Política

Ex-mulher é acusada · 15/10/2019 - 18h28 | Última atualização em 15/10/2019 - 20h47

Morte de Economista da PMT | Advogado de São Paulo quer adiar Júri pela 4ª vez

Alega ter palestra e que a acusada pelo mando da morte e simulação de enforcamento está sob tratamento para debelar câncer agressivo


Compartilhar Tweet 1



 

 

Por Rômulo Rocha - Do Blog Bastidores 

 

__________________

- Ministério Público diz que o sistema de justiça criminal não pode ser pautado pelos interesses exclusivos do patrono da acusada, e que não se opõe ao adiamento da data de julgamento da ré em face do seu suposto estado de saúde, porém, requereu ao juízo que solicite à defesa relatório atualizado dos tratamentos contra o referido câncer

________________________

 

_O então economista José Afonso Vieira dos Santos
_O então economista José Afonso Vieira dos Santos 

“OBRIGAÇÕES CONTRATUAIS JÁ AVENÇADAS”

O advogado de São Paulo Yuri Felix pediu, pela quarta vez, que o julgamento de Cybele Moura de Carvalho Santos, acusada pelo Ministério Público de ser a mandante da morte do então economista da Prefeitura de Teresina José Afonso Vieira dos Santos, seja adiado e que não se realize no próximo dia 31 de outubro, como previamente definido última semana, quando o julgamento foi adiado por conta de liminar concedida pelo desembargador Pedro de Alcântara da Silva Macedo. (ENTENDA O CASO).

Alega o defensor de Cybele Santos que “é advogado militante fora da terra, e nesta presente data designada se vê completamente impossibilitado de comparecer, tendo em conta a série de compromissos profissionais assumidos em outras regiões do país”.

“Ademais”, continua, “este patrono, além de sua advocacia militante, exerce funções acadêmicas, ministrando aulas, cursos, palestras, workshops e demais atividades ligadas a seara do pensamento crítico jurídico/pedagógico”. 

Em face disso, conta, “especificamente nesta data designada, no dia anterior no período noturno, este patrono estará na cidade de Cuiabá - MT, proferindo palestra em renomado evento, compromisso este assumido meses atrás com toda a advocacia, instituições, livrarias e parceiros locais”. 

E sugere que o juízo marque o júri para os meses de “novembro, dezembro ou janeiro próximos”.

“CÂNCER AGRESSIVO”

O advogado Yuri Felix conta ainda que não é só tal impedimento de sua pessoa que justificaria a sua ausência, mas da própria ré, que passaria por um tratamento de câncer agressivo. 

“Conforme farta documentação acostada, a Ré, neste exato período, passa por agressivo tratamento quimioterápico, lutando para sobreviver a um câncer agressivo, demandando o emprego de forte medicação”, salienta. 

E que “nesse sentido, é cediço que a defesa processual se divide em defesa técnica e pessoal, esta última exercida diretamente pelo (a) acusado (a) em um processo crime”. 

“De mais a mais, é sabido que o momento auge do exercício da plenitude de defesa é o interrogatório da Ré em plenário, momento este crucial na formação da íntima convicção do jurado. Porém, presente caso, a Ré não possui a menor condição de participar por horas a fio de um plenário do júri”. 

Argumenta ainda que não desconhece que é possível a realização do júri sem a presença da ré, porém, “para o exercício da plenitude de defesa, esta defesa técnica não abre mão da presença da acusada em toda a solenidade”. 

Requerendo assim, como medida de equilíbrio, bom senso e justiça, que a sessão plenária do Tribunal Popular do Júri seja realizada daqui a 30 a 90 dias. 

A petição de Yuri é do dia 11 de outubro, um dia após o adiamento concedido anteriormente - VEJA AQUI

_Corpo do economista, em posição de suposto enforcamento, tocando no chão. Veneno em pó foi encontrado em suas vias respiratórias. Assassinato ou suicídio?
_Boneco simulando corpo do economista, em posição de suposto enforcamento, tocando no chão. Veneno em pó foi encontrado em suas vias respiratórias. Assassinato ou suicídio? 

MINISTÉRIO PÚBLICO CONTRA

O promotor de Justiça do caso, Márcio Giorgi Carcará Rocha, sustentou neste 15 de outubro de 2019 que “além do advogado eventualmente ausente, existem dois outros advogados habilitados nos autos, aqui militantes, que podem mui dignamente exercer as atividades defensivas da acusada Cybele”. 

“Acresça-se o fato que o sistema de justiça criminal não pode ser pautado pelos interesses exclusivos do patrono da acusada, que elege a participação em congresso como mais relevante que a defesa de sua constituinte”. 

E que o processo em questão é em face de “crime ocorrido no já distante ano de 2006, com infrutíferas tentativas de realização de julgamento pelo Tribunal Popular do Júri".

MP REQUER RELATÓRIO ATUALIZADO DO ESTADO DE SAÚDE

O promotor de Justiça também demonstra certa surpresa com a data do laudo tratando da neoplasia maligna, de 29/04/2019.

“Há mais de cinco meses é de conhecimento da defesa a situação da acusada. Incrível que depois de todos os atos protelatórios que a pretexto de garantir a plenitude de defesa postergaram o julgamento do feito somente agora”, trazendo tal informação aos autos. 

Porém, ainda assim, sustenta o representante do MPE, “por razões humanitárias”, em face do estado de saúde em que estaria a ré, e “mesmo sabendo do risco do presente feito não vir a ser julgado esse ano, o Ministério Público não se opõe ao adiamento da sessão plenária designada para o dia 31/10/2019, solicitando de sua Excelência que requeira aos patronos da Defesa, relatório atualizado dos tratamentos que estão sendo realizados, além do atual estadiamento da doença”.  

_Cybele estasria com câncer agressivo
_Cybele Santos estaria com câncer agressivo 

ASSISTENTE DA ACUSAÇÃO

O assistente da acusação, advogado Gilberto Ferreira, lembrou que no caso da morte do advogado Flávio Teixera de Abreu, assassinado pelo procurador de Justiça Geneis Morais Lima, fato ocorrido na vizinha Timon, Maranhão, o acusado à época estava com câncer terminal e foi, mesmo assim, levado ao Tribunal Popular do Júri.


Comentários