Política

Operação Bacuri · 04/12/2019 - 11h00 | Última atualização em 04/12/2019 - 15h39

Prisão de prefeito do PT: inteligência compartilhou informações com o Ministério Público Federal

Documentos também foram repassadas para o GAECO, segundo consta de informe do Tribunal de Contas do Piauí


Compartilhar Tweet 1



 

Por Rômulo Rocha - Do Blog Bastidores

 

_____________

- Prefeito de Bertolínia preso em operação do GAECO é alvo de investidas da rede de controle há muito tempo

______________________

_O prefeito do PT Luciano Fonseca, que claro, terá a oportunidade de realizar ampla defesa sobre as mais diversas acusações
_O prefeito do PT Luciano Fonseca, que claro, terá a oportunidade de realizar ampla defesa diante das mais diversas acusações 

DETALHES DO COMBATE À CORRUPÇÃO NO ESTADO DO PIAUÍ

Um documento da rede de controle (abaixo) revela a troca de informações existente entre alguns dos órgãos que a integram, entre eles, GAECO, TCE e MPF, tratando sobre descobertas no âmbito da gestão da Prefeitura de Bertolínia, que tinha à frente o prefeito preso na Operação Bacuri, Luciano Fonseca de Sousa, do PT. A operação foi deflagrada na manhã desta terça-feira (3).

A solicitação a informações de órgão de inteligência e informação estratégica do TCE - que, na verdade, tem sido o responsável por ajudar a municiar os demais órgãos da rede de controle no estado - foi feita pela procuradora da República Cecília Vieira de Melo Sá Leitão.

A integrante do MPF queria ter acesso a documentos que deram suporte a relatório externo de informação elaborado pelo Núcleo de Gestão Estratégica de Informação da Corte de Contas, o NUGEI. 

Em resposta, o órgão do Tribunal, após revelar a impossibilidade de evidenciar alguns dados, responde fazendo remessa de documentos das prestações de contas que seriam, segundo apurado pelo Blog Bastidores, do 180graus, referentes aos exercícios "2013-2018". Os dados também já haviam sido compartilhados com o GAECO, responsável pela operação desta terça.

"No que se trata de documentos de contas anuais, portanto, públicos, esses foram devidamente escaneados e são aqui encaminhados em mídia digital. Oferece-se, ainda, novas informações complementares sobre o referido município, informando-se que todo esse conjunto de informações foram repassados ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado - GAECO, do Ministério Público do Piauí", traz o documento publicado logo abaixo.

_Resposta a ofício
_Resposta a ofício do MPF

POLÍTICOS ALVOS DE PRISÃO E BUSCA E APREENSÃO

Na noite desta quarta-feira (03), o 180 noticiou informações com base em documentos do TCE.

A matéria intitulada Prefeito do PT preso pagou R$ 1,6 milhão a outro alvo na operação do GAECO trata de repasses da gestão de Luciano Fonseca para um posto de combustível do ex-prefeito de Sebastião Leal (que, na verdade, foi alvo de busca e apreensão e não de mandado de prisão), quando o ex-gestor José Jeconias já era impedido de contratar com o poder público devido à uma condenação imposta pela Justiça Federal por improbidade administrativa. 

Também na última noite foi publicada matéria titulada Gestão de prefeito do PT preso pelo GAECO torrou R$ 500 mil em diárias em um só ano, tratando de pagamento de diárias maiores do que salários/subsídios.

Os relatórios técnicos, porém, necessitam de contraditório junto à Corte de Contas. 

A incidência de supostos atos nada republicanos na gestão petista de Bertolínia é considerável, não à toa culminou na Operação Bacuri. 


VEJA PUBLICAÇÃO COM DETALHES DA OPERAÇÃO:____

- Confira como agiam o prefeito e seus familiares, presos em operação do Gaeco


Comentários