Crise de saúde -

Crise yanomami: por que é tão difícil reverter a desnutrição crônica?

Na última sexta (20/01), a crise de saúde entre os yanomamis fez o Ministério da Saúde decretar Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional. Os indígenas estão sefrendo com um quadro de desnutrição crônica, causado sobretudo pelo garimpo ilegal de ouro na região entre Amazonas e Roraima.

Foto: Divulgação/Condisi-YYYanomami

O que é a desnutrição crônica?

A médica nutróloga do Hospital Albert Sabin (HAS), Daniela Gomes, explica que a desnutrição ocorre quando se tem uma ingestão menor do que a necessidade energética diária. Com isso, o paciente sofre perda progressiva de massa magra e gorda, atingindo uma desproporção entre seu peso e altura.

Já a desnutrição crônica é caracterizada quando, no médio prazo, o peso já comprometeu outras funções. Na criança, a condição se caracteriza também pelo comprometimento da estatura. Então, além da desproporção na curva de peso, a criança também passa a apresentar baixa estatura.

Por que apenas a alimentação não basta para reverter o quadro de desnutrição?

A médica explica que a desnutrição está associada a um processo inflamatório crônico, em que há um desequilíbrio entre os antioxidantes e os pró antioxidantes.

“Para a gente conseguir fazer esse controle inflamatório, é necessário ter os antioxidantes, que são as vitaminas e minerais. O paciente desnutrido cronicamente, assim como ele tem baixo estoque de tecido adiposo, também tem baixo estoque de todas as vitaminas. Por isso, não é possível fazer uma resposta de agravo, fazendo um balanço dessas espécies reativas de oxigênio e reequilibrar”, esclarece.

Saiba mais em Metrópoles

Fonte: Metrópoles

Instagram

Comentários

Trabalhe Conosco