Política

Queda de Braço · 09/04/2022 - 07h38 | Última atualização em 10/04/2022 - 07h42

Marcelo Castro chegou a afirmar que "vai ter CPI do MEC", mas Ciro atuaria para impedir investigação

Eventual Comissão Parlamentar de Inquérito põe em lados opostos dois políticos piauienses com atuação em Brasília


Compartilhar Tweet 1



 

Do Blog Bastidores

 

O presidente da Comissão de Educação do Senado Federal, senador Marcelo Castro (MDB), chegou a publicar no Twitter que "vai ter CPI do MEC". 

Afirmou ainda "que poucas vezes nós vimos fatos tão graves que precisam ser melhor esclarecidos".

E que "em qualquer área da administração pública, é preciso que toda denúncia seja apurada, ainda mais quando se trata da área da educação".

Segundo O Globo, no entanto, o ministro-chefe da Casa Civil Ciro Nogueira lideraria uma força-tarefa para impedir a instalação da CPI.

O feito expõe uma queda de braço entre os dois políticos piauienses, em face de estarem em lados diferentes nessa disputa. 

Em seu Twitter Marcelo Castro havia sustentado ainda que "não bastam as 27 assinaturas para a abertura de uma CPI".

Que "depois de conseguirmos um número razoável de assinaturas, mesmo com eventuais retiradas, é preciso que o presidente do Senado autorize a instauração da CPI. Essa comunicação, normalmente, é feita em plenário".

"Por isso, o trabalho para garantirmos a abertura da CPI do MEC é mais importante, neste momento, do que a minha assinatura por si só", pontuou.

Segundo o governo há senadores que já retiraram assinaturas de apoio à CPI, cujo autor do pedido para sua instauração é o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Comentários