180graus

Está rendendo em Goiânia - 10/10/2013 às 09h20

Caso Fran: Polícia ouve testemunhas e investiga vídeo sexual no WhatsApp






A Polícia Civil começou a ouvir testemunhas sobre o caso da jovem de 19 anos que teve vídeos íntimos divulgados em um aplicativo de celular e virou meme [termo usado para frases, imagens e vídeos que se disseminam na internet de forma viral]. Ao G1, a delegada responsável pelas investigações, Ana Elisa Gomes Martins, disse que já colheu o depoimento de quatro pessoas e pretende ouvir a garota novamente para sanar "algumas dúvidas". O suspeito de divulgar os vídeos é um jovem de 22 anos com quem ela teria um relacionamento extraconjugal.

Ana Elisa, no entanto, preferiu não divulgar o nome das testemunhas. Disse apenas que são pessoas que conhecem o casal. "Como se trata de um caso de difamação, preferimos preservar a privacidade das pessoas", afirmou. A delegada não quis divulgar o conteúdo dos depoimentos "para não atrapalhar as investigações".

O jovem suspeito de ter divulgado as imagens deve ser intimado esta semana, segundo a delegada. No entanto, ela não divulgou a data do depoimento. Procurado pelo G1, o rapaz apontado como suspeito pela vítima negou ser o autor dos vídeos e da divulgação.

Na quarta-feira (9), o advogado do rapaz, Hugo Bastos, esteve na Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam) para tomar conhecimento sobre o inquérito. Ao G1, ele disse que só vai se pronunciar após se interar das denúncias.

Os vídeos onde a jovem aparece fazendo sinal de 'OK' durante ato sexual começaram a circular em um aplicativo de celular no fim da semana passada e virou meme nas redes sociais. O símbolo, inicialmente, virou piada nas redes, com montagens de políticos e celebridades fazendo o sinal. Na sexta-feira (4), ela registrou uma ocorrência na Deam.

frandedos2.jpg

A garota teve a identidade, o local de trabalho e até imagens de familiares divulgados na internet. “Ela está muito abatida, em estado depressivo. No início da divulgação fizeram um print da página dela no Facebook em que ela aparece com a filha e está muito triste porque a criança também foi exposta”, diz a delegada.

De acordo com a delegada, o crime é caracterizado como difamação com base na Lei Maria da Penha porque existiu uma relação de afeto entre vítima e autor. Se for condenado, o suspeito pode pegar pena de 3 meses a 1 ano.

No entanto, após a repercussão do caso, internautas manifestaram apoio à garota difamada. Imagens de pessoas, sozinhas ou em grupos, fazendo o mesmo sinal de 'OK', com a palavra "força" ganharam as redes sociais.

Fran.jpg

A polêmica também levantou o debate sobre a necessidade de tornar mais rígidas as leis de crimes cibernéticos. Vice-presidente da Comissão de Direito Digital da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Goiás (OAB-GO), o advogado Rafael Maciel defende a criação de uma delegacia especializada na investigação de crimes cometidos em ambiente digital.

No ano passado, após fotos íntimas da atriz Carolina Dieckmann vazarem na internet, uma lei foi criada no país com o nome da artista. Mas o especialista explica que a lei não protege casos em que não há invasão de computadores. Para o advogado, a legislação não acompanhou as mudanças da sociedade.

“A maior parte das interações humanas são hoje realizadas em ambientes digitais e o ordenamento jurídico deve proteger os cidadãos de crimes e da propagação de conteúdos difamatórios e caluniosos. Esse tipo de conduta trazem transtornos sérios às vítimas”, argumenta Rafael Maciel.

Fonte: Com informações do G1 Goiás

Peça seu CPF na Nota e concorra a prêmios em dinheiro. Curta a página da Nota Piauiense e saiba mais!


Terrazzo Poti
Podium PC-MA
Podium PMPI
Últimas Notícias
23h46 Cruzada Evangelística abre a programação dos 25 anos de Sigefredo Pacheco 23h19 PIAUIENSE: De virada River ganha do Altos de 2 x 1 no Lindolfo Monteiro e assume a liderança 21h13 Posse do conselho municipal de educação municipal 20h16 Prefeitura realiza licitação. 19h57 Na luta contra o câncer, jovem precisa de ajuda para realizar tratamento 19h17 Santa Luz e Redenção estão com contas bloqueadas 19h14 Manifestantes percorrem ruas de Picos em protesto contra reformas do governo federal 18h28 Prefeitura de cocal recebe alunos do IFPI que realizarão atividades com idosos 18h24 Ze Carvalho "A Greve foi a maior manifestação da sociedade e da esquerda, desde o fim da ditadura" 18h13 Colégio São Francisco Aula inaugural dos cursos da UAB/UFPI 18h13 Mini Maratona em comemoração ao 25º aniversário de Colônia do Gurguéia 18h07 Trabalhadores do SINTE e SINDSERM saíram de Campo Maior para protestar contra reformas 18h06 Avião da Azul tem dificuldade para pousar no aeroporto de Parnaíba 17h59 Oitenta pessoas receberam diploma de árbitro de futebol em União 17h58 Aniversário de Baixa Grande do Ribeiro contará com grande festa 17h56 Justiça Eleitoral determina que o prefeito de João Costa apresente extratos e folha de pagamentos 17h49 Cocal Participou do IV Encontro dos Municípios realizado pelo Sebrae 17h47 Moradores pagaram serviço para eliminar vegetação de rua em São João do Piauí 17h45 PI: casal que aplicava golpes em idosos é preso em banco 17h43 Manifestação contra reformas trabalhista e previdenciária toma ruas de Floriano 17h42 Revendedora de gás é alvo de assalto em Floriano 17h34 Prefeito Rubens Vieira busca parceria do Governo do Estado para habitação em Cocal Em busca de m 17h31 Sindicatos e trabalhadores de Amarante vão às ruas em protesto 17h25 CETI Jacob Demes de Floriano promove Rodada de Palestras 17h23 Acidentes de trabalho matam 2,3 milhões de pessoas por ano no mundo, diz OIT

Podium - Aulas exclusivas

Mais Lidas


    Enquete

    Você aprova a decisão da CCJ do Senado em diminuir as vagas para deputados piauienses?

    Total de Votos: 886

    Válida de 2017-04-06 17:08:00.0 a 2017-04-30

    180graus no Instagramno Instagram