Teens

NA versão HQ Black · 16/05/2020 - 17h30 | Última atualização em 16/05/2020 - 17h46

Viúva Negra: origem da heroína tem contornos mais trágicos nos quadrinhos

“Nenhuma Viúva Negra pode jamais ter um filho”


Compartilhar Tweet 1



Nos filmes do Universo Cinematográfico Marvel (UCM), vimos que a Viúva Negra tinha um passado bem triste por conta do treinamento para se tornar uma assassina. Além disso, ela também se tornou incapaz de ser mãe. As origens dela nos quadrinhos, claro, são bem parecidas, apesar de ter contornos ainda mais trágicos. As informações são do Ei Nerd. 

Várias origens da heroína já foram mostradas nos quadrinhos da Marvel, mas vamos abordar a que foi retratada na HQ Black Widow: Homecoming, lançada em 2004.

Nessa série, Natasha Romanoff descobre mais detalhes do processo de manipulação e lavagem cerebral que ela passou na Sala Vermelha para se tornar uma assassina. Não demora muito para ela confrontar Lyudmila Kudrin, a antiga líder do projeto e “mãe” das participantes.

Kudrin explica para Natasha que o programa tirou de suas agentes a capacidade de terem filhos em troca de envelhecimento retardado e um sistema imune reforçado.

Ainda segundo a cientista, na teoria, as assassinas podem engravidar, mas essa melhora no sistema imune faz com que os anticorpos considerem a gravidez uma doença e resulte em um aborto espontâneo.

“Nenhuma Viúva Negra pode jamais ter um filho”, afirmou Kudrin.

Nem é preciso dizer que essa conversa entre as duas logo se transformou em uma discussão que envolveu a disputa entre capitalismo e comunismo e escalou para violência e morte.

Se você tem uma memória boa, já imagina que essa versão da origem, provavelmente, foi adaptada para os cinemas, mas com as devidas mudanças para se encaixar no ambiente mais familiar do UCM.

Em Vingadores: Era de Ultron, Natasha diz para Bruce Banner que filhos seriam uma distração para as assassinas. Mas diferente dessa versão dos quadrinhos, as agentes apenas passam por uma cirurgia para se tornarem inférteis, que até simboliza a “graduação” de suas participantes.

Em outras palavras: para os cinemas, a Marvel optou por tirar a questão do aborto espontâneo, algo que seria trágico e cruel demais.

Ainda assim, vale lembrar que o filme solo da heroína estreia no final do ano. Será que essa versão da origem ainda pode dar as caras? Só o tempo nos dirá.


Comentários