Novidade no mundo animal · 27/04/2016 às 10h59

Conheça o Sarmientosaurus, o novo dinossauro 'argentino'

Conheça o Sarmientosaurus, o novo dinossauro 'argentino'


Compartilhar Tweet 1



Cientistas descobriram que o fóssil de um crânio e pescoço encontrado na Patagônia pertence a uma nova espécie de dinossauro herbívoro gigante que viveu há 95 milhões de anos.

Há 95 milhões de anos, um gigantesco dinossauro de cerca de dez toneladas, com grandes olhos e excelente visão caminhava pelo Sul da Argentina.

O Sarmientosaurus musacchioi costumava andar com a cabeça baixa, em busca das plantas rasteiras que eram seu alimento. Apresentado pelos cientistas nesta terça-feira, em um estudo na revista PLOS One, o novo dinossauro foi descrito a partir do fóssil de um crânio e pescoço descoberto na Patagônia, na Argentina.

As características dos vestígios encontrados em 1997 revelaram sutis diferenças em relação aos integrantes já conhecidos da família dos titanossauros, à qual os fósseis pertencem. Os cientistas perceberam, então, que estavam diante de um novo animal.

"Descobertas como a do Sarmientosaurus acontecem uma vez na vida", disse o biólogo Rubén Martínez, da Universidade Nacional da Patagônia San Juan Bosco, na Argentina, e um dos autores do estudo, em comunicado. "Por isso estudamos os fósseis com tanto afinco, para aprender o máximo possível sobre esse maravilhoso animal."

Dinossauro 'argentino' - Os titanossauros são um grupo de grandes dinossauros herbívoros, com espécies que vão do peso de uma vaca até o de um cachalote. Os pesquisadores acreditam que o novo animal não seja dos maiores e tenha tido, em média, em torno de 12 metros de comprimento e cerca de dez toneladas. Os titanossauros têm pescoço comprido e longas caudas.

Analisando os detalhes do fóssil, os cientistas encontraram um focinho mais largo e dentes maiores que os de outros membros da família. O crânio possui órbitas amplas, o que sugere que o animal tinha grandes olhos e, provavelmente, uma visão melhor que a de seus parentes. A estrutura interna do ouvido parece ser feita para perceber sons de baixa frequência, o que pode ajudar a perceber predadores ou mesmo o movimento de outros dinossauros de seu grupo. A cabeça, muito pequena, com pouco mais de 43 centímetros, guardava um cérebro pouco maior que uma ameixa.

O nome do novo dinossauro é uma referência à cidade de Sarmiento, na Argentina, próxima de onde foram encontrados os fósseis. A espécie, musacchioi, é uma homenagem ao paleontólogo Eduardo Musacchio, professor da Universidade Nacional da Patagônia, morto em 2011.

De acordo com os cálculos dos cientistas, ele viveu durante o período Cretáceo (entre 145 milhões e 65 milhões de anos atrás), época em que os titanossauros eram o grupo de grandes herbívoros mais comuns no hemisfério Sul.

Fonte: Veja