• Paciente crônicos poderão agravar a doença por falta de hidroxicloroquina

    A hidroxicloroquina, medicamento imprescindível para a manutenção da vida de muitos pacientes, desapareceu das farmácias de Teresina, porque houve uma verdadeira corrida para sua aquisição, por ser um medicamentos que pode vir a ser utilizado no tratamento do corona vírus (fato ainda não estudado completamente)!

     – Tenho visto pacientes com doenças graves, como lúpus e artrite reumatoide, saírem daqui chorando quando não encontram o seu medicamento - disse uma farmacêutica de uma rede, que não quis se identificar.

    A hidroxicloroquina é um medicamento pouco utilizado, em patologias de baixa incidência e, portanto, sua fabricação não é feita em grande escala, como os antibióticos e anti-inflamatórios. Uma corrida a aquisição desenfreada neste momento, certamente levará a um desabastecimento em curto prazo e ao agravamento do quadro de muitos pacientes que já a utilizam de forma permanente.

    Mas atenção! Lembro aqueles que estão adquirindo hidroxicloroquina e pretendendo utilizá-la sem prescrição médica, em caso de sintomas de gripe, que a mesma possui efeitos colaterais graves, como os que relaciono a seguir:

    As mais comuns e afetam até 10% dos pacientes: anorexia, dores de cabeça, e o que considero mais grave: labilidade emocional, que neste período de quarentena pode ser bem complicado e levar a desencadear sintomas mais raros, como nervosismo, quadros psicóticos e até mesmo suicidas! Pode acarretar ainda visão borrada com alterações na pigmentação e do campo visual, que pode levar a uma retinopatia (em até 1% dos pacientes) e até mesmo a maculopatia e degeneração macular irreversível (ainda que muito rara), mesmo com a descontinuação do tratamento.

    Outros distúrbios graves, ainda que muito raros, também podem aparecer, tais como: depressão da medula óssea, anemia, anemia aplástica, agranulocitose, leucopenia, trombocitopenia, quadro exatamente o contrário do que se busca, que é fortalecer o sistema imunológico e não destruí-lo

    Outro fato grave é que com o desaparecimento do produto do mercado, não será possível utilizá-los nos pacientes com corona vírus que realmente venham a necessitar, pois tem até o momento, menos de 10 pacientes com a doença confirmada, centenas de pacientes com outras patologias que realmente necessitam e que ficaram sem o produto, enquanto milhares de pessoas que estão estocando o produto e que nunca certamente o utilizarão.

  • Nova regra aprovada pela Anvisa permite que farmácias ofereçam serviços

    A Diretoria Colegiada da Anvisa aprovou, nesta terça-feira (12/12), resolução que permite a qualquer estabelecimento de saúde realizar atividade de vacinação, incluindo farmácias e drogarias. O regulamento deverá ser publicado no Diário Oficial da União nos próximos dias.

    A norma dá ao setor regulado mais clareza e segurança jurídica quanto aos requisitos que devem ser seguidos em todo o território nacional. Além disso, as vigilâncias sanitárias das Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde poderão exercer a fiscalização a partir de norma mais objetiva e uniforme quanto às diretrizes de Boas Práticas em serviços de vacinação, independentemente do tipo de estabelecimento.

    Aos usuários, será possível a identificação, de maneira clara, dos estabelecimentos que oferecem o serviço de vacinação de acordo com os requisitos de qualidade e segurança definidos pela Agência, além de ter sua rotina facilitada pelo aumento das opções de escolha quanto ao local de prestação do serviço. Serviços de saúde - públicos, privados, filantrópicos, civis ou militares – que realizam vacinação humana terão de cumprir a regra nacional.

    São requisitos mínimos para o funcionamento de estabelecimentos que oferece vacinação:

    Licenciamento e inscrição do serviço no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES);

    Afixação do Calendário Nacional de Vacinação, com a indicação das vacinas disponibilizadas;

    Responsável técnico;

    Profissional legalmente habilitado para a atividade de vacinação;

    Capacitação permanente dos profissionais;

    Instalações físicas adequadas, com observação da RDC 50/2002 e mais alguns itens obrigatórios a exemplo do equipamento de refrigeração exclusivo para a guarda e conservação de vacinas, com termômetro de momento com máxima e mínima;

    Procedimentos de transporte para preservar a qualidade e a integridade das vacinas;

    Procedimentos para o encaminhamento e atendimento imediato às intercorrências;

    Registro das informações no cartão de vacinação e no Sistema do Ministério da Saúde;

    Registro das notificações de eventos adversos pós vacinação e de ocorrência de erros no Sistema da Anvisa;

    Possibilidade de vacinação extramuros por serviços provados; e

    Possibilidade de emissão do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP).

    O serviço já era regulamentado em alguns estados, como São Paulo, Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais e Brasília.

  • Conciliação de medicamentos como forma de aumentar a segurança do paciente

    A segurança na prescrição e uso de medicamentos é uma das principais preocupações de órgãos de saúde ao redor do mundo, por se tratar de uma questão que envolve diretamente a segurança do próprio paciente. O enfrentamento do problema faz parte de um grande esforço internacional, que envolve a Organização Mundial de Saúde (OMS), Ministérios da Saúde e órgãos congeneres de todos os países desenvolvidos, manifestada aqui no Brasil, pelo Ministério da Saúde, com o Programa Nacional de Segurança do Paciente.

    Dentro da proposições para aumentar a segurança do paciente, a conciliação de medicamentos é um serviço clínico realizado por farmacêuticos, que tem como essência, fazer fluir as informações sobre os diversos medicamentos utilizados por um mesmo paciente. É uma atividade muito específica em resolver o problema de como as informações podem se perder, na medida em que a pessoa está sendo cuidada por muitos profissionais de saúde.

    Por acompanhar o paciente me todos os níveis de atenção, o farmacêutico é um profissional com grande capacidade de agregar nessa meta de segurança, pois caminho que geralmente envolve hospital, consulta em médicos de variadas especialidades, termina na farmácia. Em todo este percurso, muitas informações podem se perder, como sobre o que ele usa, o que e ele poderia usar e o que ele deveria usar, quando ele migra entre os diferentes profissionais que vão cuidar da saúde dele? A conciliação tem esse caráter de fazer todos os profissionais envolvidos sejam conhecedores de todas as intervenções feitas no paciente, tendo o farmacêutico, por ter contato direto com o paciente em todos os níveis de atenção, a capacidade de atuar como um mediador de todo este acompanhamento e também a possibilidade de encaminhar esses casos para outros serviços.

    No Brasil o assunto tem sido tema de recentes congressos, como o ocorrido recentemente no I Congresso Brasileiro de Ciências Farmacêuticas, entre os dias 15 a 18 de novembro, em Foz do Iguaçu (PR). Os farmacêuticos piauiense têm grande potencial , pois já vêm a algum tempo, se preparando para ofertar estes serviços a comunidade. Atualmente 25% dos farmacêuticos piauienses já se capacitaram ou estão se capacitando com especializações que serão de suma importância na implantação destes serviços, como especializações em farmácia clínica e farmacologia avançada.
     

  • Farmacêuticos escolherão, de hoje até sexta -feira, seus representantes no CRF-PI

    Do meio dia de hoje (08/11) até o meio dia de sexta-feira, os farmacêuticos de todos o Brasil estarão escolhendo novos representantes para seus Conselhos.

    No Piauí, além da renovação de nove conselheiros, cinco para o período de 2018 a 2021 e quatro para o período de 2019 a 2022, será escolhida também a nova diretoria para o biênio 2018/2019.

    Lembramos a todos os farmacêuticos que o voto além de ser um direito, é também uma obrigação, pois aqueles que estiverem aptos e não votarem, estarão sujeito a multa equivalente ao valor de metade da anuidade.

    Farmacêuticos, exerção sua cidadania e escolha seus representantes! Analise as propostas e as ações de cada um dos candidatos e escolham aqueles que melhor representam o compromisso social, a ética e os valores da profissão farmacêutica.

    Bons votos!

  • Informa-se ao máximo com o médico para ajudar a escolher tratamento mais adequado

    Os idosos são os pacientes que mais podem ser afetados pelos efeitos colaterais de alguns medicamentos e pelas mudanças no estilo de vida devido à intensidade do tratamento.

    O diabetes tipo 2 afeta a capacidade do organismo de controlar os níveis de açúcar no sangue. A doença pode estar ligada à obesidade e, no longo prazo, causar problemas cardíacos, nas funções renais, no sistema nervoso e até cegueira. O tratamento consiste em combinar restrições a dieta alimentar com o uso de medicamentos antidiabéticos, como metformina, para baixar as taxas de açúcar no sangue e prevenir os sintomas da doença.

    Porém, existem alguns estudos que advertem, que os tratamentos com medicamentos podem causar mais efeitos colaterais em idosos, do que benefícios. Segundo especialistas, um diabético de 45 anos que consegue reduzir o nível de açúcar no sangue em um ponto percentual consegue, em retorno, dez meses de vida saudável. Já para um paciente de 75 anos sob as mesmas medicações, esse ganho é reduzido para apenas três semanas.

    Além disto, os pacientes mais velhos geralmente fazem outros tratamentos para outras comorbidades, tais como injeções diárias de insulina, exames de sangue frequentes, remédios que causam indigestão e enjoos, que podem levar a um maior risco de hipoglicemia.

    Há pesquisadores que defendem que os portadores da doença devem ter o direito de saber quais os reais benefícios do tratamento em relação a ganhos na expectativa de vida e redução do risco de doenças cardíacas ou cegueira e o próprio paciente decida por aceitar ou não mais um tratamento e, todas as opções disponíveis e as formas de realizá-lo.Para o Instituto Nacional para Saúde e Excelência Clínica da Grã-Bretanha (Nice, na sigla em inglês) o controle dos índices glicêmicos em diabéticos tipo 2, não deve prejudicar sua qualidade de vida.

     

  • O dia 25 de setembro é comemorado em todo o mundo como o dia do farmacêutico.

    Em muitos países o farmacêutico é um dos profissionais de saúde mais respeitados e imprescindíveis a uma saúde de qualidade, seja pública ou privada. Em um contingente de aproximadamente 4 milhões de farmacêuticos em todo o mundo, este profissional membro da equipe de saúde responsável por otimizar tratamentos, procurando reduzir efeitos colaterais e os riscos de intoxicações, possibilitando ao paciente que o mesmo obtenha o melhor da terapêutica com o menor dano possível ao organismo.

    Aqui no Brasil, o farmacêutico atua ainda no laboratórios de análises clínicas, onde são responsáveis pela grande maioria dos exames laboratoriais realizados no País. Possuem ainda grande atuação na área educacional e em mais de setenta outras áreas afins.

    Parabéns a todos os farmacêutico!

     

  • Idade biológica x idade cronológica

    Nem sempre a idade expressa na nossa certidão de nascimento retrata a idade do nosso corpo, pois não considera diversos fatores, que sejam, o como o tratamos, como o alimentamos, os riscos e vícios que os impomos ou ainda os fatores genéticos que carregamos.

    Mas, afinal, como medir a idade? Os desgastes do tempo ocorrem com a mesma intensidade para todos? Como encontrar um número certeiro, que mostre a qualidade com que seu corpo está funcionando, que prevê o seu tempo de envelhecimento e os possíveis riscos de saúde sem ser exatamente a idade impressa no sua certidão de nascimento?

    Um estudo da instituição de ciências norte-americana PNAS (Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States) analisou o funcionamento dos múltiplos sistemas do corpo humano de cerca de 1000 jovens adultos, e obteve resultados discrepantes. Alguns dos participantes envelheciam três vezes mais rápido do que outros com a mesma idade.

    Munidos de dados funcionais do fígado, rim, coração, pulmão, sistema imunológico, taxas metabólicas, níveis de colesterol, condicionamento aeróbico, memória, raciocínio, criatividade e informações genéticas, a equipe de cientistas construiu um algoritmo que calcula a idade biológica de uma pessoa e prevê seu ritmo de deterioração. Além dessa análise ajudar os profissionais de saúde a serem mais precisos em sua conduta assistencial, o paciente acaba tendo maior noção de suas condições e alternativas para a melhoria delas.

    Entretanto, o teste de idade biológica ainda precisa de melhorias e preços menos elevados até chegar comercialmente no mercado, segundo o pesquisador Dan Belsky, da Duke University Center for Aging. O sonho é medir a idade biológica retirando apenas uma pequena amostra de pele ou sangue, mas, por enquanto, os cientistas ainda discutem e discordam sobre o que constitui um bom marcador para o teste.

    A título de curiosidade, aqueles que quiserem calcular a sua idade biológica, ainda de de forma não tanto precisa, existe um site um português que faz este cálculo analisando alguns parâmetros de como está sua saúde e os cuidados que você tem, a longevidade de seus ancestrais e até os cuidados no trânsito para lhe atribuir uma idade biológica e sua expectativa de vida. O site é http://pt.calcuworld.com/esportes/idade-biologica/.

  • Caixas de medicamentos transportados de maneira irregular no aeroporto de Teresina

    Medicamentos são produtos facilmente perecíveis se armazenados ou transportados de forma incorreta, podem ter sua qualidade e eficácia comprometidas, considerando que a maioria destes não podem ser submetidos a temperaturas superiores a 30 graus Celsius, temperatura esta facilmente ultrapassada em 365 dias do ano em Teresina.

    Entre muitas viagens já realizadas a trabalho, não era incomum deparar com o transporte irregular, de medicamentos, ou seja, submetendo-os a intempéries (frio, calor e sol) em aeroportos que estão entre os maiores da América Latina, como Brasília e Guarulhos.

    Ontem, por conta de problemas técnicos de um voo, ficamos durante uma hora e meia dentro da aeronave e, durante todo este tempo, foi possível ver e fotografar um carro de transporte de bagagens carregado de caixas de laboratórios de medicamentos em pleno sol da tarde teresinense, durante o horário de 14:50 até aproximadamente 16:30, quando buscamos o posto da Anvisa que fica no aeroporto e solicitamos verificação e providências.

    Caso realmente se trate de medicamentos, o que é muito provável, não nos será possível saber se o tempo de exposição destes medicamentos a temperaturas bem superior a preconizada foi suficiente para arruiná-los, porém o risco é grande. E se chegarem a ter danos a qualidade, o prejuízo será da população que os irá consumir, seja ao adquiri-los em uma farmácia ou recebê-los em um leito hospitalar.

    Esperamos que as Vigilâncias Sanitárias fiquem atentas para que não tenhamos que depender da sorte.

  • Arritmias cardíacas: cuidados que ajudam a preveni-las

    Emboras poucas pessoas se deem conta, as arritmias destacam-se como um dos problemas cardiovasculares mais comuns enfrentados pela população. A doença provoca aceleração ou retardamento dos batimentos cardíacos e que podem ser prevenidas por meio da adoção de alguns hábitos simples no dia-a-dia.

    A fibrilação atrial, o tipo mais comum de arritmia ainda é uma doença que leva os átrios do coração a contraírem de forma desordenada, prejudicando o bombeamento do fluxo de sangue para o restante do corpo. Essa condição, que atinge sobretudo a população idosa, tem como principais sintomas as palpitações, que causam um forte mal-estar e a sensação de que o coração está disparando, além de tonturas e cansaço. Estes sintomas aparecem sobretudo em sua forma aguda, e o diagnóstico costuma ser feito em situações de emergência por um eletrocardiograma.

    A fibrilação atrial, além do descompasso cardíaco, dificulta a circulação do sangue facilita a formação de coágulos dentro do coração que, ao transitarem pelo sistema circulatório, têm potencial de provocar consequências graves para os pacientes. A consequência mais séria ocorre quando um coágulo migra para o cérebro por meio das artérias carótidas, bloqueando o fluxo de sangue para o órgão e provocando um acidente vascular cerebral (AVC) – mais conhecido como derrame cerebral, de tipo isquêmico. Este é o tipo mais comum de AVC, representando cerca de 85% dos casos, e pacientes com fibrilação atrial têm até cinco vezes mais chances de tê-lo em relação a pessoas com uma frequência cardíaca normal.

    COMO PREVENIR

    As arritmias como a fibrilação atrial, apesar de comuns e de serem porta de entrada para problemas mais graves, estão muito relacionadas a hábitos prejudiciais praticados no decorrer da vida e podem ser prevenidas por meio da adoção de um estilo de vida mais saudável.

    Vamos a eles:

    1) Praticar exercícios físicos

    Os exercícios trazem benefícios físicos, sociais e psicológicos, levando a uma melhora no humor e consequentemente ao fortalecimento do sistema imunológico. Combatem não somente a arritmia, mas também diversos outros males que se agravam no decorrer da vida, como o diabetes, a osteoporose o aumento indesejado de peso, além de diminuir o estres e a ansiedade.

    2) Ter uma alimentação saudável

    Alimentar-se de forma equilibrada, ingerindo nutrientes variados em quantidades balanceadas, também é uma forma de prevenir arritmias. O excesso de gorduras leva ao aumento da pressão sanguínea e pode provocar uma série de complicações cardiovasculares.

    3) Dormir bem

    A apneia do sono, uma obstrução das vias respiratórias superiores durante o sono, está entre os fatores que favorecem a FA, por levar o paciente a fazer um esforço maior do que o normal para respirar, o que aumenta os batimentos cardíacos e, consequentemente, os riscos de arritmia. Mudanças nos hábitos de vida podem contribuir muito com a melhora da apneia do sono. Perder peso, dormir de lado, evitar o fumo, o consumo de bebidas alcoólicas e de comidas pesadas antes de dormir são alguns exemplos. Elevar a cabeceira da cama também é um hábito benéfico.

    4) Beber com moderação

    O álcool é uma toxina que se difunde facilmente pelo corpo e, se consumido em excesso, prejudica a capacidade de contração do coração, provocando arritmias e outras disfunções cardiovasculares.

    5) Não fumar

    O tabagismo é fator de risco para arritmias como a fibrilação atrial, pois aumenta a liberação de substâncias como a adrenalina, que aceleram os batimentos cardíacos e podem provocar arritmias no médio e longo prazo.

    TRATAMENTO

    As arritmias também podem e devem ser tratadas. Esse tratamento inclui as mudanças dos hábitos acima descritos e a prevenção da formação de coágulos por meio de medicamentos anticoagulantes. Atualmente há opções mais seguras de tratamentos a disposição da classe médica. Novos produtos que diminuem a coagulação sanguínea mas seus efeitos podem ser revertidos rapidamente em casos de cirurgias de emergência e de acidentes.

  • Púrpura autoimune destrói células sanguíneas e afeta qualidade de vida de pacientes


    Ainda pouco conhecida, a Trombocitopenia Imune Primária– também conhecida como PTI – é considerada benigna, mas requer tratamento adequado e acompanhamento médico para evitar complicações

    Ainda pouco conhecida da população, a Trombocitopenia Imune Primária (PTI), conhecida popularmente como púrpura, apresenta-se como manchas avermelhadas na pele, hematomas sem causa aparente e sangramentos espontâneos na gengiva, narinas, urina e fezes. Aproximadamente 19 mil brasileiros, em torno de 73% mulheres, são acometidos pela enfermidade. Pela população, estima-se que somente no Piauí 285 pessoas sejam acometidas.

    A PTI é uma doença hematológica autoimune em que o próprio organismo passa a destruir as plaquetas, células responsáveis pela coagulação do sangue. Em um indivíduo saudável, o número de plaquetas varia de 150 a 400.000 por microlitro, enquanto em pacientes com PTI esse número chega a menos de 20.000 nas formas mais severas. Essa baixa pode ocasionar sangramentos na pele e nas mucosas, além de sangramentos nasais, nas gengivas, gastrintestinais, no trato urinário e, em casos mais graves, hemorragias cerebrais.

    A doença se manifesta de maneiras diferentes em crianças e adultos. Quando a doença se manifesta em crianças, é comum que ocorra uma remissão espontânea o nível das plaquetas retorne ao normal, desaparecendo os sintomas da doença. Já em adultos, não é comum a remissão espontânea e a doença tende a torna-se crônica, o que torna necessário acompanhamento e tratamento contínuo.

    O maior cuidado do paciente é procurar manter as plaquetas no nível mais estável e seguro possível para evitar hemorragias espontâneas. Práticas esportivas devem ser evitadas para evitar contusões e ferimentos, que causariam hemorragia espontânea.

    O diagnóstico da PTI é feito por exclusão. Quando um hemograma completo apresenta uma baixa contagem de plaquetas, busca-se encontrar a causa, pois medicamentos, outras doenças e infecções podem estar envolvidas. Somente com o descarte destas possibilidades pode-se suspeitar de PTI. Após a confirmação do diagnóstico deve-se classificar como aguda persistente ou crônica. É fundamental a classificação para a escolha do tratamento adequado.

    Embora já existam medicamentos mais modernos para o tratamento da PTI, que apresentam menos efeitos colaterais, o uso de corticoides ainda é muito utilizado e apresentam diversos efeitos colaterais, como ganho de peso, irritabilidade, inchaço, insônia e alterações de humor, entre outros. Além do impacto na saúde, muitas pessoas sofrem com abalo emocional e social o que prejudica muito a adesão ao tratamento.

    Outra dificuldade é a falta de informações sobre o assunto. Pensando nisso, a Abrale criou a campanha “É possível viver bem com PTI - Histórias de Superação”, com o objetivo de ampliar o conhecimento sobre a doença e compartilhar histórias de pessoas convivem com a PTI. É o caso da atleta olímpica de natação Ana Marcela, Bicampeã Mundial da Maratona Aquática e madrinha da campanha. No hotsite da campanha, é possível conhecer histórias de pessoas que, assim como Ana, com acompanhamento adequado vivem bem com a PTI. Saiba mais em http://pti.abrale.org.br/. Um outro site que apresenta mais informações sobre a doença e seus tratamentos é o do Laboratório Farmacêutico Novartis. Para mais informações, acesse www.novartis.com.br

Carregar mais