Caso está sendo investigado · 23/05/2022 - 10h49

“Não tive intenção de matar”, diz acusada em depoimento sobre morte da filha de jornalista


Compartilhar Tweet 1



O Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), através do Núcleo de Feminicídio, segue investigando a morte de Tainah Luz Brasil Rocha, de 26 anos, morta com pelo menos 13 facadas durante uma briga em uma residência no bairro Mocambinho, no último domingo (15/05). 

As envolvidas no caso, Fernanda Maria Lobão Ayres e Geovana Thais Vieira da Silva, a acusada do crime, já prestaram depoimentos no DHPP na quarta-feira (18/05). Parte do depoimento foi divulgado pela TV Meio Norte

Segundo a defesa, a acusada agiu em legítima defesa e em prol da namorada Fernanda Ayres. Geovana Thais deu detalhes de como teria ocorrido a briga que terminou com a morte da filha do jornalista Marcelo Rocha.

“A Tainah morava em um outro estado e ela veio desse estado para Teresina e queria ver a Fernanda e eu falei que tudo bem, não tem problema nenhum não. A gente ficou bebendo normal quando chegou a noite e foi a hora dela ir embora. Quando ela tava indo embora, eu não sei o que aconteceu”. 

“Eu fui lá para fora levar ela até a porta e ela e Fernanda estavam brigando. A Fernanda estava dizendo: ‘tu sabe o que tu fez, não sei o que’. Aí elas começaram a brigar e aí eu fiquei desesperada porque quando eu olhei para o braço da Fernanda e tava cortado. Eu não tinha o que fazer, eu estava tentando tirar a Tainah de cima da Fernanda; a Tainah era muito forte, eu não tenho força”, detalhou Geovana.

A acusada, que foi liberada após uma audiência de custódia na manhã seguinte ao caso, destacou ainda que não teve a intenção de matar Tainah Luz e ainda pediu o socorro inicial após a confusão. “Eu então me desesperei, corri pra cozinha, peguei uma faca e tentei tirar a Tainah de cima dela. Então ela ficou ensaguentada, eu não tive a intenção de matar ela, parece piada, mas não é. Eu não fui num propósito de pegar a faca e ir no pescoço, coração, nada. Na hora isso não veio na minha cabeça. O que aconteceu que eu só comecei. E aí o que aconteceu, quando tirou e acalmou, a primeira coisa que eu fiz foi correr na urgência e pedir pra chamar um médico, enfermeiro pra eles irem lá salvar elas”, pontuou.

Assista!

PostMídia - (86) 98149-4646

Comentários