De baixa órbita · 25/05/2022 - 09h08

SpaceX vai lançar dois satélites brasileiros nesta quarta-feira


Compartilhar Tweet 1



    Reprodução Twitter

A SpaceX, empresa do bilionário Elon Musk, vai levar ao espaço dois satélites brasileiros. O lançamento está marcado para esta quarta-feira (25/05), às 15h25, no Centro Espacial Kennedy, em Cabo Canaveral, nos Estados Unidos. A Força Aérea Brasileira (FAB) acompanhará o evento de Brasília. As informações são do R7.

Os satélites possuem dimensões de 1 m³ e pesam 100 kg cada. São cinco painéis solares com 3.000 W de potência. Os equipamentos foram batizados de Carcará I e Carcará II.

De acordo com a empresa norte-americana, os satélites-radar de sensoriamento remoto (SRR), que serão lançados por meio do foguete Falcon 9, são de baixa órbita, uma especialidade da SpaceX, e terão capacidade de visualização entre as nuvens, predominantes na Amazônia ocidental na maior parte do tempo.

Os satélites têm maior facilidade para identificar metais com precisão, o que poderá colaborar com a fiscalização de garimpos ilegais. Como as imagens captadas não são processadas em tempo real, os equipamentos serão usados para definir estratégias de inteligência.

O projeto, chamado de Lessonia, consiste na aquisição de uma constelação de satélites de órbita baixa. De emprego dual, visam atender às necessidades operacionais das Forças Armadas, do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia, bem como de agências governamentais.

O sistema de imageamento do projeto utiliza um sensor ativo de detecção capaz de gerar imagens de altíssima resolução, que podem ser obtidas a qualquer hora do dia ou da noite, independentemente das condições meteorológicas, uma vez que o sinal emitido atravessa as nuvens. Dessa forma é possível realizar o monitoramento continuado de áreas de interesse do Brasil, segundo a FAB.

As imagens captadas serão utilizadas em apoio ao combate ao tráfico de drogas e à mineração ilegal, atualização de produtos cartográficos, determinação da navegabilidade dos rios, visualização de queimadas, monitoramento de desastres naturais, vigilância da Zona Econômica Exclusiva e apoio às operações de vigilância e controle das fronteiras.

"Buscando cumprir plenamente o programa estratégico de sistemas espaciais, no futuro, também está prevista a implantação de um conjunto de satélites, de fabricação nacional, para obtenção de imagens óticas. Ele complementará a capacidade do Ministério da Defesa de imagear o território nacional, atendendo, assim, a todas as demandas", diz a força.

Musk e Bolsonaro

Recentemente, o dono da SpaceX se reuniu com o presidente da República, Jair Bolsonaro. Em encontro realizado na última sexta-feira (20) em um hotel de luxo no interior de São Paulo, Bolsonaro chamou Musk de "mito da liberdade" e disse que o anúncio da compra do Twitter pelo bilionário, suspensa de forma temporária, é um "sopro de esperança".

"O mais importante da presença dele [Elon Musk] é algo que é imaterial. Hoje em dia, poderíamos chamá-lo de mito da liberdade. É aquilo que nos fará falta para qualquer coisa que porventura possamos pensar no futuro", disse o presidente.

"E um exemplo disso, que ele nos deu há poucos dias, quando se anunciou a compra do Twitter, para nós aqui foi como um sopro de esperança", continuou. “O mundo todo passa por pessoas que têm a vontade de roubar a liberdade de todos nós, e a liberdade é a semente do futuro."

Na ocasião, o empresário, que é o homem mais rico do mundo, anunciou que pretende usar seus satélites para conectar 19 mil escolas na Amazônia e monitorar o meio ambiente na região. "Superanimado por estar no Brasil para o lançamento do Starlink para 19.000 escolas desconectadas em áreas rurais e monitoramento ambiental da Amazônia", escreveu Musk nas redes sociais.

A Starlink é uma empresa de tecnologia via satélite de alta velocidade da SpaceX, uma de suas companhias, e possui mais de 2.000 satélites lançados, cobrindo quase todo o planeta.

A vinda de Musk ao Brasil foi costurada por Fábio Faria, ministro das Comunicações. No fim do ano passado, ambos se encontraram para discutir eventual parceria entre a SpaceX e o governo brasileiro para conectar escolas em áreas rurais e fortalecer a proteção da Amazônia.

 

PostMídia (99) 8175-5041

Comentários