Política

O político e o lobista · 09/10/2020 - 07h00 | Última atualização em 09/10/2020 - 11h01

Exclusivo: delator diz que conheceu famoso lobista através de indicada de Valter Alencar no RJ

"Valter Alencar até falava em nome do governador. Sendo mais influente do que o próprio vice", sustenta ex-secretário de Saúde do estado fluminense


Compartilhar Tweet 1



Por Rômulo Rocha - Do Blog Bastidores

 

_____________________________

"O colaborador conheceu uma pessoa chamada WALTER ALENCAR [Valter Alencar], ex-juiz eleitoral do Piauí, muito ligado ao governador WITZEL, que até falava em nome do governador, sendo mais influente que o próprio vice-governador", trecho de colaboração premiada do secretário de Saúde do Rio de Janeiro e tenente-coronel da PM-RJ Edmar Santos

“Acredito que dei a minha contribuição ao governo do Rio de Janeiro”, disse Valter Alencar em nota à imprensa

____________________________________

_Imagem (Reprodução)
_Imagem (Reprodução)  

OUTROS FATOS SOBRE A PASSAGEM DE VALTER ALENCAR NO GOVERNO DO RIO DE JANEIRO

O delator Edmar Santos disse ao Ministério Público Federal (MPF), no âmbito de colaboração premiada, que conheceu o lobista Roberto Bertholdo através de sua chefe de gabinete, Maria Márcia Ferreira Verginelli, que foi indicada pelo político Valter Ferreira de Alencar Pires Rebelo, o ex-candidato derrotado ao governo do Piauí que fez campanha como árduo defensor do combate à corrupção.

Roberto Bertholdo, por sua vez, é apontado pelo MPF como um dos chefes da organização social Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde (IABAS), O.S. que teria assinado contratos para lá de milionários e suspeitos com o governo do Rio de Janeiro na gestão de Wilson Witzel. 

“Desse modo, além das irregularidades na gestão do IABAS, ROBERTO BERTHOLDO seria responsável por operacionalizar um sofisticado esquema de lavagem de dinheiro, em troca de uma comissão de 20% sobre a primeira remessa de valores. Ainda, o advogado [Bertholdo] informou ao colaborador [Edmar Santos, colaborador da Justiça, ex-secretário de Saúde do Rio]  que já operava dessa forma para algumas autoridades. Com o aprofundamento das investigações, foi possível corroborar as declarações de EDMAR SANTOS [colaborador, ex-secretário de Saúde do Rio de Janeiro] por meio de elementos de prova totalmente independentes, conforme será demonstrado a seguir”, sustentou o MPF.

Segundo a colaboração de Edmar Santos, homologada pela Justiça brasileira, a ponte entre ele e o apontado como lobista percorreu um caminho que incluiu o nome de Valter Alencar, que no relato abaixo é escrito com "W". Veja os detalhes:

"QUE voltando um pouco no tempo, ainda durante a transição do governo, em dezembro 2018, o colaborador conheceu uma pessoa chamada WALTER ALENCAR, ex-juiz eleitoral do Piauí, muito ligado ao governador WITZEL, que até falava em nome do governador, sendo mais influente que o próprio vice-governador; QUE WALTER ALENCAR levou para a equipe de transição uma pessoa chamada MARCIA VERGINELLI, que chegou a ser aproveitada no gabinete do colaborador; QUE por volta de março de 2019 o colaborador foi apresentado por MARCIA VERGINELLI a ROBERTO BERTHOLDO, que seria um advogado com muita influência em Brasília, e que poderia ajudar o Estado do RJ", traz trecho de colaboração.

_Imagem: Reprodução
_Imagem: Reprodução 

 

O Ministério Público Federal afirma, em peça já endereçada ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) pela subprocuradora-geral da República Lindôra Maria de Araújo, que "conforme já relatado, um dos braços da organização criminosa estabelecida no Governo WILSON WITZEL é centrado na pessoa de EVERALDO DIAS PEREIRA (PASTOR EVERALDO), que comanda as contratações da pasta da Saúde, dentre outros setores. No anexo 14 do Acordo de Colaboração Premiada, EDMAR SANTOS narrou diversas irregularidades relacionadas ao IABAS envolvendo não apenas representantes da organização social, mas também servidores da Secretaria de Estado de Saúde, vinculados umbilicalmente ao PASTOR EVERALDO, e do gabinete do Governador WILSON WITZEL.

Valter Alencar era assessor especial do governador do Rio de Janeiro, até ser exonerado, também segundo o colaborador Edmar Santos, sob a suspeita de envolvimento em "esquema de funcionários fantasmas ou rachadinha em seu gabinete" junto com parentes, tema de outro inquérito. Feito nada republicano que Valter Alencar nega.

"VALTER FERREIRA DE ALENCAR PIRES REBELO, advogado piauiense e candidato ao governo do Piauí pelo PSC nas eleições de 2018, participou da equipe de transição no Rio de Janeiro e foi nomeado para exercer o cargo de Assessor Especial do Governo WITZEL por influência do PASTOR EVERALDO, passando, então, a ocupar papel de destaque no governo", sustenta o MPF.

_Para o MPF, Valter integrava o grupo do Pastor Everaldo no governo do Rio de Janeiro (Imagem: Divulgação)
_Para o MPF, Valter integrava o grupo do Pastor Everaldo no governo do Rio de Janeiro. Everaldo foi preso na Tris in Idem por ser considerado um dos braços da "organização criminosa" que atuava no estado (Imagem: Divulgação) 
_Imagem: Reprodução
_Imagem: Reprodução 

Também segundo o MPF, quanto a Márcia Verginelli, indicada de Valter Alencar como chefe de gabinete do Secretário de Saúde do Rio, ela "exerceu por vários anos a função de superintendente da Fundação Zerbini, em São Paulo, bem como de diretora e conselheira da Fundação Sócrates Guanaes, em Goiás. Por sinal, na Fundação Sócrates Guanaes, MÁRCIA VERGINELLI trabalhou ao lado de ROBERTO BERTHOLDO, corroborando as declarações do colaborador no sentido de que MÁRCIA VERGINELLI foi a responsável por apresentar o advogado a ele".

"Registra-se que, de acordo com o Relatório de Inteligência Financeira no 49465, o escritório de advocacia de ROBERTO BERTHOLDO recebeu no período de 01/04/2019 a 25/03/2020, R$ 2.908.655,64 do INSTITUTO SÓCRATES GUANAES (CNPJ nº 03.969.808/0005-01). Ademais, assim como VALTER ALENCAR, MÁRCIA VERGINELLI integrou a equipe de transição do recém-eleito Governador WILSON WITZEL", pontua o MPF.

Valter não respondeu a perguntas encaminhadas pelo Blog Bastidores, do 180, até a publicação dessa reportagem. 

Em outra oportunidade, em nota à imprensa, chegou a dizer: “Acredito que dei a minha contribuição ao governo do Rio de Janeiro”.

Recentemente, endereços ligados a Valter Alencar foram alvos de mandados de busca e apreensão, cumpridos pela Polícia Federal, por ordem do STJ.

"SOFISTICADA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA"

Para a subprocuradora-geral da República Lindôra Maria de Araujo, no seio desse governo fluminense, do qual piauienses fizeram parte, haveria uma "sofisticada organização criminosa", só encontrando semelhança em governos considerados extremamente corruptos, como os de Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão, ambos alvos de investigações que os levaram à prisão. 

"Após a deflagração da “Operação Placebo”, o ex-Secretário de Saúde, EDMAR SANTOS apresentou-se, espontânea e voluntariamente, acompanhado de seus advogados, para celebrar acordo de colaboração premiada, revelando sofisticada organização criminosa instalada no seio do Governo do Estado do Rio de Janeiro – repetindo esquema criminoso praticado pelos últimos dois ex-Governadores (SÉRGIO CABRAL e LUIZ FERNANDO PEZÃO).


VEJA AINDA:____________

- Exclusivo: Valter Alencar foi exonerado no RJ por participar de esquema de “rachadinha”, diz delator

 


Comentários