Política

Ministério Público do Piauí · 19/07/2019 - 09h50 | Última atualização em 19/07/2019 - 17h24

Ex-coordenador do GAECO soube da notícia do seu desligamento quando chegou em Paris

Entre os trabalhos conduzidos por Rômulo Cordão, está a Operação Il Capo, diante de "práticas criminosas que ocorriam dentro da própria instituição"


Compartilhar Tweet 1



 

Por Rômulo Rocha - Do Blog Bastidores

 

_________________

- Em mensagem pessoal aos mais próximos, após a divulgação da exoneração do cargo, Rômulo Cordão agradeceu à promotora Cláudia Seabra - reconhecidamente atuante dentro do MPE, ao próprio ex-procurador-geral de Justiça Cleandro Moura, que o convidou para o posto, e ao chefe do setor de inteligência do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Inaldo Oliveira, entre outros. Leia a mensagem abaixo.

___________________________________

 

Rômulo Cordão, ex-coordenador do GAECO no Piauí
_Rômulo Cordão, ex-coordenador do GAECO no Piauí 

DESMANTELAMENTO DE UM NÓ DA REDE DE CONTROLE?

Quando assumiu a Procuradoria Geral de Justiça no Piauí (PGJ), Cleandro Moura, ainda que leitores e críticos dispensem suas próprias críticas a ele, sob o argumento de que o Ministério Público Estadual não vinha fazendo o seu papel ao longo dos últimos anos no combate à corrupção, num estado onde isso brota em abundância, a sensação existente é a de que o MPE evoluiu sim nesse sentido durante as duas gestões do ex-procurador-geral de Justiça, senão como devia, ao menos como podia. Sinal dos tempos atuais. 

Cleandro assumiu com a proposta de fortalecer o combate à corrupção. O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), braço poderoso dentro do MPE, foi fortalecido em todos os sentidos. Operações, grandes operações, estavam ocorrendo no Piauí. Algo que não era visto com muita frequência, no combate aos corruptos.

Ontem à tarde, 18/07, no entanto, o Blog Bastidores, do 180, tornava público a troca de comando no GAECO, algo que pegou muitos de surpresa. O próprio agora ex-coordenador do Grupo, que está em Paris, na França, em mensagem aos pares, chegou a dizer que “soube da notícia do meu desligamento quando cheguei aqui”. Ele está de férias. 

“Caros amigos e colegas ministeriais, estou de férias e fora do país, preferiria dar esta notícia quando retornasse, mas como ainda demorarei um pouco e como também soube da notícia do meu desligamento quando cheguei aqui, creio que se faz imperioso falar neste momento”, comunicou. 

O promotor de Justiça foi exonerado do cargo pela nova procuradora-geral de Justiça Carmelina Moura, sucessora de Cleandro no posto. [Pós-publicação, às 17h22: Procuradora-geral não assinou a exoneração, só não reconduziu ao cargo anterior o promotor Rômulo Cordão].

Fatos assim, sobre quem passa a ocupar o posto máximo dentro do MPE, levou o titular do Blog Bastidores, em 2015, a defender numa série de matérias (típico do blog) a necessidade das eleições e debates motivados por elas serem abertos, com discussões abertas. Houve nota de repúdio da associação à época, por conta dessa cobrança, claro.

Ora, como pode o contribuinte fiscalizar e saber o que pensa o chefe ou a chefe de um órgão como esse, as diretrizes por ele tomadas e dele emanadas, quem são seus amigos no poder, e a partir disso exercer algum tipo de pressão e cobrança, se não está a par das discussões, quando das eleições?

Pois bem, na mensagem abaixo, o promotor de Justiça Rômulo Cordão fala aos seus mais próximos do seu legado ao longo de cerca de quatro anos à frente do GAECO, e alerta que ele não valerá nada se o Ministério Público não tiver independência e não resistir às pressões. 

Vamos regredir?

________

Inaldo, um dos lembrados em mensagem de agradecimento
_Inaldo, um dos lembrados em mensagem de agradecimento  (Foto: TCE/PI)

____

A MENSAGEM DO EX-COORDENADOR E O LEGADO DEIXADO

Caros amigos e colegas ministeriais, estou de férias e fora do país, preferiria dar esta notícia quando retornasse, mas como ainda demorarei um pouco e como também soube da notícia do meu desligamento quando cheguei aqui, creio que se faz imperioso falar neste momento.

Como todos sabem, assumi o GAECO há quase quatro anos, de lá para cá introduzimos uma sistemática de trabalho mais dinâmica e cooperativa, conseguimos celebrar excelentes termos de cooperação como com o TCE, PRF, MPF, PM, para citar apenas alguns de quase duas dezenas de órgãos que têm convênio de atuação com o Gaeco.

Treinamos e capacitamos a nossa equipe, ao que todos os que hoje trabalham no órgão detém conhecimento na área de inteligência , produção do conhecimento, além da área operacional.

Criamos o NIP, em parceria com o TCE, onde um auditor de carreira, trabalha dentro do órgão, possibilitando uma eficiente investigação patrimonial dos investigados, este órgão já conseguiu apontar patrimônio escamoteado de diversos alvos de nossas operações.

Realizamos também diversos cursos e palestras no sentido de capacitar servidores e membros, ao que temos a certeza que muitos colegas hoje entendem mais sobre como é produzido o conhecimento que compartilhamos com nossos demandantes, em sua maioria, Promotores de Justiça.

Conseguimos implementar doutrina de segurança e contrainteligência dentro do Órgão.

Sensíveis a necessidade de investimento na área de tecnologia, conseguimos adquirir equipamentos importantes para o armazenamento e processamento de dados, foram os Servidores, Data Center e Stourage que hoje formam a TI que é exclusiva do GAECO.

Também conseguimos implantar o Núcleo de Análises Forenses, onde através do I2, Td3, Cellebrity e outras ferramentas, conseguimos realizar a extração e análises de dispositivos , mídias e materiais apreendidos, um grande avanço do MPPI, que dantes ficava aguardando a disponibilidade de outros órgãos para a realização deste trabalho.

Criamos juntos com o Caocrim, o BID - Busca Integrada de Dados, ferramenta que possibilita aos membros a busca de dados em quase Vinte bases de órgãos diferentes, tais como Receita Federal, Detran, etc, fornecendo um relatório de inteligência padrão e personalizado ao Membro. Diga-se de passagem esta ferramenta foi produzida a custo zero pela TI do GAECO.

Conseguimos junto com o Gercoc parceria com o Banco Mundial, frutificando na aquisição de duas caminhonetes para os órgãos e a compra de diversos equipamentos de TI que estão sendo licitados.

Realizamos nestes quatro anos centenas de auxílios a Membros do MPPI e de outros MPs, assim como às polícias.

Com o crescimento do órgão, notadamente com as operações, tivemos que mudar de sede vàrias vezes, o que demonstra a ascendência rápida do órgão.

Implantamos nosso próprio sistema de interceptações telefônicas - o Wytron, criando assim um Núcleo de Interceptações e Análises, o que foi um gigante passo para o MPPI, na necessária indecência na condução de suas investigações.

Fomos um dos primeiros MPs do Brasil a implantar o SITTEL - Sistema de Interceptações Telefônicas, nos colocando na vanguarda da recepção e análise rápida e eficiente de tais informações.

Implantamos no MPPI o LAB - Laboratório de Lavagem de Dinheiro, fundamental para investigações financeiras e bancárias, tendo servido a vários membros durante estes quatro anos.

Treinamos e formamos uma equipe de quatro pessoas que tem hoje expertise para labutar no LAB.

Recebemos neste período Prêmio do Ministério da Justiça da Rede LAB como MP que mais se destacou em casos de sucesso - ano de 2017.

Recebemos, por duas vezes, o Prêmio Melhores Práticas do MPPI, com os temas “Rede de controle e trabalho integrado ao GAECO” e “NIP - Núcleo de Investigação Patrimonial”.

Pessoalmente fui convidado e nomeado para ser coordenador adjunto nacional do Grupo Temático de combate à corrupção e lavagem de dinheiro, integrante do GNCOC - Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas.

Realizamos ao todo 26 Operações, destacando algumas pelo tamanho como a Escamoteamento que resultou na denúncia de quase 50 pessoas, e na indisponibilidade de mais de 100 milhões em bens pela Justiça.

A operação Il Capo que foi um divisor de águas no MPPI, pois foram denunciadas práticas criminosas que ocorriam dentro da própria instituição.

Estes dados são apenas alguns que agora me recordo, mas é muito mais que isto o produto do GAECO neste quatro anos. Creio que o maior produto foi a motivação, a instigação , o entusiasmo criado em todos nós no sentido de crer que somos capazes de atuar de forma mais profissional, inteligente e eficiente no combate ao Crime Organizado, especialmente, como sempre digo, contra os crimes de Colarinho Branco.

Creio que está é a grande bandeira a ser levantada pelos GAECOs do país, o Ministério Público é o órgão verdadeiramente vocacionado e com independência e prerrogativas indispensáveis para o cumprimento de tão árdua missão.

Para finalizar, digo com extrema e profunda convocação, de mente e coração, que em Nada, absolutamente em NADA, importa tais investimentos, capacitações etc, se o MP não agir com independência, se não resistir às pressões, se não tiver convicção do seu mister e de que sua razão de existir é SOMENTE UMA, a defesa dos direitos e interesses da sociedade.

Agradeço imensamente a minha equipe de Excelência do GAECO, a todos indistintamente que foram peças indispensáveis à esta meteórica evolução.

Agradeço em especial aos companheiros membros que nome ombrearam nesta Luta, Sinobilino, Lenara e Luana.

A Dra. Claudia Seabra, de forma especial, que sempre foi uma grande entusiasta do GAECO.

Sua grato ao Dr Cleandro pelo convite.

Sou imensamente grato a Rede de Controle que muito nos apoiou e ajudou a alicerçar a estrutura robusta e forte que hoje é o GAECO.

Sou muito grato a todos os colaboradores externos e agradeço a todos em nome do gigante Inaldo do TCE, uma pessoa que nunca esmorece na defesa da probidade.

Agradeço de forma geral a todos os amigos e amigas de dentro do MPPI que sempre nos apoiaram nos momentos mais traumáticos, que não foram poucos.

A imprensa que com seu papel e dever constitucional de bem informar a sociedade, sempre deu especial atenção ao conteúdo dos nossos trabalhos, os quais atingiam diretamente o interesse do Povo.

Em especial, sou grato a minha família pela paciência e suporte durante estes anos.

A Sociedade que sempre deu o apoio moral indispensável ao fortalecimento do Órgão e a DEUS, o Criador de Tudo, por sair ileso, de cabeça erguida e de Coração Limpo, depois de tantas agruras, pressões, ameaças, intimidações, maledicências, ataques e inúmeros momentos difíceis.

 

Um grande abraço,

Rômulo Cordão, em Paris.


Comentários