Inspirações para o sucesso · 14/12/2020 - 17h00 | Última atualização em 15/01/2021 - 16h15

3 empresas brasileiras que surpreenderam em 2020


Compartilhar Tweet 1



Dizem que a palavra “crise” tem dois significados: situação difícil e oportunidade. Independentemente de como essa ideia tenha começado, o fato é que 2020 será eternizado por um desses momentos em que a inovação encontra as dificuldades. 

 

Mesmo diante de um período tão conturbado, diversas empresas se inovaram e lançaram soluções. Continue a leitura para conhecer algumas destas histórias!

 

O Boticário

O Boticário, que há anos demonstra preocupação com as causas sociais e é uma das marcas mais lembradas pelo público, realizou uma série de ações interessantes em 2020. Uma delas foi o programa Empreendedoras da Beleza, uma iniciativa para capacitar as mulheres que trabalham com a marca. A capacitação incluiu a disponibilização de conteúdos sobre inteligência emocional, vendas e muito mais. A ação garantiu ainda R$ 450 para 300 participantes. O intuito da empresa foi incentivar a retomada econômica. 

 

Para os consumidores, O Boticário também pensou em ótimas estratégias. Uma delas foi a de fazer a tradicional campanha de Natal com um Papai Noel negro. No vídeo que já está no ar, um menino se questiona por que nenhum Papai Noel é como ele. Em seguida, o personagem aparece adulto, vestido como o personagem natalino. Além de passar uma mensagem positiva sobre a equidade racial, a marca ainda prega a importância de acreditar nos próprios sonhos. 

 

Outra iniciativa da maior perfumaria brasileira foi com relação às promoções desta época. Por entender que muitas pessoas tiveram a renda diminuída, mas ainda assim querem presentear, a marca separou alguns kits por valor. É possível, por exemplo, encontrar a partir de R$ 50, como se vê na Revista Boticário. O kit feminino Anni, que inclui desodorante, creme para mãos, capinha para creme e caixa de presente sai por R$ 119,90. Se os produtos fossem comprados de forma avulsa, o preço subiria para R$ 149,70.
 

Magazine Luiza

Assim que foi decretada a pandemia, a Magazine Luiza anunciou uma plataforma para ajudar pequenos e médios empreendedores na internet. Segundo as informações que a empresa divulgou em março, o país tem 5 milhões de varejistas, sendo que apenas 50 mil têm presença digital. 

 

Mesmo sem imaginar o que vinha pela frente, o negócio comandado por Luiza Trajano se antecedeu ao mercado e soube enxergar onde haveria oportunidades: na internet. O marketplace da empresa oferece o sistema Magalu de entregas, diversas formas de pagamento e até de publicidade. 

 

Outra iniciativa inovadora da Magazine não tem a ver com o negócio de forma direta, mas, sim, a sociedade de forma geral. Este ano, a empresa divulgou um botão no app em que as vítimas de violência podem denunciar os agressores. Na verdade, o recurso foi criado 2019, mas só ganhou popularidade agora. Uma das explicações para isso é porque a violência doméstica cresceu durante o isolamento - em São Paulo, por exemplo, o aumento foi de 30%.

 

Renner

Quando o assunto é moda, lojas de varejo e brechós nunca andaram juntas. Afinal, enquanto as primeiras desejam que as pessoas comprem novas peças, os segundos preferem que a sociedade reaproveite e reutilize. 

 

Porém, a Renner pensou diferente. A varejista fez uma parceria com o brechó online Repassa para incentivar o consumo consciente. Agora, quem comprar na Renner poderá retirar sem custo a Sacola do Bem para revender as roupas que não usam mais. Ao receber os produtos, a Repassa faz uma curadoria para disponibilizá-los ao público. Quem vendeu a peça recebe 60% do valor da venda. 

 

Além disso, por conta do fechamento das lojas, a Renner teve que antecipar algumas ações. Uma delas foi a Minha Sacola, uma plataforma de marketing de afiliados que permite aumentar as vendas pela internet. As compras pelo WhatsApp são outra novidade que já está disponível e começou a ser testada este ano em algumas localidades.

 

A Renner lançou ainda o Ship from Store, um sistema com inteligência artificial que identifica onde o consumidor está e utiliza o estoque da loja mais próxima - e não do centro de distribuição. 

 

De acordo com as informações apresentadas acima, apesar das dificuldades, algumas empresas souberam se reinventar, antecipar planos e agir de forma rápida. Além das vendas em si, elas certamente ganharam ainda mais notoriedade e respeito do mercado e dos consumidores.
 


Comentários