Derrota além das urnas -

180graus analisa: os 13 maiores perdedores das eleições de 2022

Em toda eleição há vencedores e perdedores e entre os que perdem há aqueles que amargam prejuízos para além do financeiro e de votos. Sacrificar reputação ou ganhar uma pecha de traidor ou interesseiro pode estar entre os piores legados que se pode levar de uma eleição.

Os tópicos abaixo não estão organizados  por ordem de importância e as informações estão em separado apenas para efeito de melhor compreensão.

Foto: ReproduçãoJoãozinho Félix foi soberbo em confiar que é uma liderança política consolidada na região norte do Piauí e nenhum de seus candidatos venceu
Joãozinho Félix foi soberbo em confiar que é uma liderança política consolidada na região norte do Piauí e nenhum de seus candidatos venceu

1. IPEC/TV Clube

O IPEC é o ex-Ibope. Em toda eleição repetem a parceria com a TV Clube na realização e divulgação de pesquisas eleitorais na tentativa de influenciar a militância. Sempre falham fragorosamente. É vergonhoso.

Foto: 180 ImagensNúmeros apresentados pelo Ibope para o Senado em 2018
Números apresentados pelo Ibope para o Senado em 2018

Foto: 180 ImagensComparação dos números aferidos pelo Ibope e o resultado da eleição para prefeito de Teresina em 2020
Comparação dos números aferidos pelo Ibope e o resultado da eleição para prefeito de Teresina em 2020
Foto: 180 ImagensTV Clube/Ipec apresentaram números desfavoráveis a Rafael durante todo o pleito de 2022, ajustando-os no final da campanha
TV Clube/Ipec apresentaram números desfavoráveis a Rafael durante todo o pleito de 2022, ajustando-os no final da campanha

Nos bastidores da política, todos sabem como se dão as conversas com o IPEC. Talvez só a direção nacional da Globo não saiba. As curvas do instituto sempre iniciam fora do padrão e se ajustam, repentinamente, quando a eleição chega.

É realmente vergonhoso se medir uma eleição pelos dados do IPEC.

Foto: ReproduçãoCiro Nogueira blefou muito e confiou demais nos anúncios de apoio
Ciro Nogueira blefou muito e confiou demais nos anúncios de apoio

2. Ciro Nogueira

O primeiro grande erro do ministro Ciro foi o de acreditar que o outro lado era muito frágil. Nogueira nunca acreditou que existia capacidade política em Rafael Fonteles.

O segundo: Nogueira viciou-se em blefar e depositou muita confiança nos anúncios adesões. No fim das contas ele estava a  anunciar adesões de pessoas sem qualquer relevância política.

Agora, ele segue na campanha do Bolsonaro como se nada de vexatório tivesse acontecido aqui no Piauí.

Foto: ReproduçãoCelso Cunha, diretor do instituto Credibilidade, apaixonou-se publicamente por Bolsonaro e Silvio Mendes chegando até a confrontar um jornalista
Celso Nunes, diretor do instituto Credibilidade, apaixonou-se publicamente por Bolsonaro e Silvio Mendes chegando até a confrontar um jornalista

3. Instituto Credibilidade

O instituto construiu um histórico de acertos nas pesquisas eleitorais das últimas eleições. Inclusive, atendia a muitos prefeitos do Piauí.

Celso Nunes, sócio e diretor do instituto, é ligado ao deputado estadual Wilson Brandão, o que gera imbróglios para o instituto, pois sempre existe a especulação de influência política no trabalho técnico.

Dessa vez Celso se apaixonou publicamente por Bolsonaro e Silvio Mendes, abandonando a necessária isenção de todo instituto de pesquisa. Chegou ao ponto de hostilizar um jornalista e, aparentemente embriagado, cair em frente a um evento do Silvio em Campo Maior.

Foto: 180 ImagensComparativo da última pesquisa divulgada pelo instituto Credibilidade com o resultado da eleição para governador do Piauí em 2022
Comparativo da última pesquisa divulgada pelo instituto Credibilidade com o resultado da eleição para governador do Piauí em 2022

Enquanto a maioria dos institutos de pesquisa estava ajustando os números para não passar vergonha quando as urnas fossem abertas, Celso apresentou números que davam vitória certa para Silvio Mendes no primeiro turno.

Passou uma grande vergonha!

Foto: ReproduçãoJoãozinho Félix foi soberbo em confiar que é uma liderança política consolidada na região norte do Piauí e nenhum de seus candidatos venceu
Joãozinho Félix foi soberbo em confiar que é uma liderança política consolidada na região norte do Piauí e nenhum de seus candidatos venceu

4. Joãozinho Félix

O prefeito de Campo Maior tentou ser liderança política da região norte do Piauí. Lançou o filho, Dogim Félix, candidato a deputado estadual e acreditava que seria eleito só por ser seu filho e descartou a necessidade de estrutura.

Comportou-se de maneira arrogante com lideranças. Dizia que daria 80% dos votos de seu município para Silvio e os números, nas urnas, foram bem diferentes.

Foto: 180 ImagensNenhum dos candidatos de Joãozinho Félix se elegeu
Nenhum dos candidatos de Joãozinho Félix se elegeu

Todos os seus candidatos perderam. Elmano para federal; Dogim para estadual; Joel, para o Senado e Silvo ao Governo. Já para Bolsonaro, nunca teve coragem de pedir voto.

Foto: ReproduçãoPastor Gessivaldo Isaías passou 04 anos mamando nas tetas do Governo para depois mudar de lado e apoiar a oposição
Pastor Gessivaldo Isaías passou 04 anos mamando nas tetas do Governo para depois mudar de lado e apoiar a oposição

5. Pastor Gessivaldo

O problema do pastor foi ter passado quatro anos mamando nas tetas do Governo. Ficou colado no Wellington Dias esse tempo todo e, de uma hora pra outra vira oposição.

Sua justificativa de que tinha de mudar de lado, pois os evangélicos não votam em Lula, se esvazia, pois eles não tem problema em votar no Rafael.

Foto: 180 ImagensJeová Alencar teve bem mais votos do que Gessivaldo e ficou com a única cadeira do Republicanos na Alepi
Jeová Alencar teve bem mais votos do que Gessivaldo e ficou com a única cadeira do Republicanos na Alepi

Gessivaldo acreditou que teria o dobro dos 29.216 votos conquistados, mas alcançou apenas pouco mais da metade dos votos de Jeová Alencar, que ficou com a única vaga do Republicanos na Alepi.

Foto: ReproduçãoEvaldo Gomes canalizou a maior parte dos recursos do partido para sua filha, Fernanda Gomes, que não se elegeu federal
Evaldo Gomes canalizou a maior parte dos recursos do partido para sua filha, Fernanda Gomes, que não se elegeu federal

6. Evaldo Gomes

Evaldo caiu de 26 mil para apenas 20 mil votos e fracassou em eleger a filha, Fernanda Gomes, para a Câmara Federal. Zangou todos os aliados ao conduzir a quase totalidade da verba do Fundo Eleitoral de seu partido para Fernanda. Atitude fatal.

A filha não tinha como se eleger sozinha. O partido precisava da votação dos demais candidatos para fazer o quociente eleitoral mas, sem fôlego financeiro, Silas Freire e Viviane Moura tiveram votações anêmicas.

Foto: 180 ImagensO Solidariedade enfraqueceu junto com Evaldo que, de quebra, ainda zangou todos os seus candidatos
O Solidariedade enfraqueceu junto com Evaldo que, de quebra, ainda irritou todos os seus candidatos

Evaldo Gomes sai bem menor dessa eleição. Durante a campanha manteve-se afastado do Rafael sendo, até mesmo, esnobe com o governador eleito.

Foto: ReproduçãoGessy Lima: casamento desfeito e exposto lhe tirou o voto dos envangélicos
Gessy Lima: casamento desfeito e exposto lhe tirou o voto dos envangélicos

7. Gessy Lima

Outra que sai da eleição bem menor do que entrou. Saiu de 50.221 votos em Teresina, quando ficou em terceiro na disputa pela Prefeitura em 2020 para 9.472 votos, agora.

Depois de ter o casamento dissolvido e exposto, perdeu o voto dos evangélicos. Demonstrou muita antipatia e arrogância durante os debates, perdendo votos e apoios.

Tem muito pouca chance de ser candidata a prefeita novamente em 2024.

Foto: ReproduçãoFábio Abreu não se reelege, votação encolhe para menos da metade. Vítima da insegurança que assola o Piauí.
Fábio Abreu não se reelege, votação encolhe para menos da metade. Vítima da insegurança que assola o Piauí.

8. Fabio Abreu

Perdeu antes de começar as eleições. O sentimento da população é de falta de segurança e vivenciam o medo de assaltos a todo instante. As facções chegaram, se instalaram e estão muito à vontade no Piauí.

Se reeleger para o segundo mandato em 2018 já foi uma façanha para Abreu. Reduziu votação de 132.719, em 2018 para 57.027 votos, agora.

Pelo menos por enquanto, sai da cena política, como a maior vítima da violência no estado.

Foto: ReproduçãoNão é mesmo do ramo! Klebão tem votação pífia logo após se candidatar a prefeito de teresina e deve se recolher.
Não é mesmo do ramo! Klebão tem votação pífia logo após se candidatar a prefeito de teresina e deve se recolher.

9. Kleber Montezuma

Demonstrou que não é do ramo. A votação de 11.931 foi pífia para uma figura que acabou de ser a segunda mais votada para prefeito de Teresina.

Montezuma deve se recolher. Não dá nem pra analisar, pois é uma figura insignificante no cenário político.

Foto: ReproduçãoDrPessoa erra em se preocupar com política que não lhe dá frutos e se esquece de administrar Teresina
DrPessoa erra em se preocupar com política que não lhe dá frutos e se esquece de administrar Teresina

10. DrPessoa

O prefeito de Teresina vem errando em seu comportamento. Desde o início vem negligenciando a administração e se preocupando com política. Pior é que não vai colher nenhum benefício de suas investidas eleitorais.

Seu partido, o Republicanos, não fez nenhum federal e seu candidato à Câmara, Thiago Duarte, conquistou apenas 19.035 votos.

Na Alepi, o Republicanos elegeu apenas Jeová Alencar que sequer consultou o DrPessoa quando tomou a decisão de romper com Rafael e seguir para os braços da oposição. Ele dará ouvidos ao prefeito antes de tomar qualquer decisão, no futuro?

Foto: 180 ImagensDesempenho do partido Republicanos foi ruim. Não elegeram nenhum federal e só consquitaram uma cadeira na Alepi.
Desempenho do partido Republicanos foi ruim. Não elegeram nenhum federal e só consquitaram uma cadeira na Alepi.

DrPessoa parece não se dar conta da situação. Durante a eleição aparecia na TV como se fosse uma grande liderança com influência no pleito.

Segue enfraquecido rumo à eleição de 2024.

Foto: 180 ImagensCada macaco no seu galho. Apresentadores de TV não sabem sair da estratégia de mídia do jornalismo e adotar a do político.
Cada macaco no seu galho. Apresentadores de TV não sabem sair da estratégia de mídia do jornalismo e adotar a do político.

11. Apresentadores de TV

As eleições provaram que é cada macaco no seu galho. Nenhum dos apresentadores e jornalistas que se candidatou conseguiu se eleger. Os profissionais da TV acham que é só colocar o nome à disposição da sociedade e correr pro abraço no dia da eleição.

Não se faz política sem estrutura, apoios e propostas alinhadas com o anseio popular. 

Política é bem mais do que comunicação.  Aliás, nesse quesito em que os jornalistas candidatos teoricamente levariam vantagem é onde se revela a sua soberba. Eles acham que a estratégia de mídia que funciona como apresenta também funciona para a política.

Não têm marqueteiros. Eles mesmos acham que são os marqueteiros. 

Foto: ReproduçãoA  maior vergonha da eleição: Coronel Diego desiste da candidatura um dia após insinuar que havia ido ao debate armado.
A maior vergonha da eleição: Coronel Diego desiste da candidatura um dia após insinuar que havia ido ao debate armado.

12. Coronel Diego Melo

Foi a grande vergonha da eleição. O candidato que representa o presidente desistir na última hora é vergonhoso. Durante toda a eleição, Diego vivenciou uma gangorra entre o que ele queria e entre o Ciro queria para Silvio Mendes.

No cenário nacional, o PL fez 99 deputados federais, consolidando a maior bancada da Câmara. No cenário local, Diego Melo levou o partido a ser nada.

O grande líder de uma eleição estadual é candidato a governador. Logo depois de um debate em que insinua estar armado, ele renuncia à candidatura em nome de nada. Pior que nem o próprio Silvio Mendes estava lá, na hora do anúncio, para receber o apoio.

Foto: ReproduçãoSilvio Mendes foi refém da própria língua, se embananando com citações racistas e não apresentando propostas.
Silvio Mendes foi refém da própria língua, se embananando com citações racistas e não apresentando propostas.

13. Silvio Mendes

O ex-prefeito de Teresina sofre a terceira derrota estadual seguida. Em 2010 perdeu para Wilson Martins, concorrendo como candidato ao Governo. Em seguida, em 2014 tentou a sorte como vice na campanha de Zé Filho, perdendo para Wellington Dias. Agora em 2020 é derrotado mais uma vez por Rafael Fonteles, marinheiro de primeira viagem.

Silvio já havia tentado ser o candidato a prefeito de Teresina em 2020 com apoio de Firmino Filho. Firmino preferiu perder com Kleber a apoiar Silvio.

Durante esta campanha ao Governo, Mendes manteve sua atitude arrogante de “passar carão” nas pessoas. Foi assim com jornalistas e até mesmo nos debates, com seus pares candidatos.

Perdeu-se em comentários que foram, reiteradas vezes, interpretados como racistas e não soube apresentar uma proposta quando foi questionado.

Comentários