A APAE de São Pedro do Piauí celebrou o Dia das Crianças com uma bonita e grandiosa festa animada. A comemoração aconteceu no salão de eventos de uma das melhores áreas recreativas da região, no Balneário Betel. As informações são do Canal 121.

A festa organizada pela APAE e sua equipe de profissionais, contou com o apoio da Prefeitura do município, que sempre dá suporte a todas as atividades e eventualidades em prol do público atendido.

Também sempre está presente a parceria firme das Secretarias Municipais de Assistência Social, Saúde, Educação, Câmara de vereadores e Deputado Pablo Santos que juntos proporcionaram a alegria de dezenas de crianças portadoras e necessidades especiais. 

Além das parcerias governamentais, é importante ressaltar o trabalho dos AMIGOS DA APAE que sempre contribuem grandemente com todas as ações da entidade.

 

Comentar

Compartilhar Tweet 1



O mês de outubro é usado para lembrar as mulheres da importância da prevenção ao câncer de mama e do colo de útero, neste mês é realizado o “Outubro Rosa”. Para ajudar as mulheres a se lembrarem da importância da prevenção desta doença a Prefeitura de Betânia do Piauí, através da Secretaria Municipal de Saúde, realiza anualmente diversas ações voltadas para as mulheres. As informações são do Cidades em Foco.

Na manhã deste sábado, 23 de outubro, a Secretaria de Saúde promoveu o Dia ‘D’ de Preventivos, na Unidade Básica de Saúde Dirceu Arcoverde, no Centro da cidade. Desta vez, foi realizado exames preventivos e avaliação mamaria, intensificando as ações de prevenção e diagnóstico precoce ao Câncer de Mama e de Colo de Útero no município.

A primeira dama Taciana Carvalho participou do momento ao lado da vice-prefeita Luzinete Rodrigues e do secretário de saúde Claudimar Xavier. Taciana falou que as pessoas costumam falar no dia a dia sobre o amor de Deus, amor de mãe, amor de filhos, amor de amigos e muitas vezes deixa de lado o amor próprio.

Primeira dama Taciana Carvalho

“O amor próprio a gente pode demostra com o auto cuidado, escovar o cabelo querer está bonita e, principalmente, o auto cuidado com a saúde. Então esse dia é para incentivar para que todas a mulheres tenham essa consciência de que é preciso fazer um trabalho preventivo antes que possa vir acontece uma situação de um diagnóstico mais grave”, comentou a primeira dama.

O enfermeiro Domício Cordula parabenizou a secretaria de saúde e prefeitura pela realização do grandioso evento dedicado à todas as mulheres. “Esse acesso ao exame que é de extrema importância. Muitos por conta do preconceito deixam de fazer o exame e quando descobre que tem algum problema já passou do tempo de fazer o tratamento correto. e o preventivo já está dizendo é uma prevenção. Então todas as mulheres estão de parabéns por ter atendido o chamado da Secretaria de Saúde”, pontua o enfermeiro.

De acordo com o secretário de saúde Claudimar Xavier, no evento foram realizados mais de 80 preventivos e mais e 40 avaliações mamaria nas mulheres do município. “Visando cuidar da saúde das mulheres do nosso município, a Secretaria Municipal de Saúde realizou o dia D de prevenção, celebrando assim, o Outubro Rosa, para todas as mulheres poderem ser acompanhadas com um pouquinho mais de atenção e dedicar esse dia exclusivamente para elas”, finaliza o secretário.

Comentar
Sem agendamento prévio · 22/10/2021 - 16h16

Farmácia do Povo regulariza fornecimento da insulina Lantus


Compartilhar Tweet 1



A Farmácia do Povo comunica a regularização da insulina Lantus(destinada a pacientes com diabetes). O remédio será entregue a partir desta sexta-feira (22/10), na unidade de Teresina. 

A diretora da Farmácia, Wanda Avelino, afirma que nesta próxima semana, mais medicações serão disponibilizadas, como a Leuprorrelina.

Para o recebimento, é necessário que o paciente esteja com o processo ativo, devendo dirigir-se com documentação pessoal à Farmácia do Povo. Os pacientes serão atendidos sem agendamento prévio.

Em Teresina, a Farmácia do Povo funciona de segunda a sexta, das 7h30 às 17h30, à rua David Caldas, 398, Centro.

    Divulgação

 

Comentar

Compartilhar Tweet 1



Neste sábado (23/10), o Hospital Infantil Lucídio Portela (HILP) dá início a uma nova modalidade de atendimento multidisciplinar, voltado para crianças diagnosticadas com espasticidade. Intitulado Sem Dor, o projeto prevê a aplicação de toxina botulínica, com sedação, e acompanhamento ambulatorial por uma equipe composta por neurocirurgião, ortopedista, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional e enfermeiros, todos devidamente treinados para o atendimento específico destes pacientes. Em um primeiro momento, o projeto ocorrerá mensalmente e atenderá, no centro cirúrgico, 14 crianças.

A espasticidade é uma sequela neurológica, caracterizada por uma rigidez muscular que acomete boa parte do corpo de alguns pacientes que possuem paralisia cerebral, microcefalia, ou crianças com sequelas de traumatismo craniano.

“A sedação é o grande diferencial deste projeto, uma vez que o tratamento ambulatorial, realizado anteriormente na rede pública de saúde, não previa essa ferramenta e, por consequência, resultava em dores e desconto a criança. Vem daí o nome do projeto. A essência é que a gente oferte para as crianças um tratamento com a mesma projeção, mas sem dor. Um tratamento humanizado”, explica o médico neurocirurgião e coordenador do projeto, Francisco Alencar.

O acolhimento acontecerá em dois momentos. Pela manhã, crianças previamente selecionadas, serão levadas ao centro cirúrgico, onde serão avaliadas, sedadas por anestesistas e receberão a aplicação da toxina botulínica.

No turno da tarde, as atividades migram para o Ambulatório Infantil, onde essas crianças serão reavaliadas e todas as orientações de tratamento e reabilitação serão feitas, podendo ou não serem reagendadas para novas sessões. Além disso, novos pacientes também passarão pelo processo de avaliação multidisciplinar, para agendamento de aplicações botulínicas no mês subsequente.

“É um projeto inovador, que amplia, em nosso estado, a capacidade de atendimento ofertado às crianças acometidas por sequelas neurológicas e permitirá um tratamento completo e na sua plenitude, com o Hospital Infantil ofertando todo o ciclo, partindo do diagnóstico, passando pela utilização de toxina botulínica e a realização de rizotomia”, celebra o diretor do HILP, o médico ortopedista, Vinícius Nascimento.

A iniciativa é pioneira e referência em âmbito nacional. A expectativa é de que as aplicações possam ser ampliadas ao longo dos próximos meses, à medida que a demanda for crescendo.

Os pacientes atendidos pelo Projeto Sem Dor são encaminhados através da rede ambulatorial do Sistema Único de Saúde (SUS).


Fonte: Governo do Piauí
Comentar

Compartilhar Tweet 1



A blitz educativa do ‘Bora Vacinar’ vem avançando no estado do Piauí. Agora, a cidade que receberá a caravana será Floriano. A ação popular faz parte da programação da campanha de incentivo a vacinação contra a Covid-19 é uma iniciativa da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) e conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Floriano.

A blitz tem como objetivo principal orientar e incentivar a população sobre a vacinação e reforçar os cuidados que devem ser mantidos mesmo após a imunização. Em Floriano, a ação acontece a partir das 8h30min, nesta sexta-feira (22), na Praça Coronel Borges, conhecida como praça da Câmara.

A iniciativa compreende ações em espaços públicos no qual equipes de profissionais da saúde atuarão esclarecendo dúvidas e orientando sobre os agendamentos para a vacinação. Em especial, nesta edição, a blitz educativa também contará com atendimento ao público para os seguintes serviços:
– Unidade móvel;
– Testagem para infecções sexualmente transmissíveis;

O secretário municipal de saúde de Floriano, James Rodrigues, conta que o município já vem trabalhando fortemente para alcançar cada vez mais bons números na imunização contra o novo coronavírus. “Floriano tem sido referência na campanha de vacinação contra a Covid-19 e nós temos tradição em conseguir boa cobertura vacinal, por isso, vemos com uma importância ímpar participar de um chamamento como esse através do Bora Vacinar que sensibiliza a população sobre como a vacina transforma nossas vidas não só nesse período pandêmico, mas em toda a história da ciência da humanidade”, conta o secretário.

Até o momento, cerca de 37,56% dos florianenses já estão com seu esquema vacinal completo. Ao todo o Piauí já aplicou 3.693.985 milhões de doses das vacinas contra a Covid-19.


Fonte: Governo do Piauí
Comentar

Compartilhar Tweet 1



O Hospital Getúlio Vargas (HGV) vai realizar uma parceria com a Universidade Estadual do Piauí, por meio da coordenação da residência de Coloproctologia e especialização em Estomaterapia, com a Fundação Municipal de Saúde (FMS), Secretaria Estadual da Saúde, Hospital Universitário (HU) para agilizar o atendimento dos pacientes com estomias intestinais.

A reunião para definir fluxos e mecanismos de referência e contrareferência dos pacientes aconteceu nesta quinta-feira (21/10) com representantes de todos esses órgãos.

No Piauí há cerca de 700 pacientes com estomias temporárias que precisam de atendimento nessa área. “Com essa parceria, vamos intensificar o atendimento desses pacientes aqui no HGV, disponibilizando um horário em que os Coloproctologistas e residentes vão avaliar e selecionar esses pacientes para a cirurgia com intui de diminuir a fila, que hoje está em torno de 700 pessoas.

Vamos dar celeridade na reconstrução de trânsito intestinal para que esses pacientes possam ter uma qualidade de vida melhor e não fiquem, além do tempo necessário, com essas bolsas”, explica o diretor do HGV.

A professora da UESPI, Sandra Marina, explica que os pacientes com estomias temporárias precisam ser avaliados periodicamente. “Com essa parceria, nós vamos recadastrar todos os pacientes com estomias, os que têm estomias temporárias serão encaminhados para o coloprotologista para saber quem tem condição clínica e interesse para fazer a reconstituição de trânsito e, em parceria, vamos melhorar o fluxo dessas pessoas que precisam desse atendimento”, explica a coordenadora da Pós-graduação de Estomaterapia da UESPI.

Participaram também da reunião, o presidente da Fundação Municipal de Saúde, Gilberto Albuquerque, representantes da Secretaria de estado da Saúde e Hospital Universitário, diretor Clínico do HGV, Aderivaldo Andrade; diretor clínico do Centro Integrado de Saude Lineu Araujo; gerente de Enfermagem do HGV, Nirvania Carvalho, coordenador da residência em Coloproctologia, Miguel Arcoverde. além dos médicos preceptores da residência da UESPI/HGV.


Fonte: Governo do Piauí
Comentar

Compartilhar Tweet 1



O Comitê Estadual de Mobilização Social para o Controle da Tuberculose e Coinfecção TB/HIV-PI do estado do Piauí em alusão ao calendário oficial elaborou uma programação estadual em que realiza durante o período de 18 a 22 de outubro de 2021 no horário de 14:30 às 16:30 às atividades com várias temáticas em formato webinar como:  Plano Nacional pelo Fim da TB como Problema de Saúde Pública, tendo como parceria a Coordenação Geral de Vigilância das Doenças de Transmissão Respiratória de Condições Crônicas/DCCI/SVS/MS-CGDR/MS, Perspectiva para Prevenção e Tratamento das Populações Vulneráveis à Tuberculose e TB/HIV com a participação do Instituto de Doenças Tropicais Dr. Natan Portela -IDTNP/PI, o Papel das Instituições Frente às Doenças Negligenciadas como apoio do Centro de Inteligência em Agravos Tropicais Emergentes e Negligenciados -CIATEN , Diagnóstico Laboratorial e Novas Metodologias com apoio do Laboratório Central de Saúde Pública do Piauí-LACEN/PI. O papel da Rede Brasileira de Comitês na luta contra a Tuberculose com o apoio da Rede Brasileira de Comitês para o Controle da TB com representantes da CGDR/MS, Comitê Metropolitano de Minas Gerais e Comitê Metropolitano do Pará.

Importância dos Comitês para o controle da Tuberculose nos Estados diante da pandemia de Covid 19

A tuberculose, apesar de ser uma das mais antigas doenças conhecidas, ainda se constitui em um grave problema de saúde pública no mundo e também no Brasil; aproximadamente 71000 casos novos e 4600 mortes são registradas a cada ano, mesmo que seja possível ser tratada e curada.

Em nosso país, justifica-se a preocupação crescente em relação à doença, agravada pelas condições sociais em que vive a população, principalmente alguns grupos onde há maior vulnerabilidade, como povos indígenas, pessoas privadas de liberdade, em situação de rua, pessoas vivendo com HIV/Aids.       

Os comitês estaduais são instâncias regionais colegiadas, de caráter consultivo e propositivo, que tem por missão: ser um articulador entre governo e sociedade civil, buscando integração e contribuição para as políticas públicas do controle da tuberculose no país, dando visibilidade às ações de mobilização, advocacy, comunicação social, monitoramento e avaliação, com vistas à garantia da cidadania e defesa do SUS.

Para que consigam executá-la, é preciso contar com o apoio e mobilização de todos os segmentos: governo, sociedade civil, universidades, setor privado, que se disponham a auxiliar, destinar recursos seja de que ordem for, humanos, científicos, técnicos, políticos, financeiros.


Fonte: Governo do Piauí
Comentar

Compartilhar Tweet 1



No Conta pra gente dessa quarta-feira (20/10), a estudante Hiasmim Sousa explicou como desenvolveu um projeto de avaliação do perfil epidemiológico de adolescentes acometidos por HIV/AIDS, que foram atendidos em um Hospital de referência em Teresina – Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela. A transmissão está disponível no canal no YouTube da UESPI.

A estudante do curso de Enfermagem, campus Poeta Torquato Neto, em Teresina, desenvolve o projeto orientada pelo professor Mauro Roberto. Os pesquisadores analisaram Serviço de Arquivo Médico e Estatística, disponível no Hospital Natan Portela. Em sua fala, ela explica sobre os 500 prontuários coletados, relativos aos anos de 2015 a 2019, apenas 11 atendiam aos critérios do projeto: adolescentes com idade entre 12 e 19 anos, e com diagnóstico de HIV confirmado.

“Devido a pandemia, muitas dificuldades foram encontradas para fazer essa análise então pode ser que os números sejam até maiores do que observamos. É uma realidade de fato alarmante”, disse.

Ela também pontou sobre as problemáticas encontradas no desenvolvimento do projeto. Segundo Hiasmim, foram observadas que a maioria dos adolescentes eram mulheres em situação de vulnerabilidade social.

“Com os resultados constatamos a prevalência de algumas problemáticas, que são: as possibilidades desses adolescentes transmitirem mais ainda o vírus HIV por via sexual e também por via vertical (quando a mãe passa para o filho na gestação) e também as dificuldades enfrentadas pelo adolescente para falar sobre a doença. Esse segundo ponto influencia diretamente no enfrentamento da doença, no que diz respeito a falar sobre e buscar a ajuda necessária”.

Após a finalização do projeto, o professor e a aluna estão elaborando um artigo que contribuirá para a adoção de medidas preventivas e assistenciais voltadas à essa população. “O nosso objetivo é criar uma sementinha no coração de todas as pessoas no quesito saúde pública e um atendimento humanizado. Buscamos impactar para que as pessoas falem sobre o HIV/AIDS e que tem tratamento e desmistificar todos os tabus existentes”, enfatiza.

Você pode conferir a live completa no canal no YouTube da UESPI:

 


Fonte: UESPI
Comentar

Compartilhar Tweet 1



O Governador do Estado, Wellington Dias, e o secretário de Saúde, Florentino Neto, realizam uma visita ao canteiro de obras da Nova Maternidade de Referência do Piauí, localizada na avenida Presidente Kennedy, zona leste de Teresina. A visita acontece nesta quarta-feira (20/10), às 8h. A Nova Maternidade está com 70% da estrutura concluída, sendo uma obra do Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi).

A Nova Maternidade de Referência do Piauí vai trazer um conceito novo de unidade neonatal para todo o estado e deve se tornar a maior referência na área. A nova maternidade é uma obra do Governo do Estado, construída por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi). A previsão de conclusão da obra e entrega é dezembro de 2021.

Para o secretário Florentino Neto, a obra vai mudar o conceito de saúde neonatal dentro do estado do Piauí, sendo uma das maiores do país. “Vamos contar com um centro especializado na saúde neonatal que será uma referência para todo o Piauí, além de trazer mais qualidade para os serviços de saúde também ajudará a desafogar outras maternidades do estado, garantindo maior resolutividade para todas as unidades, agilizando o atendimento da população”, explicou o gestor.

A nova unidade de saúde terá 286 leitos, 115 deles destinados à terapia intensiva, com 20 unidades de UTI materna e 30 leitos de UTI neonatal. Além disso, mais 45 leitos de cuidados intermediários e 20 leitos intermediários Canguru, espaço destinado para o acolhimento de mãe e bebê, permitindo que a mãe fique mais próxima do filho após o parto.


Fonte: Governo do Piauí
Comentar
Salas de vacina da capital · 18/10/2021 - 10h19 | Última atualização em 18/10/2021 - 10h57

Teresina aplica mais de 3.340 doses no dia D da multivacinação


Compartilhar Tweet 1



Um total de 3346 doses de vacina foram aplicadas no último sábado (16), dia D da Campanha Nacional de Multivacinação para a Atualização da Caderneta de Vacinação de Crianças e Adolescentes. A mobilização segue até o dia 29 de outubro em todas as salas de vacina da capital.

Neste dia, 19 Unidades Básicas de Saúde abriram exclusivamente para atender crianças e adolescentes até 15 anos que estavam com doses atrasadas de qualquer um dos imunizantes previstos no calendário desta faixa etária. O local que mais vacinou foi a UBS do Saci, com 366 doses aplicadas, onde também aconteceu a abertura oficial com representantes do Ministério da Saúde.

“Aqueles que perderam o dia D no último sábado podem se dirigir a uma UBS qualquer dia da semana e garantir as doses que seu filho precisa”, orienta a técnica da Diretoria de Vigilância em Saúde da FMS, Ayla Calixto. Ela conta que, aos fins de semana, a FMS mantém quatro salas abertas das 7h às 19h para atender os filhos de pessoas que não puderam ir durante a semana: UBS Parque Brasil (zona Norte), UBS Porto Alegre (zona Sul), UBS Santa Isabel (zona Leste) e UBS Renascença (zona Sudeste).

    (Foto: Ascom/FMS)

A multivacinação é uma estratégia onde em um único momento são oferecidas as vacinas do Calendário Nacional de Vacinação, facilitando assim a ida dos pais ou responsáveis ao serviço de saúde para atualização das vacinas das crianças e dos adolescentes. Ao todo, o Ministério da Saúde oferece 18 vacinas para crianças e adolescentes, cujo calendário é elaborado a partir de estudos que demonstram como uma vacina pode proporcionar o máximo de eficácia e proteção contra as doenças imunopreveníveis.

Doses administradas em intervalos inoportunos ou com número de doses insuficientes podem prejudicar o objetivo do programa de vacinação, uma vez que a proteção individual e coletiva passa a não ser alcançada e, com isso, as doenças que foram eliminadas podem retornar ou mesmo ter mudanças no seu comportamento epidemiológico, passando a acometer também adolescentes e adultos jovens.


Fonte: Prefeitura de Teresina
Comentar
Tratamento exige quimioterapia · 17/10/2021 - 10h11

Linfoma de Hodgkin é um tipo de câncer raro e que tem cura


Compartilhar Tweet 1



Linfoma menos frequente do que outros tipos, o linfoma de Hodgkin tem incidência de três casos por 100 mil habitantes no Brasil, por ano, disse hoje à Agência Brasil o chefe do Serviço de Hematologia do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), Ricardo Bigni.

Em um recorte geográfico, as regiões que concentram mais casos são a Sudeste e Sul, seguidas das regiões Nordeste, Centro-Oeste e Norte. Referência no estado no tratamento desse câncer, o Inca atende anualmente cerca de 70 pacientes com linfoma de Hodgkin.

Dois casos recentes com esse diagnóstico foram os do comentarista esportivo Caio Ribeiro e do jogador de futebol David Brooks, do Bournemouth, da Inglaterra. De acordo com estimativa do Inca, em 2020, foram registrados 2.640 novos casos no país, sendo 1.590 em homens e 1.050 em mulheres.

O linfoma de Hodgkin é um câncer que se origina no sistema linfático, que é uma parte do sistema imunológico, de defesa do organismo. “É um dos tipos de câncer que tem cura", disse Bigni ao destacar que o diagnóstico precoce favorece a chance de cura já que esse tipo de linfoma tem evolução ao longo de meses. “Faz diferença se você puder fazer a detecção mais precocemente. A chance de se obter a cura é maior”.

O tratamento exige quimioterapia intravenosa. A radioterapia também pode ser prescrita pelo médico, em casos específicos, para potencializar os efeitos da quimioterapia. “Em geral, é feita uma complementação, para determinados tipos de casos”. Alguns pacientes precisam fazer uso de medicamentos orais de suporte.

“A gente consegue minimizar a intensidade do tratamento de acordo com o estágio da doença”, afirmou Bigni. Em pacientes com a doença em estágio mais avançado, o tratamento dura, em média, seis meses. Em casos mais precoces, a cura pode ser obtida em prazos mais curtos, “de acordo com o caso”.

Em geral, os tumores do linfoma de Hodgkin se manifestam no pescoço e no tórax. Em estágios avançados, pode haver manifestações no abdômen e na medula óssea. O linfoma acomete principalmente adolescentes e adultos jovens, mas também pode ocorrer em idosos.

Sintomas

Médico há 20 anos do Serviço de Hematologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Roberto Magalhães informou à Agência Brasil que o linfoma de Hodgkin provém, de maneira geral, dos gânglios linfáticos.

O sintoma principal que costuma aparecer é uma íngua, ou caroço, isto é, um aumento de um linfonodo, na linguagem médica. "Ele pode emergir em qualquer região dos nossos gânglios. Portanto, pode aparecer na região do pescoço, das axilas, na região inguinal e até nos órgãos linfoides que estão no nosso tórax e nosso abdômen”.

Outros sintomas, chamados na terminologia médica de sintomas B, podem surgir associados ao tumor. Um deles é a perda de pelo menos 10% do peso em seis meses, de maneira inexplicada. “Essa perda de peso é algo significativo. É estranho e tem de ser investigada”. Outros sintomas incluem febre vespertina persistente, mas sem outros sintomas gripais; sudorese noturna que, eventualmente, leva a pessoa a trocar a roupa da cama e coceira no corpo.

Diagnóstico

O diagnóstico da doença requer o conceito da multidisciplinaridade. Caso apareça um nódulo suspeito, é preciso fazer uma biópsia. Um patologista especialista em hematologia é responsável pelo diagnóstico e, em se confirmando que se trata de um linfoma de Hodgkin, o paciente é encaminhado a um hematologista para iniciar o tratamento.

Cabe ao hematologista verificar o estágio ou grau de acometimento da doença. “A doença pode ser altamente localizada; pode pegar só uma região de linfonodos, por exemplo em cima do tórax ou embaixo do abdômen; pode ser uma doença que esteja em cima do tórax ou do abdômen; e, além disso, pode envolver algum órgão que está fora dos linfonodos, como o baço ou fígado. Tudo isso é muito importante na fase inicial”.

Para fazer essa avaliação, o hematologista usa as técnicas de imagem, a cargo de um radiologista que pode fazer uma tomografia para saber que órgãos foram acometidos. “Eventualmente, é necessário incluir também a biópsia da medula óssea porque, às vezes, a medula óssea, que é o local onde se produz o sangue, pode estar acometida”, explica Roberto Magalhães.

Desafios

O médico hematologista da UFRJ explica que após o tratamento ainda é preciso acompanhar a evolução do paciente. “A gente só diz que o paciente está curado, em hemoterapia, quando ele ficar cinco anos em remissão completa”.

Durante esses cinco anos, o paciente dever fazer exames de imagem a cada seis meses nos primeiros dois anos, passando depois disso para exames anuais. Caso a doença volte, Roberto Magalhães informou que há opção ainda de tratá-la com transplante autólogo de medula óssea. “Há taxas de curabilidade em pelo menos 50% dos casos”.

O hematologista admitiu que há desafios para o tratamento na área de remédios antigos que estão desaparecendo das prateleiras, o que pode prejudicar muito os pacientes do SUS que não têm recursos para ter acesso a remédios mais modernos e sofisticados que estão surgindo.

Magalhães informa ainda que não há estudos que comprovem o que provoca o surgimento desses tumores linfoides e linfomas. “Não existe uma causa específica. São fatores genéticos e ambientais a que as pessoas se expõem que podem gerar isso, mas não existe uma regra”.

Estudos mostram a associação do linfoma de Hodgkin com o vírus da mononucleose, mas isso não quer dizer que todo mundo que teve mononucleose vai ter o linfoma, salientou Magalhães. “São diversos fatores. A gênese do linfoma é multifatorial"


Fonte: Agência Brasil
Comentar

Compartilhar Tweet 1



Acontece neste sábado (19/10) em 19 Unidades Básicas de Saúde de Teresina o dia D da Campanha Nacional de Multivacinação para atualização da caderneta de crianças e adolescentes. Em Teresina, a abertura aconteceu na UBS do bairro Saci e contou com a participação de representantes do Ministério da Saúde, além de grande adesão da população.

    Divulgação

A multivacinação é uma estratégia onde em um único momento são oferecidas as vacinas do Calendário Nacional de Vacinação, facilitando assim a ida dos pais ou responsáveis ao serviço de saúde para atualização das vacinas das crianças e dos adolescentes. Foi o caso de Socorro Nascimento, que levou seu filho Jeferson, de 14 anos, e os sobrinhos Pietro e Isis, de 10 e 5 anos. “Eu vejo esse momento como muito importante, pois todos devem vacinar seus filhos”, disse a mãe, que sempre vai à UBS para vacinar e consultar as crianças da família.

Rosana Leite de Melo, Secretaria Extraordinária de Enfrentamento ao COVID – SECOVID do Ministério da Saúde e representante do Ministro Marcelo Queiroga, ressaltou que mesmo os adolescentes que tenham tomado a vacina contra a covid podem participar da campanha, pois a orientação mais recente do órgão é que não é necessário fazer um intervalo entre as vacinas. “Este é o momento sim de aproveitar atualizar o calendário vacinal, pois tem um grande número de doenças que a gente consegue prevenir com a vacinação, haja vista o sarampo que tem aparecido em nosso país e nós podemos eliminar com a vacinação”, disse.

    Divulgação

O Prefeito de Teresina, Doutor Pessoa, também ressaltou a importância da imunização nesta faixa etária. “Nessa avaliação da infância e adolescência,
o Brasil é considerado o país com maior preocupação preventiva através da vacinação. No dia de hoje, essa preocupação não é apenas com a vacina do coronavírus, e sim de modo geral, da prevenção de várias doenças que tem aí no mundo”, declarou o prefeito.

Segundo o presidente da FMS, Gilberto Albuquerque, Teresina foi considerada exemplo de regularidade por seguir todas as metas das campanhas de vacinação e seguir à risca todas as orientações do Plano Nacional de Imunização – PNI. “Isso nos credenciou a ser modelo para o brasil, o que é um reconhecimento pelo trabalho que a gente tem feito”, disse.

    Divulgação

A campanha segue até as 17h e está disponibilizando as 18 vacinas do calendário da infância e adolescência. “Compareçam, façam sua parte e vamos imunizar nossas crianças e adolescentes”, convida o presidente.

    Divulgação

Campanha Nacional de Multivacinação para Atualização da Caderneta de Vacinação da Criança e do Adolescente

Dia D: 16/10/2021                          

Horário: 8h às 17h

Postos de Vacinação

Zona Sul

1. UBS Leônidas Antônio Deolindo (Saci) - ABERTURA

2. UBS Maria De Jesus Carvalho (Porto Alegre)

3. UBS Cristo Rei

4. UBS Dr. Francílio Ribeiro De Almeida (Angelim)

Zona Norte

1. UBS Cecy Fortes

2. UBS Santa Maria Da Codipi

3. UBS Buenos Aires

4. UBS Dr. Marcos Guedes (Nova Teresina)

5. UBS Dr. Antônio Noronha (Parque Brasil)

Zona Leste

1. UBS Vila Bandeirante

2. UBS Dr. Américo De Melo Castelo Branco (Santa Isabel)

3. UBS Piçarreira

4. UBS Maria Dulce Da Cunha Sena (São João)

5. UBS Mama Mia       

Zona Sudeste

1. UBS N. Senhora Da Guia

2. UBS Pe. Mário Roche (P. Esperança)

3. UBS Alto Da Ressurreição

4. UBS Dr. Reginaldo M. Castro (Renascença)

5. UBS Dr. Helvídio Ferraz

Comentar

Compartilhar Tweet 1



A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) já enviou todas as vacinas para que os municípios façam a retirada nas regionais de saúde e possam realizar o Dia D da campanha de multivacinação neste sábado (16/10). 

As vacinas começaram a ser enviadas no início do mês de outubro, como explica o superintendente de Atenção à Saúde e Municípios, Herlon Guimarães. “As vacinas já estão com as regionais de saúde, possibilitando, que os municípios possam fazer a retirada e realizem sua vacinação. Desde o começo do mês estamos enviando os imunizantes e nesta sexta-feira (15/10), encaminhamos mais doses para as regionais de saúde”, disse. 

O Dia D da campanha de multivacinação, que acontece neste sábado (16/10), busca colocar em dia a imunização de crianças e adolescentes até 15 anos. São 14 tipos de vacinas até os sete anos de idade e outras oito até os 15 anos. “Essa é uma preocupação da Sesapi, que permanece vigilante não só para a Covid-19, mas também para todas as outras doenças”, lembra o superintendente. 

A pandemia da Covid-19 também acentuou em 2020 a queda na procura por essas vacinas de rotina, o que aumenta a chance de que doenças consideradas erradicadas possam voltar a circular ou aquelas que vinham com baixos índices cresçam. No Piauí, a cobertura vacinal das dessas vacinas está abaixo da meta estipulada pelo Programa Nacional de Imunização de 95% do público alvo.

“Infelizmente nossa cobertura vacinal está baixa, chegando a pouco mais de 70% em alguns casos e esses índices baixos de vacinação aumentam os riscos para doenças imunopreveníveis, como coqueluche, poliomielite, sarampo, caxumba, rubéola, varicela, meningite meningocócica e pneumocócica, gastroenterite por rotavírus, hepatites A e B, entre outras. Por isso pedimos que as pais e responsáveis procurem os postos de saúde e atualizem a carteira de vacina de suas crianças”, reforça o secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto. 

Vacinas ofertadas até 07 anos

•    BCG
•    Hepatite B
•    Pentavalente
•    Pólio inativada
•    Pólio oral
•    Rotavírus
•    Pneumocócica 10- valente
•    Meningocócica C
•    Febre amarela
•    Tríplice Viral
•    DTP
•    Hepatite A
•    Varicela

Vacinas ofertadas para a faixa etária dos 07 a menores de 15 anos
•    Hepatite B
•    Febre amarela
•    Tríplice Viral
•    Difteria e tétano adulto
•    Meningocócia ACWY
•    HPV quadrivalente

Comentar

Compartilhar Tweet 1



Este mês é lembrado mundialmente como Outubro Rosa para alertar a população, em especial as mulheres, quanto à luta contra o câncer de mama. Durante este período, a Maternidade Dona Evangelina Rosa realiza diversas ações para conscientizar as pacientes quanto ao diagnóstico precoce da doença e despertar o autocuidado nas mulheres.

Uma dessas ações foi executada pelos estagiários do 8º período de nutrição de uma faculdade da Teresina, juntamente com a preceptora e nutricionista Ruthe Pessoa e o evento aconteceu nos dois turnos. Os profissionais realizaram atividades, sensibilizando em relação aos cuidados e a prevenção do câncer de mama. Estas atividades incluíram palestra com a nutricionista Ivânia, especialista em oncologia, que abordou sobre a temática.

“As pacientes viveram um dia atípico dentro da MDER. Durante a palestra também foram abordados os mitos e as verdades com relação à alimentação x câncer”, pontuou Ruthe.

As pacientes também participaram de dinâmicas, receberam panfletos e folders, além de brindes e lanche saudável para as mães internadas que ficam ociosas no ambiente hospitalar, oferecendo um dia diferente para as pacientes.

Comentar

Compartilhar Tweet 1



A Secretaria de Estado da Saúde,  através da Gerência de Atenção à Saúde Mental realizou na manhã desta quinta-feira (14), uma ação no pátio da Sesapi em alusão ao Dia Nacional de Saúde Mental, celebrado no último dia 10 de Outubro. Durante a ação, foram comercializadas e expostas obras dos assistidos pelos serviços residenciais terapêuticos do Pirajá, Leste e do Centro de Atenção Psicossocial.  Na programação também foi disponibilizado o serviço de auriculoterapia e uma reflexão sobre a importância da saúde mental na atualidade.

A gerente de Saúde Mental da Sesapi, Virginia Pinheiro, destacou a importância de se discutir sobre as políticas direcionadas a saúde mental e a atenção psicossocial. “O dia alusivo destaca a política de saúde mental como direito ao fortalecimento da rede de atenção psicossocial. Trabalhamos informações sobre a importância de se identificar, diagnosticar e direcionar os cidadãos aos serviços disponíveis na rede de atenção casos que possam ser ajudados”, explica a gerente.

Ela ressaltou que o evento realizado hoje buscou mostrar o protagonismo dos usuários dos serviços da rede de atenção psicossocial. “Nesse momento, levar o trabalho das pessoas assistidas para o público mostra como é importante ter serviços que se integrem com eles, garantindo um progresso humanizado e com atenção especializada e de qualidade para todos”, reforça a psicóloga.

 


Fonte: Governo do Piauí
Comentar

Compartilhar Tweet 1



Alunos do curso de Ciências Biológicas da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) de em São Raimundo Nonato Uma estão desenvolvendo uma membrana capaz de cicatrizar feridas. A proposta é contemplada pelo Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic) e tem como objetivo avaliar a atividade antimicrobiana e assim comprovar a ação cicatrizante da fórmula.

A membrana começou a ser formulada em 2018, durante o doutorado da professora Solranny Cavalcante, docente do curso de Ciências Biológicas no campus Campus Prof. Ariston Dias Lima. O biomaterial é formado de Quitosana (produzida a partir da quitina encontrada em crustáceos), colágeno e 2,3-dihydrobenzofuran (substância extraída da própolis).

“Esse é um projeto muito promissor, pois a membrana pode ser de grande ajuda como agente antimicrobiano e também na cicatrização de feridas, além de ser um biomaterial de baixo custo”, destacou Isabela Viana, bolsista do projeto e acadêmica do 7º período de Biologia.

O trabalho tem como foco a cicatrização de feridas causadas pela Leishmaniose Cutânea. Segundo a docente que executa a pesquisa, professora Solranny, a lesão causada pela doença é de difícil recuperação. “Hoje, o tratamento que está disponível para a cicatrização dessas feridas é bastante agressivo. A partir dessa membrana, o tratamento poderá ser mais rápido, prático e mais barato”, explicou.

Testes e Resultados

Foram realizados testes com a membrana, In Vitro (em células queratinosas) e In Vivo (em microcrustáceos), a fim de descobrir sua toxidade. Os resultados comprovaram que a substância não é tóxica e que ela é biocompatível com os organismos testados; além disso, verificaram que ela auxilia para que não ocorra infecções secundárias.

Para a obtenção de mais resultados, a professora Solranny pontua que é necessário realizar etapas de testes em camundongos e ratos, para que mais comprovações de eficácia possam ser confirmadas.


Fonte: Governo do Piauí
Comentar

Compartilhar Tweet 1



O governador Wellington Dias se reuniu na tarde de quarta-feira (13/10), com representante nacional do Conselho Nacional de Secretarias municipais de Saúde – CONASEMS, Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Piauí (COSEMS-PI) e secretário de saúde com o propósito de estabelecer metas na saúde no Estado, como o incentivo para bater metas de vacinação contra a COVID-19 e cofinanciamento dos estados e municípios para a redução de mortalidade infantil e de gestantes.

Na reunião, foi discutido o incentivo financeiro para a vacinação com o compromisso por parte do Estado para estender esse incentivo até o mês de dezembro, para alcançar a meta de 80% da população com pelo menos a primeira dose. “Nós pactuamos nessa reunião solução para problemas importantes. De um lado, a área da vacina. o Estado vai manter a prorrogação do incentivo para que a gente consiga até o mês de dezembro atingir a meta de 80% da população com pelo menos a primeira dose e trabalhar dentro do regramento a segunda dose e a dose de reforço”, conta o governador.

De acordo com Wellington, cerca de 70 municípios piauienses estão abaixo da meta do próprio Estado, necessitando um olhar especial para esses municípios. “Cerca de 70 municípios estão abaixo da média do próprio Estado, então há a necessidade de acelerar a vacinação. E inclusive, com a possibilidade de premiação para cidades que estão acima da média nacional”, explica.

O diretor financeiro do CONASEMS, Hisham Mohamad, conta sobre o compromisso do Estado nos temas debatidos durante a reunião. “Durante essa reunião foi pleiteado o incentivo para a vacinação. Tem um compromisso aqui do governador para estender a pedido do COSEMS até o mês de dezembro, além da contrapartida estadual na redução da mortalidade materno-infantil, então aportar recursos para os municípios para essa situação”, destaca Hisham.

Para a presidente do COSEMS-PI e secretária de saúde de Oeiras, Auridene Moreira, o incentivo estadual é de extrema importância para o avanço da vacinação em municípios que estão abaixo das metas. “Entendemos que é uma forma de incentivar os municípios para que cada vez mais tenhamos condição não apenas de operacionalizar a vacina dentro dos municípios, mas ainda uma forma de incentivar para que esse registro seja feito na base de dados para que chegue a nível nacional. Então essa pactuação foi feita agora para que haja uma prorrogação até o mês de dezembro, onde devemos pactuar metas onde os municípios terão que atingir algumas metas para que tenhamos condições para fazermos uma continuidade desse repasse durante esses três meses”, declarou.

Outro ponto discutido durante a reunião é o cofinanciamento do Estado no objetivo de instalar políticas que visam a diminuição da mortalidade infantil e de gestantes. “Aqui estamos acertando a partir de um grupo de trabalho o objetivo do cofinanciamento de sustentar uma política para redução de mortalidade infantil e de gestantes e com isso alcançar melhores resultados salvando vidas”, destacou o governador Wellington Dias.


Fonte: Governo do Piauí
Comentar

Compartilhar Tweet 1



O Hospital Getúlio Vargas (HGV) começou, nessa terça-feira (12/10), a realizar consultas e exames nas funcionárias como forma de participar da campanha Outubro Rosa. Serão ofertados cem consultas e exames físicos e de mamografia durante todo o mês de outubro.

Para o coordenador da Clínica de Ginecologia, o mastologista Pedro Vitor Lopes, essa é uma forma de incentivar o rastreio mamográfico, visando identificar o diagnóstico precoce do câncer de mama. “Hoje, é o câncer que mais mata e o segundo mais frequente entre as mulheres. Essa é uma iniciativa importantíssima no sentido de conscientizar as mulheres em buscar o diagnóstico precoce, já que o câncer de mama, quando diagnosticado precocemente, tem 100% de cura”, explica o médico.

A funcionária Lêda Maria de Sousa, trabalha há 30 anos no HGV e diz que a iniciativa foi ótima. “Muita gente não tem oportunidade de fazer o exame porque trabalhou o dia todo e agora podemos fazer no próprio local de trabalho. Achei muito bom!”, conta.

O mesmo acontece com a auxiliar administrativa, Maria das Graças Fortes, que trabalha no HGV há 33 anos e nunca tinha tido essa oportunidade. “Foi muito boa essa atitude, porque a gente não tem oportunidade de fazer o exame e agora vamos fazer aqui mesmo no HGV”, explica a funcionária.

O diretor-geral do HGV, Osvaldo Mendes, destaca que todos os anos o HGV contribui com a Campanha Outubro Rosa e, desta vez, resolveu priorizar as próprias colaboradoras que não têm oportunidade de fazer o exame em outro local. “Faremos palestras para conscientizar sobre a doença e a importância da prevenção e do diagnóstico precoce. Também vamos ofertar consultas e exames clínicos e de imagem para as mulheres acima de 40 anos, que trabalham no HGV”, explica o gestor.


Fonte: Governo do Piauí
Comentar
224 cidades serão contempladas · 13/10/2021 - 08h38

Sesapi realiza dez mutirões de cirurgias em três meses


Compartilhar Tweet 1



A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), através da Coordenação Estadual de Cirurgias Gerais e Laparoscópicas, já realizou dez mutirões de cirurgias nos últimos três meses. A previsão é realizar mais dez mutirões até o mês de dezembro, contemplando os 224 municípios do Piauí no ano de 2021.

Os últimos dez mutirões de catarata foram realizados nas cidades de Piripiri, Cocal, Parnaíba, Bom Jesus, Corrente, São Raimundo Nonato, Campo Maior e Demerval Lobão. 
No mutirão mais recente foram realizadas 80 cirurgias pediátricas, no período de 06 a 10 de outubro, na cidade de Luzilândia. Foram feitas cirurgias de hérnia inguinal, gástrica e umbilical; orquidopexia (operação para corrigir um testículo não descido); Frenectomia (retirada do freio lingual ou labial); postectomia (circuncisão ou remoção do prepúcio); sinequias vulvar (correção de vagina fechada); cisto no couro cabeludo; cisto sinovial e hidrocele (cisto em torno do testículo).

Os próximos mutirões de catarata serão realizados nas cidades de Uruçuí (dias 05 e 06/11); Canto do Buriti (dias 08 e 09/11); Floriano (período de 11 a 13/11); Esperantina (período de 15 a 17/11) e Luzilândia (dia 19/11), que devem totalizar 1.786 cirurgias. 

De acordo com o secretário Florentino Neto, vivemos uma estabilidade na pandemia onde é possível voltar com os mutirões. “Através dos mutirões, nós conseguimos reduzir as filas, tanto nos hospitais do interior, quanto da capital. São pessoas que estavam à espera de uma cirurgia e, com a realização do mutirão, poderão ser atendidas no hospital próximo de onde moram, o que proporciona mais comodidade a esses pacientes”, diz o gestor.

 

Comentar
'Meu Fluxo Humanizado' · 09/10/2021 - 16h53 | Última atualização em 09/10/2021 - 17h23

Empresa faz campanha para arrecadar absorvente no Norte do Piauí


Compartilhar Tweet 1



A empresa campomaiorense ‘Espaço Dayse Almeida’, iniciou nesta sexta-feira (08) uma campanha intitulada de: ‘Meu Fluxo Humanizado - Campo Maior sem pobreza menstrual’, para arrecadar absorventes que serão doados para meninas e mulheres em situação de vulnerabilidade socioeconômica. As informações são do Campo Maior em Foco.

Segundo a proprietária e idealizadora do projeto, Dayse Almeida, a iniciativa de realizar a campanha, veio através de pesquisas sobre o tema, decidindo que a arrecadação será em comemoração ao aniversário de 04 anos que o espaço fará este mês.

“O espaço faz aniversário na semana que vem e o objetivo desta iniciativa é que, no dia do aniversário, iremos distribuir inicialmente 100 kits de higiene, onde posteriormente, o espaço ficará sendo ponto de referência para as meninas e mulheres que querem ter acesso a esse material e não tem condição de comprar os kits vão ficar disponíveis no meu espaço”. Explicou Dayse Almeida.

Essa pauta vem sendo bastante discutida, após ser informado nesta quinta-feira (07/10), que o presidente Jair Bolsonaro vetou o projeto que previa a distribuição gratuita de absorventes para estudantes de baixa renda de escolas públicas e mulheres em situação de rua ou de vulnerabilidade extrema. Segundo a justificativa, o veto ocorre porque o texto não estabeleceu a fonte de custeio.

Uma pesquisa divulgada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) revelou que mais de 4 milhões de meninas não possuem acesso a itens de cuidado menstrual no Brasil. Isso acaba atrapalhando atividades fundamentais para o desenvolvimento como brincar, frequentar a escola e praticar atividades físicas.

Ainda segundo a proprietária, o desejo dela é que o espaço após essa campanha, se torne centro de referência para a busca gratuita desses materiais, além de expandir a doação para áreas mais distantes do centro do município.

“Posteriormente eu estou tentando organizar uma forma de levar esses kits a outros pontos de distribuição que vai ser uma segunda etapa do processo”. Finalizou a proprietária.

Comentar
Normatização de consultas · 09/10/2021 - 08h24 | Última atualização em 10/10/2021 - 07h08

Enfermeiros de cidade do Piauí já podem prescrever medicamentos e solicitar exames


Compartilhar Tweet 1



A secretaria de saúde do município de Barras, Luana Pinheiro Lages, assinou a portaria que permite ao profissional de enfermagem prescrever e a transcrever medicamentos, além da solicitar exames de rotina e complementares pelos enfermeiros na atenção básica nas unidades assistenciais públicas de saúde do município de Barras, no Piauí. As informações são do Longah.

A portaria tem o objetivo de normatizar a consulta de enfermagem. Agora, o enfermeiro pode solicitar exames complementares de rotina e de seguimento do paciente desde que enquadrados nos programas de saúde pública do município e dos protocolos estabelecidos pelo Ministério de saúde.

"Essa portaria assinada permite que os profissionais de Enfermagem atuem de acordo com as resoluções de normatização vigentes. Estamos legitimando um direito que é deles", disse a secretária Luana Lages.

A prescrição e transcrição de medicamentos tanto quanto a solicitação de exames de rotina ou complementares pelo enfermeiro deverão ser realizadas em receituário padronizado da Secretaria Municipal de Saúde de barras identificadas com carimbo e o número da inscrição do Conselho Regional de enfermagem Coren Piauí.

Comentar

Compartilhar Tweet 1



O governador Wellington Dias anunciou, nesta sexta-feira (08/10), que o Estado distribuirá absorventes a estudantes matriculadas nas escolas da rede estadual. A medida é uma forma de ajudar a resolver questões ligadas à chamada pobreza menstrual e será realizada por meio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc).

“O nosso intuito é proporcionar que as nossas alunas da rede estadual tenham acesso à higiene e que a falta de um absorvente não seja mais um fato para a evasão escolar no Piauí, porque muitas alunas se sentem envergonhadas e deixam de ir à escola por não ter este item de higiene. Oferecer absorvente gratuito é também promover a saúde, não podemos permitir que as nossas meninas não tenham acesso ao básico”, disse o governador.

A distribuição terá como base o Censo Escolar e a estimativa é que mais de 107 mil meninas, a partir de 9 anos, sejam beneficiadas com a distribuição de absorventes. As escolas receberão recursos para adquirir os produtos, elas serão responsáveis pela aquisição e distribuição, conforme a necessidade das estudantes.

“Essa ação pode parecer pequena, mas irá melhorar a qualidade de vida de muitas meninas que não têm acesso a esse produto de higiene. A questão da pobreza menstrual tem tirado muitas adolescentes da escola, fazendo com que elas sofram bullying, por isso, a distribuição do absorvente é tão importante”, afirmou o secretário de estado da educação, Ellen Gera.

O secretário destacou ainda que a distribuição começa no próximo mês. “Estamos trabalhando para que o repasse de recursos aconteça até o final desse mês e a distribuição para as estudantes aconteça a partir do mês de novembro”, detalhou o secretário.

Professora de português do Ceti Moaci Madeira Campos, Márcia Regina Rosa Veloso conta que para muitas famílias, absorvente é um item caro e que já ajudou muitas alunas a comprar o produto. “Por várias vezes comprei absorvente para minhas alunas. Já ouvi relatos de estudantes que faltaram aula por não ter absorvente em casa, nem dinheiro para comprar. Muitas usavam paninhos e até papel higiênico. As pessoas têm vergonha de falar sobre isso, mas é mais comum do que se imagina. Acredito que a distribuição desse item de higiene feminina ajudará na frequência, na autoestima e na confiança das meninas”, relembrou.

Joana Raliny, 16 anos, estudante da 2ª série do Ensino Médio do Ceti Moaci Madeira Campos, relata já ter sofrido bullying por ter se sujado na escola durante o período menstrual. “Aconteceu e foi uma situação muito constrangedora. Cheguei a faltar aulas depois disso porque fiquei com muita vergonha. A distribuição de absorventes e a certeza de ter esse material de higiene na escola é algo muito importante, pois mesmo sabendo que é algo que acontece todo mês, pode ser que algumas vezes nos pegue de surpresa durante a aula. Muitas meninas não têm ciclo regular e sentem vergonha de pedir ajuda”, afirma a estudante.

Além da distribuição de absorventes, a Seduc realizará palestras com orientação sobre as questões sociais, biológicas e emocionais que afetam a vida da mulher durante o período menstrual. “Desde junho desse ano, estamos buscando parceria com a Coordenadoria de Políticas para Mulheres para levar às escolas palestras, oficinas, formações e outras ações de proteção à mulher. Uma das pautas tratada como prioridade foi pobreza menstrual, por que precisamos ajudar toda a comunidade escolar a ver a menstruação como algo natural e biológico O nosso objetivo é fazer com que as meninas se sintam bem e respeitadas dentro do ambiente escolar e que nada atrapalhe seu direito de frequentar a escola”, finalizou Ellen.


Fonte: Governo do Piauí
Comentar
240 leitos entre clínicos · 07/10/2021 - 12h49

Maternidade Evangelina Rosa inaugura melhorias em sua estrutura


Compartilhar Tweet 1



Conhecida e reconhecida como Unidade Hospitalar de Alta Complexidade, a Maternidade Dona Evangelina Rosa (MDER) está passando por processos de melhorias e reformas com o objetivo de oferecer uma melhor assistência. A unidade de saúde atende uma média de 9 mil grávidas por ano e tem hoje aproximadamente 240 leitos entre clínicos e UTI.  A maternidade vem se adaptando, ao longo dos anos, com o objetivo de oferecer atendimento à altura de sua marca registrada à população piauiense.

Na noite desta última terça-feira (05) o secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto, esteve visitando a instituição para acompanhar o processo de melhorias. Na ocasião, foi realizada a inauguração da reforma e modernização da Farmácia, da Central de Resíduos Sólidos e da Ala F.

A nova Ala F,  são quatro enfermarias com 24 novos leitos para atender gestantes, puérperas  e bebês do estado.  “O espaço possui leitos de alojamentos conjuntos, ou seja, são 48 leitos, sendo 24 para  gestantes com 24 leitos de bebês. Com essa nova ala, vai melhorar o atendimento aos pacientes, já que é uma área totalmente nova com todo equipamento e condição de funcionamento e irá desafogar a procura, que é elevada”, destaca o médico Francisco Macêdo, diretor da MDER.

O setor da farmácia também passou por uma grande reforma, modernização e ampliação do espaço, com uma integração maior dos setores internos, objetivando intensificar segurança aos pacientes no processo de medicação. O Serviço de Farmácia é responsável pelo fluxo de toda medicação e material médico hospitalar dentro da MDER, que vai desde a aquisição até a distribuição, passando pelo armazenamento, conservação e controle. A Farmácia chega a atender cerca de 2 mil prescrições por mês.

Outro setor inaugurado foi a Central de Resíduo Hospitalar, o setor é responsável pelo gerenciamento do fluxo de resíduos, além de executar a classificação, segregação, acondicionamento e codificação para armazenamento temporário, até o recolhimento, que é realizado por empresa especializada, e levado para ser tratado e descartado.

Segundo Alisson Alves dos Santos, supervisor de Gerenciamento de Resíduos Sólidos, o descarte de resíduos possui uma grande importância. “O descarte de resíduos é tão importante na atualidade, que foram criadas várias normas e leis que regulamentam a maneira de realizar corretamente, não só o descarte, mas também o transporte, manuseio e armazenamento de resíduos provenientes de processos industriais e químicos. Na Evangelina Rosa temos todo esse cuidado com o manuseio, para realizar o descarte da maneira correta”, pontua.

O secretário de Saúde, Florentino Neto, parabenizou a equipe da Evangelina Rosa pelo trabalho que vem sendo realizado e elogiou as reformas. “Estou muito feliz em ver as melhorias de reforma e ampliação feitas nesta instituição. O trabalho em conjunto dos profissionais vem fazendo a diferença no atendimento a população”, pontuou.

O diretor da MDER, Francisco Macêdo, finalizou explicando que somente nos últimos três anos, em sua gestão, a maternidade recebeu mais de 5 milhões de investimentos entre equipamentos e obras. “Além das melhorias que estamos entregando,  foram realizadas reformas na ala administrativa, como controle interno, setor de compras, faturamento e recursos humanos (RH)”, diz o diretor que comemora ainda a aquisição de tomógrafo e agora a reforma dos banheiros que já iniciaram.


Fonte: Governo do Piauí
Comentar

Compartilhar Tweet 1



Dados do Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde apontam que o estado do Piauí apresentou um aumento de 52,7% de casos de dengue na 38° semana epidemiológica do ano em relação ao mesmo período de 2020. Os dados apontam ainda que a capital Teresina, Picos, Gilbués, Bom Jesus e Ilha Grande são os municípios piauienses que mais apresentaram casos novos da doença.

O Supervisor de entomologia da Sesapi, Ocimar Alencar, destaca que os cuidados por parte da comunidade também são essenciais para resultar em uma redução dos casos. “O boletim aponta que neste ano já foram confirmados 2.322 casos de dengue então é essencial que todos trabalhem para evitar que esse número continue aumentando. Evitem ambientes com água parada, limpeza dentro de casa e ações do poder público para limpar áreas dos municípios propícias à proliferação dos mosquitos vetores são essenciais”, destacou o supervisor.

O Boletim apresenta ainda que no Piauí, os municípios de Geminiano, Santa Luz, Ilha Grande, Palmeira do Piauí e Gilbués são aqueles com maior incidência da doença, ou seja aqueles com o maior número de casos em relação a sua população total.

“Uma ação conjunta do poder público com a sociedade é essencial nesse momento para reduzirmos o número de novos casos de dengue”, reforçou o supervisor.

 O boletim da 38° Semana epidemiológica registrou também um aumento do número de casos de Chikungunya no estado em relação ao mesmo período de 2020, o aumento foi de 35,1%.

Comentar
Campanha do Outubro Rosa · 04/10/2021 - 17h00

Piauí já registrou 275 novos casos de câncer de mama em 2021


Compartilhar Tweet 1



Na manhã desta segunda-feira (04/10) a Secretaria de Estado da Saúde(Sesapi) realizou ação, através da Coordenação de Saúde da Mulher, para a abertura da campanha do Outubro Rosa. A campanha busca conscientizar as mulheres e a sociedade sobre a importância de manter os cuidados com a saúde, da prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama e câncer do colo do útero.

A ação foi realizada no pátio da Sesapi e contou com a equipe da coordenação de saúde da mulher conversando com as servidoras da casa, além de banners informativos sobre o tema. A coordenadora de saúde da mulher da Sesapi, Auzeni Moura Fé, destaca a importância de se manter esses cuidados e a atenção com a saúde da mulher.

“Prioritariamente o rastreamento do câncer de mama deve ser feito pelas mulheres na faixa etária de 50 a 69 anos. Fora desse grupo alteração nos exames clínicos e indicação de médicos devem ser respeitadas para que possa ser feito um diagnóstico precoce de qualquer problema de saúde e um acompanhamento médico mais resolutivo. Em 2021 já foram registrados 275 novos casos de câncer de mama no Piauí, destes 70% foram diagnósticos em um estagio 2 ou 3, quando o ideal é um diagnóstico mais precoce”, explicou a coordenadora.

Ela reforça ainda que o mês de outubro chama a atenção para a pauta, mas que os cuidados precisam ser mantidos por todo o ano. “As pessoas precisam entender que o mês de outubro reforça esses chamados de atenção para as mulheres, mas que elas precisam manter os cuidados e a atenção com a sua saúde a todo o momento, ter um acompanhamento medico regular é essencial para uma qualidade de vida melhor, além de aumentar as chances de diagnóstico precoce de qualquer problema de saúde, o que melhora os resultados do tratamento”, explica a coordenadora.

O Piauí conta com 57 mamógrafos, distribuídos em 17 municípios. Em 2021 o estado já registrou a realização de 22.064 mamografias de rastreamento e diagnóstico.

O outubro rosa chama a atenção para o autoconhecimento da mulher, caso do toque ou visual a mulher perceba alguma alteração em sua mama ou corpo, é necessário a procura por um acompanhamento médico. Manchas avermelhadas; presença de liquido no mamilo, mamilo retraído, presença de nódulos na mama, axila ou pescoço são algumas das alterações que devem ser levadas até o profissional de saúde por serem sinais de risco.

“É essencial que a mulher faça o exame clínico da mama anualmente no sentido de identificar precocemente alguma alteração e assim possa ter o acompanhamento médico correto desde o começo do problema”, fala a coordenadora.


Fonte: Governo do Piauí
Comentar