Cumprimento de 24 mandados -

FICCO/PI combate crimes de lavagem de dinheiro, tráfico de drogas e organização criminosa

O cumprimento de 24 mandados judiciais nos estados do Piauí, Ceará, Maranhão, São Paulo e Rondônia visa combater lavagem de dinheiro, proveniente de tráfico de drogas, em contexto de facção criminosa com atuação no norte piauiense.

Foto: ReproduçãoReprodução
Reprodução

Teresina/PI. A FICCO/PI deflagrou, na manhã desta quarta-feira (7/2), a Operação LED, que investiga crimes de lavagem de dinheiro, organização criminosa e tráfico de drogas.

A ação mobilizou mais de 60 policiais para o cumprimento de 24 mandados judiciais expedidos pela Central de Inquéritos de Parnaíba. Foram cumpridos 12 mandados de prisão temporária e 12 mandados de busca e apreensão nos municípios de Luís Correia/PI, Maracanaú/CE, São Luís/MA, Itaquaquecetuba/SP e Guajará-Mirim/RO.

A investigação identificou que o dinheiro proveniente do tráfico de drogas era submetido a sucessivos depósitos, transferências e saques, com utilização de contas dos próprios investigados e de terceiros, para retornar à facção criminosa, que o utilizava para o pagamento de fornecedores na fronteira.

A Força Integrada de Combate ao Crime Organizado no Piauí - FICCO/PI - é composta pela Polícia Federal, Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Penal e Polícia Rodoviária Federal do estado, e baseia-se no modelo cooperativo, no qual trabalham de forma integrada vários profissionais que compõem mais de um órgão do Sistema Único de Segurança Pública – SUSP.

O foco dessas ações é a prevenção e a repressão à criminalidade violenta, particularmente no combate às facções criminosas, ao tráfico de drogas e armas, aos delitos de furto, roubo e receptação de cargas e valores, à lavagem e ocultação de bens, direitos e valores e demais crimes conexos, nos termos da legislação penal.

Denúncias sobre atuação de facções criminosas, foragidos da Justiça, tráfico de drogas e outros crimes podem ser encaminhadas, de forma anônima, ao endereço eletrônico: bit.ly/denunciapcphb.

Instagram

Comentários

Trabalhe Conosco