Política

Ligações · 17/06/2019 - 16h08 | Última atualização em 17/06/2019 - 16h50

Gestão de Luiz Menezes 'deu' contratos de R$ 4,7 milhões para filhos de membro da base

Suspeita é de direcionamento de licitações do transporte escolar, transporte de pessoas e de aluguel de carros


Compartilhar Tweet 1



 

Por Rômulo Rocha - Do Blog Bastidores

 

Prefeito de Piripiri, Luiz Menezes
_Prefeito de Piripiri, Luiz Menezes    Imagem: Reprodução/Internet

TUDO EM CASA

Uma denúncia que chegou ao Tribunal de Contas do Estado do Piauí via Ouvidoria dava conta de que dois filhos do vereador Francisco das Chagas Passos de Carvalho, o Deguedê, eleito pelo PSDB, ganhou licitação da ordem de R$ 4,7 milhões para serviço de transporte escolar, transporte de passageiros e aluguel de carros junto à Prefeitura de Piripiri, cujo prefeito, Luiz Menezes, é do PSDB.

Os fatos reportados à Corte de Contas ocorreram em 2017. Último mês, um parecer do Ministério Público de Contas (MPC) reportava a confirmação das supostas ocorrências, após detida análise técnica de órgão interno do Tribunal.

Os pregões presenciais número 03/2017 e 04/2017 também traziam cláusulas restritivas, impedindo a real e necessária competitividade, além do mais, a empresa vencedora, Andrade e Carvalho Transportes LTDA, não possuía os veículos necessários para oferecer os serviços.

“A DFAM [órgão do TCE] constatou que a empresa contratada não está em conformidade com o objeto contratual, uma vez que possuía uma frota de veículos insuficiente para o atendimento da demanda do contrato advindo do pregão 004/2017. Em relação aos veículos tipo ônibus, só foi comprovado por relatório interno o total de duas unidades (M. Benz LO 814 e IMP/M. Bens OF 1620), o que não condiz com a quantidade requerida no objeto do contrato firmado após o pregão 003/2017", sustenta o MPC. Em face disso foi constatada a subcontratação para a oferta de veículos.

A denúncia também reporta que o vereador, cujos filhos foram beneficiados, é claramente integrante da base de apoio do prefeito de Piripiri, daí a necessidade de cancelamento dos pregões.

Outro detalhe interessante coletado pelos técnicos do TCE é que o nome fantasia “Deguedê Turismo” era utilizado pela empresa, “ou seja, mesmo nome utilizado como apelido do vereador Sr. Francisco das Chagas Passos de Carvalho”, traz o parecer.

“Consubstanciando, mais uma vez, na comprovação de que não houve obediência ao princípio da impessoalidade nas licitações, uma vez que existe comprovada relação pessoal entre o Sr. Francisco das Chagas Passos de Carvalho (Deguedê) e o Prefeito Luiz Cavalcante e Menezes”, acresce.

O Ministério Público de Contas pede para que o caso seja remetido ao Ministério Público Estadual (MPE).

O relator do caso no TCE é o conselheiro Olavo Rebelo.

Detalhes do parecer do Ministério Público de Contas
_Detalhes do parecer do Ministério Público de Contas  

 


Comentários