"ferramenta de vigilância" · 08/07/2020 - 09h22

Depois da Índia, EUA cogitam banir TikTok e outros aplicativos chineses


Compartilhar Tweet 1



O TikTok e outros 58 aplicativos chineses foram banidos pela Índia no final de junho sob alegações de riscos à privacidade dos usuários. Agora, os serviços também poderão ser impactados por uma decisão dos Estados Unidos. De acordo com o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, o país também considera banir as plataformas chinesas. As informações são do Tecnoblog.

“Estamos levando isso muito a sério e certamente estamos analisando”, afirmou Pompeo em entrevista nesta segunda (06/07). Ele citou casos de Huawei e ZTE, que também foram alvos de sanções dos EUA, e afirmou sem dar mais detalhes que não quer se adiantar à decisão do presidente americano, Donald Trump.

“Trabalhamos nessa questão há muito tempo”, continuou. “No que diz respeito aos aplicativos chineses nos celulares das pessoas, posso garantir que os EUA também farão o correto”. Além de EUA e Índia, a Austrália cogita banir o TikTok devido a acusações de que a rede social é usada como ferramenta de vigilância do governo chinês.

Comentar
Será vendido separadamente · 04/07/2020 - 17h16

Apple analisa possível retirada de carregadores de iPhones


Compartilhar Tweet 1



O ano de 2020 promete marcar importantes mudanças na Apple. Rumores recentes apontam que a companhia de Cupertino pode retirar os carregadores e fones de ouvido da caixa do iPhone 12 para baratear os custos do aparelho, medida essa que também pode afetar o iPhone SE (2020). As informações são do Canaltech.

Apesar de a notícia ter causado uma certa revolta em muitos consumidores, que ao comprarem um novo dispositivo terão de desembolsar a mais para ter o acessório, a empresa, na verdade, ainda não tomou uma decisão oficial.

Um dos motivos que corroboram com isso é a pesquisa que a companhia da maçã começou a liberar para alguns usuários na semana passada, questionando os consumidores sobre o que fazem com seus carregadores antigos. A apuração foi feita pelo site MacMagazine, que teve o feedback de leitores diferentes.

Ao que tudo indica, o levantamento está sendo direcionado a pessoas bem específicas, uma vez que a Apple sabe exatamente qual o smartphone atual do usuário, como é possível observar na imagem abaixo compartilhada por Gustavo Alves Reis (@Gunstaxl), que possui um iPhone XR atualmente, em seu perfil no Twitter.

Comentar
Representantes comerciais · 02/07/2020 - 15h36

TIM busca parceiros para atuarem com médios clientes no Nordeste


Compartilhar Tweet 1



A TIM busca parceiros comerciais para operarem no segmento Enterprise (médias empresas) atendendo todos os estados na região Nordeste, exceto o Maranhão. A parceria é destinada a representantes comerciais, empresários, comerciantes ou investidores que queiram atuar na área de vendas neste ramo e  representarem a TIM, uma marca forte no segmento de Telecomunicações para o mercado corporativo.

“O mercado de médias empresas no Nordeste é muito expressivo e demanda alta conectividade, além de apresentar alguns dos principais hubs de tecnologia do país, sendo sete em Pernambuco, focados em inovação. O histórico econômico também nos mostra a relevância da região. Na série de 16 anos das contas regionais do IBGE, que vai de 2003 a 2019, o PIB do Nordeste cresceu acima da média durante 11 anos. Para 2020, está previsto um desempenho ligeiramente melhor do que o Brasil, segundo estudo da consultoria Datamétrica, que aponta crescimento de 2,9% da região, quando o consenso do mercado para a expansão do PIB brasileiro está em 2,2%”, comenta Sandro Cortez, Diretor de Vendas Coporate Solutions Leste e Nordeste da TIM Brasil.

A TIM reestruturou o canal para oferecer mais benefícios, bonificações, campanhas de incentivo e remunerações mais atrativas, e o parceiro comercial poderá trabalhar de forma remota, realizando as visitas aos clientes pelas principais ferramentas digitais. Este modelo permite que o parceiro conte com todo o apoio necessário como baixo investimento inicial, sem custos de estoque, carteira exclusiva de clientes, suporte e wokshops e um executivo de negócios TIM focado no desenvolvimento do seu negócio.

A TIM também tem desenvolvido ofertas mais vantajosas para este segmento. Recentemente, lançou o TIM Black e traz aplicativos ilimitados, como Facebook, Instagram, Twitter, WhatsApp, Waze, Facebook Messenger, além do WhatsApp Business, produtos e serviços diferenciados, portfólio convergente e soluções completas de fixa avançada, móvel e banda larga. Outra facilidade é que os aparelhos podem ser divididos em até 24 vezes na fatura e há opção em comodato (com empréstimo de aparelho sem custo).

Comentar

Compartilhar Tweet 1



A atualização 86 do Google Chrome removeu todas as opções do navegador que forçavam um modo escuro na web. A função tentava aplicar “na marra” tons de preto e cinza às páginas, nem sempre com bons resultados. As informações são de Canaltech.

A remoção aconteceu tanto na versão 86 Canary (de testes) para Android quanto para PCs. As opções estavam escondidas dentro da tela de configurações chrome://flags. A edição regular do navegador – em versão 83 na data de publicação do texto –, ainda oferece a opção.

Verdade seja dita, o recurso nunca funcionou de maneira adequada, muitas vezes reduzindo a legibilidade das páginas ou quebrando o layout dos sites.

 

 

Comentar

Compartilhar Tweet 1



Pesquisa realizada pelo Departamento de Psiquiatria da Escola Paulista de Medicina (EPM/Unifesp), sobre a exposição excessiva às telas de computador, televisão, celular tablet ou videogame mostrou que mais de 55% das crianças avaliadas faziam as refeições assistindo televisão, e 28% passavam longos períodos utilizando mídias de tela. Além disso, o uso excessivo de mídia de tela aumentou o risco de as crianças apresentarem habilidades motoras pobres, acentuou a inatividade física e diminuiu as horas de sono. O estudo abrangeu 900 crianças em idade pré-escolar, de 4 a 6 anos.

    Reprodução

Para a pesquisa foram entrevistados pais ou responsáveis que responderam a questionário para determinar o perfil de atividade física e duração de sono da criança. As perguntas englobaram informações sobre os níveis de atividade física das crianças, número de horas de sono durante a noite e o dia, uso da mídia de tela e hábitos de uso. Para o tempo de uso das mídias de tela havia quatro opções de resposta: menos de 1h por dia; mais de 1h por dia até menos de 2h por dia; 2h por dia; ou mais de 2h por dia.

“As crianças realizaram uma avaliação motora completa, com testes como manuseio de objetos, andar em linha reta, pular, ficar na ponta dos pés, imitação de gestos, noções de direita e esquerda, repetir frases e reprodução de estímulos visuais e auditivos”, explicou a fisioterapeuta e doutoranda do Departamento de Psiquiatria da EPM/Unifesp, que conduziu a pesquisa, Erika Felix.

De acordo com Érika, o aumento do risco de comprometimento das habilidades motoras em função do uso excessivo das telas se justifica pelo fato de que a infância é um período crucial para o desenvolvimento motor e cognitivo e é significativamente influenciada pelo ambiente.

“Assim, recomenda-se que crianças de até 11 anos realizem pelo menos 60 minutos de atividade física por dia, tenham 2 horas ou menos de uso de mídia de tela de lazer por dia e durmam de 9 a 11 horas por noite”, disse.

Com a chegada da covid-19 no Brasil e a necessidade do isolamento social, as atividades ficaram limitadas e as crianças aumentaram o uso desses equipamentos. Segundo o levantamento, crianças de todas as idades passavam, em média, cerca de 3 horas de seus dias nas telas antes desta crise, período que passou para 6 horas, número que pode ser até maior, de acordo com a pesquisadora.

“Temos que fazer o que é prático e possível no momento para sobreviver, e isso inclui, também para as crianças, em ter mais tempo de tela. Mas a supervisão dos pais é de extrema importância, enfatizando que o tempo na tela não deve substituir a atividade física e o sono suficiente para todos”, concluiu a fisioterapeuta.


Fonte: Agencia Brasil
Comentar

Compartilhar Tweet 1



Uma falsa promoção que prometia a entrega gratuita de um almanaque da Turma da Mônica levou 91 mil pessoas a serem vítimas de um golpe em apenas 24 horas, de acordo com dados do dfndr lab, o laboratório de segurança digital da PSafe. Usando um método já conhecido, mas bastante popular e efetivo, criminosos usavam o WhatsApp para disseminar uma tentativa de roubo de dados focada em pais com filhos pequenos em casa. As informações são do Canaltech.

O alerta sobre o caso acompanhou detalhes da fraude que acontece por meio do WhatsApp. Os bandidos usam o nome do Instituto Maurício de Sousa para citar uma falsa distribuição gratuita de cópias do Super Almanaque Turma da Mônica, Edição Estude em Casa. Bastaria um cadastro para que os responsáveis fossem elegíveis e era aí que o golpe acontecia.

Ao clicarem no link que chegava pelo mensageiro, as vítimas eram levadas a uma página que simula a aparência dos sites oficiais dos personagens, trazendo também imagens do próprio almanaque e mais informações sobre a suposta promoção. Informações como nome completo, cidade, estado e idade da criança que vai receber o livro são solicitadas, e na sequência, o compartilhamento da oferta para mais contatos no WhatsApp faz com que o usuário se torne elegível a receber o brinde.

Comentar
Sociedade mais inclusiva · 25/06/2020 - 21h22

#OrgulhoConecta: TIM celebra a diversidade no mês do Orgulho LGBTI+


Compartilhar Tweet 1



A TIM valoriza e apoia a diversidade para construção de uma sociedade cada vez mais inclusiva. Por isso, a operadora preparou uma série de ações que celebram o Dia do Orgulho LGBTI+ (28/06) e incentivam o diálogo nas suas redes sociais e canais internos para que mais pessoas conheçam, entendam e combatam a LGBTfobia. A iniciativa conta com a participação de influenciadores em uma ação digital com o mote #OrgulhoConecta, além de um evento online para debater os desafios da comunidade LGBTI+ no mercado de trabalho.

“Promover ações educativas e de combate à discriminação faz parte da evolução de uma cultura sempre mais inclusiva. As iniciativas para celebrar o Dia do Orgulho LGBTI+ reforçam a importância do respeito às pessoas e da não tolerância a qualquer tipo de discriminação. É importante refletir e dar suporte a iniciativas concretas para superar as dificuldades que essa comunidade enfrenta também no mercado de trabalho”, explica Maria Antonietta Russo, VP de Recursos Humanos da TIM Brasil.

O evento virtual TIM Convida: Orgulho LGBTI+ acontecerá no dia 26 de junho, às 15h, com transmissão no canal da operadora no YouTube (youtube.com/timbrasil). Participam Reinaldo Bulgarelli, Secretário Executivo do Fórum de Empresas e Direitos LGBTI+; Maite Schneider, co-fundadora da TransEmpregos; Lucas de Abreu Maia, jornalista e cientista político; e Consuelo Cruz, editora de conteúdo do canal GNT e uma das líderes do grupo de afinidade étnico-racial do Grupo Globo. A mediação será do influenciador digital AD Júnior. O grupo conversará sobre os desafios e conquistas de pessoas LGBTI+ no mercado de trabalho e como as empresas podem colaborar para promover a inclusão no ambiente corporativo. Pesquisa do LinkedIn e Opinion Box, por exemplo, mostrou que 35% dos profissionais LGBTI+ afirmam ter sofrido discriminação no emprego e mais da metade não se sente confortável em expor sua orientação sexual ou identidade de gênero no trabalho.


Fonte: Assessoria
Comentar

Compartilhar Tweet 1



O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, assinou nesta segunda-feira (22), em Brasília, a portaria interministerial que cria o programa Inova HFA. A iniciativa, que tem participação também do Ministério da Defesa e do Ministério da Saúde, vai atuar na testagem e validação de tecnologias inovadoras para uso posterior em todo o sistema de saúde do país. A ideia é que o Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília, atue como uma incubadora e aceleradora desses projetos.

O ministro Marcos Pontes destacou a parceria que já existe entre o MCTI e o HFA com o uso do robô Laura, que por meio de inteligência artificial monitora pacientes internados e emite alertas à equipe médica com antecedência de 10 horas em casos de deterioração clínica. Ele também ressaltou o papel da ciência e tecnologia no setor de saúde.

“Além do robô Laura, a ideia é que tenhamos outros tipos de sistemas e o desenvolvimento de equipamentos que ajudem pacientes, médicos e profissionais de saúde. As ações de ciência e tecnologia para a área de saúde são primordiais para o país. Com um convênio como esse, a gente tem o desenvolvimento de soluções em conjunto com o hospital, médicos e gestores, o que traz o sentido prático do uso dessas tecnologias para o país”, afirmou.

Já o comandante logístico do Hospital das Forças Armadas, general Rui Matsuda, explicou que o incentivo à inovação será feito por meio da cooperação entre governo, empresas e academia. A iniciativa faz parte de um projeto maior para a criação de um hospital inteligente.

“Entenda-se o Inova HFA como a transformação do hospital em um importante laboratório para incubar e acelerar projetos de pesquisa de inovação para atender a demanda do sistema de saúde nacional. Ele já nasce com um desafio, ser o cerne para o protótipo de um hospital digital e inteligente, oxigenado pelos ares da tecnologia que facilita e entrega real valor aos nossos pacientes”, disse.

Laura e MCTI

O robô Laura entrou em funcionamento no HFA a partir de 26 de março com a assinatura do acordo de cooperação com participação, além do ministério e do HFA, do Ministério da Defesa, o Instituto Laura Fressatto, criador da tecnologia, e a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), organização social do MCTI.

A tecnologia da plataforma foi criada pelo presidente do Instituto Laura, Jacson Fressatto. Com a perda da filha nascida prematura por sepse, uma complicação por infecção generalizada, em 2010, o arquiteto de sistemas desenvolveu um robô cognitivo que lê um grande número de informações dos pacientes e emite alertas com antecedência ao detectar quadros de infecção, o que já ajudou a salvar mais de 12 mil vidas, segundo o Instituto.


Fonte: Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações
Comentar

Compartilhar Tweet 1



O Exército Brasileiro estabeleceu a missão de lançar até 2021 um jogo on-line de combate em primeira pessoa, no estilo Counter Strike para melhorar a imagem da instituição entre o público jovem. A ideia é que os jogadores vivam combatentes brasileiros em um cenário de guerra contra um país fictício. As informações são do Metrópoles

“Para evitar desdobramentos ligados ao atual contexto político”, registra a portaria que institui um grupo para dar forma ao projeto, o jogo “será ambientado no futuro, em 2025”.

No documento fica nítida a preocupação com a possibilidade de a iniciativa sofrer críticas por incitar a violência. Por isso, o chefe do Estado Maior do Exército, general Marcos Antonio Amaro dos Santos, escreve no despacho que “o game não deverá mostrar sangue em demasia para evitar a ideia de violência exagerada”.

Ainda na linha da preocupação com os possíveis efeitos negativos, o documento define que o jogo “deverá mostrar combate urbano, mas não em áreas de comunidades em situação de fragilidade social”.

Uma das diretrizes resume os cuidados a serem tomados: “Nenhuma cena com potencial para gerar desgaste da imagem ou crise institucional deverá estar presente”.

O Projeto Missão Verde-Oliva foi instituído pela portaria 110 do Estado Maior do Exército, de 30 de abril de 2020. Ela foi publicada na edição 24/2020 do Boletim do Exército, um calhamaço burocrático que é público, mas não costuma chamar muita atenção. Quem achou a portaria foi o projeto Fiquem Sabendo, especializado em pesquisas via Lei de Acesso à Informação.

Para o Exército, “o game pode conscientizar a sociedade brasileira da importância dos assuntos de defesa do País ao divulgar possíveis missões do Exército Brasileiro em tempo de guerra, como a defesa de instalações estratégicas”.

Inspirações

Famosos jogos de tiro como Counter Strike e Fortnite são citados no documento como inspiração para o Missão Verde-Oliva, mas a ideia que o guia é o America’s Army Proving Grounds, desenvolvido pelo exército dos Estados Unidos há 9 anos e que, segundo os brasileiros, causou um aumento de 30% nas impressões positivas que os jovens jogadores cultivam da instituição militar.

Hoje, o jogo do exército americano está em consoles famosos como o Play Station 4. É uma imagem dele que ilustra esta reportagem.

Regras nacionais

A ideia na versão brasileira é que só seja possível jogar como combatente nacional. O invasor será sempre o computador.

“Caso alguma regra não seja respeitada e/ou o jogador atrapalhe ou impossibilite o cumprimento da missão, ele será condenado por um tribunal fictício”, estipula o despacho do general. A punição é a exclusão do game por um tempo a ser estabelecido.

O game, segundo a portaria, “será disponibilizado na rede mundial de computadores, gratuitamente, para até 15 mil jogadores ao mesmo tempo, 24 horas por dia. Ele “deverá ter muita ação e ser vibrante emocionalmente”. Mas “não poderá apresentar nenhuma informação sensível ou qualquer tipo de conteúdo discriminatório, contra os princípios que norteiam a Instituição Exército Brasileiro, os direitos humanos e/ou contra os Direitos Internacionais do Conflitos Armados (DICA).”

O Metrópoles procurou o Exército nesta segunda-feira (22/06) para saber se havia mais informações sobre o desenvolvimento do Projeto Missão Verde-Oliva, mas não houve resposta até a publicação desta reportagem.

Comentar

Compartilhar Tweet 1



O Whatsapp anunciou que passará a permitir transações financeiras entre os usuários, utilizando a plataforma de finança digital da empresa controladora do app, o serviço Facebook pay. O serviço, com grande potencial de se tornar popular em um país com mais de 130 milhões de usuários do app, traz impactos e cuidados, segundo especialistas e pesquisadores ouvidos pela Agência Brasil.

Na avaliação da especialista em direitos digitais do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Juliana Oms, o novo serviço pode facilitar atividades como compras online, pagamentos e transferência de recursos para muitas pessoas. Mas a novidade também pode provocar prejuízos aos consumidores.

“O Facebook, embora seja uma rede social, tem seu negócio centrado na publicidade. Lucra a partir da exploração dos dados de seus usuários, que são utilizados para permitir envio de publicidades direcionadas aos consumidores. Esta nova funcionalidade permite ao Facebook adentrar em um novo meio de informações, ou seja, saber com quem você realiza transações financeiras, o que você compra, com qual frequência etc. Tudo isso pode ser integrado às demais informações que o Facebook possui sobre cada consumidor”, analisa a especialista do Idec.

"Isso é preocupante", continua Juliana Oms, "se considerado que o Facebook tem um histórico de uso abusivo e vazamento de dados dos usuários. Por isso é importante tomar cuidado quanto à segurança das informações. O controle de uma grande base de dados reforça também, completa a representante do Idec, o domínio de mercado da empresa, dificultando a entrada de novos competidores".

Mercado

O professor de sociologia econômica da Universidade Federal do Ceará e autor de livros sobre finanças digitalizadas, Edemilson Paraná prevê um impacto no mercado de carteiras digitais brasileiro, que já conta com serviços semelhantes de grandes empresas de tecnologia, como o Samsung Pay, Apple Pay e Google Pay.

“Certamente, devido a sua dimensão, escala e capilaridade há um potencial para causar um enorme impacto nesse mercado, reconfigurando-o por completo. A enorme base de usuários previamente cadastrados e utilizando ativamente a plataforma dá, sem dúvida alguma, uma posição privilegiada e desigual ao Facebook na concorrência com outros serviços de pagamento digital”, disse.

A capacidade de integração dos serviços informacionais e agora financeiros do Facebook e de suas aplicações, acrescenta Paraná, abre novas possibilidades à empresa “para a customização na divulgação e venda de produtos, tornando esse um espaço em que estar de fora - tanto para consumidores, mas sobretudo para as empresas - será cada vez mais difícil e custoso”.

Segurança

Em termos de segurança, o Whatsapp tem se tornado foco de golpes que clonam o app do usuário para pedir dinheiro a amigos. Com a possibilidade de fazer transações, esse tipo de procedimento abre espaço para acesso indevido aos recursos movimentados pela pessoa pelo aplicativo. Por isso, cuidados com a segurança envolvendo seus smartphones e programas são fundamentais, como a Agência Brasil mostrou na reportagem Covid-19: uso maior da internet requer mais cuidado com segurança, publicado em 27 de março deste ano.


Fonte: Agência Brasil
Comentar
App registrou instabilidade · 19/06/2020 - 15h48 | Última atualização em 19/06/2020 - 17h34

IFood sofre falha e expõe dados de usuários


Compartilhar Tweet 1



Uma semana após o Dia dos Namorados, em que o aplicativo de entrega de comida iFood registrou instabilidade em seu sistema, a plataforma do serviço voltou a ter problemas.

Dados de usuários foram expostos por uma falha no aplicativo na manhã desta sexta-feira (19), segundo relatos nas redes sociais.

O analista de comércio exterior Guilherme Carbone, 28, foi um dos que percebeu o problema. Ele foi fazer um pedido de café da manhã, às 9h30, mas ao abrir o aplicativo notou uma notificação na aba de pedidos.

"Fui olhar e era de um lugar em que eu nunca havia visto antes. Olhei no histórico dos pedidos e percebi que nenhum dos que estavam lá era meu", disse ele que costuma fazer de 2 a 3 pedidos pela plataforma por semana.

Assim como Carbone, os clientes relataram nas redes sociais que ao abrirem suas contas no app pela manhã se depararam com dados de outros usuários.

"Percebendo que havia algo de errado, fui nas outras abas e vi que nenhuma das informações, de endereços, chats iniciados e pedidos, eram minhas. E toda vez que atualiza aparecia uma informação diferente. De diferentes datas e cidades", afirmou Carbone.

"Tive acesso também aos endereços dos perfis que o iFood me atribuía aleatoriamente. Tanto o residencial, comercial e histórico de endereços utilizados. Achei bem perigoso."

Em comunicado, o iFood disse que o problema ocorrido nesta manhã teve duração de 30 minutos e que não foi nenhum tipo de ciberataque ao seu sistema.

"Durante esse breve período, o sistema exibiu dados pessoais dos usuários de maneira aleatória. A empresa reforça que, ainda assim, não foi possível que clientes fizessem pedidos por outras pessoas ou acessassem contas de terceiros", segundo a nota.

"A empresa esclarece que os meios de pagamento ficam gravados apenas nos dispositivos dos próprios usuários, e não são armazenados nos bancos de dados da plataforma. Dessa forma, os dados referentes a esses cartões não sofreram qualquer vazamento."

A empresa informou também que o sistema já foi normalizado e os usuários impactados estão sendo comunicados do ocorrido.

Comentar
Usuários estão desinstalando · 19/06/2020 - 15h33 | Última atualização em 19/06/2020 - 15h35

WhatsApp apresenta falha e deixa de exibir 'online', 'digitando' e 'visto por último'


Compartilhar Tweet 1



O WhatsApp deixou de exibir quem está online na plataforma e qual último horário a pessoa utilizou o mensageiro (para usuários que ativaram o 'visto por último'). O inconveniente foi observado nas versões de smartphone e web nessa sexta-feira (19/06). As informações são do Olhar Digital.

Alguns usuários estão desinstalando o aplicativo para tentar solucionar a questão, mas isso não deve ser feito, caso contrário, não será mais possível logar na conta do utilizador, segundo o WABetaInfo.

O site DownDetector informou que 49% dos usuários do aplicativo enfrentam falha geral do aplicativo, enquanto outros 38% estão com problemas de acesso. Há muitos relatos de que as opções de privacidade foram modificadas e não é possível desfazer as alterações. Além do Brasil, o problema afeta o Reino Unido, Europa e Estados Unidos.

    DownDetector

Ao tentar modificar alguma das opções de privacidade, o aplicativo mostra um erro que indica falha no procedimento e que o usuário deve tentar mais tarde. Ainda não se sabe ao certo o motivo do problema.

    Reprodução
Comentar

Compartilhar Tweet 1



O que a plataforma faz é pegar uma foto quadriculada, com pixels gigantes, e refazer a densidade de pontos para que a imagem tenha uma definição possível de identificar o rosto da pessoa. Segundo os pesquisadores, a foto final tem até 64 vezes mais resolução que a original. As informações são de Canaltech.

O que a plataforma faz é pegar uma foto quadriculada, com pixels gigantes, e refazer a densidade de pontos para que a imagem tenha uma definição possível de identificar o rosto da pessoa. Segundo os pesquisadores, a foto final tem até 64 vezes mais resolução que a original.

Se bateu um desespero com segurança por aí, fique tranquilo. Os próprios pesquisadores já confirmaram que não é assim tão simples identificar uma pessoa com este método. Ou seja, não basta apenas pegar uma foto desfocada ou de câmera de segurança (no melhor estilo C.S.I.) e receber uma imagem em alta definição para identificar um pedestre, por exemplo.

 

Comentar
Erros comuns cometidos · 16/06/2020 - 22h23 | Última atualização em 16/06/2020 - 22h30

Pagamento via WhatsApp abre brechas para golpes; veja como se prevenir


Compartilhar Tweet 1



Mais uma porta é aberta para golpes no mundo virtual, mas é possível se proteger. Especialistas em cibersegurança alertam para erros comuns cometidos por vítimas de fraudes financeiras pela internet e ajudam a fazer o melhor uso dessa nova forma de mexer com dinheiro. As informações são de Metrópoles.

As dicas valem para todo tipo de transação financeira on-line, mas os entrevistados acreditam que o pagamento via WhatsApp tem o potencial de ampliar o número de pessoas usando dinheiro pela internet, o que aumenta os riscos – como tem ocorrido com as fraudes relativas ao pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 pelo governo.

O uso de um antivírus no celular também é fortemente sugerido por ela. “Hoje o celular é um instrumento de trabalho. Além do WhatsApp agora, já mexemos em aplicativo de banco, já fazemos compras, pagamos contas em outros serviços. Então faz todo o sentido investir em um antivírus, porque os dados nesse nosso computador de mão são muito sensíveis”, afirma Sylvia.

Evite datas nas senhas


Para confirmar as transações, o WhatsApp vai exigir uma senha de 6 dígitos ou impressão digital, o que aumenta a segurança do sistema, mas não o torna imune a erros como compartilhar a senha com terceiros ou salvá-la como contato do celular, com o nome “senha”. Não faça isso.

“Senhas de 6 dígitos são muito suscetíveis a ataques direcionados, quando o bandido tem uma pessoa específica como alvo, porque muita gente usa datas nelas. Deve-se evitar isso”, afirma Sandro Süffert, especialista em cibersegurança e presidente da Apura Cybersecurity Intelligence.

Segundo ele, o anúncio do novo serviço de pagamentos gera questionamentos porque o WhatsApp “tem corriqueiramente relatos de roubo de dados, de contas. Pessoas que se passam por outras pessoas. Aconteceram hackeamentos recentes até com altas autoridades da República“.

O especialista aconselha o uso da autenticação em duas etapas e lamenta que esse não seja um passo obrigatório nem mesmo para o uso do serviço de pagamento (é preciso a senha do Facebook Pay, mas a ativação da autenticação em duas etapas não é exigida). “Dá para aumentar a segurança, mas a maioria das pessoas utiliza o modelo default oferecido pela empresa, que não é tão seguro”, alerta. “Porque se subir muito a barra da segurança afeta a usabilidade e reduz o alcance do produto, e a empresa não quer isso”, opina ainda.

Precedentes
O WhatsApp informou uma série de medidas para dar segurança a seus serviços de pagamento, mas, segundo o especialista em direito digital Marcelo Bulgueroni, da Bulgueroni Advogados, é impossível evitar golpes.

“São coisas que acontecem todos os dias em aplicativos como os de comida. Contas de iFood ou Rappi são invadidas e os golpistas pedem comida no cartão cadastrado”, afirma ele. “No caso do WhatsApp, a preocupação maior é com um problema que também já existe: golpistas roubarem e ativarem a conta de uma pessoa em outro aparelho. Para proteger o cliente, é preciso que o WhatsApp exija que os meios de pagamento sejam cadastrados de novo em caso de login em outro celular”, avalia ele. A empresa garante que faz isso.

O que diz o WhatsApp


O WhatsApp respondeu que “os pagamentos no WhatsApp foram criados priorizando os recursos de segurança”. A empresa recomenda (mas não exige) “que todos os usuários no Brasil ativem a autenticação de duas etapas, para segurança adicional da conta – e lembramos às pessoas que nunca compartilhem seu PIN com outras pessoas”.

“Além disso”, garante a empresa, “todo pagamento enviado exige ​o PIN do Facebook Pay ou impressão digital (em dispositivos compatíveis); portanto, ele não pode ser usado por outras pessoas, mesmo que você perca sua conta. Se você registrar o WhatsApp em um novo telefone, terá de se cadastrar novamente para pagamentos para proteger sua segurança”, diz o WhatsApp, em nota.

O texto diz ainda que “o WhatsApp não recebe, transfere ou armazena fundos durante o processamento da transação – se um usuário tiver um problema, o banco terá um registro da transferência e poderá fornecer assistência às vítimas de fraude. Também será identificado no extrato bancário como “FBPAY WA” e incluirá o destinatário. É importante reforçar que todas as transferências são registradas pelos bancos parceiros, para que haja um registro de todas as transações. Além disso, estabelecemos limites para a quantia que pode ser transferida por transação, por dia e por mês. O WhatsApp também responde a solicitações legais válidas da aplicação da lei em situações em que há investigação para esses crimes.”

Comentar

Compartilhar Tweet 1



A fabricante Dell apresentou, nesta semana, seu novo portfólio de notebooks e desktops corporativos de alta performance para o mercado brasileiro. Os lançamentos incluem 15 modelos das linhas Latitude e Precision. As informações são de Metro.

Como revelado pela empresa, uma das grandes novidades incorporadas aos novos modelos das linhas Latitude e Precision é o Dell Optimizer, tecnologia embarcada baseada em IA, que proporciona ainda mais eficiência no dia a dia de trabalho. Além de aprimorar o tempo de duração da bateria com base nos padrões de carregamento e no uso típico da energia, o software aprende como cada pessoa trabalha e se adapta ao uso, ajudando a melhorar o desempenho geral das aplicações. A funcionalidade também ajuda a eliminar ecos e reduzir ruídos de fundo em chamadas por conferência; e ainda permite acessos e bloqueios seguros4 ainda mais rápido.

Latitude

Como informado, a nova série 9000 ultra premium e a série 7000, que foi totalmente reformulada, contam com design em alumínio escovado, longa duração de bateria; várias portas e telas com bordas estreitas de quatro lados. Os modelos são equipados com processadores Gen Intel vPro da 10ª geração e Intel Wi-Fi 6 (Gig+), que garantem uma velocidade de conexão quase três vezes mais rápida, os dispositivos Latitude oferecem potência, desempenho e conectividade global para as empresas.

O novo Latitude 9510 chega com 15 polegadas, processadores Intel vPro da 10ª geração7 e peso de, no mínimo, 1400 gramas, o modelo oferece alto desempenho e mobilidade. Além disso, sua inteligência artificial embarcada proporciona até 34 horas de duração da bateria.

"Projetado para equilibrar desempenho e portabilidade, o Latitude 7410 e 7310 são os notebooks corporativos premium menores de 14 e 13 polegadas, respctivamente. Também configurável como um 2 em 1, o Latitude 7410 conta com o primeiro painel de baixa emissão de luz azul 4K da Dell em um PC corporativo", detalhou.

Mais rápidos, os novos Latitude 5310 e 5410 contarão com a geração mais recentes de processadores Intel Core de 10ª geração, produzidos para oferecer o melhor desempenho e produtividade e o novos Latitude 3410 trarão um formato ainda mais fino e leve, trazendo mobilidade para a rotina de trabalho.

Workstations Precision

"Os novos modelos 3000, 5000 e 7000 de workstations Precision foram desenvolvidos para oferecerem alto desempenho e processamento intensivo de gráficos, análise de dados e criação em 3D. Com dimensões menores que a geração anterior e inovações térmicas, as novas workstations portáteis Precision possuem certificações ISV, placas gráficas profissionais da NVIDIA que vão até a RTX 5000, memórias ECC (Error Correcting Code) e os processadores mais recentes Intel Core vPro e Xeon da 10ª geração", explicou.

Ainda segundo a marca, os modelos Dell Precision 5550 e 5750 são as menores e mais finas workstations de 15 e 17 polegadas do mundo, respectivamente. Além disso, com uma tela InfinityEdge 16:10 de 4 lados (até HDR 400) proporcionam ainda mais imersão para designers, fotógrafos, arquitetos e engenheiros. A nova Precision 5750 ainda suporta VR/AR e IA para renderização mais rápida, visualizações detalhadas e simulações complexas.

Disponibilidade e precificação:

  1. Latitude 9510 já está disponível a partir de R$ 17.999,00
  2. Latitude 9410 já está disponível a partir de R$ 17.399,00
  3. Latitude 7310 já está disponível a partir de R$ 11.999,00
  4. Latitude 7410 já está disponível a partir de R$ 10.199,00
  5. Latitude 5410 já está disponível a partir de R$ 7.399,00
  6. Latitude 5310 já está disponível a partir de R$ 8.999,00
  7. Latitude 3410 já está disponível a partir de R$ 4.999,00
  8. Workstation portátil Precision 7750 já está disponível a partir de R$ 23.599,00
  9. Workstation portátil Precision 7550 já está disponível a partir de R$ 21.599,00
  10. Workstation portátil Precision 5750 já está disponível a partir de R$ 26.699,00
  11. Workstation portátil Precision 5550 já está disponível a partir de R$ 22.899,00
  12. Workstation portátil Precision 3550 já está disponível R$ 12.499,00
  13. Workstation portátil Precision 3551 já está disponível a partir de R$14.599,00
  14. Workstation fixa Precision 3440 já está disponível a partir de R$ 8.949,00
  15. Workstation fixa Precision 3640 Tower já está disponível a partir de R$ 9.999,00
Comentar

Compartilhar Tweet 1



A TIM busca parceiros comerciais para atuar no segmento de pequenas e médias empresas (PMEs) na região Nordeste, para atender os seguintes estados: Pernambuco, Bahia, Paraíba, Ceará e Piauí. O parceiro TBP (TIM Business Partner) – como é chamado – é destinado a empresários ou comerciantes que queiram atuar na área de vendas neste ramo.

Segundo pesquisa da GEM/Sebrae, atualmente existem mais de 20 milhões de empresas no Brasil e quase 70% deste montante são de PMEs. “É um mercado grande a ser explorado que precisa de conectividade, ainda mais durante a pandemia. Reestruturamos o canal para oferecer mais benefícios e bonificações e o parceiro poderá trabalhar de forma remota, realizando as visitas aos clientes pelas ferramentas digitais”, afirma Fábio Reis, diretor de Vendas da TIM no Nordeste.

Este modelo permite que o parceiro conte com todo o apoio necessário para publicidade, software, logística e operação. “O investimento inicial é baixo já que todo o estoque de produtos é vendido e entregue direto pela TIM”, reforça o executivo.  

A TIM também tem desenvolvido ofertas mais vantajosas para este segmento. Recentemente, lançou o TIM Black 10, que oferece 10 GB por R$ 69,99 ao mês e traz aplicativos ilimitados, como Facebook, Instagram, Twitter, WhatsApp, Waze, Facebook Messenger, além do WhatsApp Business. Outra facilidade é que os aparelhos podem ser divididos em até 24 vezes na fatura e há opção em comodato (com empréstimo de aparelho sem custo).

Quem tiver interesse, pode se cadastrar no site da empresa ou entrar em contato pelo e-mail: hsoares@timbrasil.com.br


Fonte: Assessoria
Comentar

Compartilhar Tweet 1



O WhatsApp está desenvolvendo uma ferramenta que possibilita o acesso de uma conta do aplicativo em mais de um dispositivo. Com o recurso, o usuário poderá utilizar o mesmo número de telefone em outros celulares sem precisar se desconectar do principal. A função ainda está em testes e indisponível para os usuários. As informações são Tecnoblog.

As primeiras menções ao recurso de acesso simultâneo surgiram ainda no ano passado. Segundo o WABetaInfo, o WhatsApp está trabalhando em uma ferramenta que permite o acesso de uma conta do mensageiro em mais de um dispositivo ao mesmo tempo.

Os novos rumores sobre o recurso foram revelados no perfil do Twitter do site especializado. De acordo com a publicação na rede social, a ferramenta permitirá que o acesso simultâneo seja realizado em até quatro dispositivos sem precisar se desconectar dos demais.

Comentar
Alcançada por nenhuma empresa · 15/06/2020 - 18h13

Confira: Oppo prepara tecnologia capaz de recarregar um celular em 15 minutos


Compartilhar Tweet 1



A dona da tecnologia de carregamento móvel mais rápido do mundo — o 65 W SuperVOOC Fast Charging 2, que é capaz de recarregar um celular de 4.000 mAh em apenas 30 minutos. Oppo apesar da marca a ser batida, a fabricante chinesa estaria desenvolvendo a próxima geração do sistema já para o ano que vem — e a melhoria promete ser significativa. As informações são de Canatech.

De acordo com informações encontradas pelo site MySmartPrice, o chamado Super VOOC Fast Charging 3.0 terá 80 W de potência e poderá recarregar um dispositivo compatível em apenas 15 minutos — considerando uma bateria de 4.000 mAh. Caso confirmado, será uma marca realmente impressionante e ainda não alcançada por nenhuma empresa.

No entanto, vale mencionar algumas possíveis complicações com tamanha potência: a primeira é a temperatura bastante elevada, que exigirá uma dissipação de calor mais eficiente para não danificar os componentes internos; outro detalhe são os danos a longo prazo à bateria do dispositivo, uma vez que, na mesma velocidade que a tecnologia dá carga, também tende a tirar. Até o momento, a Oppo ainda não deu qualquer detalhes sobre tecnologias e arquiteturas futuras.

Carregamento ultrarrápido é o novo padrão

A Xiaomi também pretende entrar na briga pelo pódio do segmento com seu Super Charge Turbo, que terá potência de 100 W. Em 2019, a empresa veio à público afirmar que seu novo carregador será capaz de recarregar um celular de 4.000 mAh em apenas 17 minutos — o que, em números, seria inferior à suposta capacidade do SuperVOOC 3.0.

No entanto, nem tudo serão flores. Em fevereiro deste ano, um executivo da Xiaomi informou que a descarga de uma tecnologia tão rápida tende a ser até 20% maior, em comparação com uma carga de 30 W.

Apesar de ter sido anunciado em 2019, o supercarregador da Xiaomi ainda não deu as caras no mercado — sendo assim, o SuperVOOC 2.0 de 65 W se mantém no topo do gênero. No Brasil, o Galaxy S20 Ultra, da Samsung, é o atual campeão, com 45 W.

Comentar

Compartilhar Tweet 1



É normal que antes de disponibilizar um novo recurso para os usuários em geral, os desenvolvedores testem a novidade com uma parcela dos usuários para a identificação de bugs e aceitação com o público. O Instagram, por exemplo, fez isso em sua plataforma antes de esconder o número de likes das postagens e passar a exibir somente aos autores. As informações são do Canaltech.

Agora, segundo informações do portal iraniano Toranji e conforme veiculado pelo Gizchina, a rede social está experimentando a exibição de uma segunda fileira para agrupar até oito Stories na tela principal do aplicativo para Android. Não há muitos detalhes de como isso funciona e qual critério é utilizado pelo algoritmo, apenas que a barra de Stories pode ser deslizada para visualizar o restante. Veja só como ficou:

    Instagram testa a exibição de duas linhas de Stories (Reprodução: Toranji)

 

Motivos apontam que novidade pode ser definitiva

Não se sabe, no entanto, qual o objetivo da linha extra, mas há algumas hipóteses levantadas. Entre elas dar ainda mais destaque aos conteúdos que expiram após 24h ou uma melhor usabilidade ao usuário, principalmente para pessoas que têm muitos amigos ou seguem muitas páginas, uma vez que as bolinhas estão mais espaçadas entre si.

Além disso, o fato de que os smartphones estão com telas cada vez maiores e compridas também pode influenciar nessa possível mudança.

Vale ressaltar que o número de Stories, principalmente neste período de pandemia da COVID-19 em que há muitas lives acontecendo, o número de conteúdos compartilhadas nas redes sociais aumentou consideravelmente, motivando o Instagram a liberar várias melhorias importantes em sua plataforma, entre elas a opção de salvar lives no IGTV após 24h, por exemplo.

Nos testes realizados aqui no Canaltech o Instagram não apresentou mudanças e, ao que tudo indica, o experimento pode estar restrito apenas ao Irã a uma número restrito de usuários. Caso alguma coisa tenha mudado em seu perfil ou então queira deixar a sua opinião sobre o recurso, compartilhe aqui no espaço abaixo dedicado aos comentários!

Comentar
Teste da próxima versão · 13/06/2020 - 11h11

Android 11 Beta vai chegar a mais 5 celulares; veja quais são


Compartilhar Tweet 1



O Google liberou o primeiro beta público oficial do Android 11 na quarta-feira (10/06) para todos os celulares Pixel, menos os de primeira geração. Agora é a vez dos usuários de outras marcas começarem a contar as horas para terem o primeiro gostinho da próxima versão do robozinho, e rumores e confirmações de aparelhos que participarão dos testes já começaram. As informações são do Canaltech.

O site chinês MyDrivers conseguiu reunir uma lista de dispositivos que devem ser os primeiros fora da linha do Google a receberem uma versão beta do Android 11. Alguns deles, como o Poco F2, já foram confirmados nas redes sociais como participantes do programa. Nenhum possui, ainda, data para receber a primeira versão.

Sendo assim, Xiaomi, Realme, OPPO e OnePlus estão confirmados, e você pode ver os modelos na lista abaixo. Não significa que algum deles será o primeiro a experimentar o Android 11, apenas são aqueles que já tiveram algum anúncio oficial de participação nos testes.

  •  OnePlus 8/8 Pro
  •  OPPO Find X2/X2 Pro
  •  Poco F2 Pro
  •  Realme X50/X50 Pro
  •  Xiaomi Mi 10/10 Pro

Reforçando: esses cinco modelos, com as variantes básicas e Pro, estão confirmados, e as chances de algum desses ser o primeiro é bem grande. Mais fabricantes podem anunciar a participação de seus dispositivos no beta do Android 11 nos próximos dias.

Então fique de olho aqui no Canaltech que traremos todas as informações assim que forem divulgadas.

Comentar

Compartilhar Tweet 1



A Piauí Conectado comemora um ano de atividades no estado. Nesse período, a empresa conseguiu efetivar a instalação quase 70% pontos de internet previstos no contrato de parceria público-privada (PPP). Com a implementação de rede de fibra óptica em 50 cidades, a empresa contribuiu para a agilidade da prestação de serviços ao potencializar a interconexão entre os órgãos da administração pública do Estado e atende atualmente 65% da população piauiense.

    Governo do Piauí

O projeto prevê a implantação de internet em 98 municípios piauienses, um total de 1.500 pontos e 5 mil quilômetros de fibra óptica. E já estão sendo desenvolvidos estudos para a ampliação do projeto para mais 126 cidades, totalizando os 224 municípios piauienses.

    Governo do Piauí

Até o momento, já foram investidos R$ 40 milhões em materiais e mão de obra. A empresa possui um prazo inicial de 27 meses para instalação dos 1.500 pontos de internet, mas em apenas um ano de atuação já alcançou a marca de 1.039 pontos em órgãos de administração pública, hospitais e espaços públicos. Até o momento, 50 pontos da rede Wi-Fi Piauí Conect foram implantados em espaços públicos de Teresina e Campo Maior.

    Governo do Piauí
    Governo do Piauí

O governador Wellington Dias considera a PPP Piauí Conectado um projeto de sucesso, pois conecta as 11 macrorregiões do estado. Para ele, o projeto é um modelo a ser seguido no Nordeste e no Brasil. “A garantia que nós tenhamos 98 municípios integrados por fibra óptica inicialmente, desde municípios do norte, centro e sul, com conectividade de alta qualidade garante algo extraordinário. Velocidade para telemedicina, teleducação e telesegurança. Tudo isso é fundamental para o setor privado e público. Uma notícia boa é que o projeto chegará aos 224 municípios piauienses. Parabéns por esse um ano de grande importância para nosso povo”, ressalta o chefe do Executivo piauiense.

Para Emerson Silva, diretor-presidente da Piauí Conectado, por meio dessa nova estrutura, os órgãos irão atender às demandas da população de forma mais ágil. A tecnologia de ponta também irá intensificar o acesso à informação de uma maneira mais prática. “Estamos com o cronograma de obras do projeto adiantado. Temos conseguido fazer uma entrega de qualidade e com uma velocidade muito maior do que foi projetado inicialmente, por nós e pelo Governo do Piauí”, pontua o gestor.

Economia

O projeto já apresenta resultados econômicos positivos. O relatório de eficiência e economicidade produzido pela Controladoria Geral do Estado (CGE) em novembro de 2019 demonstrou que desde a instalação da PPP, houve uma economia de mais de 30% em gastos, com contratos de links de internet e conectividade. Devido ao saldo positivo da parceria, tecnologia e desenvolvimento estão sendo construídos juntos.


Fonte: Governo do Piauí
Comentar
Revelação dos especialistas · 12/06/2020 - 14h09

WhatsApp testa novas opções de busca, "nova cor" do modo escuro e mais


Compartilhar Tweet 1



Com anos e anos de mensagens, fotos e outros arquivos, encontrar algo no histórico não é tarefa das mais fáceis, mas o app está testando ferramentas para encontrar mais facilmente o que você busca, além de outras novidades. As informações são de Canatech.

A revelação foi feita pelos especialistas do WABetaInfo, que encontraram novos recursos de pesquisa na versão Beta do WhatsApp.

 

Filtros de busca

A primeira novidade no Beta – atualmente fechado para novas inscrições – é a opção de “Busca por data”. A tela de pesquisa mostra um pequeno botão de calendário, que permite especificar um dia para a filtragem da busca. Caso nenhum termo seja usado para a pesquisa, o histórico da conversa mostra todas as mensagens do dia selecionado.

A lista, que atualmente serve apenas para informar o total de espaço ocupado pelas mídias de um contato, poderá ser usada também para buscar e listar os arquivos. Por exemplo, ao tocar na opção “Fotos” de um contato específico, o WhatsApp Beta exibe todas as imagens compartilhadas com a pessoa.

A exibição pode ser personalizada, com um botão de filtragem da visualização. O recurso em teste permite exibir os arquivos por ordem cronológica e de tamanho.

Limpeza de histórico

Outra novidade em testes para a tela de "Uso de armazenamento" é a opção de apagar todas as mensagens do histórico de um contato, mantendo apenas as favoritas. A opção de manter as mensagens destacadas já está disponível no recurso "Limpar conversa", mas apenas ao ser acessada pela tela de conversa.

Busca de imagens na web

Para mensagens e imagens muito compartilhadas, o WhatsApp vai substituir o botão de encaminhamento por um de busca no Google. Ao que tudo indica, a medida visa combater a desinformação e fake news.

O recurso não chega a ser novo, estando em testes há mais de um ano. Mas agora chegou à versão beta no iPhone também. Quando uma mensagem (ou foto) é compartilhada mais de quatro vezes, o novo botão permite fazer uma busca por ela no Google. O WhatsApp deixa claro antes que o conteúdo será usado para a busca, permitindo que pessoas preocupadas com a coleta de dados pelo site possam cancelar o processo.

"Nova cor" no modo escuro

O WABetaInfo notou uma pequena diferença na cor usada para as mensagens enviadas no histórico. A imagem compartilhada pelo site mostra um tom levemente mais claro do que usado atualmente.

 

O ajuste poderia servir para melhorar o contraste em algumas telas ou ser usado em conjunto com as configurações de acessibilidade no celular.

Conta do WhatsApp em mais de um celular

O WhatsApp está desenvolvendo um recurso que permite usar a conta do serviço em até quatro celulares ao mesmo tempo, autorizando o acesso pela rede Wi-Fi.

Diferentemente das outras novidades, a opção parece estar em um estágio mais inicial, não recebendo maiores detalhes no site ou na conta da rede social.

Comentar

Compartilhar Tweet 1



Um novo golpe no WhatsApp tem usado a marca O Boticário para disseminar falsas promoções, simula uma falsa campanha do Dia dos Namorados, comemorado nesta sexta-feira (12/06), os quais identificaram a veiculação de 10 links falsos em apenas sete dias de operação, quantidade suficiente para gerar 39 mil vítimas de várias parte do Brasil. As informações são de Tecmundo.

A campanha atrai o público por meio da promessa de envio de um perfume masculino ou feminino de O Boticário. Mas, para ganhá-lo, é preciso fornecer dados pessoais e, em seguida, compartilhar uma URL maliciosa com outras cinco pessoas. Para reforçar a “veracidade”, os materiais contêm imagens e comentários de contemplados fictícios, além de sistema que faz menção ao nome dos alvos.

    Fonte: dfndr lab/Reprodução

 

Comentar
Update foi liberado · 10/06/2020 - 16h16

WhatsApp libera nova versão beta do app de mensagens


Compartilhar Tweet 1



O WhatsApp liberou recentemente uma nova versão beta atualizada do aplicativo de mensagens instantâneas.

De acordo com o site especializado WABetaInfo, o novo update foi liberado para o sistema operacional iOS.

 

Comentar
Dominando o uso da tecnologia · 10/06/2020 - 15h50 | Última atualização em 10/06/2020 - 16h18

Vivo amplia a atuação do Descomplicando a Tecnologia com conteúdo didático em seu canal no YouTube


Compartilhar Tweet 1



Como forma de manter a conexão com clientes e participantes do programa Acontece na Vivo durante o período de distanciamento social, a Vivo ampliou a atuação do workshop Descomplicando a Tecnologia, que está no canal oficial da operadora no YouTube com vídeos quinzenais trazendo conteúdo sobre como utilizar as redes sociais, aplicativos de mensagens, funcionalidades do smartphone, entre outros.

Ao longo de três anos de funcionamento, o programa Acontece na Vivo recebeu mais de 43 mil pessoas nas mais de 170 lojas da Vivo em todas as regiões do País, sendo 16.400 participantes exclusivamente do workshop Descomplicando a Tecnologia, que dedicaram uma hora por dia para aprender um pouco mais sobre tecnologia, internet, redes sociais com os Gurus, consultores especialistas em tecnologia da Vivo.

Assim, a Vivo decidiu manter o Descomplicando a Tecnologia agora no formato eletrônico com o Descomplicando a Tecnologia Online no canal do YouTube da Vivo, pois entende o quanto o programa faz a diferença para todos os públicos participantes do workshop, em especial os idosos e vê na iniciativa uma ferramenta de manter o público informado e recebendo conhecimento num formato que já estava habituado nas turmas presenciais dos workshops em lojas.

"O mercado 60+ apresenta um crescimento significativo no país e a Vivo busca novas formas de se relacionar com este público constantemente, que está cada vez mais conectado, mas ainda não utiliza todos os recursos e possibilidades que a tecnologia permite. Nosso objetivo ao trazer o Descomplicando a Tecnologia para o ambiente Online é deixá-los seguros para que possam aproveitar ainda mais as possibilidades que a conexão proporciona e, dessa forma, que todos que estão em casa fiquem sempre próximos e conectados com quem amam", pontua Gustavo Nóbrega, diretor de Canais da Vivo.

Os primeiros vídeos trazem dicas sobre como fazer videochamadas pelos apps WhatsApp, Facebook Messenger, FaceTime, Google Duo e Skype já estão no canal da Vivo no YouTube, que possui mais de 3,65 milhões de inscritos, e podem ser visualizados aqui e aqui. Para acompanhar os novos vídeos, basta ficar atento às redes sociais da Vivo no Facebook e Instagram, que também trarão as chamadas para os vídeos no YouTube.


Fonte: Assessoria
Comentar