"Maior onda de investimentos" · 02/01/2020 - 14h45 | Última atualização em 02/01/2020 - 15h46

Prefeitura vai investir R$ 1 bilhão em Teresina nos próximos dois anos


Compartilhar Tweet 1



Fazendo um balanço positivo da gestão em 2019, o prefeito Firmino Filho destaca que Teresina está dando continuidade em 2020 à maior onda de investimentos de toda a sua história. Nos próximos dois anos, deve ser aplicado cerca de R$ 1 bilhão em diversas áreas, como saúde, educação e mobilidade urbana.

“Em 2019, Teresina demonstrou que o Piauí pode dar certo, que nós podemos enfrentar esta tal de crise. Atuamos da mesma forma do povo piauiense, um povo trabalhador, insistente, persistente, que busca os seus ideais com muita garra. Superamos a crise que domina boa parte do Brasil e agora estamos colhendo os frutos por termos feito nosso dever de casa. A Prefeitura de Teresina está de pé e investindo como nunca investiu”, ressaltou o prefeito.

Ele explica que os bons resultados verificados na gestão só foram possíveis porque a Prefeitura fez um importante ajuste fiscal, buscando aumentar receitas e reduzir despesas. “Por outro lado, também houve um planejamento e um trabalho intenso para a busca de mais recursos”, comentou.

E para 2020, a proposta é dá continuidade ao trabalho iniciado em anos anteriores, sobretudo nas áreas da educação, saúde e mobilidade urbana. Neste ano, muitas obras importantes devem ser entregues na capital. “Na Educação, vamos continuar aperfeiçoando e qualificando a nossa rede municipal, a melhor todas as capitais brasileiras. Na saúde, vamos dá continuidade aos investimentos nos hospitais e nas nossas Unidades Básicas de Saúde. E temos também muitas obras de mobilidade urbana para serem entregues: a avenida Ulisses Marques, na zona Leste, a Via Sul, o viaduto que liga as avenidas Barão de Gurgueia e Henry Wall de Carvalho. E, não menos importante, a ponte da zona Norte, que liga a Universidade Federal ao bairro Água Mineral, além de várias outras obras”, citou o prefeito Firmino Filho.


Fonte: Com informações da Semcom

Comentários