Política

Declaração foi polêmica · 15/10/2010 - 14h39

HERÁCLITO diz, dentro da MN, que empresa é tendenciosa

EM ENTREVISTA COM SILAS FREIRE, o senador afirmou que a TV é favorável a Wilsão e W. Dias


Compartilhar Tweet 1



O senador Heráclito Fortes (DEM) afirmou nesta sexta-feira (15/10) durante entrevista ao programa 'Agora', da TV Meio Norte, que este sistema de comunicação é tendencioso durante toda a campanha eleitoral em favor dos candidatos Wilson Martins (PSB), à reeleição no 2º turno, e Wellington Dias (PT), eleito para o Senado.

Ele disse que o jornal fez a campanha em favor dos governistas ao tempo em que desprezou, na maioria das vezes, a cobertura sobre ações da oposição. O apresentador Silas Freire rebateu e disse que as empresas do grupo Meio Norte são todas democráticas e sempre chamam todos os políticos para participações.

Segundo Heráclito Fortes, não se pode confundir democracia com tendência política. “Não vivemos numa ditadura, mas não se pode negar que houve tendência do sistema Meio Norte em favor das candidaturas oficiais. Aliás, nos Estados Unidos, os jornais tomam partido, é algo perfeitamente normal. Por que esconder isso? Todos viram, basta pegar as últimas 20 manchetes para confirmar o que estou dizendo.”

O senador reclamou também sobre a cobertura da campanha presidencial que, segundo ele, é escancaradamente em favor da candidata petista Dilma Roussef e contra a candidatura de José Serra, do PSDB. Ele falou que a pesquisa mostrando empate técnico entre os dois candidatos e o crescimento de Serra no Nordeste foi tratada de modo desigual pelo Meio Norte ao tentar esconder a realidade dos fatos.

“O jornal não mostra, por exemplo, a queda da Dilma na região sul, a exaustão a que chegou sua candidatura no Brasil todo.” O senador afirmou que Lula ficou irritado com ele porque fez denúncia contra a tentativa de conquistar um terceiro mandato a partir da mudança da Constituição Federal. O parlamentar exibiu um cartaz do Banco do Brasil com o número “3”. Lamentou que o presidente da República tenha feito comentário contra sua pessoa utilizando o nome de Deus em vão. “Deus não persegue, não persegue, não tem ódio. Meu Deus não é o dele.”

Fortes enfatizou que Lula quer se transformar num ditador mas a partir de janeiro terá que se contentar em atuar na planície, como um cidadão comum, enfrentando a fila do supermercado. “Ele terá dois ou três assessores, mas não vai contar mais com aquele séquito de puxa-sacos que ficam lhe dizendo que está tudo bem, passando informações errôneas sobre a situação do país.”

Heráclito debateu com o apresentador ainda sobre obras realizadas pelo governo petista no Piauí. Ele disse que não existem realizações. Silas Freire falou que a vida das pessoas melhorou, tal como no discurso dos candidatos oficiais. Ele observou também que na saúde houve muitas melhorias, a exemplo da conclusão do HUT – Hospital de Urgência de Teresina, obra iniciada em 1989, na gestão de Heráclito como prefeito e somente concluída por Lula.

O senador rebateu. Disse que a conclusão do HUT foi possível por causa de emendas de bancada. “Não tem nada a ver com ação de Lula. Se fosse assim ele teria concluído o Hospital Universitário da Ufpi.” O parlamentar disse que ainda não pensou se vai abandonar a vida pública. Disse que "daqui para quatro anos tem muita coisa ainda para acontecer". Mas garante que agora vai ter mais tempo para se dedicar aos familiares.