Diretor de Os Vingadores · 18/01/2022 - 09h46

Joss Whedon rebate acusações do elenco de Liga da Justiça; “Warner perdeu fé em Snyder”


Compartilhar Tweet 1



    Reprodução

O cineasta norte-americano Joss Whedon se pronunciou pela primeira vez a respeito das acusações de abuso e má conduta feitas por diversos membros de elenco e equipe de Liga da Justiça (2017). Em perfil publicado na revista New York e no site Vulture, Whedon negou as afirmações e disse ter sido chamado pela Warner para “corrigir o filme”. As informações são do Jovem Nerd.

Whedon assumiu a direção do longa após a saída de Zack Snyder, que se afastou após a morte da filha, Autumn. O diretor de Os Vingadores (2012), inicialmente, ficaria responsável por concluir a produção, mas acabou reescrevendo e refilmando boa parte do longa, incluindo uma drástica mudança de tom.

O autor do texto afirma que, a princípio, “os executivos disseram que ele (Whedon) iria apenas reescrever e aconselhar, mas logo ficou claro que eles haviam perdido a fé na visão de Snyder e queriam que Whedon assumisse controle total.”

Um dos acusadores mais expressivos de Whedon é o ator Ray Fisher, intérprete do Ciborgue no filme de 2017. Entre outras coisas, Fisher afirma que Whedon alterou a cor de seu personagem no filme para uma tonalidade mais clara (Fisher e o Ciborgue são negros), além de ter importância consideravelmente reduzida na trama, em comparação com a versão original de Zack Snyder.

Em resposta às afirmações de Fisher, Whedon afirma ter “aumentado o brilho de tudo na pós-produção, incluindo todos os rostos.” O cineasta também diz ter diminuído a participação do ator no filme por “a história não fazer nenhum sentido lógico e a atuação de Fisher ser ruim.”

O perfil da Vulture afirma que, supostamente, as reações da plateia a exibições teste de Liga da Justiça antes da chegada de Whedon confirmavam que Ciborgue seria “o pior personagem do filme”. Ele conclui que “nenhuma das acusações que Fisher fez na mídia são verdadeiras ou dignas de discussão (…) Estamos falando de uma força malévola. Um mau ator nos dois sentidos.”

Até o momento, Ray Fisher ainda não se pronunciou sobre as alegações, mas as acusações do ator foram apoiadas por outros membros do elenco. Gal Gadot, intérprete da Mulher Maravilha, afirmou em maio de 2021 que Whedon teria “ameaçado sua carreira caso ela questionasse diálogos e cenas do filme.”

Whedon rebateu a acusação citando uma falha de comunicação com a atriz israelense:

“Quem faz isso? (ameaçar a carreira de outra pessoa) Inglês não é a língua principal dela, e eu tendo a ser irritantemente pomposo na minha fala.”

Em e-mail enviado ao Vulture, Gadot afirma apenas que “entendeu perfeitamente” o cineasta.

Acusações de abuso no set também foram feitas por elenco e equipes de outras produções feitas por Joss Whedon, como Firefly e Buffy – A Caça-Vampiros.

A versão original da Liga da Justiça de Zack Snyder, com 4 horas de duração, foi lançada para streaming em março de 2021, atraindo altos números para o streaming HBO Max.

Comentários