Para estimular a leitura · 12/04/2017 - 09h28

Projeto incentiva leitura entre detentos em presídios do Piauí


Compartilhar Tweet 1



Com o intuito de estimular a leitura e fortalecer a educação junto às pessoas privadas de liberdade nas penitenciárias, o projeto Leitura Livre é desenvolvido, atualmente, nas penitenciárias Irmão Guido, Feminina de Teresina, Parnaíba, Esperantina e Casa de Detenção de Altos.

O projeto é realizado pela Secretaria de Justiça do Estado, em parceria com a Secretaria de Educação, Tribunal de Justiça e a Corregedoria Geral de Justiça do Piauí. Em cada presídio, 30 detentos participarão do Leitura Livre, a cada etapa.

Através do projeto, o detento lê obras da literatura nacional e estrangeira e prepara resumos que serão analisadas por uma comissão avaliadora das secretarias de Justiça e de Educação – que também disponibilizam a estrutura de acesso aos livros.

De acordo a Secretaria de Justiça, a meta é implantar o projeto em todas as penitenciárias do Estado. Além dos benefícios educacionais, voltados à ressocialização, o detento também é beneficiado com a remição de pena, prevista na Lei de Execução Penal (7.210/84).

“O projeto Leitura Livre é de fundamental importância para consolidar o processo de reeducação da pessoa em situação de privação de liberdade. A educação, a leitura são portas abertas para que o detento possa se transformar”, pontua o secretário e Justiça, Daniel Oliveira.

Na visão de Dihna Miranda, coordenadora do projeto Leitura Livre, é fundamental que o sistema prisional, “para que possa cumprir com sua função ressocializadora, garanta ao reeducando meios efetivos para que possa mudar de vida e a educação é essencial para isso”.

Acabou de lançar dois livros · 17/03/2017 - 11h22

Escritora brasileira Isa Colli eleva o nome do Brasil no exterior


Compartilhar Tweet 1



A escritora Isa Colli, radicada em Bruxelas, acabou de lançar mais dois livros: a Fazendinha, um livro infanto-juvenil, e O Recomeço, um romance com uma história arrepiante de luta pela sobrevivência.

Desde cedo que Isa Colli se interessou pela escrita, porque ainda antes se deixou encantar pela leitura. Como a própria autora recorda, foi muito importante a influência das histórias que lhe contava a sua mãe, de poucos estudos, mas grande sabedoria, na abertura aos caminhos da imaginação, por onde se tem deixado levar.

A escritora acredita que com a leitura vem o incentivo à prática da cidadania plena, que envolve o respeito e a valorização do outro. Mas, a escrita se apresentou para Isa, como uma missão, tornando-se o maior projeto da sua vida, quando, diagnosticada com um câncer, tomou consciência da brevidade da vida. O resto foi acontecendo, sem nunca planear com exatidão.

"Quando visualizamos a morte, passamos a valorizar não apenas a nossa vida, mas a dos outros. O ângulo de visão do mundo muda. A existência passa a ter uma motivação: deixar um legado. Escolhi escrever por acreditar e defender que as mudanças tão necessárias à nossa formação passam pela leitura e pela Educação de qualidade. Escrever é um processo de libertação da criatividade e dos sentidos”, partilha Isa Colli.

Quando abordada sobre inspiração, ela apenas completa: “não existe mistério. Ideias mágicas não caem do céu entrando no cérebro, informando, escreva isso ou aquilo. O escritor escreve o que pensa, o que lhe apetece, o que os seus personagens sentem: morte, amor, ódio, angústia, ansiedade, desejo, medo, frio, calor, felicidade, paz, guerra, etc. Tudo é literatura. A vida é literatura”.

Isa Colli, escreve com as vísceras. Sem medo. Sem rótulos. Sem preconceitos. Sem barreiras. Sem pensar se vai agradar ou desagradar.

A autora não para. Em 12 de março de 2017 participou da Feira do Livro em Bruxelas a convite dos amigos escritores belgas (Daniel Soil (delegado Wallonie), Gerard Adam, Armand Garret e Claude Donnay). Em seguida, parte para Feira de Bologna na Itália, que acontecerá entre os dias 3 e 6 de abril 2017.

O legado da autora vai em 7 livros infantis - e um romance. A Fazendinha conta a história de Felícia, uma menina muito astuta, que ama as plantas e os animais e que, numa emocionante viagem à fazenda do Senhor Zicão, caminha entre a diversão e a aprendizagem, experimentando as maravilhas da vida no campo. Tudo é novidade para estas crianças da cidade grande…

«O meu objetivo com a escrita é influenciar positivamente esta nova geração através de belas histórias que incentivem o trabalho em equipe, o respeito pelas diferenças, o empreendedorismo, bem como a noção de que não há limites para quem sonha e se empenha para viabilizar esses sonhos», defende.

O Recomeço conta a história de João Carlos, um surfista que, juntamente com Maria Paula, protagoniza uma luta inglória contra um inimigo poderoso e invisível. O despertar da força de uma menina mimada, da cidade grande, e do jovem angrense na busca pela sobrevivência, emocionam do início ao fim.

Mais informações sobre a autora, acesse o site.


Compartilhar Tweet 1



O escritor piauiense Eneas Rego Bastos vai lançar um livro sobre a vida e a trágica morte da jovem Fernanda Lages. aos 19 anos, ela foi encontrada morta em agosto de 2011 na construção do que hoje é o Ministério Público Federal. As investigações concluíram que ela havia se jogado do prédio.

"Depois de 11 meses de pesquisa intensa e redação cuidadosa, acabo de concluir meu mais novo livro, dessa vez sobre o Caso Fernanda Lages. É um livro-reportagem, que se fundamenta em três vertentes: as investigações policiais, a cobertura da mídia e as entrevistas que fiz com alguns protagonistas. O livro está em fase de diagramação e em breve será marcada a data do lançamento. Mais um desafio para o fascinante mundo da literatura. Trará novidades sobre a carta do vidente em que a jovem diz que não tinha nenhum motivo para morrer agora", relatou o economista e escritor Eneas Barros.

Saiba mais sobre o caso Fernanda Lages

- Economista e escritor Eneas Barros


Fonte: Com informações do Tribuna de Barras
Evento de fomento à cultura · 26/10/2016 - 07h30

Jornalista Caco Barcellos participa de Salão do Livro em Picos; confira


Compartilhar Tweet 1



A quarta edição do Salão de Livros do Vale do Guaribas (SaliVaG) é um evento de fomento à cultura e à educação, realizado por parceiros que acreditam ser possível a transformação de todos através da leitura. O SaliVaG é uma idealização da Prefeitura de Picos, através da Secretaria de Educação.

Na programação deste ano estão palestrantes de renome nacional, estadual e da cidade de Picos. E ainda todos os dias apresentações culturais, lançamentos de livros e muito mais.

Já estão confirmados os seguintes nomes: o jornalista, escritor e apresentador do Programa Profissão Repórter da Rede Globo, Caco Barcellos; o jornalista, publicitário e humorista, Diego Curvêlo e o escritor, ator, diretor de cinema e teatro, Márcio Trigo.

O SaliVaG será realizado de 16 a 20 de novembro no estádio Helvídio Nunes.

Fonte: CCom


Compartilhar Tweet 1



O 2º Salão de Livros de Altos (SALIALTOS) faz uma homenagem para a escritora Ignês Sousa Pereira, que tem um acervo valioso de poesias e crônicas. Na ocasião, a promotora de Justiça e coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Defesa da Educação e Cidadania (CAODEC), Flávia Gomes Cordeiro, realizou, nesta sexta-feira (21), a palestra “Por uma Cultura de Paz nas Escolas”. O evento também conta com exposições, lançamentos de livros e show cultural e encerra neste sábado (22).

O SALIALTOS é um momento exaltação de grandes personalidades da terra que se destacam pela contribuição literária. Além disso, é uma oportunidade de contribuir para a democratização do livro e da leitura com a população. A promotora Flávia Gomes Cordeiro, que atua com projetos na área da educação, acredita que o evento agrega muito para o incentivo ao conhecimento.

“Fiquei muito feliz de participar do 2º SALIALTOS, um excelente evento, onde trabalhamos ideias pertinentes sobre a cultura da paz nas escolas. Um local com clima positivo para estudar é algo muito importante e que deve ser trabalhado em sala de aula. Com isto, vamos reduzir os índices de violência, estimulando a juventude para o caminho do bem”, destaca a promotora.

A promotora Flávia Cordeiro também destacou os principais desafios para a inserção da Cultura da Paz nas escolas e a importância da atuação da família neste processo. "Em todos os lugares podemos oferecer a nossa contribuição, valorizando a justiça, o respeito e o exercício da cidadania. Propomos um ensino que abandone estas noções de competição e individualismo", conclui.

Fonte: MP-PI

Conheça a temática do livro · 18/12/2015 - 19h36

Professora Vanessa Soares lança livro em Teresina e é bem prestigiada


Compartilhar Tweet 1



A professora especialista Vanessa Soares, juntamente com um grupo de pesquisadores lançou na noite de ontem (17/12) em Teresina o livro 'Discurso, memória e inclusão social' . O evento aconteceu na Livraria Anchieta, onde foi oferecido coquetel em noite de autógrafos. Além de Teresina, o livro será lançado em outros estados.

A primeira edição já está esgotada. O evento foi prestigiado por professores da UFPI, UESPI, estudantes e simpatizantes pela área.

CONHEÇA A TEMÁTICA DO LIVRO
Ao falar sobre o livro ao 180, Vanessa Soares, que ministra aulas de redação para os funcionários do Grupo Eugênio, explicou um pouco sobre as temáticas do livro.

O livro 'Discurso, memória e inclusão social' foi organizado pelos professores João Benvindo de Moura, José Ribamar Lopes Batista Júnior e Maraisa Lopes, em uma produção do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Análise do Discurso (NEPAD). "A publicação reúne pesquisadores das Universidsade Federal do Piauí e Universidade Estadual do Piauí, além de outros pesquisadores vinculados ao curso de Letras. Foi financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí(FAPEPI), instituição que estimula o desenvolvimento científico e tecnológico do Estado", disse.

A obra conta com uma coletânia de 14 artigos escritos por pesquisadores vinculados ao NEPAD e convidados de outras universidades brasileiras. "Os textos analisam discursos diversos agrupados em dois eixos: memória, aqui considerada como interdiscurso, como saber discursivo que torna posível o dizer; e a inclusão social, entendida como conjunto de meios e ações que combatem a exclusão aos benefícios da vida em sociedade. Nesse contexto, foram analisadas revistas como Veja, Vip, Men's Health Brasil, além de sites de relacionamentos; alguns textos publicitários da Calvin Klein Jeans, por exemplo; outdoors sobre profissionais do sexo em Teresina; textos religiosos; textos literários nacionais e internacionais; musicais e discursos provenientes do ambiente escolar que sucintam discussões em relação à homofobia, educação inclusica, etc", acrescentou Vanessa.

Em seu artigo, a Prof. Especialista Vanessa Soares discorre sobre a temática das profissionais do sexo. Ela relembra um acontecimento que causou muita polêmica em Teresina, quando outdoors que continham conteúdos inadequados foram espalhados por vários pontos estratégicos na Capital. Nos cartazes foram feitos divulgações de shows em casas noturna e neles apareciam modelos em poses sensuais, o que chamou muita atenção, causando um estranhamento das famílias e pessoas que não concordaram com aquilo.

Em seu texto, ela faz uma releitura desses outdoors observando-os a partir da análise do discurso francês. "A partir da teoria, a gente pode analisar, ter um gesto de leitura, não só sobre a questão do que está imposto no cartaz, mas também como essa produção imagética teve um impacto muito grande na sociedade", concluiu.


Compartilhar Tweet 1



A professora especialista Vanessa Soares, juntamente com um grupo de pesquisadores lançará em Teresina o livro 'Discurso, memória e inclusão social' . O evento acontecerá na Livraria Anchieta, dia 17/12 onde será oferecido coquetel em noite de autógrafos. Além de Teresina, o livro será lançado em outros estados.

Em conversa com o 180, Vanessa Soares, que ministra aulas de redação para os funcionários do Grupo Eugênio, explicou um pouco sobre as temáticas do livro.

O livro 'Discurso, memória e inclusão social' foi organizado pelos professores João Benvindo de Moura, José Ribamar Lopes Batista Júnior e Maraisa Lopes, em uma produção do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Análise do Discurso (NEPAD). "A publicação reúne pesquisadores das Universidsade Federal do Piauí e Universidade Estadual do Piauí, além de outros pesquisadores vinculados ao curso de Letras. Foi financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí(FAPEPI), instituição que estimula o desenvolvimento científico e tecnológico do Estado", disse.

A obra conta com uma coletânia de 14 artigos escritos por pesquisadores vinculados ao NEPAD e convidados de outras universidades brasileiras. "Os textos analisam discursos diversos agrupados em dois eixos: memória, aqui considerada como interdiscurso, como saber discursivo que torna posível o dizer; e a inclusão social, entendida como conjunto de meios e ações que combatem a exclusão aos benefícios da vida em sociedade. Nesse contexto, foram analisadas revistas como Veja, Vip, Men's Health Brasil, além de sites de relacionamentos; alguns textos publicitários da Calvin Klein Jeans, por exemplo; outdoors sobre profissionais do sexo em Teresina; textos religiosos; textos literários nacionais e internacionais; musicais e discursos provenientes do ambiente escolar que sucintam discussões em relação à homofobia, educação inclusica, etc", acrescentou Vanessa.

Em seu artigo, a Prof. Especialista Vanessa Soares discorre sobre a temática das profissionais do sexo. Ela relembra um acontecimento que causou muita polêmica em Teresina, quando outdoors que continham conteúdos inadequados foram espalhados por vários pontos estratégicos na Capital. Nos cartazes foram feitos divulgações de shows em casas noturna e neles apareciam modelos em poses sensuais, o que chamou muita atenção, causando um estranhamento das famílias e pessoas que não concordaram com aquilo.

Em seu texto, ela faz uma releitura desses outdoors observando-os a partir da análise do discurso francês. "A partir da teoria, a gente pode analisar, ter um gesto de leitura, não só sobre a questão do que está imposto no cartaz, mas também como essa produção imagética teve um impacto muito grande na sociedade", concluiu.

Poemas dos poetas preferidos · 21/10/2015 - 09h25

Os 10 livros de poesia que todo mundo deve ler


Compartilhar Tweet 1



Ontem, dia 20, foi comemorado o dia do poeta. E para celebrar o dia de quem vê a vida de uma forma mais bonita do que é... Então listei aqui os 10 melhores livros de poesia que já li e recomendo aos meus leitores do Blog Literário.


1. Cem Sonetos de Amor (Pablo Neruda)
2. Reunião – 10 livros de poesia (Carlos Drummond de Andrade)
3. Tu, não te moves de ti (Hilda Hilst)
4. Toda Poesia (Paulo Leminski)
5.Eu (Augusto dos Anjos)
6. Bagagem (Adélia Prado)
7. O amor é um cão dos diabos ( Charles Bukowski)
8. Obra poética - João Cabral de Melo Neto
9. As flores do mal ( Charles Baudelaire)
10. As Pessoas Parecem Flores Finalmente (Charles Bukowski)

 

 

Novo romance de Chico Buarque · 31/07/2015 - 12h17

Chico Buarque e seus sucessos como escritor; Confira


Compartilhar Tweet 1



Chico Buarque é um exímio compositor e poeta, isso ninguém pode contestar. Há controvérsias sobre a sua excelência também na literatura. Eu estou fora da lista dos que não gostam dos seus livros. Gostei de todos, particularmente o último lançado “O irmão alemão”. E essa é a dica de livro de hoje.

O irmão alemão mistura a realidade com a ficção deixando o leitor mais curioso ainda. Por acaso, Chico descobre uma carta do mãe do seu irmão alemão endereçada a seu pai, Sérgio Buarque de Holanda, que morou em Berlim entre 1929 e 1930, como correspondente de O Jornal e que começa a fazer sentido já que há algum tempo Manuel Bandeira, numa conversa com outros poetas, deixa escapar sobre "o seu irmão alemão". Após o contato com esta carta Chico dá início à busca desenfreada de informações deste irmão alemão.

O romance mais novo de Chico recebeu duras críticas, como a Alcir Pécora (“Folha de S. Paulo”, sábado, 15) — “Armadilhas na trama tornam livro de Chico Buarque uma autoficção insossa”. “A novela poderia guardar o encanto secreto das narrativas de busca, articuladas à tópica do duplo, não caísse em armadilhas fatais, que a tornam basicamente insossa”.


E também recebeu elogios de José Castello, na crítica “No limite de uma busca alucinante” (“O Globo”, sábado, 15), escreve: “Como uma dobradiça, o romance se desdobra em duas chapas de tamanho e forma semelhante — ora encaixado em fatos, nomes e documentos que prometem o real, ora erguido sobre as sombras não menos verdadeiras da imaginação. (…) Fantasmas — visões — se espalham pelas páginas. O que confere à literatura o caráter vital, ainda que assombrado, de máquina propagadora da realidade”.

 

“A narrativa de Chico se faz mais daquilo que escorre entre as palavras, do que com as verdades que elas costuram. [...] Ele está entre os grandes narradores brasileiros contemporâneos.” — José Castello, O Globo

O livro está à venda nas principais livrarias do país e nos sites. Depois me conta o que achou, tá?


Fonte: Com informações de O Globo
Entenda a leitura · 09/07/2015 - 09h40

Direitos imprescritíveis do leitor


Compartilhar Tweet 1



Ainda no início da Graduação, Letras UFPI, salvo engano no GELNE, sobre estudos linguísticos, resolvi comprar o livro do Daniel Penac, "Como um romance", que estava exposto numa livraria. Como de costume, dei uma espiada no livro logo ali e comprei. Daniel é um professor parisiense e já morou no Brasil na década de 80, em Fortaleza. Aos pedagogos, pais, alunos e professores, esse é de cabeceira.

Como um romance é um livro bem pequeno e de fácil leitura que pode facilmente ser discutido em sala de aula e nos dá um olhar diferente para a leitura. Relata o contato da leitura de um romance da infância à fase adulta, de uma forma bem gostosa de ler. Com base nisso, trouxe para vocês os direitos imprescritíveis do leitor, segundo Penac.

1.O direito de não ler.
2.O direito de pular as páginas.
3.O direito de não terminar de ler o livro.
4.O direito de reler.
5.O direito de ler no importa o quê.
6.O direito ao “bovarysmo” (doença textualmente transmissível).
7.O direito de ler não importa onde.
8.O direito de “colher aqui e acolá”.
9.O direito de ler em voz alta.
10.O direito de se calar.

Como ele, também penso que a leitura não deve ser imposta, não deve soar como obrigação. O nosso papel enquanto educador e pai/mãe é de instigar, incentivar e aguçar a curiosidade do nosso leitor. Apenas ele, o leitor, tem o direito de querer ou não ler, comentar, de passar as páginas, de voltar, de parar e começar outro ou não voltar ao anterior. O livro está disponível em todas as livrarias do Brasil.


Compartilhar Tweet 1



Adultos, jovens e crianças embarcaram no mundo das cores. Os livros para colorir ganharam o público brasileiro. Preferidos entre os leitores no últimos meses, as obras movimentaram o mercado editorial. De acordo com o 3º Painel das Vendas de Livros do Brasil, divulgado nesta quarta-feira (17) pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel) e pelo Instituto de Pesquisa Nielsen, de janeiro até agora a venda destes livros foi de aproximadamente R$ 25,18 milhões.

As obras trazem folhas com desenhos em branco que prometem desestressar, talvez por isto tantos adultos ficaram fascinados, querendo amenizar o estresse do cotidiano. O primeiro livro com a proposta, e que já está na segunda edição, foi Jardim Secreto, lançado no Brasil pela editora Sextante.

Agora o clássico da literatura mundial, "O pequeno príncipe", do francês Antoine de Saint-Exupéry também está disponível na versão para colorir. Não só a criançada vai adorar, os adultos também.

O livro está disponível para venda no site da livraria cultura e já chegando nas livrarias de todo o Brasil.

Compre o seu AQUI.

Livro custeado pelos leitores · 09/06/2015 - 11h39

Lançamento da 2ª edição de 'Tudo o que eu queria te dizer'


Compartilhar Tweet 1



"Tudo o que eu queria te dizer" é um livro de poesias e crônicas sobre relacionamentos, paixão, sexo, traição e etc. Os textos e poesias que deram origem ao blog era publicados originalmente em www.interletradas.blogspot.com, blog de poesias de Rosseane Ribeiro.

A ideia de publicar o livro já tinha sido concebida há muito tempo, mas por ainda ser caro publicar um livro no Brasil a escritora Rosseane Ribeiro deixou a ideia na gaveta. No SALIPI do ano passado foi que a ideia tomou corpo. A 1ª edição e a 2ª foram custeadas pelo público com a pré-venda dos livros. A 1ª edição foi lançada no final de 2014 e a 2ª será lançada hoje (09) no Salão do Livro do Piauí, no bate-papo literário com a autora a partir das 17h às 18h. A entrada para o bate-papo literário é gratuita. O exemplar custa agora 20,00.

 

Tico Santa Cruz no SALIPI · 09/06/2015 - 09h58

Tico Santa Cruz movimenta o SALIPI hoje


Compartilhar Tweet 1



Tico Santa Cruz - RJ (cantor, compositor, articulista e escritor) estará presente da 13ª edição do Salão do Livro do Piauí. É hoje, a partir das 19h, dentro da programação do Língua viva.

O cantor anunciou sua presença no SALiPi em sua FanPage no Facebook e causou grande expectativa e alvoroço nos fãs que esperam ansiosamente sua chegada.
Tico Santa Cruz é vocalista da banda Detonautas e autor de três livros: Pólvora, Tesão e Clube da Insônia.

O acesso é para quem possui a credencial dada aos que inscreveram-se no Seminário.

Para conferir toda a programação do SALIPI CLIQUE AQUI.

É dada a largada do SALIPI · 06/06/2015 - 11h48

SALIPI 2015, confira a programação!


Compartilhar Tweet 1



Ontem foi dada a largada para o maior evento literário do Piauí, o SALiPi, no Cine Teatro da UFPI com a Cerimônia de abertura da 13ª Edição do SaLiPi. O evento, realizado pela Fundação Quixote em parceria com a Universidade Federal do Piauí (UFPI) contou com a presença dos leitores e amantes da literatura e diversas autoridades. O SALiPi segue com sua programação até o dia 14 com mesas-redondas, seminários, lançamento de obras literárias e outras atividades culturais.

 

Para conferir toda a programação, CLIQUE AQUI


Compartilhar Tweet 1



Sexta-feira, 29, sexta-feira a partir das 18 horas, no Theatro 4 de Setembro, em Teresina, lançamento do livro Genu Moraes - a Mulher e o Tempo. A obra é recheada de memórias de Genu Moraes contadas ao jornalista e escritor Kenard Kruel. São testemunhos de vida que narram seu nascimento em Teresina, a estadia em Belo Horizonte, a moradia em São Luís, onde foi vereadora de oposição aos militares e ao governador José Sarney, e presidente do Sindicato dos Jornalistas e seu retorno a Teresina.

Na oportunidade do lançamento do livro terá apresentação do espetáculo de dança teatro “Ela – Tributo a Genu Moraes”; Lançamento da Obra de memória e história da construção social piauiense, sob a ótica de Genu Moraes; Inauguração do Espaço Cultural Café Literário “Genu Moraes”; Exposição Fotográfica “Genu Moraes”, por Valdyr Fortes, e Sessão de Autógrafos. A entrada é gratuita.

Genu Moraes era filha do ex-governador do Piauí Eurípedes de Aguiar. Tornou-se figura ilustre em Teresina. Era escritora e Jornalista. Faleceu dia 07/01/2015 aos 87 anos deixando seu legado cultural.

Faça você mesma · 25/05/2015 - 11h36

4 estantes criativas para colocar seus livros


Compartilhar Tweet 1



Se você tem um case de violão, guitarra ou baixo em casa e não usa mais é só transformar e guardar seus livros dentro. Fica bonito e dá um charme a mais na sua casa.

Uma escada velha ou bem pintada é uma ótima opção pros amantes dos livros. Se tiver muitos livros, retire os degraus da escada e troque-os por tábuas mais longas. 

 

Esses suportes são facilmente encontrados em lojas de material de construção. Basta colocá-los na parede (infelizmente terá que furar) e organizar os livros. O bom é que não ocupa espaço na casa. Ideal para quem tem a casa pequena.

Erguer os livros com cintos ou cordas também não irá ocupar espaço em casa. Basta ter uma base com boa resistência. O armador de rede pode ser a saída.

 


Compartilhar Tweet 1



Com uma produção totalmente independente e inovadora, a Autora de "Tudo o que eu queria te dizer", lançado no final do ano passado, tenta repetir a façanha de lançar um livro custeado pelos leitores. A primeira edição do livro que reúne crônicas e poesias sobre amor, sexo, paixão, traição e etc foi resultado de uma campanha de pré-venda nas redes sociais para conseguir o dinheiro necessário para impressão dos livros, que custava em torno de 2.500,00.

Com o sucesso e rápido esgotamento do livros nas livrarias, a escritora atendeu ao pedido dos leitores e irá lançar a segunda edição do livro este ano, no SALIPI, o maior evento literário do Piauí. A data do bate-papo e lançamento do livro ainda não está confirmada, esperando apenas a programação oficial do evento.

A pré-venda consiste na compra antecipada do livro. O leitor que adquirir o seu exemplar na pré-venda comprará por um preço mais barato e estará ajudando na arrecadação de fundos para que a impressão seja possível. No ato da compra é entregue um vale-livro que garantirá o direito de recebimento da obra, quando lançada. O exemplar de "Tudo o que eu queria te dizer" custa 15,00 e estará disponível na pré-venda até o dia 30 de maio.

A novidade é que a segunda edição traz novos textos e poemas e algumas ilustrações do artista plástico Carlos Holanda.

Quer comprar o seu? Siga @rosesemjack no twitter e instagram e peça o seu!


Compartilhar Tweet 1



"O Salipi veio para ficar". Foram com essas palavras, ditas pelo Professor e Presidente da Fundação Quixote, Kássio Gomes, que a 13ª edição do SaliPi foi oficialmente lançada na noite desta quinta-feira (21/05), no auditório da CDL. O evento será realizado entre os dias 05 e 14 de junho no campus da Universidade Federal do Piauí (UFPI).

Autoridades, escritores, artistas e apoiadores do evento estiveram presentes reforçando a parceria, dentre os quais podemos destacar a Universidade Federal do Piauí, que mais uma vez será a sede do maior evento de Literatura do estado. Para encerrar, houve a apresentação do humorista João Cláudio Moreno.

O 13º Salipi está trazendo ótimas novidades! Será falado do já tradicional 18º Seminário Língua Viva, que já tem confirmados os nomes de Tico Santa Cruz - RJ (cantor, compositor, articulista e escritor), Thalita Rebouças - RJ (escritora), Cineas Santos (poeta, cronista, intelectual, professor e advogado), Pedro Demo - DF (professor e PhD), Pe Bruno Lira - PE (escritor e educador), Frei Hermínio Bezerra - CE (estudioso da Língua Portuguesa) e Clodo Ferreira - DF (músico e escritor).

ACESSE AQUI E FAÇA A SUA INSCRIÇÃO


Compartilhar Tweet 1



O nosso SALIPI irá acontecer mesmo depois da tensão sobre a não realização do evento por questões financeiras. Leia-se: escassez de patrocínio público e privado. Aliás, onde está escrito "patrocínio", leia-se incentivo, tá? A Fundação Dom Quixote garantiu a realização do evento, mesmo sem a confirmação de apoio/patrocínios/incentivo/investimento público e privado. Uma lástima. Uma tristeza sem fim. A nossa cultura não é vista. Não é valorizada. Quantos eventos grandiosos já não deixaram de existir? Por favor, se não deixam o samba morrer, não deixem o SALIPI acabar.

E nesta quinta-feira, 21 de março, a solenidade de abertura do evento irá acontecer às 19h, no auditório Jesus Elias Tajra Filho (Câmara de Dirigentes Lojistas de Teresina), localizado na Rua Desembargador Freitas, 977, Centro.

O Tema da 13ª edição é "A leitura nutre a inteligência", que irá propor uma reflexão sobre leitura e o que se consome de literatura. E o homenageado desta edição é o poeta Hardi Filho, que faleceu este ano. Hardi Filho era poeta e jornalista, nascido no Ceará, mas mudou-se muito novo para o Piaí, onde aqui findou raízes familiares e literárias, para sempre.

O maior evento literário do Piauí terá início dia 05/06/2015 até 14/06/2015, no Espaço Rosa dos Ventos, na Universidade Federal do Piauí, aberto ao público de 08:00 às 22:00h com palestras, bate-papo literário com autores nacionais e piauienses, feira de livros, exposições artísticas.

E você ainda pode encontrar seu escritor preferido pelos corredores. Vai perder? Eu não!

O silêncio em meio aos gritos · 20/05/2015 - 11h41

Reticências


Compartilhar Tweet 1



O silêncio. As minhas reticências. Talvez nelas estejam contidas tudo o que eu queria te dizer. Talvez sobre saudades, aquelas bem gostosas, de colar meu corpo no teu. Talvez sobre tristezas. Talvez angústias, desapontamentos. Não consigo falar tudo. Não sei, não dá. Eu travo, automaticamente, é impressionante. Para não correr o risco de falar além do que pode ser dito e audível, além do que você pode ouvir ou suportar, então eu silencio. Dói. Dói bastante. Silêncio acumulado no peito enche, chega dá falta de ar.

É como a quarta-feira, bem no meio da semana. Nem fede nem cheira. Mas causa náuseas.

O tempo que te sobra, é livre? · 11/05/2015 - 11h57

Crônica de segunda-feira


Compartilhar Tweet 1



Crônica de Segunda-feira

Acordei dormindo. Como de costume. É a minha rotina de segunda-feira. Fui ao banheiro, não lavei o cabelo nem demorei no chuveiro, embora quisesse passar o dia ali... Mas a vida pede pressa, o trabalho pede pressa, a universidade pede pressa. Quase sete da manhã e o café ainda estava posto na mesa e eu tentando enfiar uma calça 36 no meu quadril não mais 36. Às pressas engoli o café da manhã. Às pressas penteie o cabelo. Às pressas peguei a bolsa e entrei no carro. Às pressas o marido me deixou no ponto de ônibus, porque às pressas o motorista do coletivo já vinha atrás e às pressas dei meu beijo matinal, como de costume.
Trânsito parado. Há mais carro que gente nesta cidade? As buzinas soando avisam que estão todos apressados. Eu também, o trabalho já devia ter começado sem mim.
"- Motorista, por favor, não cabe mais ninguém neste ônibus, nós estamos atrasados".
Porém, pensei que aquelas pessoas que tentavam entrar no ônibus já lotado também estivessem apressadas. O burburinho tomou conta do ambiente. "Vai!, Anda, temos horários a cumprir, não cabe mais!". Eu cheguei no meu destino. Fora do horário, mas cheguei.
Acho que a vida é uma eterna segunda-feira. Todos nós temos pressa. Pressa de chegar no trabalho, de chegar em casa, de fazer os afazeres domésticos, de terminar o que não deu tempo ontem. Todos nós temos pressa de viver, de beber o último gole de cerveja, de ser feliz...
Mas o tempo que sobra, como você o aprecia? Com pressa?

Dica de Livros · 24/04/2015 - 11h58

Dica de leitura: Percy Jackson e o Ladrão de Raios


Compartilhar Tweet 1



Percy Jackson e O Ladrão de Raios

A dica de hoje é Percy Jackson e O Ladrão de Raios, do autor Rick Riordan. É um romance surpreendente à la Harry Potter que envolve magia, aventura, fantasia e história. Percy é um garoto de 16 anos que tem dislexia e falta de atenção, o que lhe traz problemas com a escola. Todo ano muda ou é expulso de uma. E é lá onde ele descobre que existe algo de incomum. Ele vive com sua mãe e seu padrasto, um beberrão violento. Percy é filho de um Deus. Ele é um meio-sangue, ou seja metade humano e metade deus. Quando um semi-deus descobre que é filho de um deus com uma humana é levado para o acampamento meio-sangue, onde ele, junto com os outros, é treinado para se defender e travar batalhas e não podem ser matados por monstros.

O livro gira em torno do roubo do raio de Zeus, que logo põe a culpa em Percy, já que o raio só poderia ser roubado por um meio sangue. Caso o raio não seja entregue até o solstício de verão, Zeus promete iniciar uma guerra. No acampamento Percy conhece e vira amigo de Grover e Annabeth, que entram com ele nesta missão de recuperar o raio e assim Percy poderá tentar voltar para o mundo inferior inocente. Os três enfrentarão muito suspense e monstros aterrorizantes pelo mundo na busca do ladrão do raio. É uma história eletrizante, com temas atuais. O livro já foi adaptado para o cinema e é o primeiro da série dos Olimpianos. Existem mais 4, corre pra ler!

Dia mundial do livro · 23/04/2015 - 16h16

Como é bom comemorar o dia do livro com um livro seu


Compartilhar Tweet 1



23 de março, dia Mundial do Livro. Todos em comemoração, eu também. Não só porque é uma data significativa para meu universo, que diga-se de passagem, conspira a meu favor. Mas porque é uma data diferente. Dessa vez eu comemoro com meu livro. Dessa vez eu cheiro o meu livro, "Tudo o que eu queria te dizer", lançado em outubro de 2014 e esgotado um mês depois.

Quem de longe me vê, pensa que foi fácil, barato, que ganho muito dinheiro nas TVS e fiquei rica depois do lançamento. Oh, pobres inocentes.

A maior riqueza foi receber todo mundo nos lançamentos, as fotos dos leitores distribuídos por todo o Brasil, a satisfação e saber que deu certo. Mas só deu certo porque tive ajuda. Do marido, da sogra, dos amigos, do editor, da mídia e claro, de quem comprou o livro na pré-venda e fez ele acontecer, afinal, todo o dinheiro da publicação veio dos internautas. A ideia de lançar o livro surgiu no SALIPI (Salão do livro do Piauí) do ano passado, com uma conversa informal com o escritor Joca Nettu, o qual me deu apoio e força. A proposta era fazer campanha de pré-venda e divulgação na internet para que eu pudesse arrecadar o dinheiro ( que não era/ e não pouco) para lançar o livro.

A dica de hoje: Presentei seus amigos com livros e incentive a leitura..

Pra quem quiser dar-se ao deleite de uma poesia curta, aqui:

Se eu pudesse, ao menos
Ficar do teu lado
Só pra diminuir o estrago
Que a vida me faz.

Rosseane Ribeiro em Tudo o que eu queria te dizer

Por trás dos versos · 22/04/2015 - 07h00

Com o seu escritor preferido, você aprendeu o quê?


Compartilhar Tweet 1



Sabe aquelas frases de efeito e aqueles trechos que marcam a gente tendenciosamente de alguma forma? Pois é.

Com Shakespeare aprendi que não tem jeito, algumas pessoas vão sempre nos magoar, talvez as que nós mais gostamos. Chato isso.

Com Clarice aprendi a mergulhar na vida sem razão ou complicação. Viver ultrapassa qualquer explicação. Perigoso, não?

Já com Drummond aprendi que o amor não é estável. Às vezes é isso, às vezes é aquilo. Complicado...

Neruda me ensinou que a chama que queima forte entre dois amantes não arderá assim em mais ninguém. Mas amores serão sempre amáveis, como dizia Chico Buarque.

Lya Luft me explicou que solidão é até algo bom, mas é mais para as outras pessoas. Sozinha não machuco ninguém. Talvez só a mim.

Outros tantos me ensinaram o que é sofrer, me mostraram lugares inimagináveis, me ensinaram coisas tão imperceptíveis. E a você, deixaram o quê de mais marcante?

 

 

Poema · 21/04/2015 - 16h06

Poesia da semana


Compartilhar Tweet 1



Espero-te tanto, coisa linda
Que a solidão por hora finda
Nas espreitas horas que hão de te encontrar
Espero-te tanto que o perdoo, por me ferir, por partir
Pois, coisa linda, quem parte também leva partido, parte ido, que aqui ficou
Espero- te como quem espera um filho
Espero-te como um fiel da igreja crendo nas causas impossíveis
Espero-te calada, arrumando a casa, me guardando pra quando vir
Espero-te, coisa linda, com um amor que não cansa de esperar

(Rosseane Ribeiro)