Política

Liberdade de Expressão · 17/01/2020 - 09h05 | Última atualização em 17/01/2020 - 10h35

Prefeito se irrita ao ser chamado de 'jumento' e 'jumentão' e processa um do povo

“Não se pode fazer vistas grossas a esses comportamentos imbecis”, sustenta queixa-crime


Compartilhar Tweet 1




Por Rômulo Rocha - Do Blog Bastidores

 

_______________

- Prefeito é um dos que ‘recebeu’ honraria de associação suspeita, o ‘Gestor Nota 10’, mesmo prêmio recebido pelo jumento Precioso

- Na queixa-crime é dito que o “adjetivo” jumento fere a imagem do “maior gestor público municipal” de Campo Maior

___________________________

_O jumento precioso e o prefeito Ribinha (Imagem: Reprodução)
_O jumento precioso e o prefeito Ribinha. Eles ‘ganharam’ a mesma medalha, Gestor Nota 10 (Imagem: Reprodução) 


EFEITO 'PRECIOSO' - GESTOR NÃO QUER SER CHAMADO DE JUMENTO

O prefeito de Campo Maior José Ribamar de Carvalho, do PT, o Ribinha, ingressou no final do último ano com uma queixa-crime contra Jefferson David Evangelista de Abreu (um dos membros da comunidade ilhada do município, Passagem da Negra). Isso após ter sido chamado de “jumento” e “jumentão”, em posts críticos em rede social. 

A peça sustenta que tais “adjetivos jocosos” e “insultos”, na visão do prefeito, são motivados por “inconformismo político do querelado” e cujo teor denigre a imagem do gestor, além da sua honra e moral. 

“Quando o querelado atribui em seu texto o adjetivo jocoso e desrespeitoso de jumento, não se fere apenas a imagem e honra do prefeito municipal, ora querelante, mas da figura do maior gestor público municipal, de um pai de família, de um esposo, e, de toda a família do querelante”, traz o documento.

Mais na frente a peça sustenta que “não se pode admitir tal intolerância num estado regrado como o Estado brasileiro, não se pode fazer vistas grossas a esses comportamentos imbecis, de indivíduos que não tem o completo discernimento da realidade política e da vida pessoal de uma figura pública”. 

Em uma das publicações, Jefferson David faz o seguinte comentário:

“Essa vergonha, o Prefeito vai passar no crédito ou no débito? 26 atletas ganharam medalhas representando Campo Maior. E onde estava a Prefeitura quando esses jovens mais precisaram? Mas pra fazer mídia eles sabem. Fotos, redes sociais é com eles mesmos. Agora o prefeito mudou de faixa. Saiu de jumentão pra gaiato”. 

Outra publicação de David traz:

“A vida pessoal do prefeito Ribinha não me interessa. Mas esse fds recebi várias publicações sobre a viagem dele à praia com lideranças e Presidentes de bairros. Porém, ele está fazendo o papel dele no intuito de se manter no poder juntamente com essas pessoas que vivem de migalhas. O que me deixou apreensivo, é que essas lideranças e presidentes esquecem seu papel como líder, e muitas vezes têm até medo de cobrar algo para a sua comunidade ou região por ter medo de perderem a famosa boquinha, e vivem de lamber as botas do prefeito para não dizer outra coisa E assim vive Campo Maior. Um prefeito jumento, acompanhado de seus poldos”. 

QUER ENQUADRAR NOS CRIMES DE CALÚNIA E INJÚRIA

A queixa-crime, não se sabe se será aceita, faz um tremendo esforço jurídico para tentar enquadrar o autor das manifestações nos crimes de calúnia e injúria. 

PRÊMIO A PREFEITOS E A UM JUMENTO

Ribinha é um dos gestores municipais que chegou a ser premiado pelo mesmo instituto que premiou um jumento com o prêmio “Gestor Nota 10”. 

Uma reportagem exibida no Fantástico em agosto de 2018 deu detalhes sobre um suposto comércio ilegal de diplomas de mérito para gestores municipais.

O gestor de Campo Maior foi agraciado pela União Brasileira de Divulgação, a mesma instituição que premiou o jumento 'Precioso'.

Na época, Ribinha sustentou em nota que adotaria “providências no sentido de restabelecer a verdade sobre esse lamentável incidente, inclusive medidas judiciais compensadoras dos prejuízos de sua honra e imagem”. 

Como se vê, o caso do jumento persegue Ribinha até hoje.


Comentários