Caso será investigado · 24/05/2022 - 08h26

Com medo de assaltos, motorista expulsa passageira durante corrida em THE: 'lá só tem bandido'


Compartilhar Tweet 1



Uma mulher identificada como Valcioneide de Sousa, de 49 anos, denunciou à TV Meio Norte, um motorista de aplicativo que a teria expulsado durante uma corrida no último sábado (21/05) em Teresina. Segundo ela, o motorista se recusou a ir até seu endereço, na Vila Prainha, localizada no bairro São Pedro, na Zona Sul de Teresina. O condutor estaria com medo de ir ao local por conta dos assaltos. 

    Foto: Reprodução/ TV Meio Norte

Segundo Valcioneide, após entrar no carro do motorista, o condutor pediu para ela sair e retirou suas coisas na altura da Praça Saraiva, pois na ‘favela da Prainha só tinha quem não prestava’. Ela informou que depois da situação, procurou o 1° Distrito Policial para prestar um boletim de ocorrência, mas não conseguiu por conta do sistema da delegacia estar fora do ar. 

“Ele saiu me destratando. Dentro do carro ele já começou me destratando, que na favela da Prainha só tinha quem não prestava, só tinha bandido, só tinha marginal, ladrão. Lá tem pai de família, lá tem estudante, mãe de família, tem pessoas honestas, como todo bairro tem”, desabafou a mulher.  

    Foto: Reprodução/ TV Meio Norte

Além disso, a vítima disse ainda que na tentativa de ligar para a polícia, o motorista do aplicativo teria lhe empurrado. “Quando eu tava com o telefone ligando para a polícia, ele me deu um empurrão que eu quase caí. Estava fora de área no sábado e pediram para eu retornar na segunda-feira para fazer o boletim de ocorrência contra ele”, pontuou Valcioneide.

A reportagem da TV Meio Norte procurou a Associação Dos Motoristas Autônomos Para Transporte Privado Individual de Passageiros no Piauí (AMATEPI) para comentar o caso. De acordo com a presidente Maria do Carmo, em média, dois motoristas são vítimas de assalto por dia em Teresina, o que não justifica a atitude do colaborador da plataforma denunciado.

    Foto: Reprodução/ TV Meio Norte

“Não é que a gente discrimina os bairros, até porque dependemos dos passageiros em qualquer local que eles estiverem. Agora a violência tem estado num grau tão avançado que motoristas das plataformas já sofreram disparos em alguns bairros e isso acontece tanto de dia quanto de noite e fica difícil. Mas a gente continua aí sofrendo esse risco e alguns motoristas adentram nesses bairros que não são recomendados. Quando isso acontece,  o caminho é: relatar para as plataformas e dependendo do caso, se for uma instância maior, fazer um boletim de ocorrência. Tanto o passageiro, quanto o motorista por aplicativo”, disse. 

Confira a reportagem: 

PostMídia - (86) 98149-4646

Comentários