• Piauí vence Prêmio Espírito Público com programa Alfabetização na Idade Certa

    A coroação de um trabalho que tem transformado a Educação do Piauí, no qual todos e todas andam de mãos dadas pela Alfabetização. O Programa Piauiense de Alfabetização na Idade Certa (PPAIC) saiu vencedor no eixo setorial Educação da 5ª edição da premiação voltada para a valorização e o reconhecimento de trajetórias de profissionais públicos que se dedicam à promoção de serviços públicos de qualidade.

    Foto: GOVERNO DO PIAUÍ

    A premiação aconteceu na quarta-feira (30), no Rio de Janeiro, e teve como representantes piauienses a coordenadora do programa, Gabriela Oliveira;  a coordenadora do eixo de comunicação e engajamento, Jeany Rodrigues; e a coordenadora do eixo de cooperação, articulação e incentivos, Inayra De Sousa.

    O Prêmio Espírito Público é um projeto da Parceria Vamos, formada pela Fundação Lemann, Instituto Humanize e República.org.

    Gabriela Oliveira celebrou o reconhecimento do Piauí e o projeto de transformação da educação. “O Piauí abraçou o compromisso pela alfabetização de crianças na idade certa e esse propósito foi reconhecido pela maior premiação do serviço público brasileiro. Recebemos o resultado do Prêmio Espírito Público 2022 com muita alegria e com a clareza que estamos no caminho certo. É muita emoção trazer essa conquista para a educação piauiense”, comemorou.

    Foto: GOVERNO DO PIAUÍ

    Lançado pela Secretaria de Estado da Educação do Piauí (Seduc) em maio de 2021, o programa foi construído para garantir as condições necessárias para todas as crianças piauienses chegarem ao final do 2º ano do ensino Fundamental alfabetizadas. A idade adequada na alfabetização torna a criança capaz de ter o domínio das competências de leitura, escrita, letramento matemático e, consequentemente, habilidades para avançar nos estudos de forma autônoma.

    Jeany Rodrigues destacou o trabalho produzido a muitas mãos que culmina nesta premiação. “O Prêmio é um reconhecimento de todos que fazem a educação pública do Piauí. O PPAIC é construído diariamente pelas equipes do programa, pelas lideranças educacionais, pelos gestores escolares e, sobretudo, pelos professores. A vitória na premiação reforça o protagonismo do PPAIC na consolidação de um compromisso social pela alfabetização das crianças piauienses na idade certa”, enfatizou.

    O programa prevê superar o problema histórico, no qual muitas crianças brasileiras concluem o ciclo destinado à sua alfabetização sem estarem plenamente alfabetizadas. Em 2022, o PPAIC contemplou 156.140 matrículas e 10.449 professores da pré-escola, do 1º e 2º anos do ensino Fundamental. Em decorrência dos impactos da pandemia da Covid-19, o programa apoiou ainda o 3º ano do ensino Fundamental das redes públicas na perspectiva da recomposição das aprendizagens do ciclo de alfabetização. Dessa forma, 39.974 alunos e 4.405 professores do 3º ano foram atendidos com o material pedagógico próprio, além da formação para o seu uso.

    A iniciativa é realizada em regime de colaboração com adesão dos 224 municípios piauienses, além das parcerias com a Fundação Lemann, o Instituto Natura e a Associação Bem Comum. O trabalho em regime de colaboração com os municípios visa garantir o fortalecimento da gestão, o fornecimento de material complementar, o incentivo às escolas, a avaliação dos estudantes e a formação de gestores e professores.

    Investimentos

    Um investimento histórico de mais de 10 milhões de reais foi realizado para a promoção de ações voltadas para a alfabetização na idade certa no Piauí. Entre as principais ações implementadas, destacam-se as formações continuadas de professores e gestores escolares, a distribuição de Material Didático Complementar (MDC), assessoria técnica e pedagógica aos municípios e a expansão do SAEPI para alunos do 2º. e 5º. anos do ensino Fundamental das redes estadual e municipais de ensino.

    “Foram concedidas bolsas de extensão tecnológica para coordenadores e formadores estaduais, regionais e municipais, com vistas para a qualificação e incentivo desses profissionais”, afirmou Gabriela Oliveira, coordenadora estadual do PPAIC

    Ações pedagógicas

    Dentro da perspectiva de ampliação das ações eficazes voltadas à alfabetização, foi realizada a expansão do Sistema de Avaliação da Educação do Piauí (Saepi), na qual estudantes do 2º e 5º ano do ensino Fundamental das redes estadual e municipais de ensino passaram a fazer as provas;

    Dados preliminares do Sistema de Avaliação Educacional do Piauí (Saepi) 2022, relativos aos alunos do 3º ano do ensino Fundamental, quando comparados aos resultados do Saepi 2021, indicam impactos positivos do PPAIC sobre a aprendizagem. Para o componente de Língua Portuguesa, a proficiência média alcançada pelo Estado em 2021 foi de 574, sendo a proficiência de 600 considerada adequada. Em 2022, a proficiência média aumentou para 599.

    O Programa vem garantindo também a assessoria técnica e pedagógica para todos os envolvidos no processo, bem como realizando formação continuada para professores de todo o ciclo de alfabetização, professores da educação infantil (pré-escola), coordenadores, gestores escolares, dirigentes municipais de educação, e também para equipes técnicas e gerenciais.

    “O PPAIC proporcionou muitos momentos marcantes. Entre os principais, destacamos a elaboração e distribuição do Material Didático Complementar do programa para as redes estadual e municipais de ensino. Professores e alunos do ciclo de alfabetização de todo Piauí receberam um material construído por autoras piauienses, coerente com a realidade e a cultura do nosso estado, tendo o apoio necessário para o fortalecimento do processo de ensino e aprendizagem”, acrescentou Gabriela Oliveira.

    Além desse conjunto de ações em andamento, há uma grande iniciativa que será realizada nos próximos meses: o Prêmio Alfa-10, para garantir incentivos às escolas com os melhores desempenhos no Saepi e apoio às mais vulneráveis. Até 150 escolas serão premiadas e o mesmo número de escolas serão asseguradas com um apoio financeiro, por ano.

    PostMídia: (86) 9 9547-8622

  • Inscrições para Vestibular do IFPI seguem abertas até 12/12; veja lista de cursos ofertados

    Quem deseja ingressar em um curso superior do Instituto Federal do Piauí (IFPI) tem até o dia (12/12) para se inscrever no Vestibular 2023. São 2.265 vagas em 58 cursos superiores de 17 campi. As inscrições devem ser feitas pela internet, no site https://selecao.ifpi.edu.br.

    Os cursos do IFPI são gratuitos e de três tipos: bacharelado, licenciatura e tecnologia. O IFPI também reserva vagas para candidatos com deficiência e para quem cursou o ensino médio integralmente em escola pública. A taxa de inscrição custa R$ 40 e pode ser paga até o dia (13/12), no Banco do Brasil.

    No dia 15 de janeiro de 2023, os candidatos irão fazer uma prova objetiva e uma redação. A objetiva contará com 60 questões de múltipla escolha e considerará as competências e habilidades definidas na Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Já a prova de redação constará de produção de um texto, dissertativo-argumentativo, no gênero prosa. O resultado final será divulgado a partir do dia 13 de fevereiro.

    Os ursos superiores ofertados pelo IFPI no Vestibular são:

    Administração
    Agroecologia
    Agronomia
    Alimentos
    Análise e Desenvolvimento de Sistemas
    Ciências Biológicas
    Design de Moda
    Engenharia Civil
    Engenharia Mecânica
    Física
    Gastronomia
    Geoprocessamento
    Gestão Ambiental
    Gestão de Recursos Humanos
    Informática
    Matemática
    Processos Gerenciais
    Química
    Radiologia
    Secretariado
    Zootecnia

  • Professor do IFPI tem melhor dissertação do Nordeste na área de Produção Animal

    O professor José dos Santos de Moura, atual diretor-geral do Campus José de Freitas do IFPI, recebeu o prêmio de melhor dissertação do Nordeste na área de Produção Animal, outorgado pela Sociedade Nordestina de Produção Animal (SNPA). A premiação ocorreu nessa quarta-feira (30/11), durante a abertura do XVI Congresso Nordestino de Produção Animal (CNPA), em Fortaleza/CE.

    A dissertação intitulada “Algoritmo de visão computacional para identificação de galinhas da raça Canela-preta” foi produzida e defendida no Programa de Pós-graduação em Zootecnia Tropical (PPGZT) da Universidade Federal do Piauí (UFPI). O trabalho do professor do IFPI teve a orientação do professor Natanael Pereira da Silva Santos (UFPI) e coorientação do professor Otílio Paulo da Silva Neto (IFPI).

    Foto: DivulgaçãoProfessor do IFPI tem melhor dissertação do Nordeste na área de Produção Animal
    Professor do IFPI tem melhor dissertação do Nordeste na área de Produção Animal

    O trabalho de José dos Santos concorreu ao prêmio com dissertações defendidas e aprovadas em instituições de ensino do Nordeste em programas de pós-graduação reconhecidos pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). A avaliação das dissertações foi realizada por doutores e membros do Comitê Científico do CNPA.

    A dissertação vencedora teve como objetivo geral desenvolver um algoritmo de visão computacional com base em inteligência artificial para identificar galinhas da raça Canela-Preta por meio de imagens. “Esta dissertação é o início de um macro trabalho que está sendo desenvolvido em parceria entre as instituições UFPI e IFPI, para difusão de tecnologias acessíveis e de fácil utilização para pequenos produtores. Tudo isso foi viabilizado graças a essas parcerias e colaboração dos produtores galinha da raça Canela-preta”, explicou José dos Santos de Moura.

    “Esta foi a primeira dissertação defendida no PPGZT e, com isso, se observa o compromisso e a dedicação de toda a comunidade acadêmica que compõe o Programa de Pós-graduação em realizar trabalhos de qualidade com enfoque na produção animal no Semiárido brasileiro”, relatou o orientador Natanael Santos, que também está a frente da Coordenação do PPGZT.

    A pesquisa está disponível no Repositório Institucional da UFPI.

  • Professora é desligada de doutorado após chamar alunos de 'esquerdistas'

    O programa de doutorado da Unifap (Universidade Federal do Amapá) desligou uma professora bolsonarista que chamou de "esquerdistas" e deixou de orientar alunos de Farmácia após descobrir que eles não apoiavam o presidente Jair Bolsonaro (PL), que perdeu a eleição no 2º turno para Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

    Foto: REPRODUÇÃO

    A professora, identificada como Sheylla Susan Almeida, foi desligada em uma reunião extraordinária da coordenação estadual do Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade e Biotecnologia (Rede Bionorte) realizada no dia 9 de novembro. Na avaliação da coordenação, ela praticou discriminação e assédio contra os estudantes.

    A docente havia comunicado no dia 2 de novembro a decisão unilateral aos doutorandos de não orientá-los mais e fez isso através de um grupo de WhatsApp. Nas mensagens, obtidas na época pela reportagem, a professora dizia que "não quer esquerdistas no laboratório" de Farmácia.

    "Procurem outro professor para orientar vocês. Amanhã estarei entregando a carta de desistência da orientação de vocês. Não quero esquerdistas no laboratório. Portanto, sigam a vida de vocês, e que Deus os abençoe", escreveu a docente.

    A professora direcionou a mensagem a dois alunos, mas pediu que sua posição fosse compartilhada com outros estudantes que fossem petistas. "Se tiver mais algum esquerdista, que faça o favor de pedir desligamento. Ou estão comigo ou contra mim."

    Uma das alunas dispensadas foi Débora Arraes, 35. Ela também é professora da UEAP (Universidade do Estado do Amapá), e realiza pesquisa de doutorado na Unifap.
    Ela afirma que a orientadora é "declaradamente negacionista" mas que, até então, "nunca havia demonstrado comportamento semelhante" com seus alunos.

    "Fui informada de que eu estava sendo desligada pelo fato de eu ter votado no Lula. Ela nunca havia demonstrado posicionamento semelhante por questões políticas. Nas redes sociais, ela é declaradamente negacionista, mas eu, como aluna e também professora, entendo que são posições que não deveriam ser consideradas numa relação entre orientador e orientando", comentou Débora à reportagem.

    A aluna acredita que a professora tenha tomado a medida após ver suas publicações de apoio a Lula nas redes sociais.

    "Fiz algumas postagens nas minhas redes sociais, não compartilhei no grupo nem com ela, mas mesmo assim, acredito que em razão dessa foto postada por mim, a professora tomou esse posicionamento", afirmou a discente.

    BOLSONARISTA, PROFESSORA RECEBEU BOLSA NOS GOVERNOS DO PT
    Nas redes sociais, a professora costuma publicar mensagens de apoio ao presidente Jair Bolsonaro, além de atacar as universidades públicas e medidas adotadas contra a pandemia de Covid, a exemplo do lockdown e vacinas.

    Em uma das publicações, de 26 de janeiro, a professora compartilhou uma postagem na qual diz que as máscaras, lockdown e vacinação "não resolveram". "E se você questionar o fracasso de todas as medidas que garantiram trazer a sua liberdade de volta: negacionista".

    As vacinas contra a Covid-19 são testadas e aprovadas por órgãos de saúde em várias partes do mundo, a exemplo da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Em 2021, pouco tempo depois da primeira aplicação do imunizante, diversos países já apresentaram quedas no número de mortes.

    Nas redes, a professora ataca as universidades nos governos do PT, mas no currículo Lattes, informa que recebeu bolsa do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) para cursar o doutorado, entre 2003 a 2008, na UFSCAR (Universidade Federal de São Carlos), durante os governos de Luiz Inácio Lula da Silva. Ela está na Unifap desde 2011.

  • Uespi não ofertará vagas no Sisu 2023.1 após readequação

    A Universidade Estadual do Piauí (UESPI) não vai abrir a oferta de vagas para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para o período letivo de 2023.1.Isso porque o Decreto publicado no Diário Oficial no dia 11 de novembro pela instituição cancelou o período. De acordo com a Uespi, o cancelamento se fez necessário para uma readequação no calendário acadêmico junto ao calendário civil.

    Foto: REPRODUÇÃO

    Atualmente, a UESPI oferta com o semestre 2022.1 com término previsto para fevereiro de 2023. Isso representa um atraso de 8 meses, em função do grave momento da pandemia vivido em 2020, que alterou o andamento das atividades de ensino em todo o País, gerando semestres não ajustados ao ano civil.

    A proposta aprovada, somente altera o nome do semestre, mas todas as atividades acadêmicas permanecerão inalteradas, não havendo prejuízo na formação dos discentes. Ou seja, os alunos matriculados num dado período estarão matriculados nas disciplinas previstas em seus currículos do período seguinte.

    A administração diz ainda que, a atual situação na qual alunos esperam 6 meses após a matrícula institucional para iniciar o efetivo período, tem provocado evasão quando da segunda chamada de outras instituições, além de transtornos a alunos e professores terem o período de férias ocupado com atividades acadêmicas.

    PostMídia: (86) 9 9547-8622
     

  • Estudante de Vila Nova do Piauí é medalhista em Olimpíada Nacional de Geografia

    O jovem Carlos Eduardo Ramos Silva, de 18 anos, de Vila Nova do Piauí, foi um dos piauienses de destaque na Olimpíada Brasileira GeoBrasil (OGB), ao conseguir trazer para casa uma medalha de bronze. As informações são doCidades na Net.

    A Olimpíada Brasileira GeoBrasil (OGB), é um evento que engloba simultaneamente a 7ª Olímpiada Brasileira de Geografia – OBG – e a 5ª Olímpiada Brasileira de Ciências da Terra – OBCT.

    Ambas as competições são compostas por três fases, sendo as duas primeiras realizadas de forma online, em âmbito estadual e de caráter classificatório. Na terceira fase, que é presencial, há a participação de duas a três equipes melhor classificadas por estado, nas categorias escola pública e escola privada. 

    Cursando o 2° ano do ensino médio, Carlos Eduardo participou da olimpíada representando o Instituto Federal do Piauí (IFPI) campus de Picos, local onde ele estuda atualmente. Sua equipe contou com os estudantes do 3° ano, Pedro Henrique de Moura Santos e Beatriz de Moura Sousa e auxílio dos professores Claudinei da Silva Pereira e Nildemar Pereira da Silva.

    “No IFPI campus Picos tinham quatro equipes participando da etapa estadual, mas a equipe classificada foi a minha representando o Instituto Federal e Colégios Militares, a nossa foi a maior nota”, explicou Carlos Eduardo.

    Classificados, o vila-novense e seus colegas embarcaram para Campinas (SP) para participarem da fase nacional que aconteceu no prédio da Unicamp entre os dias 23 e 28 deste mês. Ele conta como foi o processo.

    “Ao chegarmos lá, a gente fez três dias de prova, no primeiro dia teve a prova de Geografia e uma prova de Ciências da Terra. No segundo dia teve prova de Geografia e outra prova de Ciências da Terra, aí dentro da de Geografia, a gente fez uma prova de Cartografia. Na Olimpíada de Geografia foram somativas as duas provas de Geografia e a de Cartografia. E na Olimpíada de Ciências da Terra foram levadas em consideração as provas de Ciências da Terra”.

    Carlos Eduardo obteve um bom desempenho nas avaliações relacionadas à Olímpiada Brasileira de Geografia, e por isso conquistou a medalha de bronze na competição. O estudante destaca o quanto a experiência foi enriquecedora e a significância do bom resultado.

    “Para mim foi uma experiência surreal. Levou um tempo até a ficha cair de que realmente eu estava lá e entre os melhores do país. Na cidade, eu pude conhecer diversas realidades e pontos turísticos, agregando não somente conhecimentos teóricos e acadêmicos, mas também vivenciar essa nova experiência de vida. Com relação a olimpíada, eu fui confiante em colocar em prática e exercer o melhor desempenho possível dentro daquilo que eu sabia que iria ser cobrado. Fiquei muito feliz com o resultado final e por estar lá representando minha cidade Vila Nova do Piauí, o Instituto Federal Campus Picos e meu estado, Piauí, pois foi a primeira vez que participei de um evento com tamanha proporção e ser agraciado com uma medalha na competição foi um momento inesquecível”.

    A reitoria do IFPI se responsabilizou pelos custos da viagem dos estudantes, além de Carlos, seu colega Pedro Henrique também foi medalhista de bronze. O destaque nacional dos piauienses é fruto de dedicação, estudo e muita preparação.

    “Por ser a primeira vez que eu e meus professores participamos da olimpíada, não sabíamos ao certo quais os aspectos que seriam cobrados com maior profundidade na competição, tendo em vista que a Geografia é uma matéria muito ampla e existem diversas vertentes referentes a cada conteúdo. No entanto, quando recebemos a notícia de que fomos os classificados para a etapa final em Campinas, passamos a nos reunir nos horários de almoço, pois estudamos integralmente no instituto, durante esse período nossos professores ministraram aulas que se dividiam entre os assuntos que a Geografia aborda nos 3 anos do ensino médio”, disse o medalhista.

    Carlos Eduardo é natural de Vila Nova do Piauí e sempre estudou na rede pública de ensino. Na cidade poesia ele foi aluno na Unidade Escolar Zacarias Manoel da Silva e só depois foi para o IFPI cursar o ensino médio. O jovem finaliza agradecendo o apoio de seus professores ao longo da jornada.

    “Gostaria de agradecer ao Instituto pelo apoio que concedeu a nossa viagem e aos professores de Geografia, Claudinei da Silva Pereira e Nildemar Pereira da Silva, pois eles nos incentivaram e estiveram com a gente do início ao fim da competição. Sinto que no próximo ano o Instituto estará ainda mais preparado e nós teremos resultados ainda melhores”.

  • Governo zera as contas do IFPI e sinaliza um novo bloqueio orçamentário

    A Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica está prestes a sofrer um novo revés em seu já restrito orçamento. Há 34 dias para o fim do ano, o Governo Federal, por meio do Ministério da Educação (MEC), retirou todos os limites de empenho distribuídos e não utilizados pelas instituições, enquanto define um valor efetivo para o bloqueio orçamentário.

    No entanto, um bloqueio tão próximo ao final do ano, com destaque para o fato de que o MEC estipulou que o prazo máximo para empenhar despesas é o dia (09/12), é considerado como corte pelos gestores. Corte, uma vez que por essa regra, depois do dia 09/12 a instituição não poderá mais empenhar ou terá que aguardar uma nova janela. Soma-se à isso a insegurança, caso o bloqueio vire um corte definitivo.

    Segundo a reitoria, ao longo dos últimos anos não foram poucas as perdas, bloqueios e cortes. A situação é grave pois, novamente, o cancelamento deve ocorrer nos recursos destinados à manutenção das instituições. Ou seja, a assistência estudantil, bolsas de estudo, atividades de ensino, pesquisa e extensão, visitas técnicas e insumos de laboratórios, por exemplo, devem ser afetadas. Tal situação deve impactar ainda em serviços de limpeza e segurança dos campi.

    Diante desse cenário, o Conif reitera seu posicionamento de batalhar pela manutenção integral dos recursos das instituições, pois neste ano já foram cortados 184 milhões (jun/2022).

    Por fim, o Conif e toda a Rede Federal aguardam o MEC oficializar o valor do corte e um posicionamento efetivo por parte do Ministério, na esperança de que esse novo indicativo não passe de um mal-entendido, ao tempo em que entende que é impossível fazer uma gestão eficiente diante de tanta instabilidade, ao prejudicar o que a Rede Federal tem de melhor - seus estudantes.

  • Estudantes piauienses embarcam para participar da Mostra Brasileira de Foguetes

    Empenhados e animados para expor suas habilidades com os experimentos de foguetes a base de garrafas pet e solução de bicarbonato com vinagre, estudantes da rede estadual de ensino do Piauí, embarcaram no último domingo (27/11), para o Rio de Janeiro para participarem da 34ª Jornada de Foguetes da Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG).

    Na Unidade Escolar Luís Teixeira, localizada na cidade de Luzilândia, os seis estudantes, Francisco Victor Ferreira, Gabriel Caldas, Kaio Santos, Carlos Daniel Rodrigues, Eduardo Gonçalves e Ivo Otávio Silva, selecionados para participar da competição nacional, haviam conquistado 3 medalhas de ouro e 3 de bronze pelos lançamentos dos foguetes realizados pela escola, com a orientação do professor da disciplina de Física, Francisco Leonardo.

    Foto: ReproduçãoEstudantes piauienses embarcam para participar da Mostra Brasileira de Foguetes
    Estudantes piauienses embarcam para participar da Mostra Brasileira de Foguetes

    De acordo com a diretora da instituição de ensino, Gardênia Boiba, para a preparação dos alunos foram realizados mais de cem lançamentos de foguetes durante o ano. “Desde maio de 2022, foram feitos mais de cem lançamentos de testes e foram construídos dezenas de foguetes. Essas competições são um grande incentivo para os nossos alunos, principalmente nas áreas de Ciências da Natureza. A tecnologia de lançamento dos foguetes é imprescindível para o aprimoramento das tecnologias de comunicação”, reforça a gestora.

    A Mostra Brasileira de Foguetes é uma olimpíada inteiramente experimental, pois consiste em construir e lançar, obliquamente, foguetes, a partir de uma base de lançamento, o mais distante possível. Foguetes e bases de lançamentos devem ser construídos por alunos de todos os anos do ensino fundamental e médio em todo território nacional sob a supervisão de um professor orientador, geralmente da disciplina de Física.

    A diretora do Centro Estadual de Tempo Integral Pinheiro Machado, localizado no bairro Dirceu Arcoverde, Rejane Coelho, que embarcou com a equipe de sua escola para a competição, relata que já é a quarta vez que os estudantes da sua escola participam da Mostra de Foguetes e sempre têm alcançado medalhas. "Essa já é a 4ª vez que nossa escola participa e todas as vezes ganhamos medalhas. Além de ser muito importante por causa da aprendizagem, os alunos se sentem muito valorizados e estimulados a participar. Todos os anos eles já começam a se empolgar e construir os foguetes no início do ano. Eles vêm se preparando desde o mês de agosto. Para conseguirmos participar, tivemos que passar por uma competição interna na escola,  com lançamento de foguetes que chegaram a alcançar mais de 200 metros", conta ela.

    A 34ª Jornada de Foguetes terá sua abertura realizada na segunda (28/11), a partir das 20h, no Hotel Fazenda Ribeirão, localizado no município de Barra do Piraí, no Rio de Janeiro. A programação se estende até quinta-feira (1º/11), onde todos os alunos recebem um certificado de participação, bem como os professores envolvidos no processo e também os diretores escolares. Além da distribuição de medalhas para os alunos que obtiveram os maiores alcances em seus respectivos níveis.

    Mostra Brasileira de Foguetes

    A MOBFOG é realizada anualmente pela Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) em parceria com a Agência Espacial Brasileira (AEB) entre alunos de todos os anos do ensino fundamental e médio em todo território nacional. A MOBFOG tem por objetivos fomentar o interesse dos jovens pela Astronáutica, Física, Astronomia e ciências afins, promover a difusão dos conhecimentos básicos de uma forma lúdica e cooperativa, mobilizando num mutirão nacional, alunos, professores, coordenadores pedagógicos, diretores, pais e escolas, e instituições voltadas às atividades aeroespaciais.

  • Provas do Enade são aplicadas neste domingo (27) em todo o país

    As provas do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) 2022 serão aplicadas neste domingo (27/11). De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), 598.116 estudantes concluintes estão inscritos no exame.

    Os portões de acesso aos locais de provas serão abertos às 12h (horário de Brasília) e fechados às 13h. O início da aplicação será às 13h30, com encerramento às 17h30 para os participantes regulares. Aqueles que solicitaram tempo adicional e tiveram o pedido aprovado pelo Inep terão mais uma hora para finalizar a prova.

    Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil

    Para acessar a sala de prova, o estudante deve apresentar documento de identificação válido com foto. Pela primeira vez, serão aceitos três tipos de documentos digitais: e-Título, CNH Digital e RG Digital, desde que apresentados nos respectivos aplicativos oficiais, não sendo aceitas capturas de tela.

    Apenas os estudantes que responderam o Questionário do Estudantes podem visualizar o Cartão de Confirmação da Inscrição, que contém as informações sobre o local de prova. O instrumento estava disponível para preenchimento até ontem (26). As respostas são sigilosas e utilizadas para a geração de estatísticas e indicadores educacionais.

    O uso de máscara de prevenção à covid-19 durante a prova é obrigatório, exceto no Distrito Federal, nos estados ou nos municípios onde o uso do item de proteção em local fechado esteja liberado por decreto ou ato administrativo de igual poder regulamentar.

    Enade

    A realização da prova e o preenchimento do Questionário do Estudante asseguram a regularidade dos estudantes inscritos junto ao Enade. O não cumprimento de um desses instrumentos impossibilita a colação de grau do estudante.

    Em 2022, o Enade avaliará cursos de bacharelado das áreas de administração, administração pública, ciências contábeis, ciências econômicas, direito, jornalismo, psicologia, publicidade e propaganda, relações internacionais, secretariado executivo, serviço social, teologia e turismo.

    Também serão avaliados os cursos superiores de tecnologia das áreas de comércio exterior, design de interiores, design gráfico, design de moda, gastronomia, gestão comercial, gestão da qualidade, gestão pública, gestão de recursos humanos, gestão financeira, logística, marketing e processos gerenciais.

    O Enade avalia o rendimento dos estudantes concluintes dos cursos de graduação em relação aos conteúdos programáticos previstos nas diretrizes curriculares dos cursos, o desenvolvimento de competências e habilidades necessárias ao aprofundamento da formação geral e profissional, bem como o nível de atualização dos estudantes com relação à realidade brasileira e mundial.

    Aplicado pelo Inep desde 2004, o Enade integra o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), composto também pela avaliação de cursos de graduação e pela avaliação institucional. Juntos eles formam o tripé avaliativo que permite conhecer a qualidade dos cursos e instituições de educação superior brasileiras.

    Receba notícias do 180graus no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: t.me/noticias180graus.

    PostMídia: (86) 9 9800-9535

  • Seduc alinha expansão do Programa de Aprendizagem Profissional para estudantes

    Com o objetivo de apresentar para as escolas habilitadas no Programa de Aprendizagem Profissional, o Jovem Aprendiz, os parâmetros para a implementação das parcerias, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) realizou na ultima sexta-feira (25/11) uma reunião com gestores de seis Centros Estaduais de Educação Profissional (CEEPs). O encontro ocorreu na Escola Fazendária e contou com a participação do auditor fiscal do Trabalho, Leonardo Araújo.
     

    O superintendente de Educação Técnica e Profissional e Educação de Jovens e Adultos da Seduc, José Barros Sobrinho, destaca que a reunião faz parte da expansão do Programa de Aprendizagem Profissional para mais escolas da rede estadual.

    “Esse programa é uma das maiores políticas públicas de inserção dos jovens no mercado de trabalho do país, oportunizando o primeiro emprego. O Piauí já tem hoje uma escola referência no programa, o CEEP José Pacífico, que oferta a aprendizagem profissional. Então, pretendemos expandir para mais cinco escolas nesse momento, localizadas em Teresina, Parnaíba e União”, frisa o superintendente.

    A diretora da Unidade de Educação Técnica e Profissional da Seduc, Adriana Moura, enfatiza que o Programa de Aprendizagem é uma iniciativa da Seduc, por meio da Superintendência de Educação Técnica e Profissional e de Educação de Jovens e Adultos-Suetpeja/UETEP  com o apoio do Itaú-Educação e Trabalho e a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

    “No Encontro tivemos uma visão sobre  a legislação que norteia o Programa, quais os requisitos para participação das empresas, como instituições formadoras e também como acontece o cadastro das instituições envolvidas. Vale ressaltar que esse momento também serviu para analisar quais parceiros disponíveis no mercado; Como fazer contato com esses parceiros, para introduzir os jovens no mercado de trabalho e demonstrar o real significado da Educação Profissionalizante. Como gestora desta Unidade, sinto-me muito honrada com a possibilidade de oportunizar para os jovens da nossa Rede inserção no mundo do trabalho”, completa a diretora.

    Foto: GOVERNO DO PIAUÍ

    A técnica da Suetpeja, Heline Silva Santos, relata que o programa alia teoria à prática com a parceria de empresas que, obedecendo um preceito legal, recebem os estudantes para a aprendizagem profissional e assim tornar o ensino ainda mais atrativo. “O Programa de Aprendizagem Profissional faz com que esse jovem possa ter a sua vivência profissional concretizada. Essa oportunidade é uma política completa, porque oportuniza aprendizagem profissional e a vivência dessa aprendizagem na prática, por meio de um trabalho que é protegido por lei, pelas leis trabalhistas, onde o aluno recebe um salário, então ele tem a oportunidade de vivenciar na prática o que ele aprende na teoria. É o conjunto perfeito para proporcionar uma educação profissional de qualidade”, diz.

    O auditor fiscal do Trabalho, Leonardo Araújo participou com explanações sobre aprendizagem profissional, as obrigações da entidade formadora e da empresa que vai contratar os jovens aprendizes, trazendo todo um panorama para as escolas sobre o Programa de Aprendizagem Profissional.

    Foto: GOVERNO DO PIAUÍ

    No CEEP José Pacífico, os estudantes recebem a oferta de aprendizagem em áreas como Informática, Manutenção Automotiva, Segurança do Trabalho e Edificações.A expansão beneficia as escolas CEEP Monsenhor José Luis Barbosa Cortez (Premen Sul), Liceu Parnaibano, CEEP João Mendes Olímpio de Melo (Premen Norte), Unidade Escolar Filinto Rego e Unidade Escolar Governador João Clímaco DAlmeida. E os cursos técnicos de Análises Clínicas, Enfermagem, Farmácia, Administração, Comércio, Administração, Farmácia e Administração.

    PostMídia: (86) 9 9547-8622

Carregar mais