A clínica foi fechada e autuada -

Peeling de fenol: “Sangrava toda noite”, diz ex-cliente de influencer

Uma ex-cliente da influencer Natalia Becker contou que teve sintomas durante cinco meses após a realização de um peeeling de fenol na clínica da suposta esteticista, no bairro Campo Belo, zona sul de São Paulo.

Em entrevista à TV Globo no último domingo (09/06), a paciente, que não quis se identificar, revelou que o rosto ficou vermelho por meses: “Minha pele começou a ficar com pus e sangrava toda noite”, disse a mulher.

“Me iludi porque ela falou que em 10 dias estaria ótima a minha pele”, lamentou na entrevista à emissora.

Natalia Fabiana Freitas Antonio, conhecida nas redes sociais como Natalia Becker, é investigada por homícidio pela morte do empresário Henrique Chagas, de 27 anos, que passou mal minutos após fazer um peeling de fenol na clínica dela no dia 3 de junho.

Chorando, a ex-paciente que falou à TV Globo que fica nervosa ao lembrar do caso de Henrique. “Com toda a história que eu vi com o Henrique eu fiquei muito abalada, eu penso que poderia ser comigo, não voltar para casa e ver meu filho”, disse.

A influencer não quis comentar o caso da ex-cliente.

Clínica fechada e autuada

Natalia se apresentou à Polícia Civil em 5 de junho, dois dias após a morte de Henrique, e prestou depoimento por cerca de duas horas.

Em pronunciamento a jornalistas, Natalia lamentou a morte do paciente e disse que tem vivido dias difíceis.

“Eu tô muito triste pelo que ocorreu, jamais quis prejudicar ninguém. Sinto muito pela família dele. Acabou com a minha vida isso. Eu jamais tive a intenção de prejudicar ele”, disse a influenciadora.

Segundo a advogada dela, Tatiane Forte, Natalia não se apresentou antes à polícia porque estava muito abalada e chegou a ter uma crise de ansiedade. A influencer entregou à polícia um documento para comprovar que buscou atendimento médico no Hospital da Luz, na segunda-feira, após saber da morte de Henrique.

A clínica dela Natalia Becker foi fechada e autuada pela Vigilância Sanitária do município. De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde, o estabelecimento “exercia procedimentos em desacordo com a legislação vigente”.

A clínica tinha licença, concedida pela SMS, para funcionar e realizar “atividades de estética e outros serviços de cuidados com a beleza”. O local também tinha permissão de funcionamento emitida pela Subprefeitura de Santo Amaro.

Fonte: Metrópoles

Instagram

Comentários

Trabalhe Conosco