Reclamação e dor de cabeça · 06/02/2018 - 18h19 | Última atualização em 06/02/2018 - 18h35

Empresas ficam no prejuízo por demora da Eletrobras em ligar energia


Compartilhar Tweet 1



As deficiências dos serviços prestados pela Eletrobras distribuição Piauí causam transtornos não só à população que diariamente sofre com quedas de energia e equipamentos danificados em suas casas, mas prejudica significantemente a economia do estado. Se não bastasse a insuficiência energética que faz empresas e indústrias mudarem para a vizinha cidade de Timon (MA), pequenos empreendimentos enfrentam problemas diariamente para terem acesso ao fornecimento.

Um dos casos aconteceu com o empreendedor Petrus Evelyn, que precisou mudar sua empresa para o Centro de Teresina e solicitou a ligação da energia, mas há dez dias o estabelecimento está sem funcionar por falta da realização do serviço.

O proprietário conta que já fez duas solicitações, na primeira deram o prazo de três dias, após se passar oito dias sem resposta, ligou novamente e a Eletrobras não precisou o novo prazo.

"Estou mudando a sede da minha empresa para um outro estabelecimento e solicitei a ligação da energia elétrica há 10 dias e a Eletrobras simplesmente ignora os meus pedidos. Todos os funcionários dão um prazo diferente de 3, 10, 15 dias e sempre complementam: mas acho que esse prazo não será respeitado”, disse o proprietário.

"Estou tendo prejuízos financeiros, perdendo vários dias de trabalho, indo lá abrir mais uma solicitação e nada acontece”, completa.

Outra empresária, que preferiu não ser identificada, teve o mesmo problema no mês passado quando solicitou a ligação elétrica no restaurante que ia abrir. "Foi um mês de suplício, ligando todo dia, cobrando, até para fazer uma reforma estava difícil porque não tinha energia. Me senti humilhada. É caro, o serviço é péssimo e a gente fica impedido de trabalhar, só depois de muito sacrifício vieram fazer a ligação", diz.

"Atrasou tudo. Você conta com um prazo, mas já tem um planejamento, tem funcionário para pagar, tem fornecedor para tratar, tem clientes para atender, e quando ficamos tanto tempo sem funcionar, ficamos com o prejuízo", completa a empresária.

O 180 chegou a entrar em contato com a Eletrobras para tratar do assunto, mas o primeiro caso ficou sem nenhuma solução depois de 24 horas da comunicação do fato.

 

Comentários