Política

"Ouvir os dois lados" · 16/08/2019 - 18h12 | Última atualização em 16/08/2019 - 18h22

Prefeito suspeito de praticar assédio contra médica entende que caso não deveria ser público

Gestor deu ordens para que uma médica do Mais Médicos não fosse mais trabalhar em posto de saúde do município


Compartilhar Tweet 1



 

Por Rômulo Rocha - Do Blog Bastidores

 

___________

- Gestor está tentando afastar uma médica do programa federal Mais Médicos. "Não temos mais interesse nos seus serviços". "Não complica as coisas". "Bom vc não é criança"

______________________

 

Prefeito Lindenberg Vieira, que não é mais do PT
_Prefeito Lindenberg Vieira, que não é mais do PT  (Foto: Reprodução Youtube)

O prefeito de Ribeiro Gonçalves Lindenberg Vieira, que não é mais do PT, divulgou nota sobre o caso envolvendo o suposto assédio moral à uma médica do programa federal Mais Médicos. O gestor tinha dito, via WhatsApp, para a profissional da área de saúde não ir mais para o posto de saúde do município trabalhar. O caso vinha ganhando as redes sociais e acabou por ser noticiado nesta quinta-feira (16) pelo 180graus.

Após a divulgação da matéria o próprio prefeito encaminhou ao titular do Blog Bastidores o que seria uma nota, explicando por que adotou tal comportamento de pedir o afastamento da médica, salientando inclusive, que na sua visão, o caso deveria ter ficado no ambiente de trabalho e não ganhado contornos públicos.

"[A médica] foi propagar para quem não interessa e para quem se quer conhece seus problemas profissionais que deveriam obviamente ser resolvidos estritamente no ambiente de trabalho, expondo a minha imagem e de minha família, como se eu estivesse cobrando algo que não fosse da sua responsabilidade", diz trecho da nota.

______________

VEJA A ÍNTEGRA DA NOTA EMITIDA PELO PREFEITO______

"Tomei conhecimento de que circula nas redes sociais mensagens e áudios da médica Samália Dias noticiando fatos inverídicos e atacando a minha pessoa de forma grosseira e deselegante. Cumprindo minha obrigação de acompanhar e fiscalizar a prestação do serviço de saúde no município, e por orientação da própria coordenação do programa Mais Médicos, marcamos uma reunião no posto de saúde onde trabalha essa médica, com o propósito de melhorar a qualidade e humanizar o antendimento em face de inúmeras reclamações feitas pelos usuários. Lamentavelmente, a médica se recusou a participar. Fui pessoalmente convidá-la, sendo por ela ignorado, trancando-se numa sala, foi propagar para quem não interessa e para quem se quer conhece seus problemas profissionais, que deveriam obviamente ser resolvidos estritamente no ambiente de trabalho, expondo a minha imagem e de minha família, como se eu estivesse cobrando algo que não fosse da sua responsabilidade. Pois bem, achando que estava fazendo o que era de direito e minha obrigação, após tudo isso, tive minha vida exposta à agressões, ameaças e calúnias (recebo mensagens a cada minuto). Como gestor, aprendi  sempre a ouvir os dois lados da história e esta é minha versão para aqueles que não me conhecem".

Assina: Lindenberg Vieira

_________________

RELEIA OS DIÁLOGOS TRAVADOS ENTRE O GESTOR E A MÉDICA

 

VEJA A PRIMEIRA PUBLICAÇÃO SOBRE O CASO:_________

- Prefeito é acusado de tentar forçar uma médica do Mais Médicos a abandonar programa federal


Comentários