Pela primeira vez · 02/08/2017 - 15h27

Paratleta do Ceir representa o Piauí em São Paulo; 50 metros peito e livre

Paratleta do Ceir representa o Piauí em São Paulo; 50 metros peito e livre


Compartilhar Tweet 1



O Ceir Esportes é uma marca que tem sido aposta do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir) e revelado talentos do paratletismo piauiense. Pela primeira vez, um paratleta da instituição irá representar o Piauí na etapa Nacional do Circuito Loterias Caixa, que acontece neste final de semana em São Paulo.

É o Marcos Jeane, que estreou neste ano na etapa Norte-Nordeste do Circuito Loterias Caixa, que aconteceu em abril no Recife, conquistando três medalhas de ouro na natação e a classificação para a etapa Nacional. “Quando eu comecei na natação, a tinha somente como uma terapia. Hoje eu a tenho como um incentivo a buscar sempre mais e a superar os meus próprios limites”, diz Marcos Jeane, de 24 anos, que aos 18 teve as pernas e braços amputados por conta de complicações de uma meningite.

O Circuito Loterias Caixa é o mais importante evento paralímpico de atletismo, natação e halterofilismo do país, organizado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro e patrocinado pelas Loterias Caixa. Somente na etapa Norte-Nordeste da competição, paratletas do Ceir já conquistaram 28 medalhas, sendo 17 ouros, 8 pratas e 3 bronzes.

“Em todas as vezes que competimos, nossos atletas se classificaram para a etapa Nacional, mas por falta de apoio não conseguíamos seguir na competição. Mas desta vez, com o apoio da Fundespi e da Seid, o Marcos tem sido a nossa aposta”, comenta o treinador Childerico Robson.

O paratleta irá competir neste sábado (05/08), no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, nos 50 metros peito e livre. E terá o último treino nesta quinta-feira (03/08), no Centro Integrado de Reabilitação.

Ceir Esportes

É na capoeira, natação, basquete em cadeira de rodas, futebol para amputados – além do tiro com arco e parabadminton, atividades desenvolvidas com parceiros –, que pacientes, pessoas com deficiência físico-motora e intelectual, têm se transformado em paratletas, com o sonho de chegar ao lugar mais alto do pódio e têm chegado. No Ceir, o esporte tem revelado grandes talentos, que conquistam mais do que medalhas e títulos: a superação de desafios e os seus próprios limites.


Fonte: Com informações da CCOM