Política

Difícil de acreditar · 23/07/2015 - 07h39 | Última atualização em 23/07/2015 - 12h54

Associação que recebeu quase R$ 4 milhões fica no Mercado da Piçarra

FARRA DAS ASSOCIAÇÕES: 180 mostra fotos do presidente e da sede com três metros


Compartilhar Tweet 1



O endereço que Gilmar Pereira de Paulo usou para abrir a conta bancária da Associação dos Permissionários Concessionários e Usuários do Mercado da Piçarra (CNPJ 11.068.570/0001-30) foi Avenida São Raimundo S/N. Durante alguns dias a reportagem do 180 não encontrou o referido endereço. Depois que foi requerida a documentação do convênio assinado com a Secretaria de Turismo veio a confirmação de onde fica sede: dentro do próprio mercado. Na sexta reportagem da série “Farra das Associações”, o 180 mostra onde fica a sede da ASPUMP e quem é Gilmar Pereira, a pessoa que se diz presidente.

A abertura da conta bancária que já recebeu R$ 1,6 milhão do bolso dos piauienses foi na agência do Banco do Brasil, do Bairro Piçarra.

A conta foi aberta no dia 26 de maio deste ano. Mas, antes, o presidente da ASPUMP, Gilmar Pereira, tinha ido ao cartório Themístocles Sampaio Pereira e mudou o nome da associação. No dia 10 de abril de 2015, ela passou a se chamar Associação Piauiense de Apoio e Incentivo a Ações e Estudos Para o Desenvolvimento Sustentável. O nome é grande, que não condiz nem um pouco com o tamanho da sede.

Por duas vezes, a reportagem do 180 esteve no Mercado da Piçarra para conversar com o presidente da associação. Chegando lá, mais de um permissionário disse: “O presidente é o Orlando, ele não vem mais por aqui faz uns dois meses”.

A reportagem procurou o presidente era Gilmar Pereira de Paulo. Mas, ninguém sabem que dizer quem é esse “Gilmar”. Ao ver a foto, uma pessoa ainda disse: “eu acho que já vi esse homem por aqui”.

Quem visita local onde funciona ou funcionava a ASPUMP até junho é difícil de acreditar como três secretários estaduais (SEDET – Nerinho, SETRE – Gessivaldo e SETUR-Flávio Nogueira) assinaram convênios na ordem de R$ 4 milhões e já autorizados efetuado pagamentos de R$ 1,6 milhão na conta recém-aberta. A sala da ASPUMP não deve ter nem quatro metros quadrados. Dificilmente cabem duas pessoas.

É essa, a sede da associação que assinou convênio do programa de R$ 800 mil na SETUR, “TÔ DE FÉRIAS, PIAUÍ” e que vai traçar novos rumos nos arranjos produtivos e no desenvolvimento tecnológico do Piauí:

A placa da associação foi retirada faz uns dois meses. As “vizinhas” da associação, as permissionárias Maria Idalina e Maria Aline ficaram surpresas com a informação de que a associação deles estava milionária ao receber R$ 1,6 milhão e ainda aguarda R$ 2,4 milhões em breve, se a torneira da farra continuar aberta. “É muito dinheiro, pode ir atrás que aí tem coisa. Era a maior dificuldade aqui, o Orlando não conseguia dinheiro nem pra fazer uma limpeza no mercado”, declarou dona Maria Aline.

Elas não tem conhecimento de quem seja Gilmar Pereira de Paulo e que ele seria o novo presidente. “Pelo que sei o Orlando é o presidente, acabou o mandato dele e parece que ia dar baixa na associação”, declarou Maria Idalina. “Faz uns dois meses que ele não anda por aqui”, declarou.

Até o momento, nos documentos que o 180 teve acesso o nome do presidente é Gilmar Pereira. Não foi possível localizar o ex-presidente “Orlando”. Tudo indica que ele não saiba de todas essas transações bancárias e convênios. Em nenhum momento seu nome aparece na documentação, mas ainda aguardamos um contato para ele falar sobre o assunto.

O homem dos R$ 4 milhões
A equipe do 180 descobriu que presidente Gilmar Pereira de Paulo é um contador. Desde a semana passada que a reportagem tem feito contatos por telefone com Gilmar. Questionado sobre os trabalhos da ASPUMP sem tem como comprovar os gastos ou fotos dos eventos, ele informou que estava viajando e, que, quando retornar vai falar sobre o assunto.

Nesta quarta-feira(22), ele declarou que respeita o trabalho da imprensa, mas que queria falar pessoalmente, “não mais” através de mensagens. “Amigo, você está especulando, já lhe disse pra aguardar meu retorno a Teresina. Estou em campo trabalhando. Grato pela sua atenção”, declarou e depois não respondeu mais nada.

Gilmar Pereira declarou que todos os projetos estão em execução. O projeto que ele está cuidando neste momento é o circuito “TÔ DE FÉRIAS, PIAUÍ”, divulgado pelo 180 na quarta matéria “Com apenas dois meses, ASPUMB já possui R$ 4 milhões”.

Nesse projeto, Gilmar Pereira fez uma previsão de gastar R$ 60 mil só em outdoors. O orçamento foi aprovado pelos secretários Nerinho, Gessivaldo e Flávio Nogueira.

A reportagem informou a Gilmar Pereira, ou qualquer outra pessoa citada na matéria, que o 180 publicará todos os esclarecimentos. Inclusive dos secretários que estão liberando esses milhões do dinheiro público. Até o momento, eles não se manifestaram, nem explicaram se conhecem o trabalho das associações que estão recebendo recursos dos piauienses.

No projeto da ASPUMP para a Secretaria de Turismo, a fundação disse que ia atender 80 mil estudantes nos municípios de Barras, Boa Hora, Canavieira, Floriano, Uruçuí, Picos, Inhuma e Valença. Isso tudo no mês de julho.

Mas, em Floriano, o projeto não conseguiu juntar nem vinte estudantes.

TUDO SOBRE A FARRA DAS ASSOCIAÇÕES
Na primeira matéria da série, “FARRA das Associações: R$ 11 milhões já foram liberados”, o 180 revelou como várias associações e fundações sem experiência alguma estão faturando muito com o dinheiro do bolso dos piauienses.

Depois, na segunda matéria “FARRA das Associações: fundação milionária é despejada em THE”, 180 revelou que a Fundação Menor Carente (FCAMC) ou Instituto Pra Infância e Adolescência, foi revelado de um imóvel da zona leste devendo mais de R$ 75 mil para a imobiliária HALCA. Mesmo tendo recebido quase R$ 5 milhões desde o ano passado até agora. A tal fundação é dirigida por Raimundo Gomes de Lima, o “Lima da Creche”. Após ser divulgado que sua fundação recebeu R$ 4 milhões dos cofres públicos e se sentiu ofendido e procurou a polícia e registrou com uma queixa-crime contra o jornalista Rômulo Rocha, do 180, que exerceu seu papel de expor o absurdo que está sendo cometido com o dinheiro público.

“Lima da Creche” é uma figura pública bastante conhecida na Zona Norte de Teresina, sempre com projetos de “causas nobres”. Assim que o jornalista Rômulo Rocha divulgou o valor que ele recebeu dos cofres públicos, Lima da Creche não prestou contas, não apresentou notas fiscais nem mostrou como gastou o dinheiro. Saiu em vários veículos de comunicação a mesma matéria dizendo que ele tem larga experiência com trabalhos sociais. Lima da Creche foi o destaque da terceira matéria da série, "Farra das Associações: DIRIGENTE alvo da CGU, PF E TCU recebeu R$ 4,7 milhões".

Na quarta matéria do 180 sobre a “farra”, foi revelando o valor conveniado de R$ 4 milhões e que a ASPUMP já recebeu R$ 1,6 milhão. Destaque para as falhas de cálculos no projeto. Informaram que iam atender 80 mil estudantes, mas nas cidades informadas não há nem 45 mil estudantes da rede pública. Outro destaque é o orçamento, contém gastos difíceis de serem comprovados e que serão facilmente questionados pelo Ministério Público Estadual como, por exemplo, R$ 60 mil para outdoor, R$ 60 mil para material impresso com divulgação. LEIA AQUI

O 180 também destacou o que vem acontecendo no Estado de Sergipe desde dezembro do ano passado. Após o trabalho de uma imprensa livre, o Ministério Público e a Polícia colocaram 18 pessoas na cadeia e entrou com pedidos de cassação e 23 políticos. Mais de 50 diligências já foram realizadas e 80 pessoas foram ouvidas no caso da “Farra das Subvenções”. Confira MATÉRIA COMPLETA.