Representa alta de 1,4% · 19/09/2017 às 15h31 | Última atualização em 19/09/2017 às 15h36

Financiamentos de veículos somam 5,3 mil unidades no Piauí em agosto


Compartilhar Tweet 1



O volume de financiamento de veículos novos e usados no Piauí somou 5.314 unidades em agosto, alta de 1,4% em relação ao mesmo mês do ano passado. Os dados incluem automóveis leves, motos e pesados, considerando unidades novas e usadas. 

O levantamento é da B3, empresa resultante da combinação de atividades da BM&FBOVESPA, uma das maiores bolsas do mundo em valor de mercado, e a Cetip, maior depositária de títulos privados da América Latina. A B3 opera o Sistema Nacional de Gravames (SNG), base integrada de informações que reúne o cadastro das restrições financeiras de veículos dados como garantia em operações de crédito em todo o Brasil. O SNG impede que o processo de financiamento de veículos seja suscetível a fraudes sistêmicas. 

Em agosto, as vendas a crédito de automóveis leves foram responsáveis por 61% do total financiado no estado, com 3.238 unidades negociadas. O volume mostrou um avanço de 20,9% na comparação anual. 

No acumulado do ano, os financiamentos de veículos no Piauí atingiram 38.725 unidades, entre novas e usadas, queda de 3,7% em relação ao mesmo período de 2016. 

Em agosto, o Nordeste totalizou 78.717 veículos financiados, aumento de 9,6% em relação ao mesmo período de 2016. Ao somar 19.565 motos vendidas a crédito, a região atingiu a vice-liderança no ranking de financiamentos da categoria em todo o Brasil, atrás do Sudeste.

O total de veículos financiados no Brasil em agosto somou 468.823 unidades, entre automóveis leves, motocicletas, pesados e outros, aumento de 12,8% em relação ao mesmo período de 2016. Desse total, as vendas a crédito de veículos novos atingiram 168.873 unidades, enquanto os usados chegaram a 299.950. 


Compartilhar Tweet 1



A partir desta quarta-feira (13/09), as empresas terão de informar ao Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) a realização de exame toxicológico nos motoristas admitidos e demitidos. Portaria publicada pelo Ministério do Trabalho exige exames toxicológicos, realizados previamente à admissão e por ocasião do desligamento de motorista profissional.

Os exames são custeados pelas empresas e a regra vale para condutores de veículos de pequeno e médio portes; de ônibus urbanos, metropolitanos e rodoviários; e de cargas em geral. Serão assegurados o direito à contraprova em caso de resultado positivo e à confidencialidade dos resultados dos respectivos exames.

Além do número do exame toxicológico, o empregador deverá informar ao Caged a data do exame, o CNPJ do laboratório, a unidade federativa do Conselho Regional de Medicina e o número do CRM do médico.

A exigência, segundo o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, tem como objetivo conferir mais efetividade ao que está previsto na Consolidação das Leis do Trabalho. "Estamos reforçando o apoio ao combate ao uso de drogas nas rodovias, protegendo o trabalhador de excesso de jornadas e promovendo mais segurança nas nossas estradas", destaca o ministro.

As empresas começaram a ser notificadas das mudanças no Caged no dia 6 de julho. Os empregadores que não declararem as informações exigidas no Caged ficam inadimplentes com o Ministério do Trabalho e podem sofrer multas previstas em lei.

Parando a fabricação em 2030 · 01/09/2017 às 09h29 | Última atualização em 01/09/2017 às 10h14

Projeto quer proibir veículos movidos a gasolina ou diesel até 2040


Compartilhar Tweet 1



Se o Projeto de Lei do Senado 304/2017 for aprovado, não será mais permitido vender no Brasil nenhum veículo novo movido a gasolina ou diesel a partir de 2030 e, a partir de 2040, ficará proibida a circulação de qualquer automóvel desse tipo.

De autoria do senador Ciro Nogueira (PP-PI), o PLS 304/2017 aguarda a designação de relator na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). Ele também será examinado pela Comissão de Meio Ambiente (CMA), à qual caberá a decisão terminativa (ou seja, a decisão da comissão será definitiva no Senado).

O projeto veda, a partir de 2030, a comercialização, e, a partir de 2040, a circulação de veículos novos que utilizem motor a combustão, a não ser que utilizem exclusivamente biocombustíveis como etanol. Ficará permitida também a venda de veículos movidos a eletricidade.

São abertas, no entanto, algumas exceções à regra. Pelo projeto, automóveis de coleção, veículos oficiais e diplomáticos, ou carros de visitantes estrangeiros (mas não de residentes) poderão continuar circulando no país, ainda que usem combustíveis fósseis.

Outros países estão tomando decisões semelhantes. O Reino Unido e a França querem proibir a venda de veículos movidos a combustíveis fósseis a partir de 2040; a Índia, a partir de 2030 e a Noruega, já em 2025. Há, inclusive, montadoras que já anunciaram planos para fabricar exclusivamente veículos elétricos a partir de 2019.

O autor do projeto aponta as iniciativas desses países e lembra que veículos em geral, no mundo todo, são responsáveis por um sexto das emissões de dióxido de carbono na atmosfera, gás proveniente da queima de combustíveis fósseis e importante agente causador do efeito estufa, que leva ao aquecimento global. Banir esse tipo de veículo, afirma o senador, será muito vantajoso para o Brasil, que já faz uso intenso de biocombustíveis.

Falha parafuso da direção · 23/08/2017 às 08h47

Mercedes-Benz promove campanha de recall de 307 veículos


Compartilhar Tweet 1



A montadora Mercedes-Benz promove uma campanha de recall de veículos Vito Furgão, do modelo 111. Isso porque uma falha no parafuso que fixa a coluna de direção de ar dos automóveis pode trazer riscos aos ocupantes dos carros.

Segundo a empresa, 307 veículos fabricados na Argentina e exportados para o Brasil, produzidos entre dezembro de 2015 e janeiro de 2016, são alvos da medida.

A Mercedes informou que, como o parafuso não foi apertado corretamente, a peça pode se soltar e impede que os motoristas dirijam os veículos, o que pode causar acidentes.

O Código de Defesa do Consumidor determina que o fornecedor repare ou troque o produto defeituoso a qualquer momento e de forma gratuita. Se houver dificuldade, a recomendação é procurar um dos órgãos de proteção e defesa do consumidor.

Mais informações podem ser obtidas junto à Mercedes-Benz, por meio do telefone 0800 970 9090, ou pelo site.


Compartilhar Tweet 1



A montadora de automóveis Honda comunicou nesta quinta-feira (13/07) recall do modelo Accord e convocou os proprietários do modelo a comparecerem a uma concessionária da marca, a partir de 30 de agosto, para substituição do sensor responsável pelas medições de tensão, corrente, resistência e temperatura da bateria.

A Honda informou que foi constatada infiltração de líquido no interior do sensor, o que pode acarretar curto-circuito e aquecimento do sensor, com possibilidade de incêndio. Tais situações podem causar danos materiais e lesões graves, ou fatais, aos ocupantes dos veículos e terceiros, de acordo com a Honda.

Em nota, a Fundação Procon-SP afirma que “os consumidores que já passaram por algum acidente causado pelo defeito apontado poderão solicitar, por meio do Judiciário, reparação por danos morais e patrimoniais, eventualmente sofridos”. O Procon-SP mantém, desde 2002, um banco de dados com informações sobre todas as campanhas de recall realizadas no Brasil.

A lista com as especificações do automóvel é a seguinte:

Ano/modelo 2013 – Chassis finais: DA530001 a DA530108 – Data de produção: 18/7/2012 a 10/7/2013;
Ano/modelo 2014 – Chassis finais: EA530001 a EA530221 – Data de produção: 10/9/2013 a 6/5/2014;
Ano/modelo 2015 – Chassis finais: FA530001 a FA530094 – Data de produção: 17/1/2015 a 9/6/2015;
Ano/modelo 2016 – Chassis finais: GA530001 a GA530010 – Data de produção: 14/5/2015 a 2/9/2015.

Para agendar o recall e obter mais informações, o proprietário de veículo com tais especificações deve telefonar para 0800-7013432 ou acessar o site www.honda.com.br.

Carros modelo Pajero Full · 13/07/2017 às 16h46 | Última atualização em 13/07/2017 às 17h00

Mitsubishi: recall de 7.826 veículos por problemas no aibarg do passageiro


Compartilhar Tweet 1



O Ministério da Justiça e Segurança Pública informou, por meio da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), que a detentora da marca Mitsubishi, no Brasil (HPE Automotores do Brasil Ltda.), protocolou campanha de chamamento dos veículos Pajero Full, fabricados entre 2007 e 2010. Foi identificada a possibilidade de detonação inadequada do insuflador da bolsa de airbag do passageiro.

O anúncio explicou que fragmentos metálicos poderiam ser projetados em casos de colisão frontal, ocasionando danos graves aos ocupantes dos veículos.

Segundo a HPE, a campanha iniciou os atendimentos em 15 de maio de 2017 e abrange 7.826 veículos, produzidos no Japão, no período de janeiro de 2007 e dezembro de 2010. A numeração de chassi, não sequencial, está compreendida entre os intervalos 8JA00101 a 9JA01155, para os anos de fabricação 2007 a 2009; e AJA00101 a AJA00729, para os anos de fabricação 2009 a 2010.

Direito do Consumidor

O Código de Defesa do Consumidor determina que o fornecedor repare ou troque o produto que apresentar defeito a qualquer momento e de forma gratuita. Se houver dificuldade para atendimento ou resposta, a recomendação é que o cidadão procure um dos órgãos de proteção e defesa do cliente.

Paixão por carros antigos · 12/05/2017 às 09h50 | Última atualização em 12/05/2017 às 09h51

Teresina Shopping recebe exposição de carros clássicos


Compartilhar Tweet 1



Se você tem paixão por carros antigos, vai adorar essa novidade do Teresina Shopping. A partir do dia 15 de maio o Shopping recebe a exposição de carros ‘Ferrugem nas Veias’. A atração segue até dia 21 de maio, com exibição de quase 30 modelos de carros, desde os antigos dos anos 50 até os colecionáveis dos anos 90, chamados novos clássicos.

Entre os modelos mais charmosos que estarão em exposição terá o Gol Gti, Kadett Gsi conversível, Omega Cd, Opala, Dodge Charger de 1975, Landau de 1982 e o Jipe Universal que foi o primeiro veículo Willys a ser montado no Brasil, em 1954.

O grupo Ferrugem nas Veias é o responsável pela exposição. O presidente do grupo, Márcio Almeida, comenta que a sua paixão por carros começou ainda criança. “Acho que quase toda criança tem essa paixão e ela vai aumentando ainda mais com o tempo. Quando eu cresci e pude comprar um carro comprei um Maverick, que me lembrava muito meu pai. Daí por diante não parei, é uma paixão que entra no sangue e não sai mais”, conta Márcio que hoje possui cinco carros antigos.

Os clássicos estarão em exposição no novo espaço de eventos do Teresina Shopping, no corredor de acesso ao Edifício Garagem, próximo a Loteria. A exposição é aberta ao público, das 10h às 22h.


Compartilhar Tweet 1



A Volkswagen do Brasil Indústria de Veículos Automotores Ltda. está chamando recall de 54.170 veículos Volkswagen Up!, Novo Gol, Novo Voyage, Nova Saveiro, Fox, CrossFox, Spacefox e Space Cross, modelos 2016 e 2017. Existe a possibilidade de pane elétrica e desligamento do motor.

De acordo com a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) do Ministério da Justiça e Segurança Pública, a campanha de chamamento, com início em 10 de maio de 2017, abrange automóveis fabricados entre 1 de março de 2016 e 12 de janeiro de 2017.

Os carros têm numeração de chassi, não sequencial, compreendida entre o intervalo GGT548567 a HT523246, para os veículos Up!, ano/modelo 2016 e 2017; GP102025 a HP501022 e HT000039 a HT042350, para os veículos Gol, Voyage e Saveiro, ano/modelo 2016 e 2017; G4065578 a H4021703, para os veículos Fox e CrossFox, ano/modelo 2016 e 2017; e HA512059 a HA513061, para os veículos SpaceFox e Space Cross, ano/modelo 2017.

Quanto aos riscos à saúde e à segurança dos consumidores, "foi constatada a possibilidade de inoperância do alternador que, nestes casos, deixa de gerar energia para a bateria e para o sistema elétrico do veículo". Nessa condição, "em situações em que a carga da bateria não for suficiente para o funcionamento do veículo, poderão ocorrer panes elétricas e até o desligamento do motor, podendo causar acidentes com danos físicos e materiais aos ocupantes e/ou terceiros".

Mais informações podem ser obtidas junto à Volkswagen, por meio da Central de Relacionamento com Clientes, pelo telefone 0800 019 8866 ou pelo site. Detalhes sobre a campanha também estão disponíveis no site do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Motocicletas Yamaha

A Yamaha Motor da Amazônia Ltda. também protocolou campanha de chamamento das motocicletas Yamaha MT-09, ano/modelo 2015 a 2017, e MT-09 Tracer, ano/modelo 2016 e 2017, devido à possibilidade de deslocamento do guidão, o que pode levar à perda do controle da motocicleta e causar lesões aos usuários e a terceiros.

A campanha foi iniciada em 10 de abril de 2017 e inclui 2.770 motocicletas, sendo 2.204 do modelo MT-09, ano/modelo 2015 a 2017, produzidas no período de 26 de abril de 2014 a 02 de fevereiro de 2017; e 566 motocicletas MT-09 Tracer, ano/modelo 2016 a 2017, produzidas no período 28 de agosto de 2015 a 09 de janeiro de 2017.

Elas possuem numeração de chassi, não sequencial, compreendida entre os intervalos 9C6RN3520F0000001 a 9C6RN3520H0000300, para os modelos MT-09; e 9C6RN3550G0000011 a 9C6RN3550H0000660, para os modelos MT-09 Tracer.

A Yamaha informou ter constatado que "caso seja aplicada frequente força excessiva sobre o guidão, poderá ocorrer o desgaste da pintura da base dos suportes do guidão, que, somado à possível aplicação insuficiente de agente travante, em situações extremas poderá causar o desprendimento do prisioneiro em decorrência da vibração do motor". Mais informações podem ser obtidas junto à Yamaha, por meio do telefone 0800 774 3738.

Veículos apresentaram falhas · 26/04/2017 às 08h16

BMW e Toyota alertam para recall de veículos; problemas no airbag


Compartilhar Tweet 1



A BMW e a Toyota iniciaram campanha de recall para alguns veículos que apresentaram problemas no airbag. O Código de Defesa do Consumidor determina que o fornecedor repare ou troque o produto defeituoso a qualquer momento e de forma gratuita. Se houver dificuldade, a recomendação é procurar um dos órgãos de proteção e defesa do consumidor.

Cinco veículos BMW 430i Cabrio Sport da empresa apresentaram a possibilidade de mau funcionamento do módulo de airbag, com risco de não abertura em caso de colisão.

O recall começou em 19 de abril de 2017 e abrange veículos importados, produzidos entre 21 e 29 de setembro de 2016, cujos chassis são: G87814, 5G87862, 5G87863, 5G87865, 5G87875. Os veículos estão distribuídos nos estados de Alagoas (1), Pernambuco (1), Paraná (1) e São Paulo (2).

Mais informações podem ser obtidas junto à BMW, por meio do Serviço de Atendimento ao Cliente BMW, exclusivo para recall, 0800 019 7097, de 2ª a 6ª feira, das 8 às 19 horas.

Toyota
A Toyota também protocolou campanha de recall dos modelos Hilux e SW4, em razão da possibilidade de rompimento inadequado do airbag em caso de colisão, o que pode provocar a dispersão de fragmentos de metal do deflagrador juntamente à bolsa do airbag.

A campanha terá início de atendimento em 19 de junho de 2017 e abrange 176.866 automóveis. Ambos foram fabricados entre outubro a dezembro de 2014 e colocados no mercado de consumo com numeração de chassi não sequencial compreendida entre os intervalos 8AJCX32G*B2000837 a 8AJZX62G*F5008366.

Mais informações podem ser obtidas junto à Toyota, por meio do telefone 0800 703 0206 ou pelo site www.toyota.com.br.

(Com informações do Portal Brasil)

Confira as especificações · 19/04/2017 às 08h31

Campanha de recall convoca mais de 10 mil carros modelos Toro e Jeep Compass


Compartilhar Tweet 1



A FCA Fiat Chrysler Automóveis Brasil Ltda. protocolou campanha de recall dos veículos Jeep Compass e Fiat Toro, ano/modelo 2016 a 2017 e motorização 2.0 diesel. A iniciativa ocorre em função do não funcionamento do dispositivo de emergência, que permite o desligamento do motor com o veículo em movimento.

De acordo com a empresa, esse fator pode provocar risco de colisão, bem como consequentes danos físicos e materiais ao condutor, passageiros e terceiros.

O recall do Jeep teve início em 3 de abril e abrange 1.143 veículos. Já o modelo Toro começou no dia 7 deste mês, e convoca dos donos de 9.343 unidades para a troca do dispositivo. Ao todo, a campanha abrange 10.486 veículos.

Os modelos Jeep Compass 2.0 Diesel foram produzidos em Goiana (PE), no período de 31 de agosto a 5 de novembro de 2016, e colocados no mercado de consumo, com numeração de chassi, não sequencial, compreendida entre o intervalo 988675116HKH00441 a 988675126HKH03941.

Já os modelos Fiat Toro, 2.0 Diesel, ano/modelo 2016 a 2017, igualmente produzidos em Goiana/PE, no período entre 15 de dezembro de 2015 a 29 de novembro de 2016, tem chassis não sequenciais 98226175GKA50482 a 988226175HKB03540.

Defesa do consumidor

O Código de Defesa do Consumidor determina que o fornecedor repare ou troque o produto defeituoso a qualquer momento e de forma gratuita. Se houver dificuldade, a recomendação é procurar um dos órgãos de proteção e defesa do consumidor.

Mais informações podem ser obtidas junto à FCA, por meio da Central de Serviços ao Cliente FIAT, para clientes dos veículos Fiat Toro, pelo telefone 0800 707 1000 ou pelo site www.fiat.com.br.

Já os clientes dos veículos Jeep Compass devem contatar a Central de Serviços ao Cliente JEEP, pelo telefone 08000 703 7150, ou pelo site www.jeep.com.br.

Falhas nos modelos · 15/04/2017 às 06h50

BMW alerta consumidores para recall de dois modelos i3 REX


Compartilhar Tweet 1



A BMW do Brasil Ltda. protocolou campanha de chamamento dos veículos BMW, modelos i3 REX Entry e i3 REX Full. De acordo com a empresa, foram detectadas "falhas na instalação do tubo de ventilação do tanque de combustível", o que cria risco de vazamento e incêndio.

“O atrito do tubo de ventilação do tanque de combustível com o cabo positivo da bateria pode causar vazamentos de vapor do combustível que, caso chegue ao compartimento do motor, gera risco de incêndio, podendo ocasionar danos físicos e materiais ao condutor, aos ocupantes do veículo e a terceiros", informa a empresa.

O recall, com início de atendimento em 10 de abril, abrange 178 veículos importados, fabricados entre 5 de março de 2014 e 27 de janeiro de 2015, e colocados no mercado de consumo, com numeração de chassi, não sequencial, compreendida entre o intervalo VZ72344 a VZ73643, para o modelo i3 Rex Entry; e VZ70901 a VZ74193, para o modelo i3 Rex Full.

O Código de Defesa do Consumidor determina que o fornecedor repare ou troque o produto defeituoso a qualquer momento e de forma gratuita. Se houver dificuldade, a recomendação é procurar um dos órgãos de proteção e defesa do consumidor.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Justiça

Veja data do treinamento · 12/04/2017 às 08h06 | Última atualização em 13/04/2017 às 10h27

Teresina vai receber Simulador de direção do SEST/SENAT


Compartilhar Tweet 1



Para aprimorar o trabalho de motoristas profissionais de cargas e de passageiros, aumentar a segurança no trânsito e reduzir os custos dos transportadores, o SEST SENAT passa a utilizar simuladores híbridos em seus treinamentos. O projeto “Simulador de direção SEST SENAT – Eficiência e Segurança no Trânsito” disponibilizará 60 equipamentos para treinar e capacitar motoristas de caminhão, ônibus e carreta. A meta é formar 50 mil profissionais em três anos. Os alunos precisam ter carteira de habilitação nas categorias C, D ou E.

O SEST SENAT Teresina apresenta o equipamento nesta terça-feira, dia 18 de abril de 2017, às 18h30. Na unidade foi construída uma sala específica para o treinamento de alto padrão tecnológico e didático, como sistema de som e imagens digitais.

Ao todo estão sendo investidos R$ 41,5 milhões. Além dos equipamentos de ponta, o projeto inclui proposta pedagógica, capacitação de instrutores, desenvolvimento dos cursos e horas técnicas de manutenção.

Cinco cursos adaptados ao equipamento também estão sendo lançados. Os conteúdos abordam temas como condução segura e econômica, situações de risco, uso de tecnologias embarcadas, aperfeiçoamento de motoristas para o transporte de passageiros e de cargas especiais e manobras.

Esta é mais uma ação que reforça a visão do SEST SENAT de que a direção segura e eficiente é fundamental para a redução de acidentes e mortes no trânsito, para a economia de combustível, para redução dos custos de manutenção dos veículos e para minimizar os impactos ao meio ambiente.

Unidades para pronta entrega · 24/03/2017 às 21h46 | Última atualização em 24/03/2017 às 22h07

Jet Veículos apresenta aos clientes de THE o WR-V, novo SUV da Honda


Compartilhar Tweet 1



Nesta sexta-feira (24/03) a concessionária Jet Veículos Honda apresentou a seus clientes em Teresina o novo SUV da Honda, o WR-V. Ele é um veículo que mistura a estrutura de um carro de passeio ao estilo de um utilitário.

A sigla WR-V significa Winsome Runabout Vehicle, ou veículo alegre e recreacional em uma tradução livre. E não dá para negar que ele tem um 'parentesco' bem próximo com o Honda Fit.

O modelo recebeu características de off-road, com suspensão elevada e elementos plásticos em toda parte inferior do carro, incluindo as caixas de rodas.

O Gerente da Jet Honda, Luis Guilherme, disse ao 180 que o WR-V vem para completar a linha de SUV da Honda e vai ficar posicionado entre o Fit e a HR-V, tanto no preço como no porte do carro. Como diferencial, a marca aproveitou o que tinha de melhor no Fit que é a plataforma, com algumas modificações, ganhando uma nova suspensão, nova frente e nova direção.

"Agora, o grande diferencial desse carro é o fato dele ser o primeiro da Honda desenvolvido no Brasil para o Brasil, então, ele é mais alto, feito para nossas ruas, nossas estradas, ele é projetado para o brasileiro. É um motivo de grande orgulho, porque esse projeto vai ser vendido também em outros países", disse o gerente.

Sobre o prazo para entrega do novo WR-V, Luis Guilherme disse que já possui unidades para pronta entrega e algumas já foram vendidas, que serão entregues aos clientes a partir deste sábado (25).

O modelo está disponível nas cores branco, preto, prata, cinza, vinho e branco perolizado. Vem em duas versões já bem completas, com itens de série como rodas de liga leve de 16 polegadas, farol de neblina, câmera de ré, comandos de som no volante, piloto automático, etc.

O gerente da concessionária contou ainda que a partir de amanhã terá início uma campanha da Honda onde o cliente faz o Test Drive, depois baixa um aplicativo no celular, fotografa um QR-Code que está dentro do carro, assim estará concorrendo a um Honda WR-V.

O preço da versão WR-V EXL com transmissão CVT é de R$ 83.400,00. E a versão WR-V EX também com transmissão CVT é de R$ 79.400,00.

O evento contou com a presença de políticos e empresários, como, José Elias Tajra do Grupo Jet, o Deputado Federal Júlio César, o secretário de Comunicação da prefeitura de Teresina, Fernando Said, o apresentador Mariano Marques, o empresário Douglas Alexandre, o presidente do Sistema Fecomércio, Valdeci Cavalcante, dentre outros.

VEJA ABAIXO AS FOTOS DO EVENTO DE LANÇAMENTO

-Fotos: Fábio Carvalho/180graus

Seguindo a General Motors · 11/02/2017 às 20h27

Ford concede férias coletivas e paralisa produção por 21 dias


Compartilhar Tweet 1



Seguindo a General Motors (GM), a montadora Ford também vai conceder férias coletivas de 21 dias a cerca de 3 mil trabalhadores da fábrica de São Bernardo do Campo. Eles ficam em casa do dia 6 a 31 de março. Segundo a Ford, a parada ocorre para ajustar o volume de produção à demanda do mercado.

Depois da GM, a Ford é a segunda fabricante com mais operários em lay-off (suspensão de contrato de trabalho). Ao todo, são 710 pessoas, o que equivale a 18% de seus 4 mil funcionários. Desse total, 450 estão afastados desde outubro e 260, desde janeiro de 2016. Esta é a segunda vez em menos de dois meses que a montadora concede férias coletivas. As últimas paradas havia sido entre 26 de dezembro de 2016 e 6 de janeiro de 2017.

GM estende lay-off e concede férias coletivas
Na terça-feira (7), a GM estendeu por 70 dias a manutenção de 751 metalúrgicos da fábrica de São Caetano do Sul, no ABC paulista, no regime de lay-off. A informação foi dada pelo sindicato da categoria. Há dois anos, esses funcionários estão parados.

Segundo o sindicato, o prazo para o fim do lay-off seria nesta quinta-feira (9), mas foi prorrogado até 19 de abril. Paralelamente, a montadora pretende abrir um Programa de Demissão Voluntária (PDV).

A expectativa dos líderes dos trabalhadores é ganhar tempo para tentar preservar os empregos ameaçados. Por meio de nota divulgada na segunda-feira (6), o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano do Sul, Francisco Nunes, tinha manifestado a intenção de uma prorrogação por prazo um pouco maior, por mais três meses.

A unidade da GM em São Caetano do Sul tem cerca de 9,5 mil trabalhadores que entrarão em férias coletivas de 7 a 26 de março. Com o feriado de carnaval, eles ficarão em torno de um mês sem trabalhar.

A unidade de São José dos Campos também vai conceder férias coletivas para 2,2 mil trabalhadores, do total de 5 mil que atuam na fábrica. Eles interrompem as atividades na próxima segunda-feira (13), mas o retorno está programado para 2 de março.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, o cancelamento da exportação de 15 mil veículos pela GM para o México levou a montadora a abrir férias coletivas na fábrica da cidade. O sindicato informou que vai pedir uma audiência pública com os ministros da Indústria e Comércio, Marcos Pereira, e das Relações Exteriores, José Serra, para debater o tema.

Volkswagen dá folgas estendidas
Incluída no Plano de Proteção ao Emprego (PPE), a unidade da Volkswagen em São José dos Campos adota folgas semanais às sextas-feiras. A parada será condensada em um período corrido, de 22 de fevereiro a 6 de março. Após o retorno, a carga horária será normalizada, de segunda a sexta. A montadora não comenta a interrupção.

As paralisações acontecem após um início de ano considerado positivo pela Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Na segunda-feira (6), a entidade anunciou que a produção de veículos em janeiro cresceu 17,1% em relação ao mesmo mês do ano passado, chegando a 174,1 mil unidades fabricadas.

As vendas de veículos, no entanto, registram queda de 5,2% em janeiro em relação ao mesmo mês do ano passado. “O número de janeiro frustrou as nossas expectativas. Claro que tem a questão da sazonalidade [queda da produção típica do início do ano], mas esperávamos chegar, pelo menos, no mesmo nível de janeiro de 2016”, disse o presidente da Anfavea, Antonio Megale. A entidade mantém a projeção do setor para 2017. “Continuamos com a previsão de crescimento de 4% na venda de autoveículos novos; 7,2% nas exportações e de 11,9% na produção”, acrescentou Megale.

Corolla continua liderando · 31/01/2017 às 17h37

Os carros mais vendidos no mundo em 2016; veja aqui a relação!


Compartilhar Tweet 1



Se ver o Toyota Corolla como o quinto carro mais vendido do Brasil no ano passado te surpreendeu, saiba que ele foi o carro mais vendido do mundo em 2016. De acordo com a consultoria Focus2Move, foram 1.316.383 unidades vendidas ao redor do mundo. É um número 3,6% menor que o registrado no ano passado, ainda assim suficiente para manter a liderança.

Mas o ranking teve boas alterações. As picapes Ford F-Series, que lideram o ranking de vendas nos Estados Unidos há 40 anos, ocupam a segunda posição com 993.779 unidades. O Volkswagen Golf, segundo lugar em 2015, viu suas vendas caírem 6,2% e em 2016 ficou com a terceira posição com 991.414 unidades.

Apesar da presença discreta no mercado brasileiro, o Hyundai Elantra foi o quarto carro mais vendido, com 788.081 unidades, seguido pelo Honda CR-V, outro em maus momentos no Brasil, com 752.463 unidades. O Ford Focus foi o sexto, com 734.935 carros emplacados no mundo.

A propósito, o Elantra é o segundo sedã médio mais vendido. O terceiro é o Honda Civic, que subiu 8 posições e figura como 9° mais vendido, com 668.707 unidades, seguido pelo Volkswagen Jetta (14°), com 613.258 unidades. O Chevrolet Cruze figura em 24° com 472.301 unidades, número 16,8% menor que o de 2015, quando foi o 15° mais vendido.

(Com informações da VEJA.com)

Dados divulgados nesta segunda · 30/01/2017 às 08h55

Toyota perde liderança de vendas para Volkswagen após 4 anos


Compartilhar Tweet 1



A Toyota Motor perdeu uma liderança de quatro anos nas vendas globais de veículos para a Volkswagen, segundo dados divulgados nesta segunda-feira. A montadora japonesa afirmou que suas vendas globais, que incluem as marcas Toyota, Lexus, Daihatsu e Hino Motors, subiram 0,2% em 2016, para 10,18 milhões de veículos.

O volume ficou abaixo dos 10,3 milhões divulgados pela Volkswagen, que conseguiu um recorde de vendas globais apesar do escândalo de fraude em testes de emissão de poluentes.

As vendas globais do grupo japonês foram apoiadas por um aumento de 5,5% nas vendas de veículos Toyota no Japão, após lançamentos que incluíram o Prius. As vendas fora do Japão recuaram 0,6%, com redução de demanda na América do Norte e Oriente Médio e África.

A Toyota, que vinha sendo maior montadora do mundo em vendas desde 2012, estima que as vendas mundiais devem subir para cerca de 10,23 milhões de veículos em 2017.

(Com informações da Reuters)

Fonte: VEJA.com

Veja a numeração de chassi · 30/01/2017 às 08h24

Governo alerta para recall de 20 mil veículos Ford Fusion; saiba mais!


Compartilhar Tweet 1



Os automóveis Ford Fusion, modelos 2013 a 2016, passarão por recall. O informe foi feito pelo Ministério da Justiça e Cidadania (MJC), na última quinta-feira (26).

Protocolada pela Ford Motor Company Brasil LTDA., a campanha acontece para aplicação de um revestimento isolante para proteger o cabo de fixação, do mecanismo de pré-tensionamento, dos cintos de segurança dianteiros.

De acordo com a empresa, o recall abrange 20.020 veículos produzidos pela filial da Ford Motor Company localizada na cidade de Hermosillo, no México, no período de 5 de outubro de 2012 a 17 de fevereiro de 2016.

Os respectivos automóveis foram colocados no mercado de consumo com numeração de chassi não sequencial compreendida entre os intervalos DR135710 a DR352208, para os modelos 2013; ER116002 a ER188359, para os modelos 2014; FR100025 a FR186937, para os modelos 2015; e GR334547, para os modelos 2016.

Segurança
A Ford ressaltou ter constatado que em caso de eventual colisão, os veículos podem apresentar diminuição da resistência à tração do cabo de fixação do mecanismo de pré-tensionamento dos cintos de segurança dianteiros.

A empresa também reforçou que esta diminuição da resistência decorre da exposição de parte do componente a altas temperaturas geradas pelo acionamento do pré-tensionador do cinto de segurança.

Quanto aos riscos para a saúde e à segurança dos consumidores, o referido defeito pode resultar na retenção inadequada dos ocupantes dos respectivos assentos, aumentando o risco de lesões em eventual colisão do veículo.

Defesa do consumidor
O Código de Defesa do Consumidor determina que o fornecedor repare ou troque o produto defeituoso a qualquer momento e de forma gratuita. Se houver dificuldade, a recomendação é procurar um dos órgãos de proteção e defesa do consumidor. Mais informações podem ser obtidas junto à Ford, por meio do telefone 0800 703 3673 ou pelo site.

(Com informações do Portal Brasil)


Compartilhar Tweet 1



Temos a certeza que você já quis saber o que aconteceria se engatasse a marcha à ré com o carro em movimento. Mas certamente não teve coragem de fazer o teste prático com medo das consequências.

Para sua alegria, os caras do AutoVlog fizeram o teste em um Ford Fusion com câmbio automático a aproximadamente 110 km/h. Se estiver ansioso para saber o que acontece, vale pular o vídeo para 1:40.

Os momentos de tensão do motorista ao passar o câmbio de “Drive” para “Neutro” são seguidos de um grande e aterrorizante nada ao passar a alavanca para “Ré”. Na verdade, o que acontece é que a câmera de ré passa a funcionar. E mais nada.

Claro que é um tanto assustador ver o teste sendo feito em via pública e em alta velocidade mas, por sorte, há algumas décadas os câmbios automáticos possuem sistema de salvaguarda, seja mecânico ou elétrico, que evita que a ré seja acionada com o carro em movimento – isso ocorre apenas em velocidades muito baixas.

Vale lembrar também que a grande maioria dos carros com câmbio automático têm trava que evita que a alavanca corra para “R” ou “P” inadvertidamente, em um esbarrão por exemplo.

E em um câmbio manual?
Para carros com câmbio manual não chega a ser impossível engatar a ré com o carro em movimento, mas você precisa estar realmente disposto a moer anéis e engrenagens da transmissão do seu carro.

Dentro do câmbio, há uma árvore que recebe o movimento do motor com a engrenagem para a ré e uma outra árvore que envia o movimento para as todas. Ao engatar a ré, uma engrenagem conecta as duas árvores e o carro inverte seu sentido.

A questão é que com o carro em movimento a engrenagem tentará acoplar uma das árvores ainda em movimento. Você ouvirá e sentirá na alavanca as engrenagens arranhando – e acreditamos que isso será suficiente para que desista de fazer isso. Mas, dependendo do câmbio, pode ser possível que haja acoplamento ao forçar a alavanca. E aí as engrenagens do câmbio serão reduzidas a limalha de aço.

Modelos de Sandero e Duster · 27/01/2017 às 16h20

Renault faz recall de quase 4 mil carros para checagem de airbag


Compartilhar Tweet 1



A Renault convocou recall de 3.820 veículos Sandero e Duster. Segundo a empresa, os proprietários devem comparecer à rede de concessionárias da marca para verificação do airbag do motorista e, se necessário, substituição desse componente.

A explicação é de que foi detectada uma falha no processo de fabricação do fornecedor do airbag e que, por isso, o equipamento pode ter seu funcionamento comprometido no caso de uma colisão em que deva ser acionado.

O recall envolve 3.083 unidades de Sandero e 737 unidades de Duster. Os chassis dos veículos Sandero envolvidos vão de EJ347159 até EJ396614, fabricados entre 7 e 19 de maio de 2014, nas versões Authentique, Expression e GT Line, com motores 1.0 e 1.6.

Já os chassis dos veículos Duster que fazem parte do recall vão de FJ355167 atéFJ401184, produzidos entre 7 e 19 de maio de 2014 e de GJ928087 até GJ989889, produzidos entre 6 e 23 de junho de 2014, nas versões Expression e Dynamique, com motor 1.6.

De acordo com a montadora, a verificação e o reparo do airbag serão feitos gratuitamente em uma das concessionárias Renault. O serviço deve ser agendado através do site ou telefone disponível no site da companhia.

(Com informações da EXAME.com)

Civic, Fit, City e Accord · 26/01/2017 às 12h35

Honda convoca recall de quase 35 mil veículos por falha no airbag


Compartilhar Tweet 1



A Honda convocou recall de 34.530 veículos Civic, Fit, City e Accord. Segundo a empresa, os proprietários devem comparecerem a uma das concessionárias autorizadas da marca para a substituição gratuita do insuflador do airbag do passageiro.

A montadora explicou que, em caso de colisão primordialmente frontal de intensidade moderada ou severa, situação em que o acionamento do sistema de airbag é esperado, poderá haver o rompimento da estrutura do insuflador e, eventualmente, ocasionar a projeção de fragmentos metálicos no interior do veículo.

“Em situações extremas, o defeito pode causar, além de danos materiais, lesões graves ou até mesmo fatais aos ocupantes e/ou terceiros”, destacou a Honda em nota.

A troca gratuita do item deverá ser realizada em qualquer concessionária autorizada da marca a partir do dia 30 de janeiro de 2017. É possível encontrar os endereços das concessionárias e o telefone para agendamento no site da companhia.

A Honda explicou ainda que o recall vale também para os veículos Civic, modelo 2001 a 2002, mesmo que já reparados na campanha do insuflador do airbag do passageiro iniciada em julho de 2010.

Segundo a empresa, “alguns insufladores reparados anteriormente poderão sofrer, após longos períodos, degradação quando expostos às variações de umidade e temperatura”.

(Com informações da EXAME.com)

Veja os veículos envolvidos no recall

'veículos devem ser trocados' · 24/01/2017 às 18h25 | Última atualização em 24/01/2017 às 19h29

Ministério da Justiça faz alerta para recall aos veículos Mercedes-Benz e Toyota


Compartilhar Tweet 1



Ministério da Justiça e da Cidadania (MJC) alerta que a TOYOTA DO BRASIL LTDA. protocolou campanha de recall dos veículos Toyota, marca Lexus, modelo IS 300. O órgão também reforça informe da empresa Mercedes-Benz do Brasil Ltda. sobre recall para os automóveis dos modelos Classes GLE 450 AMG, GLE 63 AMG, GLE 63 AMG Coupé, GL 63 AMG, GLS 63 AMG e GLE 400 Coupé.

De acordo com a Toyota, o alerta foi feito em razão da possibilidade de rompimento inadequado do airbag no caso de colisão de veículo. Este fator pode provocar a dispersão de fragmentos de metal da carcaça do deflagrador juntamente com a bolsa do airbag.

A respectiva campanha de recall abrange 26 automóveis importados, produzidos no período de 15 de fevereiro de 2012 a 14 de setembro de 2012, e colocados no mercado de consumo, com numeração de chassi, não sequencial, compreendida entre os intervalos JTHBG2626*C5002916-C5003137 a D5003141-D5003379.

Riscos Toyota
Toyota destacou ter constatado que os veículos em questão são equipados com um sistema de airbag do lado do passageiro (lado direito) que contém uma peça denominada "deflagrador", na qual se constatou a degradação de um componente químico após longos períodos de exposição do veículo a altas temperaturas e umidade do ar. Nessa condição, o airbag pode estar mais suscetível para romper-se inadequadamente no caso de colisão do veículo, o que pode provocar a dispersão de fragmentos de metal da carcaça do deflagrador juntamente com a bolsa do airbag.

Mais informações podem ser obtidas junto à Toyota, por meio do SAC Lexus: 0800 5398 727 ou pelo site www.lexus.com.br e www.toyota.com.br.

Mercedez
Já o recall da Mercedes-Benz do Brasil Ltda. é referente aos veículos: Classes GLE 450 AMG, GLE 63 AMG, GLE 63 AMG Coupé, GL 63 AMG, GLS 63 AMG e GLE 400 Coupé. O alerta foi feito para a atualização do software do módulo de comando, do sistema de ocupação do assento, do banco dianteiro do passageiro.

A campanha, com início de atendimento em 19 de janeiro de 2017, abrange 186 veículos, importados, colocados no mercado de consumo, com numeração de chassi, não sequencial, WDCDA6EW3GA727355, para o modelo GLE 450 AMG; de WDCDA7EW1GA685502 a WDCDA7EW2GA725845, para os modelos GLE 63 AMG; de WDCED7EW7GA015934 a WDCED7EW9GA026790, para os modelos GLE 63 AMG Coupé; de WDCED5GW7GA010797 a WDCED5GW7GA029950, para os modelos GLE 400 Coupé; de WDCDF7EW8GA623239 a WDCDF7EW1GA626824, para os modelos GL 63 AMG; e WDCDF7FW5GA629529 para o modelo GLS 63 AMG. Todos os modelos com data de fabricação entre julho de 2014 a setembro de 2016.

A Mercedes-Benz informou que devido a uma falha no software que controla a calibração do sensor de peso do assento dianteiro do passageiro, o sistema de ocupação do respectivo banco pode não atender às especificações de projeto. Neste sentido, a inconformidade poderá impossibilitar que o sistema de ocupação do assento identifique a presença de passageiro. O fator pode ocasionar a desativação do airbag frontal do passageiro, podendo causar possíveis danos físicos ao ocupante desse assento em caso de colisão do veículo.

Mais informações podem ser obtidas junto à Mercedes-Benz, por meio da central de relacionamento com o cliente 0800 970 9090 ou pelo site www.mercedes-benz.com.br.

Seus direitos
O Código de Defesa do Consumidor determina que o fornecedor repare ou troque o produto defeituoso a qualquer momento e de forma gratuita. Se houver dificuldade, a recomendação é procurar um dos órgãos de proteção e defesa do consumidor.

A menor taxa desde 2002 · 18/01/2017 às 12h57

Produção de motos tem queda de quase 30% em 2016


Compartilhar Tweet 1



A produção de motocicletas no país caiu 29,7% em 2016 na comparação com 2015. No ano passado, foram fabricadas 887.653, contra 1.262.708 unidades, em 2015, de acordo com dados divulgados hoje (18) pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo).

Foi a menor taxa de produção desde 2002. Em dezembro, foram fabricadas 32.814 motocicletas ante 50.633 unidades no mesmo período do ano passado, o que corresponde a uma queda de 35,2%. Na comparação com novembro, a redução chegou a 53,3%.

Vendas

Em 2016, as vendas também caíram, 27,9% em comparação a 2015. Em dezembro, foram comercializadas 56.155 motocicletas, o que corresponde a uma queda de 18,9% em relação à dezembro de 2015 e de 5,4% ante o mês de novembro, quando as unidades vendidas somaram 59.372.

Exportações

Já as exportações registraram queda de 14,6% em 2016, com 59.022 unidades comercializadas no mercado externo, na comparação com o ano anterior (69.123 exportadas).

Redução acompanhou a retração · 05/01/2017 às 15h11 | Última atualização em 05/01/2017 às 15h12

Produção de veículos tem queda de 11,2%, diz Associação


Compartilhar Tweet 1



A produção de veículos registrou queda de 11,2% em 2016 em comparação com 2017, segundo o balanço divulgado hoje (05/01) pela Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). De janeiro a dezembro, foram montadas 2,16 milhões de unidades contra 2,43 milhões no mesmo período de 2015.

A redução do ritmo nas fábricas acompanhou a retração do mercado, que registrou no acumulado do ano passado queda de 20,2% nas vendas. Ao longo de 2016, foram licenciados 2,05 milhões de veículos, enquanto em 2015 foram comercializadas 2,57 milhões de unidades.

Em dezembro, a queda nos licenciamentos ficou em 10,3% em relação ao mesmo mês de 2015, com a venda 204,3 mil veículos. O resultado é, no entanto, 14,7% superior ao de novembro de 2016, quando foram comercializadas 178,2 mil unidades.

Carros de passageiros têm recuo

As vendas de carros de passageiro tiveram no ano queda de 16,7% em relação a 2015, com o licenciamento de 1,48 milhão de unidades. Os caminhões tiveram retração de 30,6% na comercialização, com o emplacamento 48,7 mil unidades ao longo do ano passado.

As indústrias fecharam o ano com 9,29 mil vagas a menos do que em dezembro de 2015.

No final do ano passado, as montadoras empregavam 121,2 mil pessoas, uma redução de 7,1% em comparação com os 130,5 registrados no último mês de 2015.


Compartilhar Tweet 1



Conduzir veículo com documentação atrasada ou sem equipamentos de segurança são infrações que podem acarretar na apreensão do mesmo. Neste ano, em Teresina, 8.868 registraram entrada no pátio do Departamento Estadual de Trânsito do Piauí (Detran-PI). Do total, 7.143 já tiveram a situação regularizada por parte de seus proprietários. A motocicleta lidera no número de apreensões, com 6207 registros.

Para Arão Lobão, diretor geral do Detran, o aumento do número de remoções se deu pela intensificação das fiscalizações que estão ocorrendo em todas as zonas da capital e o que se percebe é que os veículos com licenciamento em atraso ou com débito de multas estão entre as principais causas de apreensões.

“Durante as blitzen percebemos várias irregularidades. É necessário que o condutor se conscientize que para circular livremente, o veículo precisa estar de forma regular”, esclarece.

Os proprietários interessados em retirar o veículo do pátio do Detran, devem quitar os débitos existentes, sejam eles referentes a taxas de licenciamento, seguro obrigatório, taxas ou despesas de remoção e depósito. Após o pagamento, o condutor deve abrir um processo no posto do órgão para solicitar a retirada. Apenas o proprietário ou representante legal, através de procuração pública, podem fazê-la.

Caso o veículo não seja retirado em até 60 dias, o Detran iniciará o processo para levá-lo a leilão. Os proprietários serão notificados e após 30 dias, caso não haja a regularização, é lançado um edital. Eles ainda contam com o prazo de até o dia anterior ao leilão para a retirada do veículo, assim o órgão dá um prazo máximo de 150 dias para o condutor regularizar a situação diante do órgão.

Leilões: oportunidade de bom negócio

Quem pretende adquirir um carro, moto ou peças para revenda, o leilão de veículos do Detran é uma ótima oportunidade. Com valores abaixo do mercado, os veículos leiloados pelo Departamento chegam a ter preço, em média, 30% menor que o de tabela. Em 2016, o órgão realizou 14 leilões todo do estado. Ao todo, 2.093 lotes foram disponibilizados para arremate somente neste ano.

"O principal motivo da apreensão dos veículos é o licenciamento em atraso. Muitas pessoas permanecem na cultura de que o veículo pode trafegar pela cidade e interior sem estar com a documentação em dia”, afirma o diretor de Infrações do Detran, Levi Gomes.

De acordo com o diretor, os veículos permanecem no pátio porque muitos proprietários, ao terem o veículo apreendido em blitzen de fiscalização, deixam de fazer o resgate, por ser obrigatória a quitação dos débitos. "Por terem um preço menor que os veículos do mercado, em tempo de crise, muitos piauienses tem aproveitado essa oportunidade para comprar um veículo. A maioria encontra-se em bom estado de conservação e o índice de sucatas é bem menor”, destaca Levi.

Poderá ser pago em cota única · 21/12/2016 às 20h06

SEFAZ divulga tabela de pagamento do IPVA para 2017; confira a tabela do ano


Compartilhar Tweet 1



Foi publicada no Diário Oficial do Estado desta terça-feira (20), uma instrução normativa da Secretaria de Fazenda do Piauí estabelecendo o calendário de pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) para o exercício de 2017.

A base de cálculo segue a tabela FIPE referente a valores dos veículos, embarcações e aeronaves para o ano de 2017.

Assim como nos anos anteriores, o IPVA poderá ser pago em cota única com desconto de 15% ou parcelado em 3 vezes.

O calendário tem validade a partir de 1º de janeiro de 2017.