Sexo & Prazer

Detalhes fazem a diferença · 08/08/2017 - 14h38

Orgasmo: seis fatores que podem estar te impedindo de ter um

Orgasmo: seis fatores que podem estar te impedindo de ter um


Compartilhar Tweet 1



Não existe uma regra ou fórmula para atingir o orgasmo. O que funciona para uma mulher pode não funcionar para outra e o que dá certo para você e o seu parceiro atual pode não dar certo com outra pessoa. Mas se mesmo tentando várias formas, posições e estimulações diferentes você ainda não conseguiu, talvez seja melhor identificar as causas dessa ausência. O site da revista norte-americana “Cosmopolitan” listou seis fatores que podem te impedir de chegar ao clímax.

1. Poucas preliminares
Você e seu parceiro são extremamente ansiosos para fazer sexo e acabam pulando as preliminares para chegar logo à melhor parte. Reconhece o cenário? Pois é, vocês podem até achar que estão economizando tempo e energia para o que mais gostam, mas, na verdade, esse hábito pode ser justamente o que te impede de ter um orgasmo .
A sexóloga Yvonne K. Fulbright, autora do livro “Hot Guide to Safer Sex” (algo como "Guia quente para um sexo mais seguro"), explica que, no geral, as mulheres precisam de cerca de 20 minutos de excitação para conseguir chegar ao ápice do prazer. A princípio, a ideia de passar 20 minutos apenas com “brincadeirinhas” pode soar como tempo demais, mas pode confiar: você nem vai mais se lembrar desses minutos quando sentir o prazer.

Segundo a especialista, a relação sexual é formada por algumas fases, que começa com o interesse e a excitação e termina com o ápice do prazer. Pular alguma dessas etapas faz com que o ato seja incompleto e pode impedir que você tenha orgasmos. “Ignorar todo o ciclo de resposta sexual torna tudo mais difícil”, diz Yvonne. Por isso é tão importante se dedicar às preliminares.

2. Sua mente pode estar te boicotando
Precisamos ser realistas, é muito fácil se distrair durante o sexo. Quando você percebe está lá pensando na conta que precisa pagar, na roupa que precisa lavar ou na rachadura do teto. A cada vez que isso acontece, o prazer diminui. Podemos dizer que é inversamente proporcional: quanto mais se distrai, menos prazer sente.

“O cérebro é uma parte vital da experiência sexual, registrando sensações e liberando substâncias químicas sensíveis ao corpo”, diz a ginecologista Gloria G. Brame. De acordo com ela, qualquer distração mental pode desencadear impulsos conflitantes e não sexuais no cérebro, diminuindo o prazer.

Mas como evitar pensar na lista de compras durante o sexo? Concentre-se nos movimentos e em como seu corpo está respondendo aos estímulos que estão sendo feitos. Gloria também aconselha tocar em si mesma ou mudar de posição, essa mudança no corpo faz com que você “volte” para o sexo.

A respiração também é uma grande aliada da concentração. “Tente sincronizar a sua respiração com a do seu parceiro, isso pode colocar o foco de volta no seu corpo e te ajudar a se reconectar com a pessoa que está com você”, diz a ginecologista.

3. Há pouca estimulação clitoriana
O clitóris é uma das áreas do corpo mais importantes para serem tocadas durante o sexo. “Existem mais terminações nervosas lá do que dentro da vagina”, diz Yvonne. Segundo ela, é muito raro que uma mulher tenha orgasmos sem algum tipo de estimulação clitoriana. De acordo com a sexóloga a região pode ser estimulada de várias formas: na masturbação, no sexo oral e também durante a penetração.

Uma dica é se masturbar quando estiver sozinha, explorando o próprio corpo e descobrindo quais são as suas preferências quando o assunto é estimulação clitoriana. E não se engane ao pensar que a única forma de fazer isso é com os dedos. Também é possível estimular o clitóris com brinquedinhos sexuais, água e até travesseiro. Dessa forma, será mais fácil conduzir o parceiro durante a relação e atingir o clímax não será mais uma tarefa impossível. Além disso, a masturbação também proporciona que você atinja o orgasmo sozinha.

4. Você está esquecendo de fazer xixi antes do sexo
No calor do momento é muito fácil ignorar as pequenas coisas, como fazer xixi. Surpreendentemente, urinar ou não faz toda a diferença já que está relacionado ao prazer que sentimos. Se há um pênis em sua vagina estimulando a região enquanto a sua bexiga está cheia, você vai sentir ainda mais vontade de fazer xixi e, consequentemente, é pouco provável que você chegue ao clímax.

A solução é bem simples: sempre vá ao banheiro antes de fazer sexo. Isso vai te deixar mais livre e despreocupada para curtir o momento e experimentar sensações que antes não eram atingidas por estar preocupada com outras coisas. “Se você sabe que não precisa fazer xixi quando está próxima de conseguir um orgasmo, é possível se soltar e curtir o que está por vir”, diz Gloria.

5. Há muita mudança de posição
Existem inúmeras posições sexuais e colocar em prática é uma forma de tirar o sexo da rotina e dar uma animada na vida amorosa. Porém, trocar de posições muitas vezes em uma única transa faz com que seja mais difícil conseguir um orgasmo. “A chave para a satisfação é o estímulo constante em uma posição que atinge seus pontos de prazer”, orienta a ginecologista. “É preciso desenvolver um ritmo e, uma vez que você sente que está indo em direção ao clímax, deve-se manter o que está sendo feito ou você perderá não conseguirá chegar lá”. Se por algum motivo vocês trocarem de posição e a anterior for mais prazerosa, não se preocupe. Volte para o que estavam fazendo e tente retomar o ritmo.

6. Você pode ter anorgasmia
Se nenhum dos motivos anteriores se encaixam no seu caso, talvez você tenha anorgasmia – nome dado à incapacidade de ter orgasmos. Estudos indicam que aproximadamente 25% das mulheres enfrentam o problema. As causas são variadas, desde problemas psicológicos até falta de conhecimento do próprio corpo. Mas não se preocupe: existe cura! No geral, o tratamento é a fisioterapia sexual. É muito importante que você consulte um profissional para que o diagnóstico seja feito corretamente. Leia mais sobre a anorgasmia.


Fonte: Com informações do Cosmopolitan