Não é tão incomum -

Bebê nasce com órgãos para fora, é enrolada em filme PVC e sobrevive

A pequena Dorothy Montgomery nasceu em fevereiro deste ano na Inglaterra e teve sua vida salva por um filme PVC. A bebê nasceu com alguns de seus órgãos para fora da barriga e teve seu corpinho envolvido em plástico para esperar um procedimento reparador. Com informações são do Metrópoles.

A bebê nasceu com suas trompas de falópio, ovários e intestino para fora do corpo. Ela teve uma malformação congênita (de nascença) chamada gastrosquise em que há uma abertura na musculatura próxima ao cordão umbilical que deixa os órgãos expostos.

O que é gastrosquise?

A condição ocorre em cerca de quatro a cada 10 mil gestações. Envolver o bebê em plástico ou com gaze umidificada com vaselina (que não adere aos tecidos dos órgãos expostos) é o tratamento padrão até que o bebê esteja apto para a cirurgia que reacomoda as vísceras ou para procedimentos alternativos, como o feito em Dorothy, que estimulam a cicatrização.

A mãe de Dorothy, Sadie, estava na 12ª semana de gestação quando descobriu que sua filha tinha a malformação. 

Solidão após o diagnóstico

Embora seja grave, a gastrosquise não é tão incomum. Sadie, porém, percebeu que há um silêncio de outras mães que passaram pelo quadro e que não comentam sobre suas angústias.

Após o nascimento, Dorothy ficou envolvida em plástico por algumas horas e os médicos usaram bolsas de silicone para empurrar os órgãos de volta ao lugar. Ela foi coberta com fitas curativas, sem “costurar” a menina.

Em apenas duas semanas, a própria cicatrização do organismo havia fechado o buraco. A bebê agora está saudável e tem se desenvolvido bem, sem sequelas.

Instagram

Comentários

Trabalhe Conosco