Política

Feliz Carnaval  · 13/04/2020 - 20h30 | Última atualização em 14/04/2020 - 10h57

Exclusivo: novos contratos apontam que Turismo torrou R$ 4 milhões pagando bandas no Carnaval do PI

Recursos dariam para comprar cerca de 200 ventiladores pulmonares para vítimas do COVID-19 no estado do Piauí. Gastos ocorreram durante a pandemia


Compartilhar Tweet 1



 

Por Rômulo Rocha - Do Blog Bastidores

 

_____________

- Questões de prioridades de políticos locais

- Há suspeitas de que muitas bandas estão com preços além da prática usual

__________________

 

_Flávio Nogueira Júnior, nem um órgão no governo do estado contratou tantas bandas em tão pouco tempo, e com suspeita de preço maior do que o praticado no mercado, em muitos caso (Imagem: Divulgação)

_Flávio Nogueira Júnior, Secretário de Turismo | nenhum órgão no governo do estado contratou tantas bandas em tão pouco tempo e com suspeitas de preço maior do que o praticado no mercado, em muitos dos casos (Foto: Divulgação) 

RE(QUEBRA), PIAUÍ

Números atualizados evidenciam que a farra com dinheiro público na contratação de bandas para o carnaval, através de emendas parlamentares estaduais alocadas junto à Secretaria de Turismo, e até com recursos diretos da própria pasta, é bem maior e ultrapassa os R$ 4 milhões. É uma das maiores farras já constatadas em solo piauiense em tão pouco tempo envolvendo contratação de bandas para festividades.

Segundo empresários da iniciativa privada que fazem uso desses grupos musicais para eventos locais, muitos dos casos - principalmente nos expostos na matéria anterior - estariam com preços bem acima dos praticados no mercado, o que pode indicar indícios de superfaturamento.

Há, por exemplo, casos de bandas que tocam numa noite em Teresina por R$ 3 mil, R$ 5 mil, sendo contratadas por R$ 30 mil para tocar somente um dia no carnaval em um determinado município.

No valor publicado na primeira matéria e revisionado - devido ao fato de algumas publicações de contratos em Diários Oficiais do Estado estarem duplicadas, a cifra é algo em torno de R$ 3.580.000,00, conforme se constata nos diários cujas datas são os dos dias 6 e 9 a 13 de março. 

O texto da publicação anterior do Blog Bastidores, do 180, informava, no entanto, que existiam outros contratos que não havia sido contabilizados ainda, e que, portanto, o valor de todos eles até aquele momento seria de no mínimo R$ 3.730.000,00. Concluindo-se que a cifra podia ser bem maior.

E é verdade. 

Outros diários oficiais do Estado evidenciam que a Secretaria de Turismo realizou mais contratos com bandas. Algumas notórias, como já havia adiantado outras publicações do referido blog.

Algumas dessas contratações são:________________________

 

Banda Éric Land

Valor: R$ 60 mil

Zé Pereira da cidade de São Pedro

Fonte: emenda do deputado Pablo Santos

 

Banda Aline Cabral

Valor: R$ 30 mil

Carnaval do município de José de Freitas

Fonte: emenda do deputado Mardem Menezes

 

Banda OZ Bambaz

Valor: R$ 110 mil

Carnaval da cidade de Floriano

Fonte: emenda do deputado B. Sá

 

Banda Avine Vinny

Valor: R$ 200 mil

Carnaval na cidade de Floriano

Fonte: Diz apenas “Recurso Próprio” no DOE-PI

 

Banda Solteirões do Forró

Valor: R$ 90 mil

Carnaval da cidade de Floriano

Fonte: emenda do deputado Nerinho

 

Total: R$ 490 mil

________________________

SALDO TOTAL ATÉ AGORA

Com a atualização, diante da análise de diários oficiais mais recentes, quais sejam, dos dias 23 e 24 de março, a cifra de gastos para contratações de bandas em Zé Pereira e Carnaval com recurso da Secretaria de Turismo é da ordem de R$ 4.070.000,00.

É muita farra.

Os recursos dariam para comprar cerca de 200 ventiladores  pulmonares [e não dois mil] para tratamento de vítimas da COVID-19 no estado do Piauí, levando em consideração os preços médios pelos quais estão sendo adquiridos tais aparelhos em território piauiense, conforme também informações do DOE-PI.


VEJA A MATÉRIA ANTERIOR:

- Secretaria de Turismo torrou R$ 3,7 milhões contratando bandas para o Carnaval em cidades do Piauí

 


Comentários