portanto, continue acompanhando a leitura para saber tudo!

Viagem a trabalho: dicas e informações essenciais

 

Motivo da viagem

O primeiro aspecto que você deve levar em consideração é o motivo da sua viagem, isto é, porque você está indo para outro país a trabalho. 

É para um treinamento? É para participar de congressos ou reuniões em outra sede da empresa? É para fazer algum tipo de apresentação ou palestra…?

Enfim, todas essas informações a respeito do motivo da sua viagem precisam estar alinhadas e claras para você. 

Dessa forma, você conseguirá se preparar melhor para a viagem e dificilmente errará quando chegar e estiver no destino.

Por exemplo, talvez você precise preparar algum material ou alguma apresentação para fazer quando estiver no país.

Por isso, se organizar e estar preparado é fundamental.

 

Política de viagem

A sua empresa tem uma política de viagem? Se sim, procure se informar sobre ela antes de viajar. 

Dessa forma, você saberá quais critérios ela leva em consideração para este tipo de viagem, isto é, o que pode e o que não pode, qual o tipo de voo que disponibiliza, o que é reembolsado e até qual valor, se possui alguma agência de viagens parceira, etc.

E caso você não saiba se a sua empresa tem esse tipo de política, fale com o setor de RH ou com seu chefe, por exemplo, e busque ficar por dentro dessas questões.

 

Assim, você evita problemas, gafes e mal entendidos.

 

Documentação

Quais documentos serão necessários para a sua viagem a trabalho? Passaporte? Visto? Certificado Internacional de Vacinação? Tudo isso precisa ser levado em conta também - principalmente se você vai precisar emitir algum tipo de documento (antecedência é fundamental).

Além do mais, tenha sempre com você cópias de todos os seus documentos e reservas, tanto de maneira física quanto digital.

Assim, se houver qualquer problema, como roubo ou perda, você não ficará desamparado e conseguirá resolver a situação de uma maneira menos complicada.

 

Compromissos e horários

Quais compromissos você terá durante esta viagem a trabalho? Quais lugares que precisará ir e quais pessoas precisará encontrar? Além disso, quais os dias e horários que você precisará comparecer em cada compromisso?

Tudo isso precisa estar bem esclarecido para você, pois diminui as chances de você ficar perdido e de se atrasar (situação que geralmente não é bem vista em outros países).

Portanto, antes de viajar é importante que você verifique os endereços, as distâncias entre os lugares, os dias, os horários (principalmente se for diferente por conta do fuso horário), os meios para chegar até os compromissos, entre outras questões.

 

 

Comprometimento, autogestão e disponibilidade

Quando há viagens a trabalho em empresas, geralmente é um ou outro colaborador que viaja. Ou seja, muitas vezes é você e mais uma pessoa ou apenas você.

Logo, é de suma importância que você tenha comprometimento e autogestão em toda a sua viagem, afinal, você não terá um chefe ou diretor ao seu lado falando toda hora o que deve e precisa fazer.

Portanto, você precisa se autorresponsabilizar pelos seus atos e ter consciência do que é certo e do que é errado, do que deve ou não fazer, inclusive, em relação às festas, happy hours e confraternizações - mesmo que sejam promovidas pela própria organização. 

 

Não manche a sua imagem e da sua empresa.

 

Além disso, esteja disponível, isto é, mantenha o celular e o notebook ligados, caso precisem falar com você em algum momento. 

Caso contrário, qual a impressão que você vai passar? Como saberão onde você está e se de fato está trabalhando? Portanto, evite conflitos e problemas desnecessários, esteja disponível.

 

Passeios particulares

Muitos profissionais quando vão fazer uma viagem a trabalho, principalmente quando é a primeira vez, ficam animados e pensam “vou conhecer um país novo, o que tem para fazer lá, vou aproveitar, fazer compras, etc.”.

Porém, muitas vezes isso não é possível devido à falta de tempo hábil. Às vezes você ficará apenas alguns dias e por conta dos diversos compromissos e reuniões não terá muito tempo para explorar o destino.

Portanto, antes de viajar, programe-se. Veja quantos dias você ficará no país, quais compromissos terá e se dá para você encaixar um passeio ou uma ida a algum lugar que queira ir muito.

Lembre-se: é uma viagem a trabalho, ou seja, você não está ali para ficar passeando e “turistando”.

 

Bagagem e roupas

Se você for ficar poucos dias no destino, procure levar apenas uma bagagem de mão. 

Isso otimizará o seu tempo e será muito mais prático e fácil, pois você não precisará se preocupar em despachar a mala e depois ficar esperando por ela na esteira do aeroporto, e também evitará um peso extra, o que já ajuda bastante.

Agora se a sua viagem a trabalho terá uma duração um pouco maior, você precisará levar uma mala com você.

E para isso é importante que você pense em duas coisas: nos tipos de compromissos que terá e no clima que estará o destino quando for viajar.

Dessa forma, você conseguirá montar uma mala muito mais adequada e objetiva para a sua viagem.

Se, por exemplo, o país em questão estiver no verão, com dias de muito calor, não tem porque levar muitas blusas, casacos e toucas, por exemplo. Isso, inclusive, ajudará a economizar espaço na mala e a deixará mais leve.

Além disso, não esqueça de itens como carregadores, fones de ouvido, adaptadores, acessórios, produtos de higiene, remédios, agendas e blocos de notas.

 

Alimentação

 

Dependendo do país que você for, os alimentos e as refeições podem ser bastante diferentes. 

Por isso, tenha um certo cuidado na hora que for comer, principalmente se você não conhece muito sobre um prato ou se acha que ele pode não cair bem.

Isso porque, você não quer passar mal em sua viagem a trabalho, certo? 

Por exemplo, imagine almoçar algo diferente em um restaurante e logo depois você tem uma reunião ou uma apresentação importante para fazer. Se a refeição não cair bem, você provavelmente passará por um certo “aperto”.

Portanto, antes de viajar faça uma boa pesquisa e saiba o que é mais tranquilo e seguro de comer, caso os pratos sejam muito diferentes daqui. 

Não deixe que a alimentação estrague a sua viagem.

 

 

Diferenças culturais

Assim como a alimentação, a cultura local também pode ser diferente. Portanto, procure saber pelo menos o básico sobre as pessoas que vivem no país que você irá, por exemplo, quais os hábitos, costumes, leis, horários, o que gostam ou não gostam, o que deve ser evitado, etc.

E claro, além de saber sobre essas diferenças culturais, você deve, acima de tudo, respeitá-las, afinal, você é quem está no país de outras pessoas, você é o “desconhecido”, o estrangeiro.

Portanto, tenha bom senso.

 

Dinheiro

Tanto em viagens a trabalho quanto em viagens a lazer, você precisa de dinheiro para comer, se locomover, comprar algo, etc. E cada empresa trata esta questão de um jeito. 

Portanto, é essencial que você se informe antes a respeito disso em seu local de trabalho, para verificar quais as regras e condições que a empresa estabelece.

No entanto, quando o assunto é dinheiro é importante que você tenha em mente que se a empresa disponibilizar uma certa quantia, uma certa verba, você deve usá-la apenas para os compromissos profissionais, não para lazer e diversão.

Agora, caso você queira levar um dinheiro a mais para fazer algumas compras ou para sair quando não estiver trabalhando, tudo bem, você pode por exemplo ir em uma casa de câmbio e trocar uma quantia de dinheiro pela moeda local.

E quando for utilizar o dinheiro no destino você separa o que é para o trabalho e o que é para você.

 

Networking

Aproveite ao máximo a sua viagem, aprenda, pergunte, ensine e amplie sua rede de contatos, isto é, trabalhe o seu networking (mas claro, sem exageros).

Use o tempo que estiver no destino para conhecer novos profissionais e trocar experiências.

Com certeza isso agregará à sua carreira e será uma parte importante da sua bagagem profissional.

 

Reserva de estacionamento

Por fim, um outro ponto importante e que nem todos os viajantes pensam é sobre a reserva do estacionamento para o seu veículo.

Algumas empresas disponibilizam um táxi ou um Uber para que os colaboradores sejam levados e buscados no aeroporto.

No entanto, há também situações em que o colaborador vai com seu próprio veículo até o aeroporto no dia da viagem e o deixa lá enquanto está viajando (e, posteriormente recebe o reembolso).

E nesse caso, é importante que seja feita uma reserva com antecedência, por exemplo, em um estacionamento aeroporto Guarulhos, caso você seja de São Paulo, para ter um local seguro para deixar o seu veículo enquanto viaja.

 

Assim, você terá uma viagem muito mais tranquila e proveitosa!

Comentar
Veja motivos para contratar · 10/11/2020 - 17h58

O que faz, exatamente, uma agência de marketing digital?


Compartilhar Tweet 1



As agências de marketing digital estão cada vez mais sendo procuradas por empresas para seus serviços. O marketing na internet se tornou essencial em uma empresa que deseja grandes resultados.

Com a mídia impressa, o rádio, a televisão e outras técnicas tradicionais de marketing mantendo alguma relevância entre as modernas campanhas de marketing estratégico, explicar o que torna uma 'agência digital' diferente de outras por aí é algo que achamos muito importante ainda nos dias de hoje.

Neste artigo preparamos tudo sobre o que faz uma agência de marketing digital.

O que é marketing digital?

O marketing digital é a estratégia de marketing que você emprega para promover seus negócios por meio dos canais de mídia digital.

A grande diferença do marketing digital é que você pode analisar todos os resultados facilmente em poucos cliques e decidir se continua com determinada estratégia, ou não.

O marketing digital é considerado a saída para várias empresas que buscam aumentar seus resultados e expandir suas operações. Empresário de todas as áreas conseguiram colocar o marketing digital na sua empresa, aplicar suas estratégias e ter muitos resultados.

Quais as vantagens de contratar uma agência de marketing digital?

Uma agência digital entende o valor de investir em tecnologia avançada, bem como em desenvolvedores da web altamente qualificados, programadores, profissionais de marketing digital e especialistas em SEO. 

Os consultores em SEO são as pessoas certas para definir estratégias eficientes para manter a sua empresa sempre no topo das buscas, e isso é fundamental para o crescimento dos seus resultados.

Marketing de Conteúdo e SEO

Algumas agências oferecem a redação de conteúdo como um serviço separado. Isso significa que você pode contratar uma agência para gerenciar seu blog, escrever e-books, artigos e conteúdo da web.

A maioria das agências de marketing digital otimizará esse conteúdo para atender aos padrões de SEO, de forma que seus artigos possam aparecer nas buscas do Google, mesmo sem publicidade paga.

Essa pode ser uma boa opção se você quiser se posicionar como um especialista do setor. Artigos úteis e bem escritos exalam profissionalismo.

Métricas, Otimização de conteúdos e Relatórios

Possivelmente, uma das maiores vantagens de uma agência marketing digital é sua mensurabilidade. Através das campanhas, é possível analisar quais valores foram investidos em anúncios pagos pela sua empresa e, aumentar, ou diminuir nas próximas.

Todas as campanhas podem ser medidas, comparadas a diferentes períodos de tempo e constantemente otimizadas para obter os melhores resultados.

Sua agência de marketing digital pode fazer o uso das informações para evoluir mais no mercado e público e conseguir resultados melhores nas próximas estratégias.

Grande parte das agências possuem relatórios mensais ou semanais que mostram detalhadamente todas as métricas e resultados obtidos nas campanhas. Você sempre pode pedir mais esclarecimentos.

Por que escolher uma agência de Marketing Digital?

Se a sua empresa ainda não estiver utilizando a internet para atingir seu público e aumentar seus resultados de vendas, você corre sérios riscos de não ser encontrado no mercado hoje, e isso já está acontecendo com algumas marcas.

Se você busca uma agência de marketing digital com foco em resultados que vai garantir que sua empresa figure sempre no topo, trazendo novos clientes e vendas todos os dias, contate a agência Planejador Web.

Vale a pena iniciar uma agência de marketing digital?

Antes de cogitar abrir qualquer tipo de negócio, é necessário analisar completamente o mercado e quais são as possibilidades de crescimento na área.

O marketing digital é o mercado expansão nos últimos anos e que promete estar em alta durante muito tempo. Afinal, a internet é o futuro e todos os produtos e serviços precisam do marketing digital para serem divulgados.

Para abrir uma agência de marketing digital de sucesso, você não precisa de tantos funcionários. Mas, se forem poucos, devem ser especialistas em cada assunto. Por exemplo: um especialista em design, um em especialista em SEO, alguns redatores e funcionários para outras funções.

É um negócio completamente escalável, que rende ótimos lucros financeiros e tem a possibilidade de ser tocado de forma remota por um gestor. Se é isso que você busca, as agências de marketing digital são um bom empreendimento para você.

Conclusão

É importante observar que muito poucas agências oferecem todos esses serviços. Na verdade, muitas agências admitem abertamente que possuem uma área de especialização muito limitada.

Mesmo aqueles que parecem oferecer a maioria dos serviços mencionados provavelmente não são igualmente adeptos de todos eles. Se você está pensando em contratar uma agência para sua empresa, baixe nossa lista de perguntas a serem feitas.

Uma maneira fácil de saber quais serviços estão em destaque em uma agência é dar uma olhada em seu site. Seus serviços principais geralmente serão destacados em sua página inicial, enquanto outros podem ser mais difíceis de encontrar.

 

 

Comentar
Boca a boca: melhor marketing · 09/11/2020 - 15h28

5 dicas para usar a indicação de clientes para crescer a sua empresa


Compartilhar Tweet 1



A venda por meio de indicação é mais frequente do que podemos imaginar. Muitas vezes, ela acontece sem que a empresa saiba que ela está em ação. É uma pena que mais negócios não saibam aproveitar esse tipo de marketing, pois ela poderia usar a indicação de clientes para crescer a empresa.

Conseguir vendas por indicação é algo que já era utilizado antes mesmo que pudéssemos pensar em marketing da maneira como usamos hoje para atrair clientes. O marketing de indicação atrai os clientes da maneira certa e segura, principalmente quando se trata da indicação de um amigo ou familiar.

A recomendação é uma maneira natural do ser humano de compartilhar o que gostamos. Nós temos o instinto de fazer indicações das coisas que gostamos para outras pessoas, e também de pedir e receber recomendações de coisas que as pessoas acham que iremos gostar. Por isso, a prática pode ser muito mais natural do que você imagina.

Se você tem interesse em saber como o marketing de indicação pode fazer seu negócio alavancar, aproveite as a seguir!

1. Saber o que é o marketing de indicação

O marketing de indicação também é conhecido como o marketing boca-a-boca ou Referral Marketing. Esse tipo tem ganhado cada vez mais abrangência dentro das empresas quando implementado da maneira correta, independentemente da área de atuação e do tamanho da empresa.

O marketing de indicação é a melhor maneira de trazer novos clientes. Isso porque ele utiliza seus próprios clientes para isso.  Para que ele ocorra, é necessário que os consumidores estejam satisfeitos com seus produtos ou serviço.

As pequenas empresas sofreram muito devido a pandemia do novo coronavírus, ficando sem saída. Dessa forma, as vendas por indicação ajudaram muitas empresas a conseguirem se reerguer e se manter funcionando.

2. Aprender a ganhar recomendações

Em primeiro lugar, tente conquistar seus clientes com bom atendimento e oferecendo para eles o melhor produto e com melhor qualidade possíveis. Depois, você pode oferecer brindes aos clientes para que eles retornem mais vezes e que tragam mais clientes para comprar no seu estabelecimento.

Esses clientes que divulgam seu negócio podem ser fidelizados futuramente, o que o tornará um cliente fiel e chegará uma hora que essa indicação será feita de forma natural, sem necessidade de muito incentivo. Isso ajudará ainda mais no crescimento da sua empresa, um cliente feliz e satisfeito é um cliente que retorna e que indica a empresa.

3. Fidelizar clientes que indicam mais clientes

É importantes criar ações de fidelização para os  clientes que indicam mais consumidores. A fidelização ocorre quando o cliente retorna diversas vezes ao estabelecimento e quando eles indicam mais pessoas para conhecer a sua empresas fazendo com que essas pessoas se tornem clientes.

Um exemplo para incentivar a fidelização é oferecer um desconto de 10% a cada 2 novos clientes que o consumidor trouxer. Isso irá encantar os clientes fazendo com que eles divulguem o seu négocio de bom grado, e assim passando adiante que você além de oferecer um bom serviço e produto também oferece desconto por indicação.

4. Utilizar influenciadores a seu favor

Sabemos que muitas empresas enfrentam problemas devido a pandemia, então uma maneira de usar o marketing de indicação é trabalhando com influenciadores digitais.

Um dos segmentos em que os influenciadores são mais impactantes é no marketing de indicação. Não só porque as pessoas gostam de seguir dicas de conhecidos, elas também se sentem mais seguras quando a indicação vem de alguém que para elas é um exemplo e, às vezes, famoso.

Por isso, procure influenciadores voltados para sua área de atuação e de estilo e faça parcerias com seus produtos. Peça para que eles divulguem de forma natural, os incluindo no seu dia a dia, já que isso cativa ainda mais os clientes. Também criem eventos para esses itens vendidos pelo seu estabelecimento junto com os influenciadores.

5. Usar a indicação de clientes para crescer a empresa

Se você quer usar esse tipo de marketing a seu favor, precisa seguir as dicas acima e aprender a despertar o desejo dos consumidores pelo seu negócio. Afinal, cada negócio tem um tipo de cliente, que se adequa melhor a determinado tipo de marketing e fidelização de maneira diferente.

Pense como seus produtos podem ser melhor aproveitados com a utilização desse marketing de indicação e como sua empresa será bem conhecida.

Crie fotos atraentes e utilize-as para poder divulgá-las e impactar seus seguidores, porque afinal o marketing de indicação também pode ser realizado via redes sociais. Dependendo do material, dá até para promover os posts para alcançar mais consumidores ou divulgar de maneira mais tradicional, enviando para um cliente por vez.

Pronto! Agora que você já sabe como usar a indicação de clientes para crescer a sua empresa, ficará mais fácil controlar a sua demanda e conseguir aumentar o faturamento do seu negócio. Afinal, você conseguirá criar novos pedidos com base no marketing de indicação para sua empresa e terá resultados adequados quando isso acontecer.

Gostou do conteúdo? Então comente abaixo com a sua opinião sobre o assunto!

 

 

 

Comentar
Venda de carro: dicas · 06/11/2020 - 17h22 | Última atualização em 06/11/2020 - 18h34

Marketing automotivo: como se destacar usando a internet


Compartilhar Tweet 1



Toda concessionária precisa aprender como se destacar com Marketing Automotivo na Internet se quer ter sucesso no mercado atual ou ficará para trás dos concorrentes. Afinal, de acordo com o Google, 93% de todos os consumidores começam a jornada de comprar carro com uma pesquisa na Internet.  Ou seja: é pela Internet que você terá os melhores contatos com os seus potenciais clientes.

No entanto, não é fácil saber como se destacar com Marketing Automotivo na Internet. Existe muita coisa que é preciso saber como fazer, muitas ferramentas a utilizar e muitas estratégias que podem até mesmo demorar um pouco de tempo para trazer resultados. Para poder dominar a estratégia, é importante estudo, conhecimento prático e muitos testes para entender o que funciona para o seu cenário.

Quer aprender como se destacar com Marketing Automotivo? Então veja as nossas dicas a seguir!

Como se destacar com Marketing Automotivo em 5 passos

 



1. Tenha um site online

Para poder trabalhar com Marketing Automotivo na Internet, é necessário ter um ponto central de operações. Muitas concessionárias acabam deixando esse ponto central em um perfil de redes sociais, como o Facebook ou o Instagram. Afinal, para que investir em um site próprio se é possível ter presença nas redes gratuitamente nessas plataformas?

O problema é que o Facebook ou o Instagram são plataformas privadas, cujas regras não estão abertas a debates e não há como você intervir nelas, apenas se adequar. Além disso, as redes sociais podem perder força no futuro e você perder todo o trabalho feito.

Por isso, é essencial ter um espaço na Internet que seja seu. Assim, você pode definir as regras e ele sempre estará ali, pronto para se adequar a qualquer tendência do futuro.

É claro que você deve ter presença nas redes sociais (falaremos sobre isso mais adiante), mas o ponto estrutural central da sua estratégia deve ser o seu site. Por isso, crie um com os seus carros ou peças, monte uma estratégia de aumento de autoridade perante o Google e invista para que essa página seja capaz de converter novos clientes para você.

2. Monte uma estratégia de Marketing de Conteúdo

Lembra que o Google disse que 93% de todas as compras de automóveis começam com uma busca online? Então, isso significa que você deve começar a trabalhar com o Marketing de Conteúdo.

O Marketing de Conteúdo é uma estratégia que visa produzir artigos, vídeos, infográficos e outros materiais de forma a atrair potenciais clientes com informações úteis para ele. Desse modo, o consumidor entra em contato direto com a sua marca, passa a ficar mais educado sobre o mercado em que está inserido e toma decisões de compra mais facilmente.

O mercado automotivo, especialmente o de carros usados, trabalha muito bem com o Marketing de Conteúdo. Isso porque os consumidores têm muitas dúvidas sobre qual veículo escolher, quantas cilindradas ter no motor, como cuidar do automóvel, que tipo de transmissão preferir e por aí vai.

3. Trabalhe de forma estratégica nas redes sociais

As redes sociais são, atualmente, um dos principais pontos de convergência de pessoas na Internet. Só o Facebook, por exemplo, tem 127 milhões de usuários brasileiros. E o Instagram desponta atualmente como a rede social de mais destaque nos últimos dois ou três anos.

Por isso, sim, é essencial que você esteja nessas plataformas. Mas é importante que use-as de maneira estratégica. Isso significa, por exemplo, trabalhar os seus posts seguindo três fases:

1ª fase: atração de novos usuários;2ª fase: criação de engajamento para aumentar alcance orgânico e baratear anúncios;3ª fase: uso estratégico de anúncios para converter clientes.

Cada um dos seus posts deve estar focado em uma dessas fases. Você pode, por exemplo, mostrar carros que estão na sua concessionária e usar hashtags estratégicas para atrair novos usuários. Depois, pode criar um vídeo explicando algum ponto específico para gerar engajamento. Por fim, pode usar de target quem interagiu com você para montar anúncios de conversão.

4. Tenha pontos de conversão online

Por falar em anúncios de conversão, é essencial ter vários pontos de conversão na Internet. Afinal, se você quer aprender como se destacar com Marketing Automotivo, então precisa de vendas!

Isso significa que você deve investir em um sistema de vendas digitais, seja em marketplaces online, seja em aplicativos como o Skype, WhatsApp e outros.

5. Use novas tecnologias

Por fim, lembre-se de que existem atualmente muitas novas tecnologias para serem usadas no Marketing Automotivo. Quanto mais adepto delas você for, mais fácil será para conseguir novas vendas. Por exemplo:

trabalhe com marketing de influenciadores;faça showrooms virtuais;use a realidade virtual para mostrar os carros;mostre vídeos dos automóveis para os consumidores.

Pronto! Agora você já aprendeu como se destacar com Marketing Automotivo na Internet. Deu para ver que não é nenhum mistério, não é mesmo? A rede traz ótimas ferramentas para o sucesso da sua concessionária e, portanto, basta utilizá-las corretamente para obter um bom fluxo de consumidores.

Gostou do conteúdo? Então deixe um comentário abaixo com a sua opinião sobre ele!

 

Comentar
Saiba planejar sua sucessão · 04/11/2020 - 14h55

Planejamento sucessório: uma maneira eficaz de economizar impostos


Compartilhar Tweet 1



O planejamento sucessório é um dos temas de interesse para quem quer economizar nos impostos, poupar dinheiro ou mesmo ter a chance de fazer investimentos.

Com isso em mente, faz sentido entender exatamente o que é e quais são as vantagens de fazer o seu.

Após a leitura deste texto, recomendo também a leitura deste artigo que ensina as melhores estratégias de planejamento sucessório.

Vamos começar?

 O que é o planejamento sucessório?

 

Para começar, o planejamento sucessório é definido como uma tomada de decisões que envolvem como uma fortuna, herança ou empresas serão distribuídos após a morte.

Como resultado, é mais utilizada por famílias que tem um número alto de bens patrimoniais ou dinheiro.

Um dos principais objetivos é garantir a preservação da herança bem como evitar que possíveis conflitos familiares aconteçam.

Ao mesmo tempo, quando tem empresas envolvidas na herança, o foco é garantir a continuidade do negócio, que pode ir a reina quando mal administrado ou quando existem brigas internas.

De maneira simples, o planejamento sucessório funciona como uma atitude racional a fim de evitar que as emoções tomem conta do dinheiro.

Principalmente após a perda do genitor ou responsável pelos negócios e dinheiro.

Exemplo clássico de tal condição é quando os sucessores decidem dividir o patrimônio e acabam quebrando uma empresa ou mesmo perdendo anos e milhares de reais com advogados.

Vale ressaltar ainda que isso evita os altos custos de um inventário, tornando tudo mais simples e seguro após a sua partida.

Vantagens do planejamento

O planejamento dos negócios familiares é parte essencial da vida e da rotina, sendo que quanto maior o faturamento, maior o cuidado.

Pensando nisso, existem algumas vantagens em optar por essa modalidade que podem ajudar você.

Redução dos custos:

Os brasileiros sabem, de maneira geral, que existem uma série de juros impostos sobre os valores recebidos a cada mês.

 

Ao mesmo tempo, existe o imposto de renda que precisa ser declarado e uma série de outras taxas impostas a quem tem um montante muito alto ou uma empresa.

Dessa forma, o planejamento sucessório vem como uma alternativa para todos esses custos, que podem comprometer muito a sua herança a longo prazo.

Em síntese, o primeiro custo reduzido é o de transferência de bens chamado de Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação.

Ou seja, sempre que alguém morre e a herança, bens e negócios serão passados a outra pessoa, cada Estado tem uma taxa de cobrança que pode variar de 1,5% a 8%.

Ao mesmo tempo, existe a custo do processo de inventário, com um imposto que varia de 2% a 8%, regularizar toda a documentação pode custar até 20% do valor patrimonial.

Porém, se o processo ainda contar com brigas e processos, existe o custo dos honorários dos advogados.

Com os custos de taxas crescendo a cada conta, a herança vai sendo cortada.

Portanto, dá para entender porque algumas famílias que deveriam ter muito dinheiro, terminam um processo de transmissão de bens com um valor bem abaixo do original.

Através do planejamento, todas essas questões ficam resolvidas de forma antecipada.

Logo, os gastos serão bem menores e os conflitos serão mínimos ou sequer existirão.

Planejamento sucessório garante a preservação dos bens:

É possível que você já tenha conhecido ou ouvido falar sobre alguma empresa ou bem que está a anos na mesma família, sem nenhum tipo de conflito.

Nesses casos, é possível dizer que isso aconteça de forma tão natural porque existe um controle acima dos membros.

Em regra, tudo fica mais simples e preservado.

 

Um exemplo clássico é quando os pais morrem, deixando dois filhos e duas casas.

Em um mundo perfeito, daria para dizer que os filhos entrariam em um acordo, mas o comum é que isso não aconteça.

Mesmo quando os imóveis custam o mesmo valor, cada um dos filhos teria direito a metade de cada propriedade.

No final, o s imóveis passariam anos até que algum acordo fosse firmado e, nesse tempo, ele perderia o valor e qualidade.

Comum essa história, não é?

Pois então, com o planejamento, tudo fica claro e simples: sem dúvidas, sem chance de briga e sem a possibilidade de que um imóvel, dinheiro ou empresa fique parado no tempo.

É uma garantia da continuidade da ação empresarial:

Na maior parte das vezes, quando o assunto é divisão de bens, os familiares logo pensam em casas e contas bancárias.

Entretanto, também pode ser que existam empresas e investimentos.

Sem um planejamento sucessório, tudo vai para os herdeiros diretos, como filhos e cônjuges.

Entretanto, pode ser que esses herdeiros não saibam como fazer as empresas e investimentos continuarem rendendo.

Sendo exatamente este o cenário para a falência ou perda de dinheiro.

Mais importante que isso, se o falecido tiver alguma ação, pode ser que o valor dela acabe sendo reduzido após a sua morte.

Por outro lado, um bom planejamento faz com que tudo isso fique em segundo plano e as coisas continuem funcionando exatamente como deveriam.

Assim, as ações não perdem o valor, empresas continuam rodando e investimentos continuam lucrando.

Uma opção para isso, é fazer com que um dos herdeiros tenham ações ordinárias ou ações preferenciais.

As ações ordinárias permitem o voto e gestão, enquanto o preferencial não tem poder de gestão, mas recebe os dividendos.

Enfim, todos saem ganhando, os negócios empresariais continuam em alta e ainda evita conflitos internos.

Como fazer o planejamento sucessório?

O planejamento pode ser feito de diferentes maneiras, como, através de um testamento, doação e usufruto, holding familiar ou previdência privada.

Para escolher o melhor método, é essencial conversar com um profissional qualificado que possa lhe ajudar a entender como cada opção pode beneficiar os seus familiares.

Portanto, não se esqueça de se preparar para o futuro da melhor forma que puder e ainda garantir que tudo aquilo que você construiu em vida vai continuar funcionando da melhor maneira possível.

Logo, as pessoas que amam você pode viver o luto ao longo do tempo, sem precisar se preocupar em lidar com papéis e advogados.

Por fim, você ainda tem alguma dúvida ou gostaria de saber mais sobre o planejamento?

Comenta aqui embaixo para que eu possa ajudar ou aproveite para compartilhar a sua experiência com nossos leitores.

Grande abraço e até o próximo post!

 

 

 

Comentar
Aposentar como empreendedor · 03/11/2020 - 11h26 | Última atualização em 03/11/2020 - 11h27

Como funciona a aposentadoria para o empreendedor?


Compartilhar Tweet 1



Você sabia que não é só o empregado assalariado que tem direito à aposentadoria? Também podem contribuir com a Previdência Social os empreendedores.

O Brasil já ultrapassou a marca de 10 milhões de Microempreendedores Individuais (MEI), um número significativo para a Previdência. Diferente dos profissionais autônomos, a contribuição do MEI é obrigatória e existem diferentes formas de contribuir, que possibilitam a escolha de diferentes tipos de aposentadoria.

Por isso, se você pensa em regularizar a sua atuação via MEI, é importante saber como funciona a aposentadoria para o empreendedor.

Com a Reforma da Previdência, muitas informações ficaram confusas para o contribuinte. Mudanças no tempo de contribuição, no calendário INSS, termos como regra de transição e aposentadoria por pontos podem dificultar na hora de escolher o melhor tipo de benefício.

Veja a seguir como funciona a aposentadoria para o empreendedor e tire suas dúvidas.

 

Quem é o Microempreendedor Individual (MEI)?

Todo trabalhador deve contribuir com a Previdência Social, seja ele assalariado ou não. A contribuição é facultativa em alguns casos: presidiários sem trabalho remunerado, estagiários, donas de casa, brasileiros que residem fora do país e síndicos que não recebem remuneração.

Com o crescimento do trabalho informal e das profissões autônomas, o governo adotou o MEI como uma alternativa para a formalização, garantindo a contribuição e o acesso aos benefícios da previdência.

Quem pode ser MEI?

Podem se formalizar como MEI os profissionais que exerçam as atividades previstas, com faturamento até R$ 81.000,00 por ano e até 01 funcionário contratado.

O MEI pode exercer uma atividade principal e até 15 secundárias, o que permite uma grande variedade de atuação no mercado. Ele pode ter acesso a benefícios como Seguro-Desemprego e Salário Maternidade, desde que esteja em dia com a contribuição e preencha alguns requisitos.

Para se formalizar, basta acessar o Portal do Empreendedor, clicar em “Formalize-se”, se cadastrar e seguir as instruções. O site é acessível, as informações são claras, sem burocracias e a formalização sai na hora.

Como funciona a aposentadoria para o empreendedor?

A Reforma da Previdência alterou as regras das aposentadorias e a alíquota de contribuição nos setores público e privado. Não houve mudanças para o Microempreendedor, a alíquota corresponde a 5% do salário mínimo, paga mensalmente pela guia de contribuição DAS-MEI, emitida no Portal do Empreendedor.

Além da contribuição mínima, o MEI pode contribuir com 15% do salário mínimo ou do próprio salário, cujo teto está em R$ 6.101,06, segundo o INSS.

Essa complementação possibilita que o MEI escolha alguns tipos de aposentadoria, diferente de quem paga a contribuição mínima, que só pode se aposentar por idade. Veja a seguir a diferença entre os dois tipos de contribuição.

Contribuição de 5% sobre o salário mínimo

Com a contribuição mínima, o MEI só pode se aposentar por idade e, com a Reforma, devem ser consideradas as regras definitivas e as regras de transição, dependendo de quando o empreendedor começou a contribuir.

Se o recolhimento começou antes de 12/11/2019, fica valendo a regra de transição da Aposentadoria por Idade. Os requisitos mudam para homens e mulheres:

Homens podem se aposentar com 65 anos completos, devem ter 15 anos de contribuição, adicionados de 6 meses por ano, de 2020 até atingir 20 anos de contribuição.

Mulheres podem se aposentar com 60 anos de idade, devem ter 15 anos de contribuição, adicionados 6 meses por ano, de 2020 até atingir 20 anos de contribuição.

Já se o recolhimento começou depois 12/11/2019, os requisitos mudam:

Homens podem se aposentar com 65 anos de idade, após 20 anos de contribuição.Mulheres podem se aposentar com 62 anos idade, após 15 anos de contribuição.

O valor da aposentadoria corresponde a um salário mínimo.

Contribuição de 5% + 15% sobre o salário mínimo ou sobre o salário do empreendedor

Além da contribuição mínima, o MEI pode complementar com 15% sobre o salário mínimo ou sobre o valor que fatura mensalmente. Com esse tipo de contribuição, há mais opções de aposentadoria:

Aposentadoria por idade: Mesmas regras da contribuição mínima, porém o valor é calculado da média dos 80% maiores salários, recebendo 70% +1% por ano de contribuição.Aposentadoria por tempo de contribuição: Extinta pela Reforma da Previdência.

Só tem direito a esse tipo de aposentadoria o empreendedor que contribuiu por 35 anos ou a empreendedora que contribuiu por 30 anos até 12/11/2019. O valor é calculado da média dos 80% maiores salários, multiplicada pelo fator previdenciário.

Aposentadoria por pontos: homens podem se aposentar com 35 anos de contribuição, com 96 pontos +1 ponto por ano a partir de 2020, até atingir 105 pontos. Mulheres, com 30 anos de contribuição, 86 pontos +1 ponto por ano, a até atingir 100 pontos. O valor é a média dos 80% maiores salários.

Essas regras podem ser confusas e é importante consultar um especialista, guardar seus comprovantes de contribuição e escolher o melhor tipo de benefício para você. O que achou de aprender como funciona a aposentadoria para o empreendedor? Conta pra gente nos comentários.

 

Comentar

Compartilhar Tweet 1



Não é segredo que estar presente na Internet não é mais uma opção, mas um dever de sucesso com seu negócio.

Por quê? Porque todos os dias os usuários da Internet ao redor do mundo se voltam para os mecanismos de busca para encontrar serviços ou produtos on-line, pois é uma forma mais econômica e eficaz de sua empresa ser encontrada por todos. É por isso que ter uma presença on-line é essencial. 

 

Hoje queremos compartilhar com você 3 chaves para que sua marca comercial ou pessoal não passe despercebida e você aumente sua visibilidade graças às alianças dentro do marketing digital para aumentar a visibilidade de seu negócio.


 


 

3 chaves para realizar sua estratégia de marketing conjunto

 

Uma estratégia de marketing na qual marcas ou organizações se associam para expandir seu alcance é conhecida como marketing conjunto.

Tradicionalmente, as empresas que colaboram entre si têm algumas semelhanças, como estar no mesmo setor ou ter públicos semelhantes. Mas, para alcançar a visibilidade digital desejada, você precisa considerar:

 

1. Defina os objetivos da empresa

 

Antes de entrar em contato com outras marcas para saber se elas querem trabalhar com você, estabeleça uma meta que deseja alcançar após esta parceria. Pergunte a si mesmo e defina o que exatamente você deseja alcançar com esse novo parceiro.

Quer aumentar seus seguidores nas redes sociais? o Você está procurando adicionar novos assinantes à sua newsletter ou aumentar seus clientes em potencial em um novo mercado? Seus objetivos influenciam diretamente a seleção das marcas com as quais você colaboraria e a probabilidade de atingir seus objetivos.

 

2. Como identificar o parceiro estratégico certo para você?

 

As marcas podem não querer trabalhar com um concorrente direto, portanto você deve procurar uma empresa com um mercado ou público que tenha uma localização geográfica, interesses ou outras características semelhantes.

Também é uma boa prática verificar que tipo de alianças ou parcerias tiveram no passado para verificar seu trabalho, rever sua reputação e possíveis alianças atuais para corroborar a abordagem deles e se é consistente com a sua e a que você quer propor.

Ao abordá-los, apresente-lhes uma proposta de co-marketing, onde você pode pensar sobre as possibilidades de promoção, o que você espera alcançar e por que poderia beneficiar ambas as marcas. 

Ela procura criar uma aliança com outra marca ou negócio que ofereça atributos e qualidade semelhantes, ao mesmo tempo em que proporciona maior exposição de marketing em um meio de distribuição alternativo. 

Escolha um parceiro que faça sentido para seu negócio e para o consumidor. Deve haver uma sinergia e um equilíbrio na relação entre duas marcas muito diferentes com as quais os consumidores se identificam. Para que funcione, deve ser uma relação vantajosa para todos, o consumidor ganha e ambas as empresas ganham. Por uma aliança estratégica para trabalhar,

Ambas as marcas são igualmente valorizadas: não porque seja mais antiga ou mais conhecida merece mais do que a sua!

Considere os valores de sua marca com os da outra. Eles devem corresponder um ao outro.

A estratégia que é realizada deve ser facilmente compreendida pelo consumidor.
 

3. Divulgação e promoção de marcas

 

Determine que pontos fortes você e seus parceiros têm e como melhor utilizá-los para otimizar suas promoções, lançamentos de produtos ou outros esforços de marketing. Por exemplo, sua marca pode ter uma equipe de marketing de mídia social e uma base de fãs maior do que seu parceiro. Você poderia então aproveitar esses recursos para aumentar sua interação comercial.

Não pense que não é para você! Toda empresa pode se beneficiar das mídias sociais.  Você só precisa selecionar as plataformas nas quais seu negócio pode se destacar, naturalmente identificar as de seu parceiro; em seguida, planejar o conteúdo que você deseja tornar público, pois a consistência é fundamental.

Enquanto isso, não se esqueça de fazer perguntas e incentivar a participação de sua comunidade. Isto pode dar um impulso significativo à sua visibilidade, assim como fazer um conteúdo que se conecte com sua comunidade. 

É claro que quando pesquisamos, não importa se é de seu dispositivo móvel ou laptop, você vai ao Google para obter mais detalhes.

Portanto, não se esqueça que os perfis das redes sociais também aparecem nos resultados da busca. Portanto, certifique-se de que suas informações comerciais ou de marca pessoal sejam as mesmas em todas as plataformas, portais, websites, diretórios locais.

Verifique se suas informações de contato estão completas em todos os seus perfis nas diferentes plataformas (um pouco como os diretórios, endereços, entre outros dados relevantes para tornar sua marca bem visível), pois se você tiver tudo otimizado é impossível não ser encontrado. 

Neste sentido, não é tanto quantos seguidores você tem ou gosta, mas a qualidade daqueles que se conectam e interagem com seu negócio.

Lembre-se que o trabalho em equipe é uma habilidade que é desenvolvida e deve ser priorizada, especialmente entre marcas, como ele permite: 

  • Aumente seu público e alcance.
  • Atrair novos mercados e demográficos.
  • Compartilhar recursos e experiência.
  • Relatar resultados uns com os outros

 

Você já fez uma aliança estratégica com marcas amigáveis para aumentar a visibilidade de seu negócio? Conte-nos sua experiência nos comentários, nós o leremos! 

Este artigo foi fruto de uma parceria e escrito pela equipe de rankingCoach

Comentar
Dicas para empreendedores · 30/10/2020 - 18h00 | Última atualização em 30/10/2020 - 18h07

Black Friday vem aí: o que comerciantes e consumidores esperam da data


Compartilhar Tweet 1





Depois de meses com o comércio estagnado, por conta da pandemia do novo coronavírus, o mercado está ansioso pela Black Friday - que ocorrerá no dia 27 de novembro. No começo de outubro, as principais tendências para a data foram discutidas no evento on-line Temporada Black Friday¹, organizado pelo Google.

 

Embora o preço baixo seja um dos grandes atrativos para os consumidores comprarem, o encontro revelou que apenas isso não é suficiente para o público. De acordo com o Google, o volume de buscas por cupom é 35x maior do que cashback. A razão para essa diferença deve ser porque os brasileiros já estão acostumados ao termo “cupom de desconto”, enquanto “cashback”, mesmo tendo um sentido semelhante, é algo mais recente, sem contar que é inglês.

 

Veja quais são as expectativas dos empreendedores e do público para o próximo grande evento do varejo!

 

Mais compras digitais

 

Por conta do fechamento das lojas físicas, muitos brasileiros descobriram o comércio eletrônico este ano. Segundo informações do Ebit², no primeiro semestre, 7,3 milhões de pessoas compraram pela internet pela primeira vez, um aumento de 38% com relação a 2019.

 

Diante disso, a expectativa é alta para a Black Friday. Quem antes tinha insegurança para comprar on-line este ano pode dar uma chance para o evento, movimentando ainda mais os e-commerces.

 

Maior experiência

 

Por outro lado, quem já tem experiência em comprar on-line percebe quando uma promoção é vantajosa ou não. Esse aspecto somado ao fato de que os consumidores estão prevendo as prioridades - depois de terem passado pelo isolado - pode fazer com que as exigência sejam ainda maiores.

 

Do lado das empresas, a Black Friday pode ser um momento para divulgar descontos realmente atraentes, lançarem novos produtos e conquistar os clientes.

 

 

Intenção de compra

Existem alguns produtos que costumam ser mais buscados durante a Black Friday. Entre agosto e setembro deste ano, diversas categorias analisadas pelo Google já eram mais buscadas do que durante a Black Friday de 2019.

 

Os produtos das categorias de televisores, eletrodomésticos, telefonia, móveis e decoração lideram as buscas mais uma vez. A surpresa é o segmento de comidas e bebidas - que sofreu aumento de preços nos últimos meses. Os consumidores estão procurando 40% e 23% mais por esses itens do que no mesmo período do ano passado. A expectativa, então, é que no evento deste ano haja um aumento nessas vendas, mesmo sendo uma importante data comercial no meio da pandemia³.

 

Retomada das lojas

Embora o comércio eletrônico seja o grande destaque da Black Friday no Brasil, as lojas físicas neste ano terão uma importância maior. Muitos comerciantes estão aguardando a oportunidade para voltar a receber os consumidores.

 

Ainda assim, a internet pode ser uma aliada no processo. As Lojas Cem Online⁴ são um exemplo disso. No ano passado, a rede de eletrodomésticos anunciou no site e nos catálogos digitais as promoções. No entanto, a empresa não vende pela internet. A divulgação foi feita para levar os clientes até às lojas físicas.

 

Em comércios como Leroy Merlin, Magazine Luiza e Carrefour a compra pode ser feita de forma omnichannel, ou seja, em dois canais. A pessoa pode comprar pelo internet e retirar o produto na loja, se for mais fácil para ela.

 

Como visto, a Black Friday é o fôlego que os comerciantes e consumidores precisam. De acordo com as informações já divulgadas pelo Google, mais pessoas estão comprando pela internet e interessadas em comprar comidas e bebidas, além dos produtos mais buscados nos anos passados. Por sua vez, as empresas podem aproveitar a oportunidade para fazer ótimos negócios, lançar produtos e se aproximar de quem estava distante das compras, por causa da pandemia.

 

 

Fontes:

 

1:https://canaltech.com.br/black-friday/google-tendencias-black-friday-2020-172606/

 

2:https://valorinveste.globo.com/mercados/brasil-e-politica/noticia/2020/08/27/comrcio-eletrnico-fatura-r-388-bilhes-no-1-semestre-e-tem-alta-recorde-de-47-pontos-percentuais.ghtml

 

3:https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2020/10/08/internas_economia,1192483/black-friday-brasil-em-meio-a-pandemia-como-sera-este-ano.shtml

 

4:https://www.portafolhetos.com.br/lojas-cem/

Comentar
Nicho: como atingir o seu? · 28/10/2020 - 15h40

Marketing de nicho: como ter bons resultados e alavancar sua empresa


Compartilhar Tweet 1





Sabe quando aquele anúncio na TV ou na Internet parece ter sido feito pra você e a sua galera? Pois é, trata-se de marketing de nicho, uma das estratégias mais eficientes do mercado de marketing. 

Ao utilizar o marketing de nicho você aumenta consideravelmente suas chances de agradar o cliente e, consequentemente, aumentar o lucro e sua clientela.

Mas como obter bons resultados e alavancar sua empresa utilizando o Marketing de nicho? Primeiro vamos entender o que é nicho de mercado.

O que é nicho de mercado?          

Nicho de mercado é um grupo de pessoas que possuem interesses em comum e comportamento semelhante, como jogadores de videogame, por exemplo. Mas dentro desse grupo, temos subgrupos ainda menores de jogadores, como casuais, extremos, pessoas que só jogam vídeo game nos celulares, etc.

Quanto mais específico o grupo, mais eficaz é o marketing de nicho.

Entendendo as necessidades desse nicho, o marketing passa a ser mais direcionado e, consequentemente, mais eficiente, pois há uma maior identificação por parte do público alvo.

Agora que você entendeu o que é nicho de mercado, vamos entender como marketing de nicho funciona e como ter bons resultados e alavancar sua empresa.

O que é marketing de nicho e como ele funciona?

Muitos acreditam que quando falamos de marketing de nicho estamos nos referindo a um público pequeno. Mas não é verdade. Marketing de nicho visa um público específico que não consegue encontrar soluções para o que ele precisa em outras empresas, mas isso não significa que ele não possa ser um grupo grande de pessoas.

Por exemplo, com o surgimento do Covid-19 todo mundo começou a usar álcool em gel. Mas e as pessoas alérgicas, como fizeram? Surgiu então um mercado de nicho que pôde ser explorado por indústrias farmacêuticas e de produtos de limpeza. Então, aquela pessoa que comprou o desinfetante anti alérgico daquela marca cria familiaridade e começa a consumir outros produtos da mesma empresa.

Isso é um ponto importante: ao fidelizar um cliente utilizando marketing de nicho você pode atraí-lo para outros produtos da sua empresa, alavancando as vendas como um todo. 

Ou seja, aplicar marketing de nicho é resolver todas as necessidades de um grupo de clientes considerando todas as suas particularidades e desejos.

 

Para tanto, suas estratégias devem ser voltadas para segmentos bastante específicos, suprindo, dessa forma, as necessidades dos seus clientes de forma mais assertiva.

Mas é claro que primeiro é fundamental conhecer o seu cliente. O que ele quer? O que ele gosta? O que ele vai encontrar na sua empresa que não encontra no seu concorrente?

Fazer uma pesquisa de mercado é fundamental para identificar esses pontos e assim, desenvolver uma campanha eficiente, evitando gastos desnecessários.

Além disso, é muito importante saber onde aplicar sua estratégia de marketing. Hoje em dia, a Internet é o lugar mais eficiente para pequenas e micro empresas anunciarem seus produtos e serviços.  Um dos lugares mais eficientes para lançar sua campanha é no Facebook, que só no Brasil possui mais de 127 milhões de usuários. Além de custar relativamente pouco, o retorno do público é quase imediato. Instagram e Tik Tok também são boas opções dependendo do seu público alvo.  

Quais os benefícios do Marketing de Nicho?

Agora que você já sabe o que é marketing de nicho e como aplicá-lo, você deve estar se perguntando: “mas por que eu deveria fazer isso?”

O objetivo do marketing de nicho é atender a um grupo específico de pessoas e ao fazer isso, você:

  • Limita a concorrência

O cliente está procurando um produto ou serviço que não encontrou em outro lugar, portanto, a concorrência é baixa ou, às vezes, até inexistente.

São poucas as pessoas que tem uma piscina em casa e não é raro acontecer dos canos da piscina entupirem. Desentupidoras existem aos montes. Mas e se sua empresa for especializada em desentupir piscinas? A Protec Pragas, por exemplo, poderia desenvolver uma campanha de marketing voltada ao desentupimento de piscinas. Ao procurar em um site de busca pelas palavras “desentupir piscina”, ela poderia ter a campanha mais atrativa e conseguir atrair o cliente. Uma vez conquistado, as chances desse cliente chamar a empresa para realizar outros serviços é grande. Mas se ela não tivesse conquistado esse cliente por conta do desentupimento de piscinas, talvez ele optasse por uma marca mais conhecida para fazer outros serviços.

  • Investimentos sem desperdício

Uma vez voltado para um público específico, seus investimentos tendem a serem mais assertivos e suas campanhas são mais eficientes, evitando assim, desperdício de tempo e dinheiro em ações que não geram resultados positivos.

Se o seu público não come carne não vale a pena lançar um produto com carne. É muito mais eficiente lançar algo a base de soja, por exemplo.

  • Economia na publicidade

Por se tratar de marketing de nicho, você pode lançar mão de campanhas menores e mais direcionadas ao seu cliente, evitando gastos com grandes campanhas publicitárias que não afetam a maior parte dos consumidores.

  • Direcionamento na linguagem

Ao conhecer o seu público, fica mais fácil entender o que eles gostam, como eles falam, o que eles assistem, etc. Dessa forma você consegue desenvolver estratégias de marketing que se comunicam com o cliente. Se o seu nicho for homens ricos com mais de sessenta anos será que um comercial com um YouTuber adolescente ou um texto repleto de gírias vai cair bem?

Agora que você sabe de tudo isso, que tal aplicar o marketing de nicho para ter bons resultados e alavancar sua empresa? Comente abaixo quais são suas ideias para aplicar o marketing de nicho no seu negócio.

Comentar
marketing para área da saúde · 26/10/2020 - 09h20

Marketing na medicina: saiba como aplicar


Compartilhar Tweet 1



Se você tem uma clínica, hospital privado ou algum tipo de laboratório, precisa aprender como trabalhar com o Marketing na Medicina. Afinal, existem regras específicas que ajudam a delimitar o campo publicitário nessa área. Portanto, é essencial saber como trabalhar a sua estratégia publicitária para conseguir mais clientes e não sofrer sanções.

Atualmente, o marketing na Medicina é uma poderosa ferramenta para médicos e empreendedores na área de saúde que precisam de novos clientes. Quem souber como usar essa ferramenta poderá empreender, abrir a própria clínica e conseguir faturar sem precisar trabalhar para nenhum hospital ou com nenhum chefe.

Quer saber como usar o marketing na medicina a seu favor? Então siga a leitura do artigo abaixo!

Saiba o que pode e não pode ser feito no Marketing na Medicina

O primeiro ponto para poder fazer um bom marketing na Medicina é entender o que pode ou não pode ser feito. Afinal, há limitações éticas que o Conselho Federal de Medicina proíbe para poder gerar uma boa comunicação no segmento.

Por exemplo, sua clínica acabou de comprar aquele novo equipamento de radiologia da ICRX e você quer mostrá-lo nas redes sociais? Isso não é permitido. Fotos de antes e depois dos pacientes? Também não.

Evitar cometer os erros de usar elementos proibidos pelo CFM é essencial para não sofrer com punições que podem ir desde uma multa até o fechamento da sua clínica.

Invista no Marketing de Conteúdo para atrair clientes

O Marketing de Conteúdo é, possivelmente, a estratégia de marketing na medicina mais poderosa. Afinal, ele é capaz de angariar pacientes, criar autoridade e encher a agenda de uma clínica.

O Marketing de Conteúdo consiste na criação de conteúdo atrativo (artigos, infográficos, vídeos) de modo a atrair os usuários que fazem pesquisas sobre o tema nos motores de busca. Só o Google, por exemplo, tem 100 bilhões de pesquisas mensais no mundo todo.

O que faz com que essa estratégia seja tão positiva na medicina é o fato de que os clientes pesquisam regularmente sobre sintomas, tratamentos, remédios e outras informações. Poder informar o público é uma ótima maneira de gerar autoridade e fazer com que as pessoas confiem na sua clínica para marcar um exame ou consulta.

Assim, a clínica pode criar conteúdos de qualidade para tirar dúvidas das pessoas, torná-las em leads, explicar os procedimentos e criar a autoridade necessária para que o consumidor lembre-se da sua marca quando precisar de atendimento médico. Essa estratégia é especialmente positiva para quem realiza procedimentos estéticos e não-urgentes.

Use e-mail marketing dentro das regras para sua clínica

O e-mail marketing, desde que usado dentro das regras do CFM, é uma ferramenta poderosa para um negócio médico. Isso porque ele pode ser usado tanto para confirmar agendamentos, enviar instruções e resultados de exames.

No entanto, também é uma ferramenta ótima para entrar em contato direto com os clientes, elucidar dúvidas e também oferecer um caminho mais fácil para marcar uma consulta, especialmente quando se usa um chatbot.

Tenha presença nas redes sociais da maneira certa

Por fim, as redes sociais também são ferramentas poderosas para empresas médicas. No entanto, é essencial seguir as regras do CFM por lá, para evitar punições.

Se souber como usá-las, será possível gerar engajamento com os consumidores e tornar a sua empresa ainda mais relevante perante o público, o que se traduz em uma agenda cada vez mais cheia.

Agora você já sabe como fazer o marketing na medicina do jeito correto e não cometerá mais erros nessa área. Dessa forma, conseguirá atrair clientes para a sua clínica, terá a agenda sempre lotada e poderá trabalhar no seu próprio ritmo. Além disso, aquele sonho de ter um consultório ou clínica próprios está mais próximo de ser realizado.

Gostou do assunto? Então comente abaixo com a sua opinião sobre ele!

Comentar
Advogado: como atuar online · 24/10/2020 - 20h48

Como promover seu negócio de advocacia online?


Compartilhar Tweet 1



Como um escritório de advocacia, não importa quão boa seja sua reputação. Se você não for pró-ativo em atrair novos interessados pela internet, com o marketing de seu negócio, sempre enfrentará desafios.


 


 

É por isso é importante que você torne o mais fácil possível para que clientes em potencial encontrem você. Para que isso aconteça, você precisa promover ativamente seus serviços na internet. Separamos algumas dicas para advogados e escritórios de advocacia.

 

1. Invista em um bom trabalho de SEO

A otimização de mecanismos de pesquisa (SEO), é a prática de utilizar estratégias específicas orientadas a objetivos para obter uma classificação mais alta do seu site nas páginas de resultados dos mecanismos de pesquisa (SERPs), como o Google. Se você não tem tempo para aprender o lado técnico, contrate um especialista em SEO ou um redator especializado em redação de SEO para dar uma reformulação em seu site.

 

Se você está optando por otimizar seu site por conta própria, as seguintes práticas recomendadas são um bom lugar para começar:

 

Tente obter mais backlinks organicamente, criando ótimo conteúdo e colocando botões para os leitores compartilharem; Adicione links para outros sites de alta qualidade em seu próprio conteúdo; Faça uma pesquisa cuidadosa de palavras-chave e coloque palavras-chave relevantes em seus textos; Use plug-ins como Yoast SEO para avaliar o potencial de SEO de cada página (caso utilize o WordPress).

 

Se você não tem certeza de onde seu site está em termos de classificações atuais de SEO, você pode usar uma ferramenta como o SEMrush ou Ahrefs. Isso fornecerá uma análise detalhada da saúde atual do seu site.

2 - Desenvolva sua marca

De acordo com um estudo realizado pela LexisNexis, 85% dos escritórios de advocacia descobrem que a maior parte do tráfego de seu site é direcionado às páginas de biografia de seus advogados. Por isso é muito importante a otimização da página pessoal de cada profissional quando se desenvolve site para advogados.

 

Isso ocorre porque seus clientes em potencial estão procurando contratar um advogado, não uma empresa. Eles querem ver quem são esses advogados como indivíduos. Só então eles realmente entrarão em contato.

 

Isso significa que cada advogado em sua empresa deve tomar medidas para promover ativamente sua marca pessoal online. Isso os ajudará a parecer mais do que apenas uma imagem genérica no site de uma empresa.

 

Faça com que cada funcionário preencha sua própria biografia, incluindo todas as seguintes informações:

 

Experiência de trabalho, diplomas e outras credenciais; Palavras-chave relevantes para posicionamento no Google; Uma foto profissional de perfil; Links para publicações e redes sociais; Vídeo de apresentação se tiver.

 

Perfis do Linkedin: O Linkedin é uma rede social voltada para negócios e networking com outros profissionais da indústria, dessa forma, cada funcionário da sua empresa deve ter uma conta lá.

 

Para garantir que seus funcionários obtenham todos os benefícios de suas contas do Linkedin, eles devem fazer o seguinte:

 

Preencher todos os detalhes de perfil do Linkedin; Uma descrição interessante deles mesmos e dos serviços que oferecem; Faça upload de uma foto de perfil profissional. Junte-se a grupos relacionados à indústria e participe de discussões com outros membros do grupo.

 

3. Invista em pesquisa paga (Google Ads)
 

A pesquisa paga do Google oferece uma grande oportunidade para os advogados serem encontrados no exato momento em que as pessoas procuram ajuda. Ao entender exatamente o que seus clientes estão procurando, você pode ajustar uma campanha do Ads para capturar um cliente qualificado.

 

A grande vantagem dos anúncios pagos, é a rapidez para aparecer para quem procura por seus serviços naquele exato momento, sem precisar ter que esperar resultados orgânicos, que é o caso do SEO.

 

4 - Use vídeos a seu favor
 

O conteúdo em vídeo é um mar de oportunidade para escritórios de advocacia que buscam se destacar online. O Youtube é o segundo maior mecanismo de busca do mundo e é propriedade do Google. Na verdade, o Google classifica os vídeos dos sites nas pesquisas em alguns casos.

 

Para advogados, recomendamos a criação de um canal no YouTube com uma série de vídeos falando sobre áreas específicas de prática e cenários específicos em que clientes em potencial podem estar envolvidos e tenham dúvidas frequentes, assim como responder dúvidas comuns deles.

 

Caso não tenha tempo, use um vídeo de 90 segundos (ou mais curto) em sua página inicial, mostrando o que você faz e por que o faz. No final do vídeo, ofereça uma lista de dicas interessantes e gratuita aos visitantes com uma frase de chamariz para inserir seus endereços de e-mail.

 

Espero que estas dicas lhe ajude a promover o seu negócio de advocacia na internet.

 

Artigo escrito por Wellington Duarte - SJS Web Design.

Comentar