Tragédia familiar · 20/02/2022 - 17h44

Mãe e filho morrem eletrocutados por cerca elétrica


Compartilhar Tweet 1



Uma tragédia toma conta da família Cesconetto, que mora na localidade de São Francisco do Xavier Guandu, na cidade de Afonso Cláudio (ES), a 147 km de Vitória. Aguida Dias Cesconetto, de 63 anos, e Augusto Cesconetto, de 41 anos -mãe e filho- morreram eletrocutados em uma cerca elétrica.

Aguida Dias Cesconetto, de 63 anos, e seu filho, Augusto Cesconetto, que teria entre 40 e 41 anos, morreram em um intervalo de cerca de duas horas no interior do ES
Aguida Dias Cesconetto, de 63 anos, e seu filho, Augusto Cesconetto, que teria entre 40 e 41 anos, morreram em um intervalo de cerca de duas horas no interior do ES    Reprodução

De acordo com a Polícia Militar, Aguida saiu para pescar em um rio que corta a região por volta das 16h do sábado (19). Como se passaram duas horas e a mãe não retornou, Augusto foi procurá-la.

Segundo relatos dos familiares aos policiais militares, Augusto encontrou a mãe caída próxima a um trecho do rio. A suspeita é de que ela tenha escorregado e caído sobre uma cerca elétrica. Ao lado do local em que o corpo foi encontrado, há uma plantação de milho e uma poça de água. Por causa das chuvas que caem na região e do rio, o local estava molhado. Em contato com a cerca elétrica, Aguida levou um choque e morreu no local.

Ainda segundo a PM, o filho foi em direção ao corpo da mãe e, por já estar de noite, não viu a cerca. Ele também foi eletrocutado e morreu na hora. O Samu foi acionado e os corpos de mãe e filho levados para o Instituto Médico Legal de Cachoeiro de Itapemirim.

O UOL tentou contato com os familiares das vítimas, mas eles não quiseram gravar entrevista.

A reportagem também procurou a Polícia Civil para saber a causa exata do choque. Em nota, a corporação informou que "não há informações para passar à imprensa".

CUIDADOS COM ELETRICIDADE
De acordo com o técnico em eletricidade José de Jesus dos Santos, não é comum cercas elétricas levarem a pessoa a óbito.

"A cerca elétrica é de pulso contínuo, ou seja, sempre passa energia por ela. A pessoa morre porque ela sobe no muro, recebe o pulso contínuo, vai cair e muitas vezes bate a cabeça. Neste caso em questão [da mãe e filho], é provável que tenha algum cabo, ou fio, solto. Como estava energizado, acabou dando um choque mais forte e levando os dois a óbito", explicou o técnico.

O site da Abracopel (Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade) explica que também há a possibilidade da água estar eletrificada devido ao contato com uma fiação inadequada.

Em períodos de chuva forte e com registro de alagamentos de casas e apartamentos, o técnico em eletricidade alerta para a necessidade de se desligar os aparelhos elétricos.

"Se perceber que a água está entrando na casa, tire todos os objetos elétricos das tomadas ou desligue o disjuntor da casa", explicou. Ele ressaltou também a importância de estar com as mãos secas na hora de manusear esses objetos, para evitar descarga elétrica.

Comentários