Política

Marcelo: 'Pretensão legítima' · 05/03/2017 - 12h46

De olho em vaga majoritária, PMDB deve indicar vice de W.Dias em 2018

Themístocles Filho é cotado; Marcelo Castro diz que vaga na chapa é pretensão legítima


Compartilhar Tweet 1



Por Apoliana Oliveira

O deputado federal Marcelo Castro, um dos que liderou as negociações entre PMDB e o governo Wellington Dias (PT) pleiteando participação dos peemedebistas no Karnak, disse que é legítima a pretensão do partido em ocupar um ou dois espaços na chapa majoritária para a disputa estadual em 2018.

Ele admite que o nome do deputado estadual Themístocles Filho (PMDB) é cotado para assumir na chapa a candidatura a vice de Wellington, mas põe a questão como indefinida. De certo, o apoio do grupo à reeleição do governador.

“Existe essa conversa, mas não há nada fechado. Há quatro cargos em disputa. O de governador é do Wellington Dias. O de vice-governador, e duas de senador. Então, o PMDB propõe, pretende legitimamente, ocupar um espaço, ou dois”, disse Marcelo ao 180graus, durante a festa de aniversário de Dias, realizada neste domingo (05/03) no Parque Potycabana.

- Fotos: Apoliana Oliveira/180graus

Quanto a sua candidatura, Marcelo diz que vai disputar a reeleição para a Câmara Federal. Diz ainda que, mesmo em meio à separação nacional entre PT e o seu partido, não lhe gera constrangimento a aliança no Piauí.

“No meu caso, especialmente não, porque eu votei foi na Dilma. Votei contra o impeachment. Era ministro da Dilma”, diz, citando ainda o histórico de boas alianças entre o partido desde 2002, quando somente em 2014 o governador não teve o apoio do PMDB, já que a sigla teve candidato próprio, o ex-governador Zé Filho.

Para o seu aniversário de 55 anos, W.Dias chegou acompanhado dos peemedebistas. Dois deles, Zé Santana e Castro Neto, tomam posse nesta segunda-feira no Palácio de Karnak, assumindo o comando da Sasc e DER, respectivamente. “O grande sentido da política é pensar em povo, o que é importante para população”, disse W.Dias, sem querer comentar a entrada ao lado dos novos – porém velhos – aliados.

Disse ainda ser grato a José Dias e Henrique Rebelo, que deixam DER e Sasc, e diz confiar na continuidade do trabalho que os dois vinham desenvolvendo. Para o governador, as mudanças “nos colocam em condições de ter não apenas o apoio na Assembleia”, mas de garantir a ajuda na gestão.

Também por indicação peemedebista, esta do deputado estadual João Mádison, Leonardo Sobral irá assumir o comando da CCPR. Já o deputado estadual Pablo Santos aguarda a criação da fundação que irá coordenar a gestão dos hospitais estaduais, a qual irá assumir.

- Foto: Isabel Ribeiro/180graus