180graus

Tecnologia está em alta - 22/07/2014 às 07h02

Sabe quais são as 10 carreiras com os maiores salários para jovens no exterior?

CASA DE PRAIA
Galaxy

As três profissões com maior remuneração para jovens profissionais com ensino superior, nos Estados Unidos, estão ligadas à área de tecnologia.

Engenharia elétrica, desenvolvimento de software e engenharia mecânica são as carreiras com os salários mais altos para recém-formados em 2014, segundo um levantamento da Payscale em parceria com o site Business Insider.

A lista foi feita com base nos salários médios de cada profissão, incluindo comissões, bônus, participação nos lucros e outras formas de remuneração.

O grupo analisado compreende jovens profissionais com até dois anos de experiência.

Veja a tabela abaixo com a lista das dez carreiras que pagam mais aos jovens nos Estados Unidos:

cats.jpg

Fonte: Com informações da Exame

Publicado Por: Nataniel Lima

Gerando novos empregos - 20/07/2014 às 08h56

Teresina é a 15ª cidade do Brasil que mais contratou no 1º semestre de 2014

CASA DE PRAIA
Galaxy

Apenas 13 cidades concentraram 25% das vagas formais criadas no primeiro semestre no Brasil, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho. Em todo o país, as contratações formais superaram as demissões em 588.671. Em junho, foram 25.363 postos de trabalho criados – no pior resultado para o mês em 16 anos.

Das vagas abertas nos seis primeiros meses do ano, 150,6 mil – 25,6% do total – foram criadas em treze cidades: São Paulo, Brasília, Curitiba, Goiânia, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Altamira (PA), Santa Cruz do Sul (RS), Franca (SP), Joinville (SC), Belo Horizonte, Lauro de Freitas (BA) e Blumenau (SC). A cidade de São Paulo continua na liderança do ranking, com 48,4 mil novos postos de trabalho abertos de janeiro a junho, seguida por Brasília, (13,8 mil) e por Curitiba (13,3 mil).

Na classificação por estado, São Paulo foi o que mais abriu vagas, com 187 mil. Minas Gerais ficou em segundo lugar, com 97,5 mil, e o Paraná ficou em terceiro, com 62,9 mil no saldo de contratações.

Demissões
Entre as cidades que mais demitiram, Ipojuca (PE) liderou com folga: foram mais de 11 mil cortes em postos de trabalho no semestre, como resultado do fim das obras no porto de Suape. Completam a lista das cinco que mais demitiram Coruripe (AL), Manaus, Santa Rita (PB) e Contagem (MG).

Das cinquenta cidades que mais demitiram, 13 são alagoanas e outras 13, pernambucanas. Cinco são capitais de seus estados: Salvador, Maceió, Porto Velho, Manaus e São Luis.

Confira abaixo as listas das 50 cidades que mais geraram postos de trabalho no primeiro semestre de 2014 e as 50 que mais demitiram no período (nesse caso, é enumerado o saldo de vagas, ou seja, a diferença entre contratações e demissões).

50 CIDADES QUE MAIS CONTRATARAM NO 1º SEMESTRE:
São Paulo: 48.392
Brasília (DF): 13.756
Curitiba (PR): 13.266
Goiânia (GO): 12.632
Porto Alegre (RS): 8.841
Rio de Janeiro (RJ): 8.485
Altamira (PA): 7.150
Santa Cruz do Sul (RS): 7.141
Franca (SP): 6.740
Joinville (SC): 6.468
Belo Horizonte (MG): 6.118
Lauro de Freitas (BA): 5.896
Blumenau (SC): 5.758
Duque de Caxias (RJ): 5.044
Campos dos Goytacazes (RJ): 4.748
Teresina (PI): 4.728
João Pessoa (PB): 4.724
Aracaju (SE): 4.698
Bebedouro (SP): 4.617
Rio Grande (RS): 4.379
Petrolina (PE): 4.302
Venâncio Aires (RS): 4.243
Guarulhos (SP): 4.057
Natal (RN): 4.045
Olinda (PE): 4.020
Itajaí (SC): 4.002
São José do Rio Preto (SP): 3.973
Maringá (PR): 3.901
Canaã dos Carajás (PA): 3.778
Nova Serrana (MG): 3.734
Cascavel (PR): 3.676
Uberlândia (MG): 3.658
Ribeirão Preto (SP): 3.609
São José (SC): 3.295
Pontal (SP): 2.951
Londrina (PR): 2.890
Juazeiro (BA): 2.881
Caxias do Sul (RS): 2.872
Botucatu (SP): 2.848
Itaguaí (RJ): 2.812
Sorocaba (SP): 2.784
Fortaleza (CE): 2.673
Mogi das Cruzes (SP): 2.537
Florianópolis (SC): 2.508
Niterói (RJ): 2.505
Campo Grande (MS): 2.441
Cristalina (GO): 2.378
Goianésia (GO): 2.363
Brusque (SC): 2.353
Serra (ES): 2.345

50 CIDADES QUE MAIS DEMITIRAM NO 1º SEMESTRE:
Ipojuca (PE): -11.537
Coruripe (AL): -7.062
Manaus (AM): -6.261
Santa Rita (PB): -4.237
Contagem (MG): -4.177
Rio Largo (AL): -3.680
São Bernardo do Campo (SP): -3.509
Baia Formosa (RN): -3.160
Três Lagoas (MS): -3.044
Rio Formoso (PE): -3.034
Cabo de Santo Agostinho (PE): -3.022
Salvador (BA): -3.007
Atalaia (AL): -2.860
Sirinhaém (PE): -2.451
Imperatriz (MA): -2.396
Igreja Nova (AL): -2.201
São Miguel dos Campos (AL): -2.180
São José da Laje (AL): -2.121
Diadema (SP): -2.073
Barra de Guabiraba (PE): -2.066
Escada (PE): -2.056
São Luis do Quitunde (AL): -1.915
Urucânia (MG): -1.905
Vicência (PE): -1.849
Boca da Mata (AL): -1.808
Pelotas (RS): -1.797
Lagoa do Itaenga (PE): -1.757
Igarassu (PE): -1.741
Goiana (PE): -1.731
Campo Alegre (AL): -1.728
São Jose dos Pinhais (PR): -1.696
Porto Real (RJ): -1.661
Camutanga (PE): -1.657
Ipubi (PE): -1.618
Teotônio Vilela (AL): -1.594
Tamandaré (PE): -1.555
Porto Velho (RO): -1.552
Capela (SE): -1.542
Mariana (MG): -1.520
Cruz Alta (RS): -1.451
Rio Tinto (PB): -1.421
Anchieta (ES): -1.413
Brumado (BA): -1.404
Sobral (CE): -1.375
São Luis (MA): -1.368
Acailândia (MA): -1.365
Jequiá da Praia (AL): -1.362
Colônia Leopoldina (AL): -1.300
Taubaté (SP): -1.271
Maceió (AL): -1.270

Fonte: Com informações do G1 Concurso

Publicado Por: Nataniel Lima

45% SE SENTREM INCOMODADOS - 17/07/2014 às 18h00

Colegas que falam demais são o que mais atrapalham o trabalho, diz estudo

Galaxy
CASA DE PRAIA

Pesquisa da consultoria de mobilidade de talentos Lee Hecht Harrison apontou que profissionais que conversam muito durante o trabalho são o maior incômodo para os colegas dentro da empresa. A situação ficou até à frente dos e-mails e das chamadas telefônicas, que são conhecidas por atrapalharem a produtividade.

O estudo feito com 848 trabalhadores norte-americanos, por meio de uma votação on-line em abril deste ano, perguntou: "O que você acha mais incômodo ou mais te distrai no trabalho?" Em primeiro lugar ficou a opção: colegas de trabalho tagarelas, com 45%.
Em seguida aparecem: e-mails (18%), odores (9%), chamadas telefônicas (8%), barulho ambiente (6%), design do escritório (5%), nada (5%) e tecnologia (4%).

"Conversas no corredor ou breves paradas pelo escritório para um bate-papo podem render enormes benefícios em termos de colaboração, geração de novas ideias, criando confiança e aumentando a produtividade. No entanto, muita conversa também pode ser uma distração, como a nossa pesquisa constatou", afirma Jim Greenway, vice-presidente executivo de marketing e vendas de eficácia da Lee Hecht Harrison.

"Somos criaturas sociais e nosso sucesso no trabalho depende de nossa capacidade de se comunicar", reforça Greenway.

Segundo Greenaway, distrações acontecem quando o colega que conversa muito não tem consciência do que faz e não consegue entender os limites. "Esse tipo de colega não tem ideia de como ele é irritante. É importante estar ciente das coisas que dizemos e fazemos. Devemos prestar atenção às pistas não verbais e definir os limites que respeitam o tempo dos colegas", fala.

Greenaway ressalta que cabe a cada profissional assumir a responsabilidade por seu comportamento no ambiente de trabalho e reconhecer quando suas ações irritam outras pessoas. Segundo ele, o desenvolvimento do autoconhecimento é a chave para assumir a responsabilidade.

"Se a pessoa com que o trabalhador estiver falando estiver batendo os dedos com impaciência, olhando para o relógio ou tiver um olhar angustiado, é o momento de ajustar o comportamento e encerrar a conversa imediatamente", sugere.

Fonte: Com informações do G1 Concurso

Publicado Por: Nataniel Lima

Salários lá em cima - 17/07/2014 às 07h00

Quer sair do Brasil e trabalhar ganhando bem? Veja o país que oferece 192 vagas

Galaxy
CASA DE PRAIA

Uma boa chance de carreira pode estar te esperando na Austrália. O Departamento de Imigração australiano acaba de divulgar uma lista oficial com todos os profissionais em demanda no país para o próximo ano.

São 192 carreiras ao todo, que abrangem desde profissões na área de engenharia até dentistas, médicos e enfermeiros. Isso porque, assim como o Canadá, a Austrália é um dos países que mais importa profissionais de fora para trabalhar por falta de mão de obra local.

As oportunidades são válidas tanto para quem está se formando quanto para trabalhadores que já estejam consolidados no mercado. Algumas ocupações podem requerer avaliações de competências e habilidades.

Além de pagar bons salários e oferecer qualidade de vida, o governo australiano afirma que garante todos os direitos trabalhistas e proteção ao profissional, possibilitando a entrada no país através de vários tipos de vistos temporários e permanentes.

Se você se encaixa em uma das profissões em demanda, terá a possibilidade de aplicar para um visto de residência australiana ou ter mais chances de conseguir um trabalho em sua área.

A Skilled Occupations List (SOL) é válida desde julho desse ano até julho de 2015. Ao se identificar com uma das vagas disponíveis, é preciso entrar em contato com a autoridade que irá avaliar os candidatos (identifique a instituição de sua área na coluna Assessing Authority).

Na página do órgão o internauta pode se informar sobre tipos de vistos, cidadania, processos seletivos e outras dúvidas sobre o assunto. O site do Departamento de Imigração ainda informa que há cobrança de taxas para realização das avaliações.

Fonte: Com informações da Exame

Publicado Por: Allisson Paixão

TEM EM TODA EQUIPE DE TRABALHO - 15/07/2014 às 18h01

Veja 7 casos que aconteceram na Copa e que podem ocorrer em seu trabalho

Sua equipe de trabalho tem um funcionário encrenqueiro que dá resultado, como Suárez, o goleador mordedor que acabou suspenso da Copa? Ou ela está à sombra de uma estrela, como a Argentina, de Messi? Você já chorou no trabalho, feito o goleiro Júlio César? O G1 "levou" situações vividas pelas seleções da Copa para o ambiente de trabalho e ouviu craques em gestão, para saber como lidar com esses casos no dia a dia.

Quem opina é Eduardo Ferraz, consultor em gestão de pessoas, Irene Azevedo, diretora de negócios da consultoria LHH|DBM, e João Marco, diretor da Michael Page. Veja abaixo como eles avaliam cada situação.

1) Suárez, o funcionário problema que entrega resultados

suarez-chiellini.jpg

Fundamental para o Uruguai, o atacante Luis Suárez acabou suspenso da Copa após morder o jogador Chiellini, da Itália. Foi a terceira vez que o atleta se envolveu nesse tipo de episódio. Suárez é um "funcionário" encrenqueiro que dá resultado. Como lidar com ele? Vale a pena manter alguém assim na equipe de trabalho?

Eduardo Ferraz: No ambiente corporativo não é possível contar com alguém que, apesar de genial ou de entregar ótimos resultados, causa constrangimento por comportamentos inadequados com frequência. É muito mais efetivo investir na equipe como um todo do que em indivíduos talentosos, mas problemáticos.

Irene Azevedo: Cabe ao líder encaminhar para tratamento, quando necessário, e solicitar ao RH ajuda para a solução deste problema. Mas não há resultado que justifique um comportamento que cause danos a outros e ao próprio profissional. Se não se dá tratamento e acompanhamento, ele não se desenvolverá e corre o risco de ter sua carreira deteriorada.

João Marco: É preciso avaliar se o comportamento do profissional pode ser corrigido e melhor orientado com uma gestão mais próxima, treinamento e direcionamento da carreira. Se a postura não mudar, não acredito que valha o investimento. Mas, caso haja mudanças positivas, acredito que um profissional que entrega bons resultados tem que ser preservado.

2) Tem um Messi na sua equipe: há espaço para alguém mais?

messi-nigeria.jpg

O próprio treinador da Argentina, Alejandro Sabella, já assumiu, em entrevista, que o time é dependente de Messi. Considerado por três vezes o melhor do mundo pela Fifa, o argentino foi peça-chave em todas as vitórias da seleção nesta Copa. Messi chegou a criticar o esquema tático da equipe e Sabella mudou, mas disse que o fez por convicções próprias. Como será chefiar uma equipe com uma estrela como esta? E como deve ser a convivência em um time que tem um Messi?

Eduardo Ferraz: A maioria as pessoas aceita muito bem trabalhar ao lado de gênios “do bem”. O que as pessoas odeiam é trabalhar com gente talentosa, mas intragável.

Irene Azevedo: O bom líder deve privilegiar a equipe. Quando o líder tem uma situação desta, a melhor estratégia é valorizar a equipe e deixar claro que ninguém é maior que ela. É logico que estrelas tem que ser valorizadas, mas a equipe tem que vir sempre em primeiro lugar.

João Marco: O chefe tem que dar espaço e ajudá-lo, mostrando os caminhos. Mas, ao mesmo tempo, deve mostrar os riscos de ser a "estrela", ou seja, toda a responsabilidade que ele tem.

3) Chorar no trabalho pode?

julio_cesar_1.jpg

Os jogadores brasileiros se emocionaram durante a Copa: teve lágrima durante o hino e em momentos críticos, como as de Julio Cesar antes dos pênaltis que decidiram a classificação para as quartas de final. Apesar do choro antes das cobranças, o goleiro pegou duas cobranças e saiu como herói. Afinal, chorar no trabalho pega mal? Demonstrar fragilidade ou desabafar diante dos colegas compromete o funcionário?

Eduardo Ferraz: Mais atrapalha do que ajuda. A vida profissional é a soma de milhares de pequenas decisões, acertos e erros. Pessoas maduras (isso nem sempre tem a ver com idade) têm como característica marcante o autocontrole na maioria das situações difíceis

João Marco: Pode ajudar ou atrapalhar, varia de pessoa para pessoa. Alguns usam isso como força ao desabafar e soltar o peso, mas outros acabam sentindo a pressão e não conseguem retomar o controle emocional.

Irene Azevedo: A questão não é chorar ou não chorar, a questão é como eu, profissional, estou me sentindo e como encaro minhas emoções internas. Medo, tristeza, raiva, ciúmes são sentimentos que todos temos e quando temos consciência deles e podemos lidar com eles, aí sim, estamos maduros e tiramos o melhor de todas as situações.

4) Neymar, estreante com imensa responsabilidade

2014-06-28t232144z_10069300.jpg

Longe de ser um jogador novato, Neymar tem tanta responsabilidade na seleção brasileira que muitos esquecem que ele está em sua primeira Copa. Aos 22 anos, ele estreia no maior torneio do mundo, sob os olhos de milhões de pessoas, com a expectativa de entregar ótimos resultados. Como é um funcionário tão jovem consegue carregar tamanha carga? Como o chefe deve liderar alguém assim?

João Marco: Com muita proximidade. Não se pode esquecer que, por mais talentoso que o profissional seja, a maturidade e a experiência vêm com acertos e erros. É importante que ele passe por tudo isso e crie a resiliência necessária para aprender com esses momentos.

Eduardo Ferraz: Nas empresas, os jovens talentos devem ser preparados aos poucos, sem exagero nas cobranças enquanto eles não estiverem preparados. Muito treinamento e um bom mentor auxiliam muito neste processo.

Irene Azevedo: Para que tem um nível de entrega “fora da curva”, é necessária uma atenção maior do líder, para manter as motivações. Por exemplo, há pessoas que se motivam por serem sempre desafiadas e outras que querem equilíbrio de vida pessoal e profissional. Então, se um profissional com esse perfil é responsável por um grande projeto, é dever do líder verificar se as motivações estão sendo atendidas, para garantir maior produtividade.

5) Como um grupo se recupera de um tombo como o da Espanha?

spain-reu.jpg

As tradicionais Espanha, Inglaterra, Itália e Portugal foram eliminadas ainda na primeira fase da Copa do Mundo. Atual campeã, a seleção espanhola amargou uma goleada da Holanda no primeiro jogo e outra derrota, para o Chile, no segundo, que cravou a desclassificação. Como uma equipe deve encarar um fracasso tão grande? De quem é a culpa?

Eduardo Ferraz: Os principais responsáveis pelo sucesso ou fracasso são os líderes e eles devem, sim, assumir o ônus da mesma forma quando ganham o bônus. Nas empresas é o mesmo princípio. Projetos fracassados precisam ser avaliados e corrigidos.

João Marco: Tem que avaliar o projeto e identificar os erros. No trabalho em equipe todos ganham e perdem juntos.

Irene Azevedo: Quando os resultados não acontecem o protagonismo é fundamental. O time deve olhar para seu desempenho, verificar o que não fez e identificar o que deve fazer para chegar aos resultados.

O papel do líder, então, é de mostrar também os pontos fortes da equipe e fazê-los entender que o melhor caminho é o do protagonismo.

6) Mensagens motivacionais funcionam?

scolari_felipao_get.jpg

Nos dias de jogos da seleção brasileira, Felipão envia mensagens motivacionais ao grupo. Uma carta é colocada por baixo da porta dos quartos dos jogadores. Esse tipo de ação ajuda, de fato, os funcionários?

Irene Azevedo: Neste caso, a carta é um símbolo de cuidado com os jogadores, de pensar num tema que sirva de apoio a eles. Quando um líder mostra aos seus liderados que se importa com todos e faz ações na direção de incentivá-los, ele estará incentivando o time e com isto cria um espírito de equipe e terá resultados.

Eduardo Ferraz: O discurso só vale quando é acompanhado pelo exemplo. Nas empresas, o discurso puramente motivacional é muitas vezes ridicularizado pela equipe e às vezes tem efeito contrário. O que funciona na prática é a meritocracia: ganha mais quem produz mais e ajuda os outros a produzirem também.

João Marco: Acredito na gestão transparente e pelo exemplo. O líder que consegue exercer esse tipo de gestão vai, em 90% dos casos, fazer com que sua equipe trabalhe unida e em busca dos objetivos traçados.

7) Ainda não é um "titular" no trabalho? Paulinho e Fernandinho não se intimidaram

paulinho-penaltis.jpg

Reserva no início da Copa, Fernandinho ganhou a posição de Paulinho após se sair bem ao substituí-lo no 2º tempo do jogo contra Camarões, ao fim da 1ª fase. Acabou escalado entre os titulares contra o Chile, nas oitavas. No mesmo jogo, Paulinho foi dos que mais incentivaram o time antes das cobranças de pênaltis. Com o colete de reserva, ele se posicionou no centro da roda, diante de jogadores e de Felipão, e tomou a palavra. Os dois mostraram que, mesmo sem ser "titular" na equipe, é possível ser mais que um coadjuvante?

Eduardo Ferraz: Muitas vezes, há funcionários que trabalham muito e aparecem pouco. Algumas dessas pessoas não serão chefes e nem terão muito destaque, mas são importantíssimas e devem ser valorizadas, principalmente por meio de elogios públicos, treinamentos específicos ou novas oportunidades como projetos desafiadores.

Esta é a máxima do marketing pessoal: ter visibilidade e, é lógico, entregar resultados consistentes"

Irene Azevedo:
Para ser notado, é importante estar sempre disposto a ajudar, principalmente se o assunto for crítico. Esta é a máxima do marketing pessoal: ter visibilidade e, é lógico, entregar resultados consistentes. Hoje, com a pressão por resultados, quem não entrega o prometido tem que estar alerta, porque será cobrado e alguém vai pagar o pato.

João Marco: Os "carregadores de piano" têm papel fundamental em qualquer companhia. Quando você tem uma equipe/time na mão, todos conhecem seus objetivos. E quando não está entregando os resultados esperados (dentro de uma gestão transparente), o profissional que deixa sua posição para uma outra pessoa sabe que precisará trabalhar mais e melhor para recuperar seu prestígio e espaço dentro da equipe.

Fonte: Com informações do G1

Publicado Por: Nataniel Lima

Carregando, por favor aguarde...
Últimas Notícias
04h40 'Sofro só de pensar', diz Fernanda Gentil sobre cobrir Copa do Mundo de 2018 04h24 Jornalista leva fama de protegida de Silvio Santos e gera revolta no SBT 04h31 Em quatro anos, Globo perde quase 30% de audiência no último capítulo das novelas 03h49 Globo cogita Ana Furtado para cobrir viagem de Ana Maria Braga 03h31 'Arena SBT' não resiste e é cancelado; 'Caso Encerrado' está de volta 03h01 Após ‘Império’, Leandra Leal migra para a direção e será codiretora de seriado 02h57 6° ‘Arraiá das Cumade’ acontece nesta sexta-feira (25) 02h53 Volta às aulas: Professores participam de encontro para um melhor desempenho no 2º semestre 02h44 II Rock Oeiras é sucesso e bandas oeirenses enriqueceram festival 01h45 42ª edição do Festival de Gramado exibirá último filme de José Wilker 01h27 Pela primeira vez, Márcio Garcia mostra foto do quarto filho, João 01h20 Leilão de Nelores da 39ª ExpoCorrente bate recorde 01h14 Agricultores participam de palestra sobre Horta Orgânica promovida pela EMATER durante ExpoCorrente 01h04 Contra plásticas, Mariana Lima dispara: 'Bonito é ser natural' 00h56 Novo troca-troca começa a ter paredes levantadas 00h53 Dia 27/07: Agende a sua consulta! 00h50 Asfalto chega a Rua Ceará em Parnaíba 00h06 Caso no TCE-PI mostra que até na Lei Fiscal existe brecha para o tal 'jeitinho brasileiro' 00h04 Bombardeios de Israel em Gaza já mataram 121 crianças, diz Unicef 00h02 Morre em São Paulo o fundador da Brastemp; problemas no pulmão 00h01 Deputada dá carona a advogada black bloc; Assembleia quer cassação 23h56 PSB esconde Marina de propagandas de Eduardo Campos 23h55 Município deve adequar centro de saúde para acesso de deficientes 23h35 TJMA aumenta em 15% o número de processos julgados em 2014 23h32 Equipes treinam para Corrida Cross Country
Curso in company
ControlX
ControlX

Enquete

Você acha que o Dunga vai fazer realmente um bom trabalho de volta ao cargo de técnico da Seleção Brasileira ou sai antes mesmo da Copa 2018?

Total de Votos: 14

Válida de 22/07/2014 a 29/07/2014

Mais lidas

    TELHAS MAFRENSE
    IRRITEC
    CONSTRUTORA HIDROS

    180graus no Instagramno Instagram