Política

'O Economista como avaliador' · 28/07/2011 - 20h13

Perícia judicial será discutida por economista do PI no PR

A palestra da economista Verônica acontecerá na quinta-feira (28), a partir de 15h50


Compartilhar Tweet 1



De que forma o Judiciário pode utilizar a perícia econômico-financeira em processos que requerem uma avaliação de especialista? A resposta a essa questão será dada pela economista piauiense Verônica Paraguassu Martins, durante o III Encontro Brasileiro de Auditoria, Avaliação e Perícia Econômico-Financeira, que acontecerá de quinta a sábado (28 a 30 de julho) em Curitiba (PR). O evento é realizado pelo Conselho Regional de Economia do Paraná e tem o apoio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e da Associação Paranaense de Direito e Economia (Adepar).

Verônica ressalta que, com a estabilidade econômica, cada vez mais brasileiros estão recorrendo a financiamentos que, em muitos casos, acabam indo parar na Justiça por discordância entre as partes sobre os reajustes. “Cada vez mais advogados, defensores e juízes precisam recorrer a uma avaliação técnica de um profissional para dar um parecer judicial de forma imparcial”, comenta a economista.

A palestra de Verônica acontecerá na quinta-feira (28), a partir de 15h50, dentro do debate “O Economista como avaliador, auditor, perito judicial, assistente técnico econômico-financeiro, mediador e árbitro”, que terá a participação dos economistas Pedro Afonso (SP), Luiz Antônio (PR) e Sérgio Guimarães (PR).

Na sexta-feira (29), a piauiense estará no grupo de trabalho “Normas técnicas de uso do profissional economista”, na Sala Philip Kotler. Mais informações sobre o evento no site WWW.corecon-pr.org.br/xvienesul.

A Palestra de abertura tem como tema “A atuação do CNJ e do Poder Judiciário e os efeitos na sociedade” e será proferida pela Juíza do Trabalho Morgana de Almeida Rocha. Destaque também para a palestra “Economia e Direito: desafio da aproximação de conhecimentos” e ainda, o lançamento dos livros “O que é a análise econômica do Direito” e “Cálculos Judiciais Trabalhistas”.


Fonte: Com Informações Do Tj-pi