Sensação de insegurança · 10/01/2019 - 15h29 | Última atualização em 10/01/2019 - 18h39

Teresina: sistema de monitoramento da PM que custou R$ 1 milhão não funciona


Compartilhar Tweet 1



As câmeras de monitoramento da Polícia Militar, que custaram R$ 1 milhão e deveriam servir para prevenir crimes ou ajudar a desvendá-los estão desativadas há três anos em Teresina.

Segundo reportagem da TV Clube, no Parque Lagoas do Norte, bairro São Joaquim, Zona Norte da capital, onde um grande número de pessoas frequentam o local para a realização de atividades físicas e de lazer, apesar de ter câmeras de monitoramento instaladas pela PM, elas não funcionam. A informação confirmada pela Associação dos Oficiais da Polícia Militar e isto vem preocupando a população.

    Reprodução / TV Clube

O vice-presidente da Associação dos Oficiais da Polícia Militar, major Diego Melo, comentou sobre o programa "Guardião Eletrônico" que mantinha cerca de 30 câmeras espalhadas pela capital, interligadas a um centro de monitoramento no quartel do comando geral da PM, mas por falta de manutenção, o sistema deixou de operar em 2016.

"O Guardião foi um projeto piloto de monitoramento por câmeras, em Teresina, que foi implantado em 2010, com investimento de mais de 1 milhão e 200 reais, que começou com 30 câmeras espalhadas em locais estratégicos, pontes, todas as entradas e saídas de Teresina, locais que como aqui no Lagoas do Norte, tem um grande volume de pessoas, e que foi abandonado porque não teve manutenção e que hoje se encontra sem funcionamento", disse o major.

    Reprodução / TV Clube

Com recursos do Governo Federal, um outro programa foi criado. Este, utilizava 16 câmeras ligadas a dois micro-ônibus, bases móveis de monitoramento. Essas câmeras também não funcionam mais e os veículos foram literalmente encostados. Um deles ficava na entrada da Vila Jerusalém, um dos locais mais perigosos da Zona Sul. 

    Reprodução / TV Clube

O outro está no estacionamento do 9º BPM, próximo ao local do Parque Lagoas do Norte. Região que, segundo o presidente da AMEPI, já experimentou situação de domínio de facções criminosas.

    Reprodução / TV Clube

A TV Clube entrou em contato com a assessoria de imprensa da Polícia Militar, que informou que a responsável pelas câmeras é a Secretaria de Segurança. Já a secretaria disse que não, que administração dessas câmeras é feita pelo Departamento de Telecomunicações da Polícia Militar. 

A comunicação da SSP divulgou uma matéria informando que, em parceria com a Prefeitura de Teresina, por meio da Guarda Municipal de Teresina, fará o videomonitoramento no Parque Lagoas do Norte, na Zona Norte da capital. O lançamento do serviço que atenderá a região será na quarta-feira (16/01), às 7h30, em solenidade no parque.


Comentários