Geral

Relações Exteriores e Defesa · 11/01/2013 às 23h33

Heráclito e Parlamentares prestigiam tropas brasileiras no Haiti

Eles chegaram ao Haiti no momento em que o país lida com os estragos causados por furacões


Compartilhar Tweet 1



A comitiva de senadores da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) que viaja em missão por países do Caribe e da América Central chegou a Porto Príncipe, capital do Haiti, no domingo (7). O objetivo da visita, explicou o chefe da delegação e presidente da CRE, senador Heráclito Fortes (DEM-PI), é prestigiar as tropas brasileiras que coordenam missão de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) na região desde 2004. Atualmente, há 1.200 militares brasileiros no Haiti.

Os parlamentares chegaram ao Haiti no momento em que o país lida com os estragos causados pelos furacões Gustav e Hanna e, agora, pelo Ike, que atinge cidades do norte. O presidente do Haiti, René Préval, reuniu-se no domingo com representantes do Brasil, dos Estados Unidos, da França e do Canadá para pedir ajuda na reconstrução de pontes que foram derrubadas pelo Ike, ocorrência que deixou isoladas cidades ao norte do país. No sábado (6), o governo brasileiro anunciou que enviará US$ 100 mil de auxílio humanitário de emergência à população haitiana.

Os parlamentares desembarcaram no Aeroporto Internacional Toussaint Louverture, na capital Porto Príncipe, e foram acompanhados por escolta da ONU até a base militar brasileira General Bacellar, onde ficam hospedados. No primeiro dia, os senadores visitaram outras instalações militares brasileiras no Haiti: Forte Nacional e Base Raquel de Queiroz.

Sempre sob escolta da ONU, os parlamentares visitaram ainda o bairro mais pobre de Porto Príncipe, Cité Soleil, onde vivem cerca de 400 mil pessoas. Os senadores passaram pelas vielas do bairro sem presenciar cenas de violência e o comboio da ONU foi saudado pela população. Muitos haitianos pediram, em português, comida aos militares e parlamentares.

Os senadores assistiram na base militar a palestras sobre a atuação brasileira no Haiti. O comandante da Base, coronel Pedro Antônio Fioravante, contou aos parlamentares que, quando as tropas brasileiras chegaram a Porto Príncipe, encontraram a cidade tomada por guerras de gangues rivais, com lixo ocupando as ruas e o leito de rios. Viram pelas ruas de Porto Príncipe corpos em decomposição e cães vadios alimentando-se de cadáveres humanos. Grande parte da população não podia deixar suas casas por causa da violência.

Segundo o coronel Fioravante, a situação hoje está sob controle e a violência foi contida. Os militares transitam sem maiores problemas por toda a cidade. Os pelotões de engenharia auxiliam a população local em obras de limpeza e infra-estrutura.

Nesta segunda-feira (8), último dia da viagem da comissão, os parlamentares se encontrarão com senadores haitianos e com a primeira-ministra do país, Michele Duvivier Pierre-Louis. Além de Heráclito Fortes, fazem parte da comitiva os senadores Marco Antônio Costa (DEM-TO), Virgínio de Carvalho (PSC-SE), Geraldo Mesquita Júnior (PMDB-AC) e o embaixador José Marcus Vinícius Sousa, que representa o Poder Executivo na delegação. Os senadores já visitaram a Guiana, o Panamá, a Jamaica e a República Dominicana e retornam ao Brasil na noite da segunda-feira.

No Haiti, a população se vê privada de serviços básicos. O país tem Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 0,529, o que o deixa na 146ª posição entre 177 países. De acordo com o Ministério das Relações Exteriores (MRE), "a permanente crise política destruiu as já precárias condições, as estruturas produtivas e comerciais do país e 40% da receita haitiana vem da remessa de imigrantes ilegais que vivem no exterior". Ainda de acordo com o MRE, cerca de 52% dos haitianos estão abaixo da linha da pobreza e a desnutrição crônica afeta 51% da população. A expectativa de vida no país é de 52,4 anos.

Fonte: Agência Senado