180graus

Está rendendo em Goiânia - 10/10/2013 às 09h20

Caso Fran: Polícia ouve testemunhas e investiga vídeo sexual no WhatsApp






Jovem tem 19 anos e imagens picantes se espalharam

Jovem tem 19 anos e imagens picantes se espalharam

comserv

A Polícia Civil começou a ouvir testemunhas sobre o caso da jovem de 19 anos que teve vídeos íntimos divulgados em um aplicativo de celular e virou meme [termo usado para frases, imagens e vídeos que se disseminam na internet de forma viral]. Ao G1, a delegada responsável pelas investigações, Ana Elisa Gomes Martins, disse que já colheu o depoimento de quatro pessoas e pretende ouvir a garota novamente para sanar "algumas dúvidas". O suspeito de divulgar os vídeos é um jovem de 22 anos com quem ela teria um relacionamento extraconjugal.

Ana Elisa, no entanto, preferiu não divulgar o nome das testemunhas. Disse apenas que são pessoas que conhecem o casal. "Como se trata de um caso de difamação, preferimos preservar a privacidade das pessoas", afirmou. A delegada não quis divulgar o conteúdo dos depoimentos "para não atrapalhar as investigações".

O jovem suspeito de ter divulgado as imagens deve ser intimado esta semana, segundo a delegada. No entanto, ela não divulgou a data do depoimento. Procurado pelo G1, o rapaz apontado como suspeito pela vítima negou ser o autor dos vídeos e da divulgação.

Na quarta-feira (9), o advogado do rapaz, Hugo Bastos, esteve na Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam) para tomar conhecimento sobre o inquérito. Ao G1, ele disse que só vai se pronunciar após se interar das denúncias.

Os vídeos onde a jovem aparece fazendo sinal de 'OK' durante ato sexual começaram a circular em um aplicativo de celular no fim da semana passada e virou meme nas redes sociais. O símbolo, inicialmente, virou piada nas redes, com montagens de políticos e celebridades fazendo o sinal. Na sexta-feira (4), ela registrou uma ocorrência na Deam.

frandedos2.jpg

A garota teve a identidade, o local de trabalho e até imagens de familiares divulgados na internet. “Ela está muito abatida, em estado depressivo. No início da divulgação fizeram um print da página dela no Facebook em que ela aparece com a filha e está muito triste porque a criança também foi exposta”, diz a delegada.

De acordo com a delegada, o crime é caracterizado como difamação com base na Lei Maria da Penha porque existiu uma relação de afeto entre vítima e autor. Se for condenado, o suspeito pode pegar pena de 3 meses a 1 ano.

No entanto, após a repercussão do caso, internautas manifestaram apoio à garota difamada. Imagens de pessoas, sozinhas ou em grupos, fazendo o mesmo sinal de 'OK', com a palavra "força" ganharam as redes sociais.

Fran.jpg

A polêmica também levantou o debate sobre a necessidade de tornar mais rígidas as leis de crimes cibernéticos. Vice-presidente da Comissão de Direito Digital da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Goiás (OAB-GO), o advogado Rafael Maciel defende a criação de uma delegacia especializada na investigação de crimes cometidos em ambiente digital.

No ano passado, após fotos íntimas da atriz Carolina Dieckmann vazarem na internet, uma lei foi criada no país com o nome da artista. Mas o especialista explica que a lei não protege casos em que não há invasão de computadores. Para o advogado, a legislação não acompanhou as mudanças da sociedade.

“A maior parte das interações humanas são hoje realizadas em ambientes digitais e o ordenamento jurídico deve proteger os cidadãos de crimes e da propagação de conteúdos difamatórios e caluniosos. Esse tipo de conduta trazem transtornos sérios às vítimas”, argumenta Rafael Maciel.

Fonte: Com informações do G1 Goiás

Peça seu CPF na Nota e concorra a prêmios em dinheiro. Curta a página da Nota Piauiense e saiba mais!


podium
Últimas Notícias
16h30 Operação Carnaval da polícia civil de Picos cumpre mandados de prisão 16h24 Wesley Safadão e Thyane Dantas posam em clima de romance em Noronha 16h23 Deputado Zé Santana requer implantação de Centro de Hemodiálise em Uruçuí 16h21 Undime convoca secretários municipais de educação para eleições 16h07 Tradicional bloco de carnaval volta a desfilar após 15 anos 16h06 Prédios antigos tombados pelo IPHAN ameaçam desabar 15h51 Após briga, Zezé e Wanessa Camargo aparecem abraçados em foto de família 15h49 Catinga nos banheiros da rodoviária de Campo Maior espanta os turistas 15h46 Sete 'irmãs' da Terra são descobertas por cientistas 15h41 Câmara Municipal inicia trabalhos no município de Monsenhor Hipólito 15h38 Vereadora é assassinada a tiros em localidade vizinha ao município de Pio IX 15h38 Empresário perde ação que obrigava a revista Conjur a apagar notícias 15h37 Alexandre de Moraes defende pena de até 10 anos para crime hediondo cometido por menor 15h33 Zé Santana solicita Centro de Hemodiálise em Uruçuí 15h29 Câmara cobra informações sobre obra de revitalização do açude em Campo Maior 15h25 Corso do município de Picos terá premiação para os 3 primeiros colocados 15h24 Dnocs Piauí receberá máquina para perfurar poços 15h19 Câmara de Patos realiza sessão de abertura dos trabalhos legislativos 15h18 Em sessão, Deputado Dr. Hélio elogia funcionamento do Hospital de Parnaíba 15h06 Comerciante pai de radialistas é encontrado morto em barreiro 15h01 MP-PI ajuíza uma ação para impedir o fechamento de agências no Piauí 14h59 Festa de carnaval para as crianças do SCFV de Paes Landim 14h28 Alexandre de Moraes deve receber 7,5 mil processos ao tomar posse no STF 14h22 Conselho de contribuintes disponibiliza ferramenta de consulta 14h15 Piauí: Seduc amplia monitoramento da frequência dos alunos no estado

Hospede-se no Islamar
Terno & Cia

Mais Lidas


    Enquete

    Você concorda com a decisão da Prefeitura de Teresina em não bancar os desfiles das escolas de Samba?

    Total de Votos: 290

    Válida de 2017-01-09 14:36:00.0 a 2017-01-16

    Casa do cartucho
    comserv
    Negócios ou lazer em Parnaíba

    180graus no Instagramno Instagram

    Negócios ou lazer em Parnaíba