População está em alerta · 23/09/2017 às 11h17 | Última atualização em 23/09/2017 às 12h14

Novo terremoto sacode região central do México e gera alerta


Compartilhar Tweet 1



Um terremoto de magnitude 6,4 graus na escala Richter sacudiu neste sábado (23) a região central e o sul do México, gerando alerta apenas quatro dias depois de outro poderoso tremor de 7,1 graus ter deixado cerca de 300 mortos. As informações são da Agência EFE.

O sismo foi registrado por volta de 7h53 no horário local (9h53 em Brasília), com epicentro 12 quilômetros ao norte da cidade de Ixtepec, no estado de Oaxaca, a mesma região onde no último dia 7 de setembro um terremoto de 8,2 graus, o mais forte no país desde 1932, ter deixado 98 mortos.

Segundo a Defesa Civil, até o momento não há relatos de danos na Cidade do México.

(Com informações da Agência EFE)

Fonte: Agência Brasil

Para nível médio e superior · 23/09/2017 às 08h54 | Última atualização em 23/09/2017 às 08h56

Hospital Santa Maria abre processo seletivo para vagas de estágio


Compartilhar Tweet 1



O Hospital Santa Maria está com processo seletivo aberto para o preenchimento de vagas de Estágio em áreas de nível médio e superior.

As oportunidades estão distribuídas em Estágio em Recepção, para estudantes de nível médio; Estágio para Técnico de Enfermagem, para estudantes do curso técnico em enfermagem; Acadêmicos de enfermagem, para estudantes de graduação em enfermagem.

A entrega dos currículos deve ser de forma presencial no Hospital Santa Maria ou pelo endereço de e-mail atendimento@hsmaria.com.br. 

Queda causada por incêndio · 23/09/2017 às 08h43 | Última atualização em 23/09/2017 às 08h53

Árvore cai sobre fiação e deixa cidade do PI sem energia


Compartilhar Tweet 1



Um incêndio ocorrido nesta sexta-feira (22), às margens da BR 316, nas proximidades do Município de Monsenhor Gil, provocou a queda de uma árvore de grande porte sobre a rede elétrica.  

Mesmo estando fora da faixa de limpeza do alimentador, ao tombar, a árvore danificou quatro postes e cabos, o que provocou a interrupção do fornecimento de energia elétrica para os consumidores de Monsenhor Gil por volta das 15h.

As equipes da Eletrobras Piauí não puderam trabalhar na recuperação da rede no mesmo dia, porque a fumaça e o fogo rasteiro impediram o acesso ao local.

Por esse motivo, o restabelecimento do fornecimento de energia elétrica do Município será realizado nas primeiras horas deste sábado (23).

A Eletrobras Piauí lamentou o ocorrido e pediu desculpas à população pelos transtornos.

Vai valer para novos contratos · 23/09/2017 às 07h56 | Última atualização em 23/09/2017 às 08h20

Caixa reduz para 50% valor máximo do financiamento de imóvel usado


Compartilhar Tweet 1



A partir da próxima segunda-feira (25), vai ficar mais difícil comprar imóvel usado financiado pela Caixa Econômica Federal, isso porque a instituição decidiu reduzir o teto de financiamento de 70% para 50% do valor do bem.

Nesse caso, que for comprar um imóvel usado vai ter que desembolsar metade do valor do imóvel.

A Caixa deixou claro que a medida só vai valer para novos contratos e deve ficar em vigor até o final do ano. A prioridade do banco vai ser o financiamento de imóveis novos.

(Com informações do O Globo)

No Teatro do Boi, às 19h · 22/09/2017 às 16h10 | Última atualização em 22/09/2017 às 16h29

Plataforma Teresina 2030 será lançada na próxima terça-feira (26)


Compartilhar Tweet 1



A Prefeitura de Teresina lança, na próxima terça-feira (26/09), a Plataforma Teresina 2030. O evento marca o início da estratégia de abertura de dados para o desenvolvimento sustentável da capital piauiense. O lançamento acontece no Teatro do Boi, no bairro Matadouro, a partir das 19h.

O lançamento da plataforma terá palestras do chefe da unidade de inovação da Organização dos Estados Americanos (OEA), Silveiro Zebral; do cofundador da rede social Colab, Gustavo Maia; e da gerente de conhecimento da Comunitas, Bruna Santos. Durante o evento, será divulgada a equipe vencedora da Hackathon THE 2030, maratona digital que começa nesta sexta-feira (22/09) e segue até amanhã no Mirante da Ponte Estaiada.

“A Teresina 2030 é a plataforma aberta da cidade, onde todos poderão monitorar o desenvolvimento da cidade, através de mapas interativos, dados abertos e programas de capacitação para gestores e sociedade civil em planejamento colaborativo. A plataforma traz mais transparência ao setor público”, afirma a coordenadora da Agenda 2030, Gabriela Uchoa.

Por meio da plataforma é possível saber o que está acontecendo na cidade. As informações disponibilizadas na plataforma serão fornecidas de forma dinâmica e em diversos formatos. “Os dados dos bairros, por exemplos, estarão também em mapas, que permite a melhor visualização e compreensão. Os formatos também são os mais diversos, como Java, o que permite que cada usuário baixe esses dados no formato mais adequado para sua necessidade”, explica.

Uma pactuação entre poder público e sociedade, a Agenda 2030 de Teresina, está alinhada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) - Cidade Sustentável, Cidade de Oportunidades, Cidade de Direitos, Cidade Criativa e Governança Eficiente – e traz um plano de metas e ações para a construção de cidade de forma sustentável.

“As informações fornecidas pela Teresina 2030 permitem que estudantes, pesquisadores, empreendedores e a população em geral conheçam melhor a cidade e dela se apropriem. A intenção é promover o desenvolvimento sustentável e a participação social, difundindo a cultura da transparência”, finaliza o secretário municipal de Planejamento e Coordenação, Washington Bonfim.

Para reduzir violência · 22/09/2017 às 15h22 | Última atualização em 22/09/2017 às 15h39

Projeto Lei Maria da Penha nas Escolas se expande por todo o Piauí


Compartilhar Tweet 1



O projeto "Lei Maria da Penha nas Escolas: desconstruindo a violência, construindo diálogos", uma parceria entre a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e o Ministério Público do Estado do Piauí (MPPI), inicia, na próxima terça-feira (26), o ciclo de implantação da nova fase do projeto nas escolas públicas piauienses. O projeto visa diminuir os elevados índices de violência contra a mulher por meio da educação, com palestras de capacitação para professores, alunos e comunidade escolar.

Iniciado em maio de 2015, o projeto atingiu cinco Gerências Regionais de Educação (GREs), 39 escolas, 601 professores e 10.503 alunos. Devido ao sucesso do projeto, em 2016 foi assinado um novo Termo de Cooperação renovando e ampliando a parceria entre a Seduc e o Núcleo das Promotorias de Justiça de Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar (Nupevid), do MPPI.

A Gerência de Inclusão e Diversidade da Seduc, através da Coordenação de Inclusão e Diversidade, está encarregada da reimplantação do projeto, em um primeiro momento nas Gerências Regionais de Educação (GREs) e em seguida nas escolas que aderiram ou venham a aderir ao mesmo.

A gerente de Inclusão e Diversidade da Seduc, Fátima Solano, explica que a partir da semana que vem as equipes da Seduc e do MPPI realizarão as capacitações nas gerências regionais e nas escolas, com diretores, coordenadores pedagógicos e professores. Esses últimos serão os disseminadores junto aos alunos.

"Esse ano, queremos ainda mais. A perspectiva é de executar os trabalhos nas escolas dos municípios jurisdicionados às GREs que fizerem adesão às propostas e dar continuidade nos trabalhos que já iniciamos aqui em Teresina", destaca a gerente.

A secretária de Educação, Rejane Dias, observa que o público final da campanha é constituído por adolescentes entre 13 e 16 anos, de modo que a consciência a sobre a importância do combate à violência contra a mulher seja desenvolvida desde cedo.

"Nosso trabalho é preventivo, então o aluno que participa desse projeto não sai mais o mesmo e esse é nosso grande objetivo. Percebemos que ele sai com um olhar diferenciado e esperamos que consiga transformar a realidade onde está inserido", finaliza a secretária.

Mais informações:

(86) 3216-3396/3216-8415

Final no mês de novembro · 22/09/2017 às 11h33 | Última atualização em 22/09/2017 às 11h46

Penúltima etapa do IV Circuito Semec de Xadrez reúne 93 estudantes


Compartilhar Tweet 1



A Escola Municipal Tio Bentes sediou nesta sexta-feira (22/09) a terceira etapa do IV Circuito Semec de Xadrez. O torneio reúne estudantes de escolas municipais de Teresina em disputas que somam pontos para a grande final no mês de novembro.

Esta fase reuniu 93 estudantes de 8 a 17 anos, divididos nas categorias mirim, infantil e infanto. Ao todo, 15 escolas participam da competição, que estimula integração, concentração e raciocínio lógico.

De acordo com o coordenador de esportes da Secretaria Municipal de Educação (Semec) Raimundo Mourão, o circuito vem recebendo cada vez mais adeptos da modalidade. “Pensamos na disputa entre as escolas para incentivar o xadrez entre os jovens, e deu muito certo, pois a cada ano o número de participantes aumenta, assim como o nível dos competidores. Temos alunos que já representam o Piauí em jogos nacionais”, destaca.

A escola anfitriã fortaleceu os treinos de xadrez este ano, quando passou a funcionar em tempo integral e ganhou um professor especialista na modalidade. Essa é a primeira vez que um grupo de alunos da Escola Municipal Tio Bentes participa de um torneio com estudantes de outras unidades de ensino.

O professor Arthur Aguiar conta que a intenção é participar, mas que a turma está preparada para vencer. “Treinamos duas vezes por semana e eles são bastante interessados. Esse ritmo também os transforma em sala de aula, pois percebemos maior concentração e interesse em estar na escola”, revela. Segundo ele, um dos critérios de seleção para participar do torneio é apresentar ótimo desempenho acadêmico. “Como eles querem muito participar, dobram os esforços e são exemplos para os colegas em sala de aula”, afirma Arthur.

No circuito os estudantes se enfrentam em diferentes rodadas e seguem as regras de um jogo profissional. O sistema de pontos é contabilizado segundo o sistema internacional de xadrez. Durante o confronto, os coordenadores lembram aos jovens a importância de seguir as regras, respeitar o adversário e competir de forma amistosa.

Vai a mais 7 municípios · 22/09/2017 às 11h24 | Última atualização em 22/09/2017 às 11h59

Orquestra Sinfônica emociona multidão na cidade de Barras


Compartilhar Tweet 1



“Não tem como não se emocionar. A gente sente uma energia no coração e não consegue explicar direito. Estou muito feliz em ver e ouvir uma orquestra pela primeira vez”, comentava Tatiana Rocha, moradora da cidade de Barras, localizada a 127 quilômetros ao Norte de Teresina. Comemorando seus 176 anos de emancipação, o município escolhido para receber a apresentação de estreia do novo projeto da Orquestra Sinfônica de Teresina, Concertos pelo Piauí – Rio Abaixo, Rio Arriba, vibrou com a música preparada com riqueza de detalhes pelos 63 músicos e seu maestro regente, Aurélio Melo, além de uma super equipe de produção.

“É, de fato, uma grande alegria poder receber tamanha riqueza cultural. Nosso povo, nossa cidade, aguardava por esse momento ansiosamente”, disse o Padre Antônio Pereira, pároco responsável pela Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, escolhida para a apresentação. O prefeito Carlos Monte, acompanhado da primeira-dama e secretária de Assistência Social, Ana Teresa, e por sua equipe de demais secretários, também estava extasiado. “Fizemos um amplo trabalho de divulgação para receber a Orquestra. Hoje é uma noite para entrar na história de Barras”, disse o gestor do município.

Desde a sua criação, em 1993, a Orquestra vem se propondo a dar um tratamento sinfônico à música popular brasileira. Mantida pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves (FMCMC), traz seus concertos com uma marca registrada: a mistura do erudito com o popular, numa fórmula de sucesso que tem atraído grande público para suas apresentações, mostrando que o povo gosta, sim, de música clássica.

Esse modelo de repertório começou a se consolidar ainda em 2010, quando a OST excursionou pelo Nordeste com o projeto “Concertos pelos Sertões”. Do Piauí à Bahia, pessoas lotavam as igrejas para assistir às apresentações, sendo que muitas delas estavam vendo uma orquestra tocar pela primeira vez, como em Barras, na noite dessa quinta-feira (21/09). “É muito lindo. Ver tantos músicos juntos, numa sintonia tão perfeita. É de encher os olhos”, comentou Conceição Farias, natural de Barras, mas moradora de Teresina. Ela é soprano e foi convidada para cantar a Ave Maria de Gounod, retornando ao seu município de origem.

E o público presente foi ao delírio quando, ao final do concerto, numa grande surpresa para eles, o maestro deu o tom e com os músicos executou o Hino de Barras, entoado pelo tenor Edivan Alves. “Reina Barras, Barras ponto de encontro dos amores, Reina Barras, Barras bela, Terra dos Governadores (...)”, cantava o povo, em voz alta, acompanhados pela Orquestra Sinfônica de Teresina, finalizando a noite de estreia do seu mais novo concerto.

Numa parceria com o Conselho Nacional do SESI, patrocinador oficial desse novo projeto, a Orquestra vai a mais sete cidades: Piracuruca, dia 28, Parnaíba, dia 29, e Piripiri, dia 30, completando a etapa “Rio Abaixo”. Água Branca, Oeiras, Floriano e Picos também receberão o projeto, em outubro, com datas ainda sendo ajustadas.

“Esse novo projeto tem a conotação da melhoria da autoestima do piauiense, sobretudo o do interior. Além do Hino do Piauí, em nosso repertório também executaremos o hino de cada cidade por onde passarmos, deixando o concerto ainda mais próximo da população, aproximando cada vez a música do povo. Esperamos que nas próximas cidades seja assim como em Barras: inesquecível”, finalizou o maestro Aurélio Melo.

Zonas Norte e Sudeste · 22/09/2017 às 09h51 | Última atualização em 22/09/2017 às 10h11

Faxina chega a 74 edições visitando os bairros Alto Alegre e Comprida


Compartilhar Tweet 1



A 74ª edição da Faxina nos bairros visita neste sábado (23/09) as zonas Norte e Sudeste. A partir das 8h, as equipes da Fundação Municipal de Saúde e Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDUs) estarão percorrendo as ruas dos bairros Alto Alegre e Comprida, numa ação de combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da zika, dengue e chikungunya.

No Alto Alegre, o ponto de partida será o Centro de Educação Básica Professor James Azevedo (conhecido como Escolão do Alto Alegre). Será “faxinado” o quadrante formado pelas ruas Amarante, Nonato Mesquita, Roland Jacob, Sapucaia, João Isidoro França e Castelo do Piauí.

Já o ponto de partida do mutirão no bairro Comprida será a Escola Municipal Mário Quintana, que fica na Rua 05. O quadrante contemplado será o formado pela Rua Monsenhor Zaul Pedreira, Rua Jornalista Wilson Fernandes, Rio Poty e Avenida Noé Mendes.

O trabalho começa durante a semana, com a divulgação do evento por carro de som da FMS e nas visitas dos agentes comunitários de saúde e de endemias das regiões. “Eles pedem à população que depositem em suas calçadas todo o lixo doméstico, especialmente aqueles que não são recolhidos pela limpeza regular, como eletrodomésticos e móveis de grande porte. No sábado, um caminhão vai passar por estes lugares e recolher todo este material”, explica a gerente de zoonoses da FMS Oriana Bezerra.

A ação é complementada com atividades educativas, em que agentes de endemias e veterinários percorrem as casas dos bairros contemplados no sábado, fazendo um trabalho de orientação sobre como combater o mosquito e evitar seus focos.

A FMS pede a colaboração da população neste trabalho, especialmente na limpeza interna das residências. “Fiquem atentos a suas casas, e quando elas estiverem limpas fiquem atentos aos seus vizinhos. Pedimos também aos proprietários de terrenos não construídos que façam uma limpeza nestes locais”, pede o presidente Sílvio Mendes.

Fundação Getulio Vargas · 22/09/2017 às 09h28 | Última atualização em 22/09/2017 às 09h53

Segurança do consumidor cresce 1,4 ponto em setembro


Compartilhar Tweet 1



O Índice de Confiança do Consumidor (ICC), da Fundação Getulio Vargas (FGV), subiu 1,4 ponto em setembro deste ano, depois de três quedas consecutivas provocadas pela crise política de maio. O indicador atingiu 82,3 pontos, o mesmo nível de junho, em uma escala de 0 a 200 pontos.

A alta foi provocada pela melhora da expectativa dos consumidores em relação ao futuro. O Índice de Expectativas avançou 2,2 pontos e chegou a 91,1 pontos, o mesmo patamar de abril. Já a satisfação dos consumidores com a situação atual ficou praticamente estável, ao variar apenas 0,2 ponto.

Segundo a coordenadora da pesquisa da FGV, Viviane Seda Bittencourt, o resultado parece estar relacionado a uma ligeira melhora na percepção sobre o mercado de trabalho e no gradual afastamento do risco de crise política. Apesar disso, o consumidor mantém perfil cauteloso.

Resultado final sai dia 29 · 22/09/2017 às 09h21 | Última atualização em 22/09/2017 às 09h26

Confiança da indústria varia 0,1 ponto em prévia de agosto


Compartilhar Tweet 1



O Índice de Confiança da Indústria apresentou relativa estabilidade, ao variar apenas 0,1 ponto na prévia de agosto e atingiu 92,3 pontos, em uma escala de 0 a 200 pontos. Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), o índice retornou ao nível de maio, depois da queda ocorrida em junho.

A confiança dos empresários da indústria no momento atual, medida pelo Índice da Situação Atual, teve queda de 0,4 ponto e chegou a 89,6 pontos. Já o Índice de Expectativas, que mede a opinião do empresariado em relação ao futuro, avançou 0,7 ponto.

O resultado preliminar de setembro indica queda de 0,1 ponto percentual no Nível de Utilização da Capacidade Instalada da Indústria (Nuci), para 74%. Para a prévia de setembro de 2017 foram consultadas 783 empresas entre os dias 4 e 19 deste mês. O resultado final da pesquisa será divulgado na próxima sexta-feira (29/09).

  Foto: Arquivo/Agência Brasil

 

Prevenção e orientações · 21/09/2017 às 17h17 | Última atualização em 21/09/2017 às 17h17

APPM recebe I Fórum Piauiense de Prevenção e Combate às Drogas


Compartilhar Tweet 1



A Fundação Ermani Veloso vai realizar nesta sexta-feira (22/09), na Associação Piauiense de Municípios (APPM), o I Fórum Piauiense de Prevenção e Combate às Drogas, em parceria com a Associação dos Estudantes do Piauí (AEPI). O evento contará com a presença de autoridades e palestras explicando a importância desse combate às drogas na sociedade.

Na oportunidade, será fundada a Federação Nacional das Comunidades Terapêuticas no estado do Piauí, destacando a importância de ter a sede em Teresina. A fundação Ermani Veloso está em parceria com a AEPI no sentido de trazer esse combate e prevenção às drogas no âmbito de cuidar dos estudantes e mostrar para a sociedade importância dessa preocupação.

Programação do evento:

8h: Abertura com hino.

8h30: Palestra com o Delegado Menandro Pedro titular da Delegacia de Preservação e Repressão a Entorpecentes (Depre).

9h: Palestra Prevenção às drogas, diretor do CENDROGAS Sâmio Falcão

9h30: Federação das comunidades Terapêuticas do Brasil.

10h: Projeto PM-PI

10h30: Secretário de Segurança Pública do Piauí, Fabio Abreu.

11h: Encerramento

Interpretação equivocada · 21/09/2017 às 17h13 | Última atualização em 21/09/2017 às 17h57

Cura Gay: Juiz explica decisão e diz que homossexualidade não é doença


Compartilhar Tweet 1



O juiz Waldemar Cláudio de Carvalho, autor de uma liminar nesta segunda-feira (18/09) que autoriza terapias de "reversão sexual", publicou uma nota na tarde desta quinta-feira (21/09) negando que a homossexualidade seja uma doença.

No texto, o magistrado garante que "em momento nenhum" considerou que a homossexualidade seja "uma doença ou qualquer tipo de transtorno psíquico passível de tratamento".

De acordo com a publicação do Metrópoles, Carvalho alega que foi uma "interpretação equivocada" e diz que por esse motivo decidiu “declinar dos convites a ele formulados por diversos meios de comunicação no intuito de debater ou esclarecer seu posicionamento acerca da questão”.

São mais de 930 mil alunos · 21/09/2017 às 17h00 | Última atualização em 21/09/2017 às 17h11

Medidas garantem acesso à educação a pessoas com deficiência


Compartilhar Tweet 1



Mudanças na estrutura de seleções, como no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), e políticas que asseguram a permanência em sala de aula estão entre as ações do Ministério da Educação (MEC) para garantir os direitos das pessoas com deficiência. Só na educação básica, segundo o censo escolar de 2015, são mais de 930 mil alunos nessas condições. 

Como forma de melhorar o ensino voltado a esses e outros estudantes com deficiência, o Ministério da Educação trabalha em três eixos: participação da comunidade, formação continuada dos professores e acessibilidade, desde a questão arquitetônica das escolas, passando por mobiliário e tecnologias.

“São valores importantes de não discriminação, de consideração sobre essa complexidade humana. Não é um dia de luta apenas da pessoa com deficiência, mas da nossa sociedade contra o preconceito e o desconhecimento”, enfatiza a diretora de Políticas de Educação Especial da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi), Patrícia Raposo.

Nesse sentido, existem ações como o Programa Escola Acessível, que visa adaptar as escolas para receber os alunos, com recursos multifuncionais e apoio à melhoria do espaço físico. Até 2016, foram contempladas 50.510 escolas públicas com recursos do programa. São oferecidos equipamentos, mobiliários, materiais pedagógicos, recursos de acessibilidade e outras estratégias para eliminar barreiras.

O MEC também tem um programa de formação de multiplicadores e profissionais de atendimento ao alunado com deficiências visuais e auditivas. Somente este ano, foram realizados 108 cursos nos Centros de Apoio para Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual (CAP) e 74 nos Centros de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez (CAS). Ambos trabalham na formação continuada de professores e produção de material didático acessível.

Salas de aula

Atualmente, 24,5% das escolas que registram matrículas de alunos com deficiência têm atendimento educacional especializado. Além disso, 28% têm salas de recursos multifuncionais e 5% dos professores que atuam nessas escolas têm formação específica em educação especial, sendo que, dos docentes que atuam em turmas com alunos da educação especial, 5,5% possuem formação específica.

Enem 

Entre as ações do MEC voltadas às pessoas com deficiência está a adequação do Enem àqueles com surdez ou deficiência auditiva. Na edição de 2017, será oferecida como opção de auxílio a prova em videolibras, por meio da qual os estudantes poderão resolver as questões com apoio de um vídeo, que as apresenta traduzidas para a Língua Brasileira de Sinais (Libras). Os participantes também poderão optar por dois recursos já oferecidos pelo Inep: o tradutor-intérprete de Libras e a leitura labial.

Valorização do meio ambiente · 21/09/2017 às 15h30

Alunos de CMEIs comemoram Dia da Árvore com plantio


Compartilhar Tweet 1



Unidades de ensino da rede municipal desenvolveram diversas atividades nesta quinta-feira (21/09) para comemorar o Dia da Árvore. O objetivo é conscientizar os alunos para a valorização e preservação do meio ambiente, aproveitando a data para a realização de aulas diferentes.

No Centro Municipal de Educação Infantil Thereza Christina, localizado no Centro da capital, as crianças fizeram pinturas sobre o tema e plantaram mudas nas proximidades da escola, com a promessa de cuidarem diariamente em parceria com a vizinha Clínica Batista.

A diretora do CMEI, Raimunda Soares, e as professoras explicaram aos alunos os benefícios da árvore na natureza. Ao final, a turminha abraçou a frondosa mangueira do pátio, agradecendo pelos frutos e sombra cedidos gratuitamente. “A data é importante para dialogar com os alunos sobre nosso papel de protetores do meio ambiente. Mesmo sendo muito pequenos, ao plantarem uma árvore, por exemplo, eles passam a se sentir responsáveis por ela”, comenta a diretora.

No CMEI Tia Helena Medeiros, a árvore também foi estrela do dia. Durante a comemoração, cada criança levou para casa uma muda, com a missão de realizarem com os pais o plantio. Para a escola, a iniciativa ajuda na sensibilização dos alunos e das famílias quanto à preservação ambiental. Já no CMEI Joel Mendes, a distribuição de plantas aos pais será ao final do dia.

  Foto: AsCom

 

Embarcação a 20 km de Zuwara · 21/09/2017 às 15h16 | Última atualização em 21/09/2017 às 16h08

Acidente deixa mais de 100 desaparecidos no Mediterrâneo


Compartilhar Tweet 1



A Guarda Costeira da Líbia informou hoje que mais de 100 migrantes estão desaparecidos no mar Mediterrâneo em decorrência de um acidente com um navio perto da costa do país.

Um porta-voz das autoridades locais, identificado como Ayoub Gassim, disse à Associated Press que a embarcação danificada foi encontrada a cerca de 20 quilômetros da cidade de Zuwara. Ela teria partido de Sabrata, entre Zuwara e Trípoli, com destino à Europa.

Ainda de acordo com Gassim, o navio levava aproximadamente 130 pessoas, principalmente africanos. Não mais do que 30 passageiros foram resgatados até o momento. 

A Líbia vem se tornando um dos principais pontos de partida de migrantes para o continente europeu, com a sua costa sendo dominada por traficantes na sequência dos conflitos iniciados em 2011. Para conter o fluxo, a Europa já destinou dezenas de milhões de euros ao país africano, mas as tentativas de migração continuam. 

 

Entre Marte e Júpiter · 21/09/2017 às 15h10 | Última atualização em 21/09/2017 às 15h16

Cientistas descobrem o único asteroide duplo no mundo


Compartilhar Tweet 1



Os astrónomos descobriram, por meio do telescópio Hubble, o único asteroide duplo do mundo com sinais de cometa.

O novo corpo celeste foi descoberto na zona de asteroides entre Marte e Júpiter e consiste de dois elementos, informa o portal Space.com. Ele é único por ser o primeiro asteroide duplo conhecido da ciência que pode também ser considerado cometa: dois corpos, de quase o mesmo peso e tamanho, voam ao redor de si à distância de cerca de 100 km, deixando vestígios parecidos com os dos cometas. O corpo celeste foi denominado 288P.

Segundo os cientistas, antes nunca fora registrado um fenômeno desse tipo. Os cientistas assinalam que a compreensão dos processos de formação do Sistema Solar depende do conhecimento da origem e evolução dos asteroides que mostram atividade de cometas e que a descoberta de tal objeto pode ajudar os especialistas a progredir nas pesquisas. 

  Reprodução

 

Extinções em massa · 21/09/2017 às 14h42 | Última atualização em 21/09/2017 às 14h48

Cientista indica o tempo que resta para a próxima extinção de animais


Compartilhar Tweet 1



próxima extinção de animais pode ter início já no ano de 2100, quando a concentração de dióxido de carbono nas águas da Terra vai superar o limite crítico e a temperatura no planeta irá começar a aumentar bruscamente, acredita o geofísico que publicou o artigo no jornal Science Advances.

"Não estou falando que a catástrofe vai acontecer amanhã. Apenas demonstramos que a circulação de dióxido de carbono na natureza em breve vai se tornar instável, e o seu comportamento se tornará imprevisível se continuarem a saturar a atmosfera e a água com dióxido de carbono. No passado, tais períodos da instabilidade levaram a extinções em massa", comunicou Daniel Rothman do Instituto de Tecnologia de Massachusetts dos EUA ao Science Advances.

Os cientistas destacam cinco grandes extinções de animais na história da Terra. O período mais significante foi a extinção do Permiano, quando morreram 95% dos organismos vivos na Terra.

Há dois anos os ecologistas anunciaram que neste momento na Terra estamos assistindo à sexta extinção de animais em massa. De acordo com Rothman, este processo vai se iniciar dentro de 100 anos. Ele chegou a tal conclusão após ter analisado as mudanças das condições na Terra antes da extinção do Permiano e das 4 extinções anteriores.

O que destaca todos estes acontecimentos é que o início de cada extinção foi acompanhado por mudanças na concentração de CO2 na atmosfera devido à troca de carbono entre a biosfera e a natureza inorgânica. As consequências destas mudanças, de acordo com o cientista, podem ser vistas facilmente quando se analisa a proporção de isótopos de carbono nas rochas dessas épocas.

Esta consideração forçou Rothman a estudar todos os outros 30 casos de alteração de isótopos e a comprara-los com as alterações na flora e fauna.

Descobriu-se que todas as flutuações nos isótopos de carbono foram acompanhadas por extinção de ecossistemas quando as flutuações eram bastante grandes e correspondiam à fórmula simples que ele elaborou.

Utilizando esta fórmula matemática, o cientista estudou se hoje em dia a Terra poderá enfrentar uma ameaça de extinção em massa. Os resultados mostraram que a crise pode começar já em 2100, quando a concentração de dióxido de carbono no oceano atingirá o nível crítico, ainda que os acordos de Paris e Kyoto sobre o clima sejam respeitados.

O ecossistema da Terra, atingindo este nível crítico, não conseguirá mais "digerir" todo o dióxido de carbono e vai armazenar os excedentes no fundo do oceano, em resultado do que a proporção de CO2 na atmosfera aumentará bruscamente.

Segundo sublinha o geólogo, este fato não significa a extinção imediata dos animais e a humanidade ainda tem tempo para adiar a chegada desta catástrofe.

Estimular os estudantes · 21/09/2017 às 14h20 | Última atualização em 21/09/2017 às 14h29

Estudantes e profissionais buscam soluções para cidade durante maratona digital


Compartilhar Tweet 1



Vinte e seis horas buscando soluções inteligentes para o desenvolvimento sustentável de Teresina. Essa é a proposta do primeiro Hackathon HACK THE_2030, realizado pela administração. A maratona digital começa na sexta-feira (22/09), a partir das 16h, e segue até a noite de sábado no mirante da Ponte Estaiada.

O secretário municipal de Planejamento e Coordenação, Washington Bonfim, conta que o Hackathon HACK THE_2030 é uma oportunidade para que estudantes e profissionais deem sua contribuição para o desenvolvimento sustentável da cidade. Além disso, a maratona digital promove a cultura de abertura de dados e de cidade inteligente e fomenta a inovação e o empreendedorismo na cidade.

“A Prefeitura possui uma série de dados que podem ser transformados em serviços para a população. A ideia da Hackathon é justamente essa: estimular profissionais e estudantes das mais diversas áreas a desenvolver ferramentas e aplicativos que auxiliam a população no seu dia a dia. Eles poderão, por exemplo, desenvolver um aplicativo que facilite a busca de serviços prestados pela rede municipal de saúde ou mapear os serviços comerciais e industriais dos bairros”, ressaltou.

Como funciona

Ao todo, 67 profissionais e estudantes efetuaram a inscrição. Desse total, 30 serão selecionados e participam do desafio. Eles estão divididos em três áreas: tecnologia da informação; infraestrutura e urbanismo, e políticas públicas e administração. “A seleção foi feita com base na resposta dada pelos inscritos no ato da inscrição. Selecionamos aqueles que responderam dentro do objetivo do Desenvolvimento Sustentável e da Agenda”, explica a coordenadora da Agenda Teresina 2030, Gabriela Uchoa.

Na abertura do evento, as equipes irão conhecer o desafio, que será ligado às “cidades inteligente para o desenvolvimento sustentável”. Para desenvolver a ideia e colocá-la em prática, eles tão à disposição os dados de Teresina que estão compilados na plataforma Agenda Teresina 2030.

Os trabalhos desenvolvidos durante o Hackathon HACK THE_2030 serão avaliados por uma comissão que irão julgar a partir da inovação tecnologia e criatividade, potencial de impacto e a viabilidade de implementação. O resultado será divulgado no sábado (23) às 18h.

“A equipe vencedora terá a oportunidade de ter seu projeto desenvolvido em parceria com a Prefeitura. É uma oportunidade para profissionais e estudantes de programação, infraestrutura, urbanismo e políticas públicas poderão se reunir e juntos buscar soluções para o desenvolvimento sustentável da cidade. Essas soluções podem ser materializadas em aplicativos, ferramentas, mapeamentos interativos ou produção de dados urbanos”, afirma.

O Hackathon Hack THE_2030 é realizado pela Prefeitura de Teresina em parceria com a COMUNITAS e Open Knowledge Foundation.

Confira o edital aqui! · 21/09/2017 às 11h51 | Última atualização em 21/09/2017 às 12h03

OPO abre inscrições para seletivo de acadêmicos de Enfermagem


Compartilhar Tweet 1



Estão abertas, até o dia 2 de outubro, as inscrições para o processo seletivo de acadêmicos de Enfermagem que desejam participar da Liga de Busca Ativa da Organização de Procura de Órgãos e Tecidos para Transplantes (OPO), que funciona no Hospital Getúlio Vargas (HGV).

A inscrição é gratuita e será no Núcleo de Educação Permanente (NEP), nos horários da manhã e tarde; sendo exigida a apresentação da declaração de matrícula e período em curso. Podem participar alunos de universidades públicas e de faculdades particulares conveniadas com o HGV, que estejam cursando o sétimo ou oitavo período. O NEP fica localizado no 3ª andar do Prédio Administrativo do HGV

Segundo o coordenador de Enfermagem da OPO, Gilson Cantuário, serão oferecidas sete vagas. "Os escolhidos passarão por um curso de capacitação de 180 horas para que possam atuar na busca de potenciais doadores de órgãos e tecidos para transplante”, enfatiza Gilson.

A Organização de Procura de Órgãos e Tecidos (OPO) é a parte operacional da Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos do Piauí (CNCDO-PI). Tem o objetivo de realizar atividades de procura e identificação de potenciais doadores, falecidos e/ou com morte encefálica, de múltiplos órgãos (rins e fígado) e tecidos corneanos.

Confira aqui o edital.

Curso de capacitação · 21/09/2017 às 11h24 | Última atualização em 21/09/2017 às 11h36

FMS é parceira de curso realizado pela Universidade Federal Fluminense


Compartilhar Tweet 1



O auditório da Fundação Municipal de Saúde (FMS) será palco nesta quinta (21/09) e sexta-feira (22/09) da modalidade presencial nas capitais do Curso de Aperfeiçoamento em Gerência de Unidades Básicas de Saúde, Gestão da Clínica e do Cuidado realizado pela Universidade Federal Fluminense, em parceria com o Departamento de Atenção Básica (DAB/SAS/MS).

O curso acontece nos turnos manhã e tarde e tem o objetivo de formar gestores do Sistema Único de Saúde no Brasil. Ao todo, 15 servidores da Fundação Municipal de Saúde participam do curso presencial na capital do Piauí. Outros profissionais de saúde, de outros órgãos de saúde e outras cidades, também participam.

Os profissionais estão sendo capacitados para aprimorar o processo de trabalho das equipes e contribuir com a melhoria da qualidade dos serviços na Atenção Básica e com a organização das redes de atenção à saúde.

A carga horária total do curso, que é semipresencial, é de 180 horas com três encontros presenciais, tendo como público-alvo profissionais de nível superior na área da saúde que estejam atuando em atividades de natureza gerencial em Unidades Básicas de Saúde.

  Foto: AsCom

 

Alteração normativa · 21/09/2017 às 11h16 | Última atualização em 21/09/2017 às 11h29

Servidores estaduais poderão compensar até 30 minutos de atraso


Compartilhar Tweet 1



O secretário de Estado da Administração e Previdência, Franzé Silva, expediu instrução normativa sobre o sistema de controle do ponto eletrônico biométrico na administração pública estadual. Com isso, o registro de entrada considerado como atraso, poderá ser compensado, desde que não exceda a 30 minutos, devendo ser realizado no mesmo dia, permanecendo o servidor no local de trabalho pelo tempo referente ao atraso.

A universalização do ponto eletrônico, interligando os sistemas de ponto ao da folha de pagamento possibilitou à Secretaria da Administração e Previdência controlar, de maneira eficiente, a frequência dos servidores.

De acordo com Franzé Silva, o maior ganho dessa interligação dos sistemas foi a redução significativa de afastamentos e a prestação de serviços público com mais eficiência e qualidade.

“Observamos que a dinâmica de serviço melhorou bastante depois dessa ação de universalização do ponto eletrônico no Piauí, o que fez com que pudéssemos dar celeridade aos processos e controlar de maneira eficiente a frequência dos servidores”, destacou o secretário.

A alteração da instrução normativa passa a vigorar a partir da data de publicação do Diário Oficial do Estado (19/09). O servidor que cumpre carga horária de 7h30 às 13h30, por exemplo, poderá chegar até às 8h e compensar os 30 minutos, saindo do local de trabalho às 14h.

“Não é que agora eu vá chegar atrasada ao meu serviço, mas pode acontecer imprevisto, principalmente para mim que dependo de transporte público e poder compensar os minutos de atraso, para mim é maravilhoso”, comemorou a servidora Francisca das Chagas.

A partir da interligação dos dois sistemas citados, as ausências não justificadas na forma da legislação vigente passaram a acarretar ao servidor a perda da remuneração dos dias ou horas em que faltou ao serviço, proporcionalmente. O objetivo do governo é continuar seguindo os princípios da administração pública, da legalidade, impessoalidade, moralidade e eficiência.

Rosa Maria é servidora do Estado há 31 anos e diz que essa medida é uma questão de valorização ao servidor. “Vejo como valorização do servidor. Procuro sempre desempenhar bem meu trabalho com responsabilidade e sabemos que contratempo acontece. É bom saber que há essa atenção e que podemos compensar o atraso sem precisar ser penalizados na folha de pagamento”, disse a servidora.

Acompanhamento de Frequência On-line

A consulta ao ponto eletrônico funciona de maneira semelhante à consulta ao contracheque on-line. No sitehttp://www.pontoeletronico.pi.gov.br.

Por meio desse é possível visualizar e imprimir o registro de frequência (as batidas). Para ter acesso à frequência, basta o servidor ter em mãos o número de matrícula e o CPF.

Durante a consulta, o servidor pode escolher o período ao qual deseja acessar. As batidas realizadas no dia serão disponibilizadas em até 48 horas. Já, as batidas não processadas estarão disponibilizadas em 24 horas.

O Sistema de Ponto Eletrônico é utilizado para o controle de gestão de pessoal com informações de frequência e lotação de servidores em tempo real.

Produção do setor aumentou 26% · 21/09/2017 às 10h45 | Última atualização em 21/09/2017 às 11h22

Fruticultura tem valor de produção recorde em 2016, com R$ 33,3 bilhões


Compartilhar Tweet 1



A fruticultura nacional registrou no ano passado recorde no valor de produção, com total de R$ 33,3 bilhões, de acordo com a pesquisa Produção Agrícola Municipal (PAM 2016), divulgada hoje (21/09) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), “Foi o maior valor de produção da série histórica iniciada em 1974”, destacou a engenheira agrônoma Larissa Leone Isaac Souza, supervisora da pesquisa. Em relação a 2015, o valor da produção do setor aumentou 26%.

As frutíferas são compostas por 22 produtos, incluindo lavouras temporárias (abacaxi, melancia e melão) e permanentes (abacate, banana, caqui, castanha de caju, coco-da-baía, figo, goiaba, laranja, limão, maçã, mamão, manga, maracujá, marmelo, noz, pera, pêssego, tangerina e uva).

As maiores altas do valor na produção em 2016 foram registradas nas culturas de limão (52%), laranja (47,2%), banana (43,4%) e maçã (25,8%). Em valores absolutos, a liderança é da laranja, que concentra 25,1% do valor de produção, com R$ 8,4 bilhões; e da banana (25%), com valor de produção de R$ 8,3 bilhões.

O estado de São Paulo respondeu por 30,9% do valor de produção nacional da fruticultura, o que significou R$ 10,3 bilhões, com destaque para a cultura da laranja (59,2%). Por municípios, a liderança ficou com Petrolina (PE).

Algodão

O levantamento do IBGE mostra que o algodão em caroço apresentou, em 2016, queda na produção pelo segundo ano consecutivo. A produção totalizou 3,5 milhões de toneladas, 13,6% abaixo de 2015, com área colhida de 996,2 mil hectares. “Os dois maiores produtores de algodão em caroço, que são Mato Grosso e Bahia, foram atingidos pelo (fenômeno climático) El Niño”, disse Larissa Souza.

O primeiro município produtor de algodão no país é Sapezal (MT). Segundo a pesquisadora, apesar de estar em Mato Grosso, a área “escapou das adversidades climáticas e teve até um acréscimo de produção de 18,1%”. O segundo colocado, São Desidério (BA), foi fortemente prejudicado pelas intempéries e teve queda de 27,3% na produção.

Arroz

A produção de arroz em casca no ano passado somou 10,6 milhões de toneladas, queda de 13,7% em relação a 2015. A área plantada (2 milhões de hectares) e a área colhida (1,9 milhão de hectares) caíram 7,3% e 9,1%, respectivamente.

A produção do grão está concentrada na Região Sul do Brasil, que responde por 80,4% do total nacional. O Rio Grande do Sul concentra, sozinho, 70,5% de todo o arroz em casca produzido no país, com 7,5 milhões de toneladas.

O valor de produção dessa cultura em 2016 chegou a R$ 8,7 bilhões, aumento de 1% sobre o ano anterior. O município gaúcho de Uruguaiana liderou o ranking de produtores nacionais, com 678,3 mil toneladas, 9,8% inferior à do ano anterior.

Café

Após três quedas consecutivas na produção, o cultivo do café em grão teve alta, com retorno da chamada bienalidade positiva, que havia sido perdida em 2014. Em 2016, segundo o IBGE, a produção subiu 14% em relação a 2015, somando 3 milhões de toneladas, incluindo cafés do tipo arábica (2,5 milhões de toneladas), que representa 84,4% da produção nacional; e canephora (470,7 mil toneladas), que respondeu por 15,6% da produção brasileira. Segundo Larissa Souza, essa foi a segunda maior produção registrada na série histórica, atrás apenas de 2012, quando atingiu 3,3 milhões de toneladas.

O valor de produção do café em 2016 foi de R$ 21,4 bilhões, aumento de 34,6% em comparação ao ano anterior. O maior produtor, por estados, foi Minas Gerais, com regiões altas e frias, principalmente na parte sudoeste, favoráveis ao cultivo de café arábica. O segundo posto ficou com o Espírito Santo, com áreas baixas e quentes, que favorecem a produção do café canephora.

Larissa Souza esclareceu que a bienalidade alterna um ano de alta e outro de baixa. Devido à forte seca registrada em Minas Gerais e no Espírito Santo em 2014, a alta esperada naquele ano não se concretizou. “Quebrou a bienalidade positiva. Ficamos 2013 com baixa produção, que já era esperada; 2014, que era para ser alta, foi baixa; e 2015, que era baixa esperada. Somente em 2016 que voltou”. As chuvas regulares voltaram a ocorrer no ano passado na época de floração e isso normalizou a bienalidade, segundo a engenheira agrônoma.

O Brasil é o maior produtor mundial de café, de acordo com a Organização Internacional do Café (ICO, do nome em inglês). Em Minas Gerais, a produção totalizou 1,8 milhão de toneladas, 36,3% a mais que no ano anterior. Segundo a pesquisadora do IBGE, dos 20 maiores produtores nacionais de café em grão, 13 são mineiros, sendo que o principal é Patrocínio, com 91,7 mil toneladas e valor de produção de R$ 687,5 milhões.

O segundo produtor nacional de café foi o Espírito Santo, com 515,4 mil toneladas e valor de R$ 3,3 bilhões, apesar da queda de 16,6% na produção em relação a 2015 evido à falta de água no período da floração para irrigação.

Cana-de-açúcar

Em 2016, segundo o IBGE, a produção nacional de cana-de-açúcar atingiu 768,7 milhões de toneladas, com crescimento de 2,5%. A área colhida (10,2 milhões de hectares) aumentou 1,1%, e o valor de produção subiu 18,3%, para R$ 51,6 bilhões.

A Região Sudeste concentrou 67,3% do total produzido no país, com 517,6 milhões de toneladas. São Paulo continua sendo o maior produtor nacional de cana, com 57,5% da produção. Foram produzidas no estado, no ano passado, 442,3 milhões de toneladas, com valor de produção de R$ 27,6 bilhões. O acréscimo na produção no estado foi de 4,5%. Goiás ocupou a segunda colocação, com 71,1 milhões de toneladas (queda de 1,4%) e valor de produção de R$ 5,9 bilhões. Goiás produz 9,2% do total brasileiro.

Por município, o maior produtor de cana do país é Rio Brilhante (MS), com 8,5 milhões de toneladas e valor de produção de R$ 629,2 milhões. Em seguida, aparece Morro Agudo (SP), com 7,9 milhões de toneladas e valor de produção de R$ 501,2 milhões.

Feijão

Somando as três safras do ano de feijão em grão, foram produzidos no Brasil, em 2016, 2,61 milhões de toneladas, queda de 15,4% em relação a 2015 por causa da influência do fenômeno El Niño. Já o valor de produção subiu 61,5%, totalizando R$ 9,7 bilhões. Durante o ano passado, segundo Larissa Souza, o preço da saca de 60 quilos de feijão ultrapassou R$ 550.

Embora a produção de feijão seja bem distribuída no país, a predominância é do Paraná, que concentrou 22,6% do total nacional em 2016, com 590,3 mil toneladas e valor de produção de R$ 1,8 bilhão. O estado do Sul é seguido por Minas Gerais (20%) e Goiás (12,6%). Por municípios, Itapeva (SP) aparece na primeira colocação entre os produtores de feijão, com 86 mil toneladas e valor de produção de R$ 290,5 milhões.

Laranja

Principal produtor e exportador de laranja do mundo, em 2016, o Brasil produziu 17,2 milhões de toneladas da fruta, 1,8% a mais que no ano anterior. A área colhida foi de 659 mil hectares e o valor de produção teve expansão de 47,2%, alcançando R$ 8,4 bilhões.

Segundo o IBGE, houve redução na área dedicada à laranja na última década, devido ao avanço da cana-de-açúcar em São Paulo. “Vai tirando as lavouras velhas de laranja do campo e ocupando com cana, além de fatores como doenças e elevado custo da produção”, explicou a supervisora da pesquisa.

São Paulo continua sendo o maior produtor nacional de laranja, 74,5% do total em 2016, com 13 milhões de toneladas e valor de produção de R$ 6,1 bilhões. Por municípios, a maior produção foi registrada em Casa Branca (SP), com 694 mil toneladas.

Milho

O milho foi fortemente afetado pela seca provocada pelo El Niño, segundo o IBGE. A produção do milho em grão somou 64,1 milhões de toneladas, com queda de 24,8% na comparação com o ano anterior. A lavoura é dividida em duas safras, sendo que a segunda concentrou 61,9% da produção total. “Nessa safra, a quebra foi de 29,5%, a menos produzida”, ressaltou a pesquisadora.

O valor de produção nacional somou R$ 37,7 bilhões, elevação de 26,5%. A saca do milho chegou a ser comercializada por R$ 53,91, em média. “É bem expressivo porque, geralmente, fica na casa dos R$ 10 a R$ 20”, comparou Larissa Souza.

O cultivo do milho no país é concentrado na Região Centro-Oeste. Mato Grosso continuou como maior produtor, com 15,3 milhões de toneladas (apesar da queda de 28,2%) e valor de produção de R$ 7,7 bilhões. A maior produção foi registrada em Sorriso (MT), com 1,83 milhão de toneladas (menos 30% que em 2015) e valor de R$ 891,4 milhões.

Soja

A produção nacional de soja em grão, em 2016, foi de 96,3 milhões de toneladas, redução de 1,2%, também influenciada pelo El Niño. O valor de produção alcançou R$ 104,9 bilhões, 3% maior que o registrado em 2015. Os maiores produtores foram Mato Grosso, Paraná e Rio Grande do Sul, que concentraram 61,8% do total produzido nacionalmente no ano passado.

Em Mato Grosso, líder no cultivo do grão, a produção totalizou 26,3 milhões de toneladas, com valor de produção de R$ 27,5 bilhões. Sorriso (MT) foi o principal produtor entre os municípios, com 1,7 milhão de toneladas e valor de produção de R$ 1,9 bilhão.

Feriados dos dias 12 e 19/10 · 21/09/2017 às 10h36 | Última atualização em 21/09/2017 às 11h09

IPMT Praia: inscrições para feriados de outubro começam na próxima terça (26)


Compartilhar Tweet 1



O Instituto de Previdência do Município (IPMT) abrirá inscrições para estadia no IPMT Praia para os servidores municipais nos feriados de Nossa Senhora Aparecida, dia 12, e Dia do Piauí, 19 de outubro. 

 As inscrições iniciam na próxima terça-feira (26/09) e prosseguem até o dia 28 de setembro, no horário de 7h30 às 13h, no prédio do IPMT, localizado na rua Firmino Pires, número 379, sul, edifício Saraiva Center. O sorteio acontecerá no dia 29 de setembro no mesmo local onde foram efetuadas as inscrições. 

Para se inscrever, o servidor deverá comparecer levando a cópia do último contracheque e carteira do IPMT Saúde, sendo permitida apenas uma inscrição por servidor. Qualquer dúvida pode ser tirada pelo número 3215-7577.

 Os valores das diárias variam de acordo com a taxa salarial e com o apartamento escolhido. Para apartamentos com capacidade de hospedar cinco pessoas o valor varia de R$ 27 a R$ 45. Já os apartamentos com capacidade para 10 pessoas variam de R$ 37,50 a R$ 55,50.

 De acordo com a administradora da colônia de férias, Francisca Barbosa, o IPMT Praia funciona durante todo o ano. “Nossa colônia de férias está disponível para os servidores durante o ano todo, caso alguém queira se hospedar em baixa temporada é só procurar o IPMT a partir do primeiro dia útil do mês”, pontuou.

Em parceria com a UESPI · 21/09/2017 às 09h32 | Última atualização em 21/09/2017 às 09h38

Seman apresenta resultado de análise de praças e ruas durante o Fórum Novo Centro


Compartilhar Tweet 1



A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semam), em parceria com a Universidade Estadual do Piauí (Uespi), fez a apresentação de um levantamento das áreas que devem passar por melhorias, incluindo análises de seis praças e onze ruas do centro durante o painel temático no Fórum Novo Centro de Teresina. O plano de reabilitação do centro da nossa cidade envolve intervenções em aspectos como a arborização e espaços públicos, temática que foi discutida durante a manhã desta quarta-feira (20/09) no Fórum Novo Centro Teresina. O evento é resultado da ação coletiva de órgãos da Prefeitura de Teresina, visando propor, junto à sociedade civil, um debate sobre as estratégias de revitalização da região.

Praças como a Marechal Deodoro da Fonseca (Bandeira), Demóstenes Avelino (Fripisa), Conselheiro Saraiva e João Luís Ferreira foram avaliadas em diversos aspectos, focando tanto nos pontos positivos quanto negativos desses espaços. Dentre eles a catalogação das espécies arbóreas, as condições fitossanitárias das árvores, análise de porte e diâmetro de copa, danos de podas, canteiros, bancos, temperatura e umidade relativa do ar.

A Praça Saraiva foi a que apresentou condições mais positivas no que diz respeito ao microclima, chegando a ser registrado três graus inferiores às demais praças nos mesmos horários da avaliação. Por isso, esta deve ser utilizada como modelo para as outras praças do centro da cidade nesse aspecto.

Já nas ruas, a exemplo da Simplício Mendes (Calçadão), Rui Barbosa e Álvaro Mendes foram analisados fatores como ilhas de convivência, lixeiras, condições do pavimento e garantia da acessibilidade. No Calçadão foi verificado, por exemplo, a existência de algumas ilhas de convivência, mas que precisam ser otimizadas e aplicadas em outros pontos do centro.

O debate sobre essas análises e propostas foi mediado pelo secretário da Semam, Olavo Braz, e professora Dra. Roselis Machado (Uespi), que também esclareceram as dúvidas do público do painel temático, espaço que agregou estudantes e profissionais de diversas áreas.

“A nossa intenção é potencializar o que existe de positivo e minimizar o que se tem de negativo no centro da cidade. As áreas verdes, a exemplo das praças, possuem diversas funções importantíssimas para população e que devem ser melhoradas. Dentre esses pontos positivos podemos citar a questão da redução das ilhas urbanas de calor, conservação da biodiversidade, o embelezamento, o bem estar psicossocial e a educação ambiental”, pontua o secretário Olavo Braz.

  Foto: AsCom

 

No evento, que encerrou no fim da tarde, também forão debatidos temas como “estacionamento e carros”, “moradia e multiuso”, “mobilidade do centro”, “economia”, “patrimônio histórico e cultura” “segurança, políticas integradas e assistência social”.