Política

Percepção · 31/05/2022 - 19h53 | Última atualização em 31/05/2022 - 20h16

Novo procurador-geral de Contas junto ao TCE-PI vê declínio no combate à corrupção 

"Que as adversidades que enfrentamos nos últimos anos não devem, de forma alguma, ser motivo para desânimo"


Compartilhar Tweet 1



 

Por Rômulo Rocha - Do Blog Bastidores

 

_Procurador-geral de Contas junto ao TCE-PI (Foto: Divulgação)
_Procurador-geral de Contas junto ao TCE-PI, Márcio Vasconcelos (Foto: Divulgação) 

ASCENSÃO E DECLÍNIO

O novo procurador-geral do Ministério Público de Contas do Piauí, que atua junto ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI), Márcio Vasconcelos, empossado última segunda-feira (30), inicia seu biênio (2022 a 2024) neste 1º de junho. No seu discurso inaugural do novo momento, realizado quando da cerimônia de posse, ele citou a ascensão e o declínio no combate à corrupção e pediu que não haja desânimo.  

Quando da ascensão, destacou, foi um período em que os órgãos de controle ganharam notoriedade e amplo apoio popular no Brasil, e foi justamente neste período que Vasconcelos estava na sua primeira gestão à frente do órgão ministerial junto ao TCE. 

“A sociedade passou a ter acesso amplo a informações de receitas e despesas públicas nos Portais de Transparência, aumentando significativamente o anseio por resultados e a cobrança por efetividade”, chegou a destacar no discurso.

Para ele, no entanto, nos tempos atuais teria existido uma sistemática edição de leis, além de reformas de decisões judiciais que acabaram, seja direta ou indiretamente, enfraquecendo as instituições públicas, em especial os órgãos de controle. 

Pediu, entretanto, ainda que diante do atual cenário, “que as adversidades que enfrentamos nos últimos anos não devem, de forma alguma, ser motivo para desânimo, mas sim servir de combustível para que todos nós envolvidos no controle da administração pública possamos atuar com ainda mais dedicação, compromisso e responsabilidade”.

Márcio Vasconcelos substituirá o procurador Pinheiro Júnior, que esteve à frente do órgão ministerial nos últimos dois anos.

A nova gestão, que terá início nesta quarta-feira (1º), se estenderá até 31 de maio de 2024. 

Comentários