Política

Durante sessão remota · 07/07/2020 - 16h27

Flávio Nogueira destaca mortes de Assis Carvalho e Elói Portella na Câmara

Sobre Assis Carvalho, o parlamentar disse que foi um homem vitorioso, que saiu de Oeiras e subiu cada degrau com muita luta


Compartilhar Tweet 1



O deputado federal Flávio Nogueira (PDT) usou o espaço das breves comunicações na Câmara Federal na tarde desta terça-feira (7) para destacar o legado do deputado federal Assis Carvalho (PT), que morreu no domingo (5) em Oeiras. Nogueira também registrou o falecimento do ex-senador Elói Portella, que morreu nesta terça.

Sobre Assis Carvalho, o parlamentar disse que foi um homem vitorioso, que saiu de Oeiras e subiu cada degrau com muita luta. Ele disse que Assis chegou à Assembleia Legislativa do Piauí e à Câmara Federal sempre com muito destaque. O deputado mencionou ainda a grande amizade de Assis com o governador Wellington Dias.

“O Assis Carvalho foi um vitorioso. Saiu da sua cidade de Oeiras, que foi nossa primeira capital. Teve uma vida ganhando degraus com muita luta, chegando à Assembleia Legislativa do Piauí e ao Congresso Nacional com três mandatos, sempre com destaque. Era um líder, uma pessoa marcada pela determinação. Amigo do governador Wellington Dias, que sofre muito com esse passatempo desse nosso colega”, falou.

Para Nogueira, a atuação política de Assis Carvalho, que era presidente regional do PT no Piauí, fará muita falta ao Estado. O parlamentar do PDT se solidarizou com a esposa, os filhos e os amigos do petista. “A sua luta vai ser continuada”, frisou.

Flávio também registrou o falecimento do ex-senador Elói Portella, irmão dos ex-senadores Petrônio Portella e Lucídio Portella. Elói tinha 83 anos, sofria de parkinson e morreu em Teresina. Ele era tio da deputada federal Iracema Portela (PP).

“Quero também registrar que hoje faleceu nesta cidade [Teresina] o ex-senador Elói Portella, que era irmão de dois outros senadores: Lucídio Portella e Petrônio Portella, este último um grande brasileiro que foi um dos artífices da abertura democrática no Brasil. Elói também era tio da deputada federal Iracema Portella”, registrou.


Fonte: AsCom

Comentários