Lagoas do Norte · 16/04/2017 - 09h00 | Última atualização em 16/04/2017 - 10h03

Moradores da zona norte dizem que falta dialogo com a prefeitura de Teresina sobre o Lagoas do Norte

Moradores da zona norte dizem que falta dialogo com a prefeitura de Teresina sobre o Lagoas do Norte


Compartilhar Tweet 1



Hoje, vamos falar de vazanteiros, de oleiros, pescadores, vaqueiros, de homens e mulheres - de uma gente preta.

Gente que construiu Teresina com seus braços, pernas e muito suor e que até para praticar a fé, teve e tem que ser de maneira marginal, pois “a sociedade” olha desconfiada para o candomblé, umbanda ou outra religião que eles pratiquem.

Na construção de suas respectivas famílias e de uma vida melhor, foram se fixando num recanto maravilhoso de Teresina e a partir dali dando uma significativa contribuição para o que é hoje a capital do Piauí.

Às margens dos rios Parnaíba e Poti, lá onde as águas se encontram, ergueram moradia, fizeram família, trabalharam duro.

A região é uma planície com grandes lagos e um por do sol de extrema beleza.

A água é em abundância. Tem a dos rios e a das lagoas.

O poder constituído diz que houve uma “ocupação urbana desordenada”, e quer culpabilizar quem construiu a cidade afirmando que tal ocupação “tem acarretado acentuação e descontrole dos processos naturais, com efeitos nefastos à qualidade de vida da população”, mas o correto é dizer que o poder público demorou para chegar e cumprir suas obrigações e, agora, ao sanear o local expulsa de lá quem morava, trabalhava e vivia. Especuladores do imóvel urbano são os novos personagens do local.

Estamos falando do Lagoas do Norte – “conjunto de ações integradas desenvolvidas pela Prefeitura Municipal de Teresina e que visa resolver problemas sociais, ambientais e urbanísticos que causam riscos, afetam a saúde, degradam o meio ambiente, comprometem a qualidade de vida e impedem o desenvolvimento sustentável da zona norte de Teresina”.

A área total do Programa Lagoas do Norte, conta com aproximadamente 1.198 ha, compreende os 13 bairros da zona norte da cidade que estão sob influência direta das lagoas e onde vivem mais de 92 mil pessoas.

Os bairros são Acarape, Aeroporto, Alto Alegre, Itaperu. Mafrense, Matadouro, Mocambinho, Nova Brasília, Olarias, Parque Alvorada, Poti Velho, São Joaquim e São Francisco.

Os moradores do local não são contra o Programa. Ao contrário eles querem a urbanização e melhoria de suas casas. Mas eles querem mais.

Querem a garantia de seus direitos, a real valorização de seus bens imóveis e o respeito à cultura daquele povo. Querem conversar com a prefeitura.

Maria Lucia de Oliveira Sousa é a presidente da Associação de Defesa dos Direitos Sociais Ferreira de Sousa. Ferreira de Sousa foi seu pai – um dos primeiros moradores da avenida Boa Esperança. Quando ele chegou na região lá existia muita criação de gado. Aqui em Teresina chamamos de vacaria. Vaqueiro, foi um de seus primeiros ofícios.

Maria Lúcia é quem, em nome dos moradores da região reclama a falta de dialogo da Prefeitura de Teresina.

A seguir um vídeo onde a presidente da Associação conta a luta daquele povo. O blog deixa também o endereço eletrônico da Secretaria Municipal de Planejamento de Teresina com todos os detalhes do Programa Lagoas do Norte

http://semplan.teresina.pi.gov.br/lagoas-do-norte/