Categoria faz reinvindicações · 06/03/2017 - 16h38

Trabalho da Guarda Municipal pode ser interrompido; falta cumprir a lei

Trabalho da Guarda Municipal pode ser interrompido; falta cumprir a lei


Compartilhar Tweet 1



Representantes do Sindicato dos Guardas Municipais de Teresina (Sindcgm-THE) comunicaram ao 180 que o trabalho da Guarda Municipal pode ser interrompido por falta adequações na estrutura. As reivindicações são várias, em especial as que se referem ao salários e gratificações. 

O presidente alega que não é pago algumas das gratificações obrigatórias, como risco de vida, adicional noturno e periculosidade. Segundo ele, em outras cidades, o valor pago é bem diferente, a exemplo da cidade de Timon, no Maranhão, vizinha a capital piauiense. Ele também compara o que é pago aos servidores da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) em Teresina.

“Hoje a gente ganha cerca de R$ 1.169, o salário é baixo, se você for comparar com Timon, Recife ou outras cidades eles ganham cerca de R$ 3 mil e alguma coisa, a gente foi cobrar as gratificações que a lei diz que são obrigatórias, risco de vida, adicional noturno e periculosidade”, afirmou ele.

Ele relata ainda que, quando se reuniu junto ao delegado Samuel Silveira, secretario da Semtcas (Secretária Municipal do Trabalho, Cidadania e Assistência Social), órgão ao qual a Guarda será vinculada, mas não teve resposta satisfatória.

“Ele falou que não tem previsão para dar as gratificações este ano, alegou que o prefeito está cortando gastos, que estão demitindo estagiários, terceirizados, a prefeitura está sem recursos e não deu uma posição de quando a gente vai ter essas gratificações”, pontua o presidente.

Ainda falou sobre as dificuldades de estrutura, como viaturas melhor equipadas, a ausência de rádio para se comunicarem ou de motos para o patrulhamento e ainda da qualidade de materiais que disponibilizam.

"As viaturas não tem 'giroflex', em uma perseguição é difícil darem passagem, pois a identificação do carro é difícil, também não temos motos e nem rádios, se não tivermos créditos para nos comunicarmos fica difícil e as bicicletas já se encontram com defeitos", disse ele.

O presidente do sindicato também alerta para a população, temendo que esta possa não entender o motivo das exigências tão cedo, haja vista que os trabalhos da guarda se iniciaram há pouco tempo. Ele diz que as gratificações são impostas por lei, que estas tem que ser cumpridas e que os valores deveriam estar inclusos aos contracheques desde o início dos trabalhos. A categoria está completamente insatisfeita com o problema.

“Nós nem precisaríamos reivindicar, porque essas gratificações são impostas por lei, elas são obrigatórias, já deveriam estar inclusas no nosso salário desde o inicio, mas como não está, o jeito é a gente procurar secretario pra conversar. Dos 96 guardas em serviço atualmente, é unânime a insatisfação”, afirma o presidente do Sindgcm-THE.

Ele ressalta que o trabalho da guarda municipal e faz muito necessário ao bem estar dos teresinenses. A equipe da guarda possui um relatório extenso sobre fatos ocorridos na capital, onde foram apreendidos simulacros, armas brancas, várias apreensões de drogas além apreensão ambiental.

Veja também:
Atuando há quase um mês, guardas municipais cobram melhorias; veja

Guarda Municipal ganha a confiança da população apesar das limitações