Motorista ficou ferido · 10/10/2017 - 18h55 | Última atualização em 10/10/2017 - 18h56

Após anunciar passagens no 'crédito', ônibus da Timon City sofrem ataques em Teresina


Compartilhar Tweet 1



Na manhã desta terça-feira (10/10) um motorista da empresa Timon City foi ferido durante um dos ataques aos ônibus da companhia. Segundo o empresário Ramon Alves, o funcionário ficou com uma pequena parte do estilhaço do para-brisa em um dos olhos.

O funcionário foi identificado como Reginaldo Rocha, ele estava conduzindo o ônibus quando o veículo na avenida Barão de Gurgueia, em Teresina, e foi atingido por uma pedra, fazendo com que um dos estilhaços atingisse seu olho. A vítima foi levada para o hospital onde precisou retirar o objeto. Ele foi medicado e não corre o risco de perder a visão.

No Facebook, Ramon Júnior, filho do proprietário da empresa Timon City, publicou um vídeo momentos depois mostrando os danos causados pelo objeto atirado contra o veículo. “Depois da inovação de cobrar as tarifas no cartão crédito, Timon City começa a ser atacada covardemente com pedras, quebrando os pára-brisas . Já foram 4 veículos só hoje! Lamentável alguns canalhas que não querem melhorar o transporte e quer intimidar um empresário que está ajudando! Espero que esses ataques não estejam partindo de um grupo de empresas de Teresina.”, diz ele em sua publicação”.

Em entrevista ao 180graus, o empresário Ramon Alves falou sobre o acontecimento. Ele classificou a ação como um ato de vandalismo. Ao todo, quatro veículos da empresa foram danificados durante a paralisação realizada pelo sindicato que acontecia em Teresina.

Proprietário da Timon City, Ramon Alves, em entrevista ao portal 180graus
  Proprietário da Timon City, Ramon Alves, em entrevista ao portal 180graus Foto: Maelson Ventura

 

“Tudo aquilo que foi feito com nossa empresa foi um absurdo, tivemos carros apedrejados, pneus furados, sequestro e uma pessoa ferida. Hoje tudo o que está sendo reivindicando a Timon City já tem: botão de pânico, monitoramento em tempo real e os arcondicionados”, informou o empresário.

Ainda não se sabe de quem seria a autoria dos crimes, mas Ramon afirma que existe um processo de investigação em aberto para que o caso seja apurado. “Esta não é a primeira vez que esse tipo de depredação acontece em nossa companhia”, disse ele.

Um dos ônibus danificados
  Um dos ônibus danificados Foto: Divulgação

 

“Não sabemos por qual motivo fomos atacados, e o porquê de somente os nossos ônibus sofreram dano. Suspeitamos que aproveitaram essa greve para nos atacar, porque a alguns dias anunciamos nos meios de comunicação a integração do cartão de crédito como forma de pagamento das passagens. Nós estamos trabalhando de uma forma diferente da que é feita pelo SETUT [Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina], onde a pessoa compra um cartão, coloca créditos e depois usufrui dos sistema. Com o cartão de crédito o passageiro paga depois que o usa o transporte coletivo, assim o usuário tem até 30 dias para pagar e pode, inclusive, parcelar a conta” explicou o empresário.

Um dos ônibus danificados durante os ataques a empresa Timon City
  Um dos ônibus danificados durante os ataques a empresa Timon City Foto: Maelson Ventura
  Foto: Maelson Ventura
  Foto: Divulgação
  Foto: Divulgação

Ainda segundo ele, a avaliação do novo sistema de pagamento tem sido vista com bons olhos pelos cidadãos, visto isso facilita o uso do transporte público. O empresário acredita que esse investimento atende a solicitação do sindicato, pois diminuiu o número de dinheiro que é transportado pelos veículos.

Questionado sobre a possibilidade de demissão dos cobradores, o empresário afirmou que dentro da empresa não existe essa possibilidade, porque os serviços de cobrança ainda será necessário dentro dos ônibus. “Mesmo com o uso do novo sistema de pagamento ainda será necessário a figura do cobrador, porque essa é só mais uma opção de pagamento, inclusive, esses colaboradores passarão por treinamento em breve para poder utilizar as máquinas que farão parte dos nossos ônibus”, concluiu.

Comentários